Recortes.pt Leia no Recortes.pt

Arquivo | Desporto

Sortes diferentes para as equipas bairradinas no fecho da 1.ª fase

O fraco desempenho do Anadia em Estarreja poderá ter deixado os seus adeptos alarmados com o que resta do campeonato. Terminada a primeira fase, os Trevos despediram-se com uma goleada imposta pelos homens de Antuã. Em alguns momentos do jogo, os bairradinos podem queixar-se de alguma falta de sorte, mas quem comete erros primários não pode aspirar a muito mais, numa jornada em que houve quatro empates.
Em casa, o Pampilhosa mostrou ao Nogueirense, adversário que ficou em segundo lugar e por isso vai disputar os lugares de subida à Segunda Liga, que tinha valor para ocupar tal posição. O conjunto de Fernando Niza venceu pela margem mínima e com toda a justiça.
2-A segunda fase só começa a 15 de fevereiro. Serão quatro semanas de paragem, o tempo de uma pré-época, o que, não é nada benéfico para os clubes. Anadia e Pampilhosa vão lutar pela permanência e iniciam a segunda fase com metade dos pontos amealhados na primeira, arredondados por excesso. O Anadia começa com 11 pontos e as restantes equipas com os seguintes pontos: Estarreja (15), Marítimo C e Sanjoanense (12), Camacha e Gouveia (10), Gafanha (9) e São João de Ver (8).
Na Série E, Pampilhosa vai começar com 14, onde o fosso para as outras equipas será bem diferente da realidade que o Anadia irá encontrar na Série D, onde o equilíbrio pontual é muito grande. Basta uma vitória a uma das equipas dos últimos lugares e tudo se transforma. Por isso, as dificuldades serão maiores para os Trevos.

Posted in Desporto, Visto da Bancada0 Comentários

Marco João e Rui Simões (ex-Anadia) reforçam OBSC

Dadas as boas relações existentes entre Anadia Futebol Clube e Oliveira do Bairro Sport Clube, o primeiro cedeu até ao final da época, o defesa central/médio defensivo, Marco João e o avançado Rui Simões. Pouco utilizados por João Pedro Mariz, ambos os jogadores (o primeiro jogou 197 minutos, o segundo 56), de 28 anos, têm assim uma janela de oportunidade para relançarem a carreira nos Falcões.
Se uns entram, outros saem. Yan Tavares deixou o OBSC e, em princípio, vai jogar no Atlético de Reguengos. Laércio e Kaike, jogadores que pertencem aos quadros do Beira-Mar, estão na iminência de regressar ao clube de origem, embora o segundo possa ir para o Leixões. Na última semana, os jogadores já não treinaram.

Águeda. O líder do campeonato assegurou os serviços de João Mendes, ex-Gafanha, e com passagens pelo OBSC e Beira-Mar. Fábio Pereira rescindiu.

Posted in Desporto, Futebol0 Comentários

Águeda campeão da primeira volta. Nada de novo na segunda divisão

Sói dizer-se que nem sempre quem está melhor na classificação é que consegue ganhar. Foi o que aconteceu ao Águeda que, no dérbi eterno, com o Oliveira do Bairro, perdeu dois pontos. O jogo foi sensaborão e com poucas oportunidades de golo. Os Galos tiveram mais, mas os Falcões foram irrepreensíveis na forma como defenderam. Mesmo com o empate verificado, o Águeda mantém a liderança com mais dois pontos do Bustelo, sendo o campeão da primeira volta.
Em casa, o Mealhada, cinco jogos depois, regressou às vitórias frente ao Carregosense, num golo obtido no período de descontos.
Quem começa a perder terreno é o Calvão, que sofreu em casa a terceira derrota aos pés do União de Lamas. Em jogo de aflitos, o Mourisquense foi goleado no terreno do Soutense.

