Recortes.pt Leia no Recortes.pt

Arquivo | arquivo notícias

Jogada

Em cima da Jogada

Oiã e Sangalhos, dois feitos históricos

Manuel Zappa

O passado fim de semana ficará gravado a letras de ouro por dois feitos alcançados por dois clubes da grande Bairrada.
Associação Desportiva de Oiã e Sangalhos Desporto Clube, cada um com a sua actividade desportiva, o primeiro virado para o futebol, o segundo, direccionado para o basquete, encheram de orgulho os seus apaniguados, mas também toda a comunidade bairradina que está atenta ao fenómeno desportivo.
Tudo, porque ambos conquistaram títulos de grande significado e prestígio para as suas colectividades e para os concelhos onde estão inseridos.
O Oiã, ao chegar à final da Taça do Distrito, já tinha assegurado na próxima época a presença na primeira eliminatória da Taça de Portugal, perdesse ou ganhasse a final frente ao todo poderoso Fiães, há muito campeão da 1ª Divisão da AFA.
O jogo, em Oliveira de Azeméis, era uma espécie de David contra Golias, tal a diferença de valores, mas, como diz o velho ditado, são onze para cada lado e a bola é redonda.
E, não querendo ser apenas um privilegiado mero espectador da final, os oianenses não se amedrontaram com o poderio do seu adversário e ganharam com todo o merecimento a final.
Outro clube que esteve em grande foi o Sangalhos, que, pela primeira vez, inscreveu o seu nome na grande lista de campeão da 1ª Divisão, sucedendo ao Leiria Basket. Um título, há muito desejado, mas que só agora foi possível, indo ao encontro do grande trabalho que o clube tem realizado ao nível da formação.
A outro nível, terminou, finalmente, a longa maratona que constituiu o Nacional da II Divisão B. O Oliveira do Bairro despediu-se da pior maneira ao perder com o União de Coimbra, uma derrota que fez com que os bairradinos descessem uma posição. Para o oitavo lugar.
Foi um jogo em que o seu adversário se salvou da descida directa, mas, pelas cambiantes do encontro, o Oliveira do Bairro merecia um pouco mais. Mas, como os erros em alta competição se pagam caros, está tudo dito.

(4 Jun / 9:13)

Posted in arquivo notícias0 Comentários

Anadia

Anadia

GNR deteve imigrantes de Leste durante um assalto

Catarina Cerca

Três imigrantes ilegais, provenientes da Europa de Leste, foram detidos, por volta das 3.50 horas da madrugada, do passado dia 24 (sexta-feira), pelo Núcleo de Investigação Criminal da GNR de Anadia, no momento em que se preparavam para fazer mais um assalto, desta feita, a umas caves localizadas na Malaposta – Anadia.
A detenção ocorreu precisamente no momento em que o trio se preparava para assaltar as Caves Solar das Francesas. Os imigrantes, dois bielorussos, de 33 e 36 anos, e um ucraniano, de 26 anos, acabaram por cair nas mãos da GNR que, há já 10 dias consecutivos, montara uma vigilância às caves, depois de terem desaparecido daquele local cerca de 500 garrafas de vinho tinto e branco, da colheita de 1963, avaliadas em 100 euros (20 contos) cada.
Os três imigrantes, residiam na zona de Aveiro e nenhum deles possuía trabalho fixo, suspeitando-se que fizessem do crime o seu modo de vida, estando referenciados por serem os responsáveis por dezenas de furtos ocorridos entre Anadia, Oliveira do Bairro e Aveiro. Um dos detidos já fora detido anteriormente por furto, enquanto que um outro fora igualmente detido por condução com excesso de álcool.

