Recortes.pt Leia no Recortes.pt

Arquivo | Desporto

Vida complicada para OBSC e Mealhada. Na segunda tudo na mesma

Cada jornada que passa e como os resultados não são positivos, o cerco fica mais apertado para várias equipas na luta pela manutenção. A nove jornadas para o final do campeonato, o Oliveira do Bairro continua mergulhado no penúltimo lugar, começando a ver alguns adversários diretos fugir na classificação. Os Falcões, frente ao Paivense, estiveram em vantagem até ao intervalo, mas depois permitiram a reviravolta ao adversário.
O Mealhada também está na zona de descida, depois de mais uma derrota, a quinta consecutiva, no terreno do Esmoriz.
Pela primeira vez dentro das quatro linhas (havia ganho na secretaria), o Calvão somou pontos fora, e logo uma vitória, na casa do Milheiroense. Um bálsamo para o que aí vem. Em casa, frente a um adversário complicado, o União de Lamas, o Mourisquense conseguiu um ponto, mas continua também com o credo na boca.
O Águeda escorregou no terreno do Fiães e perdeu excelente oportunidade para se aproximar do Bustelo, que voltou a empatar, sendo ainda ultrapassado pelo Alba.
2-A partir de agora, cada jogo, é uma final, sobretudo quando engloba partidas com adversários que lutam pelos mesmos objetivos. Isto aplica-se por inteiro ao Oliveira do Bairro na receção ao Canedo, num fim de semana de aniversário e onde os seus adeptos não têm tido motivos para festejar. Outro resultado que não a vitória não interessa aos Falcões, frente a um opositor que vem de quatro vitórias consecutivas. Jogo de tripla.
O Mealhada volta a jogar fora, em Cucujães, e arrisca-se a ver mais uma jornada passar sem alcançar o seu objetivo, que passa por pontuar. O mesmo se pode aplicar ao Mourisquense que joga na casa do líder, o Bustelo, sendo que neste jogo o grau de dificuldade é mais elevada para os Pilatos, comparativamente com o Mealhada.
Num confronto direto, o Calvão, em casa, diante do Soutense, não pode vacilar, numa partida crucial para o futuro imediato dos vaguenses, pois, em caso de vitória, deixam o seu adversário a três pontos.
Em casa, o Águeda, apesar de encontrar pela frente um Paivense moralizado pelos últimos resultados, deverá chamar a si os três pontos em disputa.

II DIVISÃO

SÉRIE C. 1-Em casa, o líder Oiã não teve a mínima dificuldade em bater o Aguinense. Mais complicada foi a tarefa do Famalicão, em Azenha, diante do Paredes do Bairro, que deu excelente réplica ao vice-líder do campeonato.
Em Águas Boas, o Couvelha dividiu os pontos com a equipa local e, face ao triunfo do Luso em Antes, foi apanhado no terceiro lugar pelos homens das águas.
O CRAC impôs pesada derrota (6-1) ao VN Monsarros e manteve o quinto lugar, logo atrás da LAAC que, em casa, venceu tranquilamente o Mamarrosa.
Sosense e Ribeira/Azenha dividiram os pontos após uma igualdade a dois golos.
2-As atenções da próxima jornada estão todas centralizadas no Famalicão – Oiã. Este poderá ser o jogo do título para o Oiã, caso vença, ao passo que os famalicenses, que ainda terão de folgar, estão obrigados a vencer e esperar no que resta do campeonato que o seu opositor direto perca pontos. Por todas as razões, prevê-se um jogo extremamente disputado e com resultado imprevisível.
Outro dos jogos grandes é o Luso – Couvelha. Aqui joga-se para o pódio e os pratos da balança pode pender para qualquer dos lados.
Apostado em chegar ao quinto lugar, o Aguinense recebe a LAAC e, para lutar por esse objetivo, sabendo que tem à perna o CRAC, terá que ganhar para manter esse sonho possível. É que a equipa de Parada de Cima recebe o Ribeira/Azenha e, à partida, tem boas probabilidades de somar pontos.
O Águas Boas defronta o Paredes do Bairro imbuído no espírito de que não quer perder de novo pontos em casa.
Sem pontuar há seis jogos, o Mamarrosa fará a receção ao Carqueijo e, quem sabe, o regresso aos pontos. Também em casa, o Sosense tem tudo para vencer o Antes.
O VN Monsarros folga nesta jornada.