II DIVISÃO

SÉRIE C. 1-Tudo na mesma na frente da classificação com Oiã e Famalicão separados por três pontos. Na Azenha, o líder Oiã (única equipa que ainda não perdeu) não teve a mínima dificuldade em bater o Ribeira. Mais complicada foi a tarefa do Famalicão em Águas Boas, mas, no final, foi o primeiro que sorriu.
O Luso, em casa, não deu a mínima hipótese ao Aguinense, vencendo por três golos sem resposta, mantendo o terceiro lugar, com mais quatro pontos do Couvelha, que folgou nesta jornada.
A LAAC saiu vitoriosa de Vila Nova de Monsarros, tendo vencido pela margem mínima, falhando ainda uma grande penalidade.
Sem perder há cinco jogos, naquela que é a sua melhor série, o Paredes do Bairro, tal como tínhamos previsto, foi a Antes derrotar o conjunto local.
O Sosense não podia desejar melhor inauguração do seu relvado sintético do Campos do Lagos com uma vitória. A vítima foi o Mamarrosa, naquele que foi o quinto jogo sem pontuar dos pupilos de Jorge Rameiras, que continua a dividir a última posição com Ribeira/Azenha e Antes, todos com nove pontos.
O CRAC, em Vagos, casa emprestada, empatou com o Carqueijo e perdeu boa oportunidade para ascender ao sexto lugar isolado.

TAÇA DO DISTRITO

1-No próximo domingo disputa-se a 3.ª eliminatória da Taça do Distrito de Aveiro. O Oiã, depois de eliminar a ACRD Mosteirô, de Arouca, joga agora com o Mosteirô FC, de Santa Maria da Feira, atual segundo classificado da Série A da 2.ª Divisão, desta vez fora de casa. Não se prevê um jogo fácil para os bairradinos, pois todos conhecem a forma de jogar das equipas nortenhas, muito aguerridas e que dão tudo em cada lance, principalmente quando jogam em casa.
O sorteio ditou um dérbi de outros tempos, com o Águeda, detentor do troféu, a deslocar-se ao vizinho Macinhatense, com o favoritismo a pender para o lado dos Galos do Botaréu.
Das outras equipas da região ainda em prova, a LAAC fará a receção ao Paredes do Bairro. O equilíbrio poderá ser a nota dominante, com ligeiro ascendente para os locais. O mesmo se aplica no Couvelha – São Roque, embora aqui os bairradinos defrontem um adversário que luta pela subida de divisão na Série B, e que por certo, lhe irá causar bastantes problemas.
O VN Monsarros recebe o Mourisquense, de outro escalão, com outro andamento e mais experiência. Compete aos vilanovensescontrariar esses aspetos.
Em casa, o Calvão joga contra o Carregosense, para quem ganhou para o campeonato. Será que a história se repete?
O Valonguense, líder da Série B, joga em casa com o Alvarenga e não deverá ter problemas em passar à eliminatória seguinte.
Jogos: Calvão – Carregosense. LAAC – Paredes do Bairro. Paços de Brandão – Milheiroense. Valonguense – Alvarenga. VN Monsarros – Mourisquense. Soutense – Cucujães. Bustelo – Paivense. Mosteirô FC – Oiã. Macinhatense – Águeda. Vista Alegre – Ovarense. Fiães – Macieirense. Couvelha – São Roque. Furadouro – União de Lamas. Alba – Mansores. Valecambrense – Canedo e Beira-Vouga – Sanguedo.

Posted in Desporto, Tribuna de Honra0 Comentários

Anadia não aproveita fator casa. Pampilhosa fora do segundo lugar

Frente a um adversário direto na luta pela manutenção, o Anadia, em casa, não deu sequência à vitória anterior e desperdiçou dois pontos diante do Camacha.
E a jornada até podia ser de glória, pois registaram-se mais três empates e apenas uma vitória (Sanjoanense) e que acabou por consagrar Lusitano de Vildemoinhos e Cesarense, que vão discutir a fase dos primeiros. O Anadia começou praticamente a segunda parte em superioridade numérica, conseguiu chegar à vantagem, mas depois recuou no terreno, permitindo que a formação da Madeira empatasse em período de descontos.
Na Série E, o Pampilhosa, ao perder no terreno do Vitória de Sernache, disse adeus à fase dos primeiros. Os ferroviários tiveram oscilações fatais, principalmente na segunda volta, perdendo o comboio para o segundo lugar. Resta-lhe agora, tal como o Anadia, jogar a fase da manutenção.
2-Domingo joga-se a última jornada desta fase. O Anadia joga na casa do Estarreja, terceiro classificado, adversário que pretenderá somar o pleno de pontos no jogo, pois todos sabem que, na segunda fase, os pontos são divididos em metade.
O objetivo dos Trevos também passa por aí, num jogo que não se antevê fácil para as suas cores.
O Pampilhosa despede-se desta fase em casa, frente ao Nogueirense, que consegue o surpreendente segundo lugar, posição que os ferroviários lutaram desde o início do campeonato. Para mostrar que é melhor, a equipa de Fernando Niza tem a obrigação de ganhar.