(29 Mai / 12:43)

Posted in arquivo notícias0 Comentários

Aveiro

Aveiro

Rendimento mínimo

Alterações desagradam ao ex-ministro Paulo Pedroso

O ex-ministro do Emprego e Solidariedade Social, Paulo Pedroso, criticou os ajustamentos propostos pelo Governo ao Parlamento para o Rendimento Mínimo Garantido, que também passará a designar-se Rendimento Social de Inserção.
Paulo Pedroso atacou sobretudo a proposta do ministro Bagão Félix para que metade do valor da prestação, actualmente de 135 euros (27 contos), possa ser atribuído com «vales sociais«, só utilizáveis em despesas com medicamentos, habitação ou educação.
«Impede-se assim que o beneficiário possa aprender a gerir o seu dinheiro, sendo por isso uma medida estigmatizadora«, disse o ex- ministro, que falava à Lusa após intervir no I Congresso das Assistentes Sociais, que durante dois dias decorreu em Aveiro.
O congresso, que reuniu 800 assistentes sociais e estudantes do serviço social, foi encerrado pelo ministro dos Assuntos Parlamentares, Luís Marques Mendes, que atribuiu às políticas sociais «uma prioridade inquestionável«.
«O crescimento económico do país deve ser feito com preocupações sociais. O crescimento não é um fim, apenas um meio para se criar uma sociedade de bem-estar«, frisou.
Referindo-se especificamente aos assistentes sociais, Luís Marques Mendes declarou-os «agentes activos da construção de uma sociedade solidária e não meros executores passivos de uma política«.
Nas conclusões do congresso declara-se a «expressa vontade« de os assistentes sociais constituírem a sua ordem profissional e defende- se a criação de um curso de serviço social no sistema de ensino público.
O congresso, de dois dias, abriu com a leitura de uma mensagem do Presidente da República em que se lamentava a deficiente cobertura do país por serviços e equipamentos sociais, e se aludia à «preocupante ocultação« dos problemas nesta área.
Organizado pela Associação dos Profissionais de Serviço Social (APSS), o congresso levou a Aveiro vários especialistas na matéria como Rudy Van Den Hoven, do Instituto Superior de Serviço Social do Porto, e Ezequiel Ander-Egg, consultor das Nações Unidas e membro do Conselho Português de Investigação em História e Trabalho Social.
A APSS é uma associação sem fins lucrativos que tem por objectivo primordial «promover e aprofundar o espírito associativo da classe profissional, velando pelos interesses e direitos dos assistentes sociais«, segundo referem os seus estatutos.

Lusa

(25 Mai / 11:33)

Posted in arquivo notícias0 Comentários

Aveiro

Aveiro

Em nome dos Deuses

Hoje pelas 21h00, realiza-se no auditório da reitoria da Universidade de Aveiro, um encontro subordinado ao tema «em nome dos deuses«.
As religiões, em principio, baseiam-se na ligação a um ente superior, que é protótipo da perfeição; desta ligação dimanam conceitos de respeito pelos semelhantes, pela natureza e pelas coisas que, muitas vezes, são entendidas como emanações do divino.
No entanto, em nome dos Deuses, o homem rebela-se, frequentemente, contra o seu semelhante, conduzindo-se por caminhos de ódio, intolerância, violência e guerras, algumas das quais ditas santas.
Que razões históricas, sociais, económicas, culturais, etnográficas, etc., poderão justificar, ou explicar, este comportamento? Ou cada homem é o seu próprio Deus, tentando esmagar os que não se lhe submetem?
Este encontro contará com a presença dos seguintes intervenientes:Manuel Vilas Boas – TSF; Paresh Waghela – Comunidade Hindu em Lisboa; Sheik David Munir – Comunidade Islâmica, e Isaac Assor – Representante da Comunidade Judaica em Portugal.