Posted in Desporto, Tribuna de Honra0 Comentários

Anadia perde pela primeira vez. Pampilhosa empata fora

Numa partida em que se discutia a liderança, a Sanjoanense acabou por levar a melhor sobre o Anadia e reforçou esse estatuto, agora com três pontos de vantagem sobre o Estarreja e quatro dos bairradinos.
Os Trevos, que estiveram duas vezes na frente do marcador, foram penalizados na parte final do desafio com duas expulsões, que acabaram por ser determinantes para o desfecho da partida, onde o resultado mais justo seria o empate, embora a Sanjoanense tenha mostrado a razão de ocupar o trono da Série D.
Foi a primeira derrota do Anadia e os primeiros golos sofridos, com Manuel Gama a estar 470 minutos com a sua baliza inviolada.
Na Série E, o Pampilhosa alcançou o primeiro ponto fora de casa, graças ao empate a dois golos frente ao Sp. Pombal, numa série onde continua a imperar o equilíbrio pontual e onde tudo pode acontecer até final da competição no que diz respeito à manutenção. Os ferroviários estão a dois pontos da descida.
2-O Anadia joga este sábado na Ilha da Madeira frente ao Camacha. Depois de ser bem-sucedido há 15 dias frente ao Marítimo C, os bairradinos tudo farão para regressar aos bons resultados, sabendo que não podem contar com duas pedras importantes, principalmente de Branco, o seu capitão. Mesmo assim, a equipa tem capacidade para regressar ao Continente com pontos.
O Pampilhosa fará a receção ao Oliveira do Hospital ciente de que só a vitória lhe interessa, pois com tudo embrulhado na classificação, perder de novo pontos em casa poderá ser a morte do artista.

Posted in Desporto, Visto da Bancada0 Comentários

Nuno Pedro, ex-Couvelha, novo treinador do Oliveira do Bairro SC

Face à situação complicada que o OBSC atravessa na 1.ª Divisão da AFA (zona de descida), António Flávio, no final do jogo com o Paivense, por sua iniciativa, deixou o comando técnico da equipa. Os dirigentes bairradinos não perderam tempo e escolheram Nuno Pedro, que treinava o Couvelha. “Os objetivos passam pela manutenção, embora todos saibam que a situação do clube na tabela classificativa é muito delicada. Disseram que a escolha recaiu sobre mim porque procuravam um treinador com o meu perfil, ambição, jovem e que tivesse uma forma de liderança específica para a situação atual do clube e futura”, disse Nuno Pedro.
“Os meus objetivos pessoais passam por devolver ao OBSC os resultados desportivos de outrora e o espírito de grupo e união que é necessário para uma equipa ser vencedora”, afirmou o técnico.
Sobre o Couvelha, Nuno Pedro deixou um agradecimento ao seus diretores, em particular ao presidente Sá Pereira e ao diretor desportivo Bruno Varandas, “pela aposta na minha pessoa e por sempre me terem tratado de uma forma exemplar”. Pedro Silva, treinador de guarda-redes, acompanha o técnico, pretendendo mais um elemento para a estrutura técnica.

Paulo Matos de regresso ao Couvelha

Com a saída inesperada de Nuno Pedro para o OBSC, a direção do Couvelha já arranjou substituto. A escolha recaiu em Paulo Matos, há muito sem treinar, mas com belo cartão de visita. Como treinador, levou o clube à conquista do título distrital da 3.ª Divisão da AFA.

Posted in Desporto, Futebol0 Comentários

Oliveira do Bairro SC comemora 93.º aniversário e promove a Gala dos Falcões de Ouro

O Oliveira do Bairro Sport Clube vai levar a efeito as comemorações do 93.º aniversário, no fim de semana de 28 e 29 de março. Para dia 28 (sábado), está marcada, para as 10h, a concentração junto à sede do clube para hastear da bandeira e romagem aos cemitérios. Durante o dia haverá os habituais jogos dos escalões de formação. O momento alto do dia será o jantar de aniversário/Gala dos Falcões de Ouro, a realizar na Residencial Estância, pelas 19h30. Este momento irá servir para juntar todo o universo oliveirense e para distinguir os atletas de todas as modalidades do ano 2014, assim como os sócios mais antigos e a atribuição dos Falcões de Ouro. Este jantar terá como ementa, Leitão à Bairrada, e terá muita animação a cargo do OBSCDance e do Grupo Cantares do Silveiro.
As comemorações do 93.º aniversário do Clube terminam com o jogo da equipa sénior no domingo, dia 29, às 15h, com a receção ao Canedo FC.
Neste sentido, a Comissão Administrativa do OBSC tem o grato prazer de convidar todos os sócios, simpatizantes e amigos do Clube para participar no jantar do 93.º aniversário da coletividade, agradecendo, desde já, a sua confirmação para os seguintes contactos: 234746394 / 935762740 ou através do email: obsc@sapo.pt.

