Recortes.pt Leia no Recortes.pt

Arquivo | arquivo notícias

Revista de Imprensa

Revista de imprensa da região centro

O encerramento do centro de produção de Coimbra da TV Saúde, inaugurado há cerca de dois anos e meio, é hoje tema de destaque em dois jornais da região centro.
Segundo o Diário As Beiras, o projecto de comunicação «foi ontem definitivamente desligado, sendo os seus trabalhadores dispensados«.
«Agora talvez o canal volte ao circuito do cabo, produzido em Lisboa« avança ainda o jornal.
O Diário de Coimbra refere que a TV Saúde troca Coimbra por Lisboa, adiantando que «emissões só a partir da capital«.
Ainda na área da Saúde, o destaque de primeira página do Diário de Coimbra vai para a construção do novo hospital pediátrico, referindo o matutino que «Pediátrico tem mais área para crescer«.
Em causa está um aumento, entre 40 a 50 por cento, da área de construção da futura unidade de saúde, referindo o jornal que a tutela «aguarda adaptação do plano funcional«.
No Diário regional de Viseu é ainda a área da Saúde que faz manchete esta quinta-feira, com a notícia da entrada em funcionamento do novo equipamento de «aeronavegação« no serviço de neurocirurgia do hospital São Teotónio.
Segundo o jornal, o serviço de neurocirurgia do hospital de Viseu «é considerado um dos melhores a nível nacional« dispondo agora de um aparelh que «irá permitir mais rigor e rapidez nas intervenções cirúrgicas«.
No Diário de Leiria o destaque vai para a experiência «inesquecível« que uma jovem escritora viveu em Timor onde apresentou o seu mais recente trabalho, intitulado «Timor – Histórias com Lendas«.
Ainda em destaque na capa do diário leiriense estão as relações «azedas« entre a SAD do União de Leiria e a autarquia da cidade.
O Diário Regional de Aveiro chama igualmente o desporto à primeira página, para noticiar a visita da delegação da UEFA às obras do estádio municipal.
«Os representantes do organismo máximo que tutela o futebol europeu ficaram satisfeitos com o que viram«, frisa o jornal.

Lusa

(30 Mai / 12:24)

Posted in arquivo notícias Comentários

Bancada

Visto da Bancada

Famalicão campeão da III Divisão

Manuel Zappa
zappa@jb.pt

Partiu com dois golos de avanço, mas o seu adversário só conseguiu marcar um. O suficiente para o Famalicão inscrever o seu nome na galeria dos notáveis, ou seja, a conquista do título de campeão da III Divisão. Um feito histórico para a equipa, comandada por Amadeu, e para todos aqueles que contribuíram directa ou indirectamente para que este sonho se tornasse realidade.

Pampilhosa a uma vitória da subida

Paulatinamente, o Pampilhosa vai ultrapassando várias barreiras no caminho que o pode conduzir aos nacionais.
É que, depois da vitória clara e expressiva em Bustelo, aos ferroviários só lhe falta uma vitória para consumarem o grande sonho que já vem do tempo do malogrado Dr. José António Laranjeira.
Com três pontos de vantagem sobre o Alba, que venceu dificilmente o Mourisquense, e vantagem no goal-average, a equipa de Guilherme Duarte e Fernando Niza pode fazer a festa no próximo dia 9 de Junho (domingo não haverá jogos por causa da final da Taça do Distrito), quando receber o Canedo, tendo ainda outra oportunidade, em Fajões, na derradeira jornada.
É mais do que óbvio de que os adeptos, jogadores, equipa técnica e massa associativa pretendam fazer a festa da tão almejada subida já na próxima jornada. Quem não queria?
Quem ficou pelo caminho foi o Mealhada ao perder de forma inesperada em casa diante do Oiã, que com esta vitória está, para já, fora da descida de divisão, mas ainda faltam dois penosos e difíceis jogos para que a glória bata à porta dos oianenses. Para já, só dependem de si próprios.
Quem não poderá vangloriar-se desse feito é o Fermentelos. As coisas já estavam complicadas e o empate caseiro sobre o Paivense arrumou de vez com todas as veleidades de um dos mais históricos clubes da AFA.
A LAAC também desceu na classificação – é agora sexto – após a derrota em Cortegaça, mas isso não apaga de forma nenhuma o excelente campeonato, protagonizado pela equipa de Paulo Silva.
Quem há muito desceu de divisão foi o Bustos, que, em casa, foi vergado a pesada derrota ante o Rio Meão, que com esta vitória subiu ao quarto lugar da classificação.