(22 Mai / 12:35)

Posted in arquivo notícias0 Comentários

Totobola

Totobola

Chave do concurso nº 20/2002

Chave do concurso número 20/2002 do Totobola, preenchido com jogos da 36ª jornada do Campeonato Nacional de futebol da II Divisão B:
1. Marco – Vilanovense…………….. 1 (3-1)
2. Infesta – Ermesinde…………….. 1 (3-1)
3. Canelas Gaia – Vizela…………… X (1-1)

4. Braga «B« – Gondomar……………. 1 (3-1)
5. Alcaíns – Pombal……………….. X (0-0)
6. Feirense – Sp. Covilhã………….. 2 (3-4)

7. Torreense – Vilafranquense………. 1 (2-0)
8. Marinhense – B. C. Branco……….. 1 (4-2)
9. Caldas – Sanjoanense……………. 1 (1-0)

10. Olhanense – Olivais e Moscavide…. 1 (3-1)
11. Barreirense – Louletano………… 1 (5-0)
12. Estoril – Atlético…………….. 2 (1-2)

13. Sporting «B« – Marítimo «B«…….. X (2-2)
14. Imortal – Camacha……………… 2 (0-1)

Lusa

(19 Mai / 19:12)

Posted in arquivo notícias0 Comentários

Silveiro

Silveiro

Feira de Artesanato e Velharias
Mais forte do que nunca

Pedro Fontes da Costa
pedro@jb.pt

Com 62 stands e um programa de animação de fazer inveja, aí está a quinta edição da Feira de Artesanato e Velharias do Silveiro, que se realiza nos dias 25 e 26 de Maio. Uma feira, que ano após ano, tem vindo a crescer e agora espera que seja visitada por mais de cinco mil pessoas.
Paulo Martins, responsável pela organização, a propósito referiu, em entrevista ao JB, que “o nosso trabalho tem sido valorizado, pois temos crescido e os elogios dos expositores são uma realidade”.

“Divulgar a nossa terra é importante”

Jornal da Bairrada – Quais são os principais objectivos da Feira de Artesanato e Velharias?
Paulo Martins – Ao criar a Feira de artesanato e Velharias do Silveiro, a UDCRS pretendia, fundamentalmente, duas coisas: uma – a possibilidade de preservar e divulgar o artesanato e algumas “artes” – outra, a realização de uma actividade muito forte a nível cultural. É evidente que, alcançando estes objectivos, estamos a divulgar fortemente a nossa colectividade e a nossa terra, o que também é muito importante.
– Quantas realizações já têm no vosso historial?
– Esta é a quinta edição e pensamos que estamos em condições de referir que os objectivos estão plenamente alcançados. De facto, a feira tem já o gabarito e o prestígio que esperávamos, pois o número de expositores e a sua proveniência levam-nos a concluir exactamente isso. O início de qualquer actividade é sempre difícil, mas, com o empenho, que nós, corpos sociais da UDCRS, temos dedicado a este evento, porque achamos que ele o merece, crescemos gradualmente e estamos satisfeitos com a dimensão que a feira já ostenta.

“A feira foi criada para eles”

– Quantos expositores já estão inscritos?
– Vamos ter 62 stands, num total de 65 expositores. Isto mostra a envergadura da feira, mostra o seu crescimento e, acima de tudo, o que o nosso trabalho tem sido valorizado, pois de ano para ano, temos crescido e os elogios dos expositores são uma realidade, e isso é que é importante, pois a feira foi criada para eles. Este ano, apostámos em deixar de lado as tendas e vamos ter os verdadeiros stands, o que dá melhores condições para quem expõe e a quem visita. Devemos realçar que este evento tem merecido honras de cobertura televisiva. Aconteceu em anos anteriores, e aconteceu este ano, pois na segunda-feira, dia 13 de Maio, estive na SIC, no programa “Às duas por três”, a divulgar a feira.
– A responsabilidade da organização é só da UDCRS?
– A responsabilidade é inteiramente nossa (UDCRS), o que deve ser realçado, pois normalmente as organizações destes eventos são das autarquias. É, de facto, um esforço suplementar, até a nível financeiro, apesar de contarmos com alguns apoios. Os grandes colaboradores são o IPJ e a câmara municipal, para além de muitos patrocinadores.
РO programa de anima̤̣o tamb̩m foi pensado?
– Nós sempre pensamos que, como complemento destes eventos, deve existir sempre uma forte vertente cultural que sirva como atractivo para os visitantes. Essa é também a nossa preocupação. Daí que elaborámos um programa cultural, desportivo e recreativo, que é aliciante e muito diversificado. Não descurámos o aspecto humanitário e temos também uma recolha de sangue, organizada pela ADASMA. De referir que a organização do festival de homens estátua e homens lentidão é uma parceria com o Laboratório de Expressão Dramática de Oliveira do Bairro. Temos também a Festa do Espumante e do Leitão que são produtos da nossa região que apesar de bem conhecidos, são sempre um atractivo.
РQuais ṣo as perspectivas em torno do n̼mero de visitantes?
– O número de visitantes tem subido de ano para ano. Pensamos que a feira está a atingir os níveis que delineámos. Esperamos ter mais de 5 mil visitantes