Posted in Desporto0 Comentários

ADERCUS alcança 3.º lugar no Nacional de Cross longo

O parque da zona norte da cidade de Almeirim foi palco do Campeonato Nacional de Corta-mato, disputado no domingo de manhã, no qual estiveram em disputa os títulos para os escalões de juvenis, juniores e da versão longa para seniores.
Entre os mais jovens, a juvenil Beatriz Rodrigues, atleta ainda de primeira época do escalão, esteve desde o início na luta por um dos lugares no top-10, tendo cortado a meta no 6.º lugar. Salomé Sousa também se estreou em campeonatos nacionais, tendo concluído a corrida de 4.000m no 40.º lugar.
A participação mais marcada da ADERCUS estava reservada para a disputa do troféu nacional da vertente longa do corta-mato, de 8.000m para o setor feminino, no qual voltou a alcançar mais um lugar no pódio, ao lado das formações do Sport Lisboa e Benfica, equipa campeã, e do Sporting Clube de Portugal, 2.ª classificada.
Para o 3.º lugar da ADERCUS pontuaram Carla Martinho, que foi a 12.ª classificada, Elisabete Azevedo, 13.ª, Débora Santos, 21.ª e Joana Nunes, 23.ª. Integraram também a equipa Sara Carvalho, 24.ª e Mónica Simões, 26.ª.
Com mais um lugar de pódio conquistado pela formação de Oliveira do Bairro fica alcançado praticamente o “pleno” em campeonatos nacionais disputados esta época, nomeadamente, o 3.º lugar no campeonato nacional de estrada, na Maia, a 11 de janeiro, e o 2.º lugar no campeonato nacional de corta-mato curto, na Guarda, a 7 de março. Está agora em dúvida a participação no campeonato nacional de corrida de montanha, face ao grande encargo financeiro que importa a deslocação da equipa, no qual a ADERCUS foi campeã em 2014, e que este ano se irá disputar na Ilha da Madeira, no dia 10 de maio.

Posted in Atletismo, Desporto0 Comentários

OBSC cai para penúltimo na tabela. Oiã isola-se no primeiro lugar

Em casa, ao empatar com o Fiães, o Oliveira do Bairro deu mais um passo atrás rumo à tão desejada recuperação, quiçá à manutenção. Na primeira parte, a equipa não existiu, na segunda, mais equilibrada nos seus processos, teve algumas situações para marcar, mas o empate ajusta-se ao desenrolar da partida. Com a perda de mais dois pontos e com o triunfo do Canedo em Calvão, o Oliveira do Bairro desceu para a penúltima posição, quando faltam dez jornadas para o final do campeonato.
Ainda na zona aflita, o Calvão, frente a um adversário direto, deu também um passo atrás, tal como o Mealhada, que voltou a perder em casa, com outro aflito, o Soutense, e ficou também na zona vermelha da classificação. Para os mealhadenses, foi a quarta derrota consecutiva e o sétimo jogo sem ganhar. Perder pontos com adversários diretos, como foi o caso nos dois últimos jogos em casa, não abona nada em seu favor.
O Mourisquense também perdeu, no terreno do Avanca, e também não tem a sua situação resolvida, longe disso.
Num jogo entre candidatos, o Águeda levou a melhor sobre o Alba e apanhou o seu adversário no segundo lugar, com os Galos com menos um jogo, embora tenha encurtado distâncias para o líder Bustelo, que empatou em casa.
2-Naquela que é a maior deslocação, a Castelo de Paiva, o Oliveira do Bairro vai encontrar pela frente um Paivense na sua melhor fase da época, onde, nas últimas seis partidas, ganhou três e fugiu da zona perigosa. Por isso, não se adivinham facilidades para os bairradinos, ávidos de pontos, e que terão de fazer pela vida rapidamente, antes que seja tarde.
O mesmo se aplica ao Mealhada e ao Calvão. Ambos jogam fora. O primeiro no terreno do Esmoriz, não se vislumbrando que possa ser na Barrinha que os mealhadenses irão regressar às vitórias, direi também aos pontos. O segundo, pelo registo fora de portas, no reduto do Milheiroense, quinto classificado, também não será bem-sucedido, a menos que mude radicalmente.
Em casa, o Mourisquense, na receção ao União de Lamas, também não terá tarefa fácil, numa jornada complicada para quem precisa de pontos como de pão para a boca.
O Águeda joga em Fiães, onde não o espera facilidades. As duas equipas têm somado muitos empates. Será mais um!