Posted in Desporto, Visto da Bancada0 Comentários

Francisco Santos integra equipa de juízes classificadores na Hungria

Francisco Santos, associado da Secção de Columbofilia da Associação de Solidariedade Social Sociedade Columbófila Cantanhedense, vai representar a Federação Portuguesa de Columbofilia, na 34.ª Olimpíada de Columbofilia que se realiza no Centro de Exposições da Hungexpo – Budapest – Hungria de 15 a 18 de janeiro, perspetivando-se a presença da Alemanha, Áustria, Bélgica, Croácia, Eslováquia, Eslovénia, França, Grécia, Holanda, Hungria, Itália, Polónia, Portugal, República Checa, Roménia, Rússia, Sérvia, Suíça e Ucrânia, num total de 19 países, filiados na Federação Columbófila Internacional (FCI), apresentando na competição cada país participante, equipa Sport, dividida em oito categorias, e equipa Standard, dividida em duas.
Francisco Santos, Juiz Classificador de nível nacional desde o ano de 2000, irá avaliar na Exposição Olímpica em Budapeste os pombos da categoria de standard nos vários parâmetros estipulados pelo Conselho de Standard da FCI, nomeadamente a impressão geral, cabeça, olhos e estética, ossatura geral, externo e fúrcula posterior, dorso e crupião, equilíbrio, harmonia do conjunto, musculatura asa, cauda e qualidade da plumagem, sendo o primeiro parâmetro, avaliado “á vista” na gaiola e os restantes, já serão avaliados com o pombo em mãos.

Posted in Desporto, Outras modalidades0 Comentários

ADREP vice-campeã distrital de juvenis

A ADREP sagrou-se vice-campeã distrital de juvenis, no passado fim de semana, na pista de Aveiro. A equipa da Palhaça garantiu oito pódios individuais, nas mais diversas disciplinas, e foi a segunda equipa mais pontuada na classificação coletiva do setor feminino.
Foi justamente a vertente feminina que mais distinguiu a ADREP, numa competição que reuniu os melhores atletas, iniciados e juvenis do distrito.
Do ponto de vista individual, realce para a prestação de Océane Conceição, que garantiu dois títulos, nas duas provas em que participou. No sábado, sagrou-se campeã distrital, nos 300m, com 45.24. Já no domingo, voltou à pista para se sagrar vice-campeã, nos 200m, com 28.81.
Também nas corridas, nota para outras duas medalhas, conseguidas por atletas da ADREP. Nos 300m, a iniciada Micaela Nascimento conquistou o bronze, com 49.79, enquanto nos 1500m, Luísa Pereira, também ela iniciada, voltou a mostrar-se em bom plano, ao sagrar-se vice-campeã distrital de juvenis, com promissores 5m28s.
Nos concursos, destaque desde logo para Mafalda Rodrigues, atleta iniciada, que conquistou a medalha de prata, no salto em comprimento, com 4,74m. Já no lançamento do peso, foi Ruslana Savchuk a levar novamente a ADREP para o pódio, ao conquistar o bronze, com 8,72m. Um novo recorde pessoal.
No setor masculino surgiram as outras medalhas, através do iniciado, João Pinto. Neste particular, realce para a prestação deste atleta nos 60m barreiras, que lhe valeu o título de vice-campeão distrital, com a marca de 9.22 (mínimos para o Nacional de Juvenis). O atleta esteve ainda no pódio nos 200m, ao ser 3.º classificado, com 25.97.
Fora das medalhas, mas com prestações positivas, estiveram outros jovens atletas palhacenses. Miguel Vieira foi 4º classificado nos 1500m, com um novo recorde pessoal de 4m26s, bem como para João Pedro, ainda iniciado, que foi 5.º e 6.º nos 800 e 1500m, respetivamente, com 2m14s e 4m32s. O setor masculino testemunhou ainda a estreia competitiva de Leandro Ramos, que esteve em maior evidência nos 60m, ao ser 8.º classificado, com 8.17.
Já no setor feminino, entre as atletas não medalhadas, houve igualmente prestações positivas, todas elas no escalão de iniciadas. Nota para Juliana Vieira, que teve o seu melhor desempenho no salto em comprimento, ao ser 5.ª com 4,34m. Adriana Caldeira e Mariana Duarte foram 9.ª e 13.ª nos 800m, a primeira das quais, com um novo máximo pessoal, de 2m49s. Já nos 1500m, esteve Andreia Cardoso, classificada em 11.º lugar, com 6m20s.
A ADREP fez-se ainda representar na prova extra de 1500m, destinada a juniores, seniores e veteranos. Ruben Reis, em 4.º lugar, foi o melhor palhacense, com 4m23s. Seguiram-se Mário Amorim (7.º/ 4m40s), Telmo Nascimento (9.º/ 4m43s) e Alberto Fonte (13.º/ 4m55s).