Programa

25 de Maio, sábado
14h30 – Abertura da feira
16h00 – 4º Circuito ciclista do Silveiro
16h30 – Jogos tradicionais
22h00 – Magna Tuna (Apocalipsiana – Universidade Técnica de Lisboa)
23h00 – Serenata de Coimbra com o grupo de fados Tertúlia Bairradina

26 de Maio, domingo
15h00 – 3º Festival Nacional de homens estátua e lentidão
17h00 – Grupo Folclórico Santa Cristina do Couto
18h00 – Grupo Folclórico da ACR Vale Domingos
19h00 – Cantadores ao desafio, “Loureiro de Barcelos”
21h00 – Encerramento da feira.

Recolha de sangue, no dia 26 de Maio, das 9h00 às 12h30, na Escola Primária do Silveiro.

Expositores

Câmara Municipal de Oliveira do Bairro; Adelino Aires, Nariz; Amândio Rodrigues, Oliveirinha; José Picuasi, Porto; Maria Rosa Nunes / Maria Conceição Nunes, Ansião; Maria Flor Mendes, Ansião; Maria Flor Mendes, Ansião; Tudo Feito Ká, Ansião; Solsil, Silveiro; José Romano Cruz, Pampilhosa; Grupo Etnográfico da Pampilhosa; Sandra Lourenço, Oliveira do Bairro; António Pereira, Sangalhos; Cremilde Vieira / Lurdes Barros, Nariz; Rancho As Vindimadeiras da Mamarrosa; Otília Ferreira, Mealhada; Alcer, Águeda; Ana Tavares, Sever do Vouga; Felismina Paiva, Sever do Vouga; Olavo Silva, Sangalhos; Hiliodora Pinho, Aguada de Baixo; Carminda Figueiredo, Aveiro; Maria Fátima Costa, Lixa; Nuno Justino, Queluz; Abel Santos, Pombal; Leonor Conceição, Póvoa do Valado; Felicidade Quintal, Aveiro; Fátima Duarte / Filipe Rosário, Silveiro; Manuel Silva, Travassõ; Santa Casa da Misericórdia de Oliveira do Bairro; Câmara Municipal de Espinho; Álvaro Marques, Fermentelos; Altina Marques, Silveiro; Cucamacuca, Valongo; Emanuel Guedes, Lamego; Lalinus, Lamego; Rosa Ascenção, Silveira; Aida Oliveira, Silveira; Atelier de Costura e Bazar, Oliveira do Bairro; Flor do Adro, Oliveira do Bairro; Lanchonete, Oliveira do Bairro; João Silvano, Oliveira do Bairro; Amper, Perrães; João Teixeira, Porto; Alda Pinto, Oliveira do Bairro; Loja Nelson, Nelas; O Canastro, Melgaço; Filomena Emerenciano, Ovar; Carlinda Silva, Oliveira do Bairro; Regina Melo, Miranda do Corvo; Isabel Gomes, Santa Comba Dão; Fernando Sousa, Santa Catarina da Serra; José Maria, Sangalhos; Elmano Lima, Sever do Vouga; Virgílio Silva, Tomar; Joaquim Silva, Ponte de Lima; Maria Rosa, Silveiro; Augusta Ribeiro, Silveiro; Branquinho, Carris; Antero Barros, Nariz, ACR Vale Domingos e CCD, Nariz.