II DIVISÃO

SÉRIE C. 1-Como se previa, face ao desempenho do Mamarrosa, o Oiã, no dérbi oliveirense, foi a Bustos vencer o seu opositor, cumprindo, assim a sua obrigação. Todos esperavam que o Famalicão, em casa, diante do Couvelha, fizesse o mesmo, mas os forasteiros mostraram a razão do excelente campeonato que estão a realizar e “roubaram” dois pontos à equipa de Pedro Moniz e a liderança, então partilhada com o Oiã, ficando agora a dois pontos do seu grande rival.
Em casa, o Luso goleou o Ribeira/Azenha e aproximou-se do terceiro lugar. De novo em casa, o Águas Boas regressou às vitórias e logo com uma goleada, frente ao Antes. E o Aguinense também, na Azenha, frente ao Paredes do Bairro, enquanto Sosense e VN Monsarros dividiram os pontos com três golos para cada lado.
O Carquejo – LAAC foi adiado para o dia 25 de março, jogo que se realiza na Mealhada, às 21h.
2-Cada vez mais confiante e na semana que antecede a deslocação a Famalicão, o Oiã recebe o Aguinense (16h), apostado em somar mais três pontos. Vamos ver se os guinatos estarão pelos ajustes.
O Famalicão joga com o Paredes do Bairro, capaz de lhe criar alguns embaraços, mas com grandes probabilidades de sucesso para o primeiro. O Águas Boas volta a jogar em casa, agora frente ao Couvelha, num jogo que se prevê bastante disputado e de resultado imprevisível.
Na receção ao Mamarrosa, a LAAC tem boas hipóteses de chamar a si a vitória, tal como o Luso na curta deslocação a Antes.
O Sosense recebe o Ribeira/Azenha, numa partida que poderá dar em divisão dos pontos.
Em Ponte de Vagos, o CRAC defronta o VN Monsarros apostado em ganhar para manter o quinto lugar. O Carqueijo folga.

Posted in Desporto, Tribuna de Honra0 Comentários

Anadia dá passo de gigante rumo à manutenção

Grande performance do Anadia nesta fase de manutenção, com quatro vitórias, um empate, zero derrotas, sete golos marcados e nenhum sofrido, aliás, é a única equipa que não sofreu golos.
Na Madeira, diante do Marítimo C, os Trevos somaram importante vitória, com a equipa a ser tremendamente eficaz nas oportunidades criadas, mantendo os madeirenses na zona de descida.
Duas vitórias poderão ser suficientes para o Anadia garantir definitivamente a presença no CNS para a próxima temporada.
Na Série E, o Pampilhosa voltou a desperdiçar pontos em casa. Depois do Vitória de Sernache, os ferroviários voltaram a empatar com o Mortágua, equipa sensação desta fase, um resultado que não serviu as pretensões da equipa de Fernando Niza. Apesar de estar no terceiro lugar, a um ponto do primeiro, o Pampilhosa está apenas a um ponto da equipa que disputará o play-off, numa série embrulhada e onde tudo pode acontecer.
2-O Anadia fará a receção ao líder, a Sanjoanense. Um ponto separa as duas equipas, por isso joga-se para a liderança. Cem por cento vitoriosos fora de casa, os homens de São João da Madeira tudo farão para manterem a liderança, mas, pela frente, vão encontrar uma equipa também ela motivada. Pelo bom momento de ambas as equipas, apostamos numa tripla.
O Pampilhosa joga na casa do último, o Sp. Pombal, ciente da responsabilidade do jogo. Empatar não será mau de todo, mas voltar a perder deixa as contas complicadas.