Taça

Domingo, joga-se a final da Taça do Distrito, entre as equipas do Oiã e do Fiães, final marcada para o Estádio Carlos Osório em Oliveira de Azeméis. Seja qual for o resultado, o Oiã já assegurou uma presença na primeira eliminatória da Taça de Portugal, mas acreditamos que os bairradinos não queiram só contentar-se com isso e discutir com as armas possíveis o troféu. O adversário é nada mais nada menos do que o líder incontestável da 1ª Divisão, apenas só com uma derrota e, num jogo com estas características, não acreditamos que o mesmo seja David contra Golias, apesar da diferença de valores entre ambos. Mas final é sempre uma final. Que o diga o Sporting que teve de ser igual a si próprio para não ser surpreendido pelo Leixões.

Aguinense termina invicto

Sensacional a todos os níveis a campanha protagonizada pelo Aguinense que acabou o campeonato como começou, ou seja, sem derrotas e apenas com três empates. A última vítima foi o Oliveirinha que foi de menos para contrariar o favoritismo dos comandados de Vítor Henriques. Agora, o outro capítulo da época dá pelo nome de quem será o campeão da II Divisão. Sanguedo é o adversário.
NEGE e Calvão asseguraram, logo a seguir, as outras vagas da subida, com a particularidade do segundo ter goleado o Moitense que, apesar da derrota se manteve nesta divisão.
Quem não o conseguiu foi o Águas Boas. O empate frente ao Covão do Lobo acabou por ser insuficiente.
O VN Monsarros também segue o mesmo caminho, tendo-se despedido com mais uma derrota em casa diante da Barc.

(28 Mai / 9:45)

Posted in arquivo notícias Comentários

Aveiro

Aveiro

Porto de Aveiro pode adquirir vocação ibérica

O próximo presidente da Administração do Porto de Aveiro (APA), João Pedro Braga da Cruz, admitiu hoje que a infra-estrutura portuária que vai dirigir tem condições para adquirir vocação ibérica.
«Tem possibilidades para isso. Embora se destine primordialmente a servir a Região Centro, a transformação do itinerário principal número 5 (IP5) em auto-estrada e a ligação do porto à rede de caminho de ferro dá sentido a essa pretensão«, disse.
João Pedro Braga da Cruz, 42 anos, engenheiro civil, estava ligado há nove anos à Administração do Porto de Leixões, mas a infra-estrutura portuária de Aveiro não lhe é estranha, uma vez que trabalhou, há 20 anos, nas obras do terminal Norte, como assessor da empresa projectista Consulmar.
A sua primeira prioridade na liderança da APA será fazer o diagnóstico da situação actual do porto, inteirando- se de obras em curso e em projecto, bem como de aspectos ligados à exploração.
Reconhece, desde já, que a sua tarefa não já fácil, dado que há investimentos «pesados« em curso para ampliação da infra-estrutura.
Segundo fonte do secretário da infra-estrutura portuária, João Pedro Braga da Cruz será confirmado ainda hoje presidente da APA, durante uma assembleia geral desta sociedade anónima de capitais exclusivamente públicos e o seu mandato será de três anos.
Sucede no cargo a Raúl Martins, que se escusou a comentar a sua substituição.
A APA foi criada pelo Decreto-Lei n/o 339/98, de 3 de Novembro, para substituir a Junta Autónoma do Porto de Aveiro (JAPA).
Possui as atribuições de autoridade portuária no porto de Aveiro, tendo também jurisdição, além dos terrenos portuários e áreas de expansão, sobre os canais adjacentes e respectivas margens do domínio público marítimo.

Lusa

(23 Mai / 16:22)

Posted in arquivo notícias Comentários

Mealhada

Mealhada

Nas Piscinas Municipais da Mealhada

Campeonato Nacional de Natação Sincronizada

O Complexo das Piscinas Municipais da Mealhada vai servir de palco, ao campeonato Nacional de Inverno-2002 de Natação Sincronizada, nos próximos dias 24, 25 e 26 do corrente.
Organização da Federação Portuguesa de Natação e da Câmara Municipal da Mealhada, nesta competição vão estar presentes as melhores equipas nacionais da modalidade.
Destaque-se ainda que o campeonato terá início pelas 8 horas nos dias 25 e 26 (sábado e domingo), prolongando-se até às 9 horas, na primeira jornada e até às 14 horas na segunda jornada, enquanto que os treinos terão lugar já no dia 24, sexta-feira.
As entradas são livres.