(15 Mai / 12:40)

Posted in arquivo notícias0 Comentários

Águeda

Águeda

No 25º aniversário da empresa

Primeiro Ministro inaugura novas fábricas da Revigrés

A Revigrés, uma das mais prestigiadas empresas nacionais do sector cerâmico, comemora este ano o seu vigésimo quinto aniversário.
Aproveitando a ocasião, a empresa inaugurou ontem oficialmente as suas duas novas unidades fabris – Qualipasta e Revigrés2 -, numa cerimónia que contou com vários elementos do executivo governamental e com representantes de várias entidades públicas e privadas.Estiveram presentes o Primeiro Ministro, Dr. José Manuel Durão Barroso, o Ministro da Economia, Ministro Adjunto, Ministro dos Assuntos Parlamentares e Ministro das Obras Públicas, bem como os Secretários de Estado da Juventude e Desporto e Habitação.
Do panorama político português estiveram também o Professor Cavaco Silva, o General Ramalho Eanes e vários membros de anteriores governos.
Marcaram ainda presença o Presidente da Câmara Municipal de Águeda, Manuel Castro Azevedo, o Governador Civil de Aveiro, o deputado Acílio Gala, o Presidente do Tribunal de Contas e o Presidente do Tribunal Constitucional, bem como os Presidentes da CIP, AEP, AIP, Associação Comercial do Porto, Associação Industrial de Águeda, Associação Industrial do Distrito de Aveiro, Associação Comercial e Industrial de Coimbra e ainda o Secretário Geral da UGT.
Presentes estiveram também outras personalidades, como Siza Vieira, Belmiro de Azevedo, Américo Amorim, Álvaro Costa Leite, Ilídio Pinho, Fernando Pinho Teixeira, Casimiro de Almeida, Luís Portela e Pinto da Costa.
A cerimónia contou com os reitores da Universidade de Coimbra, Universidade de Aveiro, vários professores universitários e ainda o Director da Faculdade de Engenharia da Universidade de Toronto (Canadá).
Depois de uma visita às fábricas e de uma sessão solene, que contou com a intervenção do Presidente da Revigrés, Eng. Adolfo Roque, do Eng. Ludgero Marques, Presidente da AEP, e do Primeiro Ministro, seguiu-se um jantar no qual participaram colaboradores, clientes, fornecedores e representantes de diversas entidades nacionais, regionais e estrangeiras, totalizando cerca de 1200 pessoas. As comemorações continuaram com o bolo de aniversário, seguindo-se um espectáculo musical.

25 anos projectando novos caminhos

Nestes 25 anos de existência, a empresa dirigida por Adolfo Roque tem sido um exemplo de afirmação crescente no panorama nacional e internacional.
Desde a sua constituição, a Revigrés segue uma política de expansão e actualização permanente das suas instalações e tecnologias. As inovações introduzidas nos métodos de produção permitiram o aumento da produtividade, a diversidade do fabrico, a poupança energética e a melhoria da qualidade dos produtos, colocando a Revigrés numa posição técnica e tecnológica de vanguarda e transformando-a numa empresa altamente competitiva.
Com uma atenção acrescida ao design e à qualidade, a Revigrés esteve sempre na linha da frente, sendo a primeira empresa portuguesa de pavimentos e revestimentos cerâmicos a receber a Certificação do Sistema da Qualidade, atribuída em Setembro de 1995 pelo IPQ.
O reconhecimento público da empresa traduz-se na atribuição de vários prémios: 1º Prémio “Melhor Design de Pavimento”, na Expotile, Inglaterra (1996); «Selo de Design« às colecções “Óbidos” e “Aviz”, pelo Centro Português de Design (1997); Menção Especial para a empresa pela “Gestão Global de Design, atribuída no âmbito dos Prémios Nacionais de Design (1999); Menção Honrosa no “Espaço Inovação”, na Tektónica, pelo Projecto Ardósia (2001).
A aposta no design também se tem manifestado no desenvolvimento das colecções Temáticas – “Óbidos”, “Buçaco” e “Descobrimentos Portugueses” – e Colecções de Autor – «Galáxia« e «Atitudes« -, bem como no patrocínio ao Concurso Nacional de Design, organizado em colaboração com a Fundação da Juventude.