Posted in Atletismo, Desporto0 Comentários

Galo continua de crista bem levantada. Oiã sobe à liderança isolado

Numa jornada com várias goleadas, o Oliveira do Bairro encalhou no mar da Barrinha. Mas só afundou no último lance do desafio, com o Esmoriz a chegar ao triunfo, num jogo que estava talhado para o nulo. Um resultado que mantém a equipa bairradina em zona de risco, tendo descido um lugar na classificação.
De vento em popa continua o Águeda que, em casa, despachou a Ovarense com uma mão cheia de golos, mantendo os quatro pontos de distância para Alba e Bustelo. O segundo goleou o Mealhada, naquele que foi o sexto jogo sem ganhar dos mealhadenses.
Depois de ter vencido na lotaria das grandes penalidades, o Calvão voltou a Avanca, mas desta vez não foi feliz, tendo saído de lá vergado a uma goleada. Foi o oitavo jogo fora sem pontuar para os vaguenses.
Em casa, o Mourisquense fez pela vida e derrotou o Milheiroense, vitória que lhe valeu subir na tabela duas posições.
2-No fecho da primeira volta, nada melhor do que um Oliveira do Bairro – Águeda. As duas equipas estão em situações opostas, por vezes quem está pior classificado leva a melhor, mas, tratando-se de um dérbi, misturado com a grande rivalidade entre os dois clubes, o resultado será imprevisível.
Com o cerco a apertar-se de quem está em baixo, o Mealhada, no seu reduto, frente ao Carregosense, está obrigado a regressar aos bons resultados, sob pena de descer na classificação.
O Calvão recebe o União de Lamas, num jogo que não se afigura nada fácil para os homens de Luís Pinho, muito por força da posição do seu adversário (4.º lugar) e das aspirações que tem na luta pela subida de divisão.
Em jogo de aflitos, o Mourisquense joga no terreno do Soutense, na esperança de manter (quatro pontos) ou de reforçar a diferença que tem para o seu adversário.

II DIVISÃO

SÉRIE C. 1-Tal como se previa, houve mudança na liderança. Com o Famalicão de folga, o Oiã aproveitou a benesse ao vencer no terreno do VN Monsarros, terminando a primeira volta com mais três pontos de avanço do seu opositor direto pela subida de divisão.
O Luso manteve o terceiro lugar após a goleada imposta em casa ao Mamarrosa, logo atrás do Couvelha, que alcançou a quinta vitória consecutiva em Antes.
Quem se atrasou foi a LAAC, que perdeu em casa com o CRAC, e ficou ameaçada na quinta posição, pelo Águas Boas, que na estreia do seu relvado sintético, levou a melhor sobre o Aguinense. As duas equipas dividem o sexto lugar.
O Ribeira/Azenha, em casa, não foi além de um empate sem golos diante do Paredes do Bairro.
O Sosense venceu o Carqueijo e é uma das equipas que reparte o último lugar com Azenha, Mamarrosa e Antes, todos com nove pontos.
2-Mesmo jogando em casa, o Ribeira/Azenha não terá tarefa fácil diante do Oiã, que tudo fará para manter a liderança. Em condições normais, é favorito.
O Famalicão viaja até Águas Boas, onde não irá encontrar um adversário fácil. O jogo promete e o resultado poderá ser uma incógnita. Para os anadienses terem sucesso, que é esse o seu objetivo, terão de jogar num nível elevado para não serem surpreendidos.
Pela proximidade das duas equipas, o jogo Luso – Aguinense tem tudo para ser um bom espetáculo de futebol. Jogo para tripla.
A LAAC joga em Vila Nova de Monsarros à procura de regressar aos bons resultados. Será que os vilanovenses estarão pelos ajustes?
O Paredes do Bairro desloca-se a Antes com o pensamento nos três pontos. Olhando para o percurso dos locais, isso será possível.
Jogo entre últimos classificados, o Sosense – Mamarrosa, com o último, que já não sabe o que é ganhar há onze jogos e que não pontua há quatro, na expetativa de regressar aos bons resultados. A formação de Soza, que inaugura o relvado sintético, tudo fará para dar uma prenda aos sócios e adeptos.
No CRAC – Carqueijo, se a lógica imperar, o que muitas vezes não acontece no futebol, a equipa de Parada de Cima tem boas hipóteses de somar os três pontos.
O Couvelha folga nesta jornada.