Posted in Desporto, Visto da Bancada0 Comentários

OBSC volta a sorrir sete jogos depois. Couvelha ascende ao terceiro lugar

Desde 21 de dezembro (vitória em Ovar) que o Oliveira do Bairro não sabia o que era ganhar. Na receção ao Mourisquense, os Falcões, em três minutos (71 e 73) resolveram o jogo que não parecia fácil, arrecadando assim os três pontos e moral para os jogos que se avizinham, embora a equipa continue mergulhada em zona de descida.
À tangente (2-1), o Águeda, em casa, regressou às vitórias e manteve o quarto lugar, pois os três primeiros não vacilaram.
Em casa, o Mealhada perdeu inesperadamente com o Canedo, penúltimo classificado, sofrendo a sexta derrota no seu reduto, o que, na verdade, é muito para uma equipa que luta pela permanência. A equipa de Luís Simões já não vence há cinco jogos.
Quem vai fazendo pela vida em casa (sete vitórias e dois empates) é o Calvão, que derrotou o Fiães e mantém-se acima da zona de despromoção.
2-Prevê-se uma jornada difícil para muitas equipas. Logo à cabeça surge o Oliveira do Bairro, que joga na casa do segundo classificado, o Alba, adversário que não quererá deixar fugir os três pontos, até porque há um dos jogos de cartaz da jornada, o Bustelo – União de Lamas. Aos bairradinos compete contrariar o favoritismo dos albergarienses, que atravessam a sua melhor série com quatro vitórias consecutivas.
Outro jogo que merece especial atenção é o dérbi concelhio entre Mourisquense – Águeda. Na primeira volta, os Pilatos cometeram a proeza de ganhar na casa do seu rival. E agora, como vai ser? Neste tipo de jogos, por vezes, quem está melhor, não significa que seja o favorito, por isso apostamos numa tripla, num prélio que se antevê renhido e de grande intensidade.
O Mealhada joga na casa do Milheiroense, surpreendente quinto classificado. Será mais um jogo complicado para os bairradinos, perante um adversário moralizado e que pretende dar sequência aos últimos bons resultados.
O Calvão desloca-se ao reduto do Paivense, outro dos aflitos, na tentativa de somar os primeiros pontos dentro de campo. A pressão está do lado da equipa de Castelo de Paiva, porque joga em casa e quer dar um safanão na sua pontuação.

II DIVISÃO

SÉRIE C. 1-Nada de novo na frente da classificação, embora o Oiã estivesse muito perto de perder pontos em Aguada de Cima. A LAAC esteve a perder, conseguiu chegar ao empate perto do final da partida, mas, em tempo de compensação, o Oiã deu a volta ao resultado, tal como tinha acontecido em Couvelha.
Em casa, o Famalicão não teve dificuldade para derrotar o vizinho Ribeira/Azenha. A surpresa veio do Luso, com a equipa da casa a perder com o CRAC, o que lhe valeu a perda do terceiro lugar, agora ocupado pelo Couvelha, que foi a Bustos bater o Mamarrosa.
O Águas Boas regressou às vitórias diante do VN Monsarros, tal como o Aguinense na receção ao Antes. Tal como vaticinámos, o Paredes do Bairro trouxe um ponto do Carqueijo.
2-Não se prevê problemas para os dois primeiros. O Oiã joga em casa com o Carqueijo, que continua a não acertar o passo, enquanto o Famalicão vai a Antes. O favoritismo é quase total para quem lidera a classificação.
Partida interessante será o Couvelha – Aguinense. Agora que a equipa de Nuno Pedro alcançou um lugar no pódio, ninguém quer perder esse estatuto. Resta saber se os guinatos estarão pelos ajustes.
O Luso vai estar à espreita, na curta deslocação ao terreno do VN Monsarros, que tudo fará para contrariar algum do favoritismo dos homens das águas.
O Águas Boas volta a jogar em casa, agora com o Ribeira/Azenha e, em condições normais, é favorito. Se jogar aquilo que tem jogado nos últimos jogos, o Paredes do Bairro tem boas hipóteses de levar de vencida o Mamarrosa, que continua a ostentar a lanterna vermelha.
Tratando-se de um dérbi, o CRAC – Sosense poderá pender para qualquer dos lados, embora o bom momento do primeiro lhe confira maior favoritismo.
A LAAC folga nesta jornada.