Qualipasta e Revigrés2

O 25º aniversário da empresa fica marcado pela inauguração oficial das duas novas unidades industriais, equipadas com a tecnologia mais avançada a nível mundial e construídas para a produção de porcelanato – a Qualipasta, que se dedica à produção de pó atomizado, e a Revigrés2, vocacionada para o fabrico do produto final.
Estas duas novas unidades, construídas numa área total de 115.000 m2 e uma área coberta de 56.000 m2, representam um investimento de 35 milhões de euros e iniciaram a produção já em 2001.
No último ano, a empresa facturou um total de 30 milhões de euros, prevendo chegar ao final de 2002 com uma facturação a rondar os 38 milhões de euros. Saliente-se que a Qualipasta e a Revigrés2 têm capacidade para, a qualquer momento, quadruplicarem a sua capacidade de produção, uma vez que as suas instalações foram concebidas a pensar no futuro.

Porcelanato Revigrés

O porcelanato Revigrés é um material 100% porcelânico de grande versatilidade funcional e qualidade técnica, que apresenta várias vantagens. O seu grau de porosidade é muito baixo, o que lhe confere uma elevada resistência às manchas e aos químicos, elevada resistência a amplitudes térmicas, resistência ao gelo e um bom isolamento eléctrico. O porcelanato caracteriza-se ainda por ter uma elevada resistência à abrasão/desgaste e uma excelente resistência mecânica, sendo também de fácil limpeza e manutenção.
A elevada resistência às manchas e aos químicos permite assegurar uma higiene perfeita nos locais expostos à sujidade e a agentes químicos, o que significa que o porcelanato é ideal, por exemplo, para cozinhas, bares, restaurantes, escolas, laboratórios e hospitais. A resistência ao gelo faz com que o porcelanato seja também ideal para climas de temperaturas baixas e para câmaras ou armazéns frigoríficos. O bom isolamento térmico do porcelanato permite ainda que seja utilizado em locais onde é obrigatório assegurar um ambiente anti-estático, por exemplo, em blocos operatórios. A elevada resistência ao desgaste/abrasão e a resistência mecânica asseguram a sua aplicação em locais públicos de tráfego intenso (centros comerciais, hipermercados, bancos, aeroportos) e aplicações industriais, respectivamente.
A nobreza e a dureza do seu corpo, aliadas ao aspecto estético, fazem do Porcelanato Revigrés uma solução idónea e adequada para qualquer tipo de aplicação: pavimento ou revestimento, de interior ou de exterior, áreas públicas ou residenciais.
A produção e comercialização do porcelanato Revigrés são o resultado de uma criteriosa selecção e utilização das matérias-primas; uma elevada flexibilidade de produção que proporciona a criação de uma grande variedade de produtos, uma vasta palete de cores e diversos efeitos estéticos; uma tecnologia de ponta operada por uma equipa qualificada e experiente e um serviço de qualidade acompanhado por uma assistência personalizada ao cliente.
O lançamento do porcelanato Revigrés – que se iniciou com as colecções Cromática, Micron, Dual, Mármores e Rústicos – amplia e diversifica a oferta de soluções de pavimentos e revestimentos cerâmicos da Revigrés, reafirmando, uma vez mais, a sua determinação em manter uma posição de primeira linha no sector cerâmico.

(12 Mai / 12:33)

Posted in arquivo notícias0 Comentários

Póvoa do Forno

Póvoa do Forno

Feira dos Sonhos… uma aventura ao vivo

Pedro Fontes da Costa
pedro@jb.pt

Os visitantes foram recebidos pelo guardião dos sonhos. Descalçam-se e entram no livro das aventuras… Bem lá ao fundo sobem para uma rampa e vão desaguar no Castelo da Espuma, onde o flautista mágico está sentado a tocar. São os momentos iniciais da II Feira dos Sonhos, que numa organização do grupo de teatro Viv’arte, está a decorrer no teatrário deste grupo, na Póvoa do Forno.