Posted in Desporto, Tribuna de Honra0 Comentários

Anadia e Pampilhosa de regresso às vitórias na entrada do novo ano

As duas equipas bairradinas não podiam desejar melhor começo de 2015. Ambas arredadas das vitórias há seis e dois jogos, respetivamente, em casa, conseguiram vencer, dando mais alento para o que falta jogar (dois jogos) na primeira fase do campeonato.
Frente ao São João de Ver, o Anadia não teve grandes dificuldades para levar de vencida o seu adversário, desfrutando de novo triunfo em casa, o que já não acontecia desde 16 de novembro diante da Sanjoanense. Três pontos deveras importantes, que valeram à equipa anadiense ascender ao quinto lugar.
Na Série E, o Pampilhosa, frente ao Tourizense, entrou forte no jogo, marcou dois golos no primeiro quarto de hora, mas depois com menos uma unidade em campo, viu-se em palpos de aranha para amealhar os três pontos, mantendo os ferroviários na corrida pela segunda posição.
2-O Anadia volta a jogar em casa. O Camacha é o adversário e, para conseguir o maior número de pontos nesta fase, os bairradinos não podem vacilar. Cada equipa fica com metade dos pontos e a classificação mostra que está tudo embrulhado, por isso a primeira tese aplica-se por inteiro. Nada de facilitismos.
O Pampilhosa joga no terreno do Vitória de Sernache uma cartada importante para chegar ao segundo lugar. Até porque há um Nogueirense – Sourense, segundo contra terceiro, e alguém irá perder pontos. A diferença para os dois é de três pontos, e se os ferroviários querem lá chegar, terão de ganhar.

Posted in Desporto, Visto da Bancada0 Comentários

Nuno Francisco, ex-Gafanha, é reforço do Oliveira do Bairro Sport Clube

O médio esquerdo, de 27 anos, está de regresso à Bairrada, depois de ter representado o Oiã durante três épocas, uma no Anadia e duas no Águeda. A cumprir a quinta época no Gafanha, o jogador pediu ao seu treinador e presidente, Carlos Miguel e Dinis Gandarinho, respetivamente, para sair em virtude de ser pouco utilizado. Os responsáveis do Gafanha anuíram ao seu pedido e a sua saída foi feita por mútuo acordo.
Nuno Francisco não perdeu tempo e assinou até final da época pelo Oliveira do Bairro. “Não estava satisfeito pelo facto de não estar a jogar com regularidade, precisava de jogar mais minutos”, sublinhou o jogador ao JB, que adiantou que “espera ajudar o seu novo clube”, e a nível individual, “realizar um bom final de época”.
Balacó, que iniciou a época no OBSC, também é reforço. O jogador sofreu uma lesão no ínicio da época, o que o obrigou a regressar ao seu clube de origem, o Beira-Mar. Está apto, tal como Nuno Francisco, para o dérbi frente ao Águeda.

Posted in Desporto, Futebol0 Comentários

Águas Boas estreia relvado

Ano Novo, vida nova. Depois de 13 jogos com a casa às costas, o Grupo Desportivo de Águas Boas viu o seu calvário ser ultrapassado, com a conclusão das obras de arrelvamento do Campo de Santa Margarida. Um sonho tornado realidade para os dirigentes, sócios e adeptos, que vão ter o prazer de ver a sua equipa jogar no novo tapete sintético já este domingo, dia 4, frente ao Aguinense, jogo marcado para as 15h.

Posted in Desporto, Futebol0 Comentários

Ad Code

Pergunta da semana

Acredita na Astrologia?

View Results

Loading ... Loading ...
Newsletter Powered By : XYZScripts.com