Posted in Desporto, Tribuna de Honra0 Comentários

Anadia volta a ser feliz numa casa onde se tem dado bem

O histórico de resultados entre São João de Ver e Anadia vale o que vale, mas a verdade é que os Trevos não se têm dado mal nas últimas épocas no terreno da formação do concelho de Santa Maria da Feira. Depois do 0-3 na primeira fase do campeonato, a 26 de outubro, o Anadia regressou de novo a casa com os três pontos, graças ao golo solitário de Mendonça (já tinha marcado no primeiro jogo) nos instantes iniciais da partida.
O São João de Ver teve alguns lampejos, principalmente na primeira parte, mas na segunda não teve capacidade para contrariar a organização bairradina. Uma vitória importante, mantendo a equipa no terceiro lugar, a um ponto dos líderes Sanjoanense e Estarreja e a seis pontos da primeira equipa a descer.
Em casa, o Pampilhosa empatou a uma bola com o Vitória de Sernache. Um resultado que acaba por ser justo e que mantém os ferroviários na linha da frente da classificação.
2-O Anadia recebe o Gafanha, adversário que tem o mesmo registo dos Trevos e da Sanjoanense (duas vitórias e um empate) e que ainda não sofreu golos, tal como a equipa bairradina. Prevê-se, por isso, um jogo equilibrado e que poderá ser decidido em pequenos detalhes.
E quem ganhar poderá dar um salto qualitativo rumo à manutenção.
O Pampilhosa joga na casa do último classificado, a Naval 1.º de Maio, um dos históricos do futebol português, mas que cada vez mais se vai afundando. Um jogo talhado para os ferroviários regressarem às vitórias fora de casa, pois têm outros argumentos e não jogam sob pressão.

Posted in Desporto, Visto da Bancada0 Comentários

Anadia FC contrata Joeano, Serrão e Jo

Com o objetivo de colmatar as seis saídas no mercado de inverno, Marco e Rui Simões (Oliveira do Bairro), Marlon (Atlético de Reguengos), Jeferson (Beira-Mar), Carlos Castro e Fábio Santos (Águeda), o Anadia Futebol Clube, que já havia adquirido Tissone (ex-Málaga B) em dezembro, apresentou, na passada segunda-feira, em conferência de imprensa, na Estalagem de Sangalhos, três novos jogadores. Joeano (ex-Rio Ave), Serrão (ex-Académica B), que por motivos profissionais não estev presente, e Jo (ex-Khan Dong – Coreia), com o objetivo de ajudarem o clube a conseguir o mais rapidamente possível a manutenção no Campeonato Nacional de Seniores.
O maior destaque vai para Joeano, com grande experiência no futebol português. O avançado brasileiro, de 35 anos, deixou o Rio Ave no final da época 2013-2014, tendo representado, entre outros clubes, Arouca, Académica e Vitória de Setúbal, onde deixou sempre a sua marca com vários golos.
Sem jogar desde final de maio de 2014, Joeano mostrou-se feliz e honrado pelo convite e quer dar o melhor de si, sem nada prometer. O que foi pedido? “Nada, também não prometo nada, apenas que serei profissional até ao fim do contrato”, avançou o jogador, como também não fez previsões de qual seria a média de golos, reforçando a tese do profissionalismo.
Diz que está em condições para jogar, pois sempre manteve a forma física. Questionado se conhece a equipa, Joeano afirmou que não conhece, mas mostrou-se elucidado com o clube: “O Anadia é um clube de referência, foi aqui que Paulo Adriano fez grande carreira e deu o salto para grandes clubes. O clube tem condições acima da média.Certos clubes da Primeira Liga não têm estas condições e qualidade de trabalho para os jogadores.”

Futuro. Vasco Oliveira, presidente da Comissão Administrativa do Anadia FC, explicou, aos jornalistas, o motivo da apresentação dos jogadores ter sido feita na Estalagem de Sangalhos: “É um dos nossos principais patrocinadores, tem-nos ajudado muito, e só tenho de agradecer ao seu gerente, Lucas Louzada, todo o apoio demonstrado até ao momento.”
“Estamos aqui para apresentar três jogadores que vão reforçar o Anadia nos próximos três meses, com o claro objetivo de nos ajudarem a alcançar a manutenção no CNS o mais rápido possível. São três jogadores que vêm preencher algumas lacunas, principalmente depois da saída de seis jogadores. Do Joeano, pelo seu passado como ponta de lança, espero que marque golos. Serrão, é defesa/médio ala esquerdo, um posição que necessitávamos, e Jo é uma aposta de futuro.”
O jogador coreano, tal como tinha acontecido com Tissone, vem num pré-acordo de um projeto de parceria com uma empresa que, Vasco Oliveira, para já, não quis revelar o nome, apenas referindo que é portuguesa e tem um administrador estrangeiro. “Apenas quero preparar o futuro do Anadia, nada mais do que isso”, referiu Vasco Oliveira.

Posted in Desporto, Futebol1 Comentário

SFImobiliaria

Pergunta da semana

Portugueses praticam cada vez mais exercício ao ar livre. É o seu caso?

View Results

Loading ... Loading ...
Newsletter Powered By : XYZScripts.com