“Sigam para o corredor da gaiola…”

A funcionar, há cerca de um mês, já recebeu praticamente todas as escolas do ensino básico da cidade de Águeda. Agora, são os alunos das escolas do concelho de Oliveira do Bairro que preenchem aquele espaço de sonho e de magia.
Os mais de vinte alunos, que constituíam a sessão do dia, seguem viagem, pois não se podem deter no castelo e, quando se apercebem, já estão submersos em almofadas na sala das 300 almofadas, compradas na loja do 1,5 euro. É neste preciso local que António Morais, um dos responsáveis pela feira, vai gritando: “terão que procurar a minúscula caixinha, perdida entre as almofadas, pois nela se encontra a chave que abrirá a gaiola em que estão enclausurados os sapatos de todos os visitantes”. Com a chave na mão, Morais reforça o seu grito e diz, de boca cheia: “sigam para o corredor da gaiola e recuperem os sapatos”.
Entretanto, o homem tambor aparece e os visitantes da tarde seguem por um túnel repleto de estátuas, bustos, fileiras de cabeças ao longo das paredes, acabando por entrar discretamente no cemitério dos brinquedos. É aqui que os mais pequenos ficam deliciados com as histórias de alguns bonecos, que, entretanto, são contadas pelo guardião dos brinquedos.

“A cidade bombardeada”

Seguindo os céleres passos de António Morais, a criançada atravessa, com alguma agitação e espanto, a cidade bombardeada. Por ruínas e fumo a sair de todos os lados, casas destruídas, escombros a barrar as passagem, olham discretamente, com um ar sarapantado, a casa do ferreiro mágico, que lhes pede que resolvam um enigma. Se conseguirem receberão a espada sagrada.
Enigma desfeito, os miúdos seguem pelo corredor das sombras chinesas e desaguam numa clareira onde as florestas são miniaturas e os vales e montanhas são igualmente pequenos.
Com extremo cuidado, lá vão eles de pé em pé, atravessando a clareira, para não estragarem as casinhas e as árvores.

O fosso do esqueleto radiante

Já no horizonte avista-se a sala gigante, com uma mesa e uma cadeira, de dimensões consideráveis. Perdidos neste mundo de gigantes a única hipótese de fuga é por uma porta cuja chave está no fosso do esqueleto radiante, aliás bem vermelho.
Morais avisa: “quem é o corajoso que vai descer ao fosso… Pedro! Pedro, foste o escolhido. Não tenhas medo”.
Uma vez que a missão do Pedro foi bem sucedida e com a chave na mão, afinal a porta não abriu e desceu dos céus uma mensagem – “Procure a saída dos ratos. E feche a porta antes de sair”. E assim aconteceu. A criançada escapuliu-se pela porta dos ratos e entrou numa imponente sala de aulas, completamente colorida e com uma tela onde eram projectadas as imagens dos visitantes durante todas as peripécias do trajecto.
O mestre de aulas sugere, entretanto, aos nobres visitantes que escrevam, numa simples folha de papel, a sua opinião desta experiência mágica.
E é tempo de tocar para a saída. A sirene soou e cada visitante recebeu um diploma de participação.

Posted in arquivo notícias0 Comentários

II Divisão B

Futebol
II Divisão B (Zona Centro, 34ª jornada ) – Resultados/classificação

Resultados da 34ª jornada da Zona Centro do campeonato português de futebol da II Divisão B, disputada hoje, e respectiva classificação:

Beneditense – Sp. Pombal, 0-3
Arrifanense РSp. Covilḥ, 0-1
Alcains – Vilafranquense, 1-0
Feirense – Ol. Hospital, 2-2
Torreense – Ol. Bairro, 1-0
Odivelas – Ac. Viseu, 2-2
Fátima – S. João Ver, 3-0
Sourense – Benf.Cast.Branco, 2-1
U. Coimbra – Caldas, 1-2
Marinhense – Sanjoanense, 2-1

