Fotografia: COF

Ponto final nas dúvidas. É verdade que nas últimas épocas, uma equipa que faz 40 pontos, não descia de divisão. Aconteceu ao Oliveira do Bairro, que volta a baixar a um patamar que não é consentâneo com os pergaminhos do clube, mas a história faz-se do presente e não do passado. E o presente culminou com a descida à nova 1.ª Divisão da Associação de Futebol de Aveiro.
Foi uma época atribulada, com três treinadores, um deles nem uma vitória alcançou, muitas lesões e alguma falta de qualidade, levaram à descida de divisão. Muitos pensaram que não seria possível, “jogaram” na possibilidade de Pampilhosa e Estarreja, um deles não descia do Campeonato de Portugal aos distritais, desceram os dois, o que agravou ainda mais as coisas.
Na última jornada, o Oliveira do Bairro cumpriu a sua obrigação, que era ganhar. Foi no terreno do Carregosense, mas tinha de esperar que o Paivense, em casa, não vencesse o Avanca. Nada disso aconteceu e os bairradinos descem mais um escalão no futebol distrital aveirense.
Como disse no final do jogo o treinador Tó Miguel, “agora é tempo de repensar o futuro”. Um futuro que poderá ter muitos pontos de interrogação, de um clube que deixa de ser o mais representativo do concelho (terá o Oiã na mesma divisão) e as mesmas “regalias” por parte da Câmara Municipal.
Os notáveis do clube deixaram de aparecer, mas o tempo terá de ser de rejuvenescimento, de pessoas que tragam novas ideias.
O Mealhada venceu em casa o Alvarenga e entregou a lanterna vermelha ao Milheiroense.
O aliciante da última jornada do Campeonato Safina, para além de saber quem acompanhava Cucujães, Milheiroense, Mealhada e Romariz, era quem iria disputar a Taça de Portugal. União de Lamas e São João de Ver defrontaram-se entre si e os homens de Santa Maria de Lamas levaram a melhor.
Para a próxima época, o Oliveira do Bairro terá os seguintes adversários: Mealhada, Cucujães, Milheiroense, Romariz, Oiã, Fermentelos, São Vicente Pereira, Calvão, Mansores, ACRD Mosteirô, Juve Force, Mosteirô FC, Macieirense, Carqueijo, Mourisquense, EF Rui Dolores e Paços de Brandão.
II DIVISÃO
CAMPEÃO. O Famalicão acabou a fase de apuramento de campeão da 2.ª Divisão com mais uma derrota, a quarta consecutiva, no terreno do Vista Alegre, tendo ficado em último lugar do grupo.
A Ovarense venceu no terreno do Canedo e sagrou-se campeã.
Do 2.º ao 6.º lugar. Para o melhor segundo classificado, o Fermentelos despediu-se com uma vitória, em casa, frente ao Calvão, num jogo que marcou também a despedida de Fernando Silva, que colocou um ponto final na carreira de 30 anos como treinador, 17 dos quais ao serviço do clube da Pateira.
A equipa fermentelense acabou por não conseguir o primeiro lugar, dado que o Mansores, a quem um ponto chegava, empatou em São Vicente Pereira.
Para o 3.º lugar, o Oiã foi derrotado pelo ACRD Mosteirô, num jogo em que merecia algo mais, pois o golo da vitória dos arouquenses foi obtido na sequência de uma grande penalidade inexistente.
No outro jogo, a Juve Force perdeu no reduto do Mosteirô FC por 1-0.
Ao perder no terreno do Macieirense, o Mourisquense falhou o assalto ao primeiro lugar para o melhor quarto classificado, ganho pelo seu opositor.
Depois de ter vencido na primeira volta, o Carqueijo, agora em casa, levou a melhor sobre a EF Rui Dolores.
Para o melhor 5.º lugar, o Bustos empatou no terreno do Estarreja B, num grupo ganho pelo Paços de Brandão que, à partida, subirá de divisão, um objetivo falhado pela equipa bairradina.
Para o melhor sexto classificado, o Mamarrosa venceu na receção ao Cesarense B. A equipa de Jorge Rameiras acabou por fazer uma excelente campanha.
Também em casa, o Valonguense levou a melhor sobre o Sanguedo.
As emoções do futebol distrital regressam em setembro.