Classificação:

CASA FORA TOTAL
CL EQUIPA V E D M S V E D M S J V E D M S P

1 SP.COVILHA :14 3 0 39- 9: 6 7 4 14-11:34 20 10 4 53-20:70
2 SP.POMBAL :12 5 0 30- 8: 8 4 5 24-16:34 20 9 5 54-24:69
3 TORREENSE :13 3 1 32- 7: 7 3 7 28-27:34 20 6 8 60-34:66
4 ODIVELAS :12 3 2 38-16: 6 4 7 17-20:34 18 7 9 55-36:61
5 AC.VISEU :13 3 1 38-15: 2 10 5 19-23:34 15 13 6 57-38:58
6 SANJOANENSE : 9 6 2 31-15: 6 5 6 18-19:34 15 11 8 49-34:56
7 FEIRENSE :10 5 2 26-13: 6 3 8 18-20:34 16 8 10 44-33:56
8 OLI.BAIRRO :12 1 4 39-23: 3 7 7 14-21:34 15 8 11 53-44:53
9 SAO JOAO VER:10 5 2 28-17: 3 5 9 15-25:34 13 10 11 43-42:49
10 VILAFRANQ. :11 4 2 26- 8: 1 8 8 14-27:34 12 12 10 40-35:48
11 CALDAS : 7 6 3 31-21: 5 4 9 25-36:34 12 10 12 56-57:46
12 FATIMA :10 4 3 29-19: 3 3 11 15-31:34 13 7 14 44-50:46
13 BENFICA CB : 5 4 8 27-29: 6 5 6 26-27:34 11 9 14 53-56:42
14 MARINHENSE : 7 6 4 21-20: 3 2 12 18-36:34 10 8 16 39-56:38
15 OLI.HOSPITAL: 6 7 4 21-20: 3 3 11 20-29:34 9 10 15 41-49:37
16 SOURENSE : 8 2 7 28-33: 1 4 12 8-35:34 9 6 19 36-68:33
17 U.COIMBRA : 7 6 4 23-21: 1 2 14 13-39:34 8 8 18 36-60:32
18 BENEDITENSE : 7 2 9 20-26: 2 1 13 21-38:34 9 3 22 41-64:30
19 ARRIFANENSE : 4 6 7 16-19: 2 1 14 17-41:34 6 7 21 33-60:25
20 ALCAINS : 5 3 9 18-22: 0 3 14 17-40:34 5 6 23 35-62:21

Programa da 35ª jornada (05 Mai):
Sanjoanense – Beneditense
Sp. Pombal – Arrifanense
Sp. Covilḥ РAlcains
Vilafranquense – Feirense
Ol. Hospital – Torreense
Ol. Bairro – Odivelas
Ac. Viseu – Fátima
S. Jọo Ver РSourense
Benf.Cast.Branco – U. Coimbra
Caldas – Marinhense

(28 Abr / 21:15)

Posted in arquivo notícias0 Comentários

Águeda

Águeda

Grupo Motard do Gica

Festeja 4º aniversário

Amanhã, dia 25, o Grupo Motard do Gica vai festejar o seu 4º aniversário, na sede do Ginásio Clube de Águeda, em que irá participar o Grupo Motard “Nódoas do Asfalto”, da Pampilhosa.
A festa irá começar pelas 11.30 horas, com a abertura do secretariado, seguindo-se o convívio com porco no espeto.
Da parte da tarde haverá lugar a jogos tradicionais e um natural convívio entre todos.
Mais para o fim da tarde, serão cantados os parabéns a você e sopradas as quatro velas.
Será feito ainda um sorteio e haverá a hora da entrega de lembranças.
Participarão no evento vários motoclubes, grupos motards e numerosos amigos.

(22 Abr / 17:30)

Posted in arquivo notícias0 Comentários

SFImobiliaria

Pergunta da semana

Portugueses praticam cada vez mais exercício ao ar livre. É o seu caso?

View Results

Loading ... Loading ...
Newsletter Powered By : XYZScripts.com