(21 Mai / 10:36)

Posted in arquivo notícias Comentários

Aveiro

Aveiro

Cadeia, após prisão domiciliária, para suspeita de assaltar estudantes

Uma rapariga de 16 anos foi detida preventivamente na cadeia de Aveiro depois de desrespeitar a medida de prisão domiciliária que lhe fora imposta por alegado envolvimento em assaltos contra estudantes, informou hoje fonte policial.
Segundo fonte do comando da PSP em Aveiro, a rapariga foi detida quarta-feira por ordem judicial e era suspeita de integrar o chamado «gang de Santiago«, nome de um bairro problemático da cidade, onde a polícia referenciou alguns envolvidos em assaltos contra estudantes.
Coincidindo com a primeira detenção desta rapariga, a 19 de Março passado, a PSP identificara oito menores, com entre 13 e 15 anos, todos residentes no Bairro de Santiago, por suspeita de «envolvimento relevante« no referido «gang«.
Já em Fevereiro, a PSD detivera três rapazes, igualmente daquele bairro, que, por meio de coacção física, terão praticado vários roubos.
A esta série de detenções por alegados roubos contra estudantes, a PSP juntou hoje a de um jovem de 16 anos e de outro de 22 anos, o primeiro por roubo de um telemóvel a um universitário e o segundo por receptação do aparelho.
A fonte policial disse que um dos dois detidos é reincidente na prática de roubos contra estudantes.

Lusa

(16 Mai / 17:58)

Posted in arquivo notícias Comentários

Informática

Informática

Alunos de S. João da Madeira desenvolvem software

Alunos da Escola Secundária Serafim Leite, de S. João da Madeira, desenvolveram um programa informático para gestão de correspondência já em uso no Centro da Área Educativa (CAE) de Entre Douro e Vouga.
«Corgest« é o nome da aplicação arquitectada pelos alunos Diogo Ribeiro e Rui Silva, no âmbito da disciplina de Aplicações Informáticas de uma turma de ensino tecnológico do 12/o ano de escolaridade.
Segundo Diogo Ribeiro, o software permite o arquivo em computador de toda a correspondência recebida e expedida, catalogando-a pela sua classificação (tipo de correio, referência de origem, assunto e data), atribuindo-lhe também um número de registo sequencial.
Todas estas informações são armazenadas numa base de dados, o que permite, além de uma fácil consulta, a elaboração de estatísticas, explicou.
Rui Silva, o co-autor do «Corgest«, sublinha que o software é simples, visto na óptica do utilizador, pelo que «qualquer pessoa que tenha apenas um pequena noção de informática o usa sem qualquer problema«.
A concepção do programa, que valeu aos dois alunos um prémio de 500 euros (pouco mais de 100 contos), assenta no «Visual Basic« e demorou quatro meses a ser elaborada, segundo os autores.
Diogo Ribeiro e Rui Silva afirmam que o programa não foi preparado propositadamente para o CAE, assegurando que «pode ser adaptado para qualquer empresa«.
O problema, segundo a professora, é que os programas informáticos concebidos nas escolas não podem ser comercializados.
«Está mal. É uma interdição assente num conceito errado segundo o qual aquilo que se aprende na escola não tem aproveitamento prático«, frisa Fátima Pais.
Luís Ferreira, do CAE, sublinha, por seu turno, que «este tipo de parceria comprova que um trabalho feito por imposição curricular pode ser utilizado num ambiente de trabalho real«.
A ideia de lançar o «Corgest« surgiu de contactos mantidos com responsáveis pelo CAE, a quem foram apontadas vantagens do uso de um programa de gestão de correspondência capaz de armazenar em computador dados relativos a todas as cartas, ofícios e mensagens electrónicas recebidos na sede da instituição ou emitidos a partir dela.
A turma orientada por Fátima Pais trabalha agora noutros programas para utilização lúdica ou destinados a aplicações profissionais em diferentes sectores de actividade, disse a docente.
O programa «Ratinho«, um software didáctico com fundo musical, é um desses programas, acrescentou.
Outro designa-se «Gersola« e é uma aplicação industrial para coordenar tarefas relevantes a nível da gestão de produção, de clientes, de fornecedores e de encomendas numa fábrica de solas.
«Apesar de não ser permitida a comercialização de software criado nas escolas, os autores dos projectos revelam potencialidades para dar sequência às ideias quando entrarem na vida activa«, sublinha a professora.

Lusa

(13 Mai / 17:37)

Posted in arquivo notícias Comentários

Aveiro

Região Centro

Lixos domésticos podem produzir energia

As 300 toneladas de lixos domésticos produzidas diariamente na Região Centro podem passar a ser incineradas para aproveitamento energético, se vingar um estudo em fase embrionária que mereceu já o repúdio dos ambientalistas.
Trata-se de uma Unidade de Valorização Energética (UVE) que a empresa ERSUC – Resíduos Sólidos do Centro equaciona lançar na região de Águeda, considerando o apontado num documento elaborado por institutos associados às universidades de Aveiro e Coimbra.
A UVE seria a alternativa para os três saturados aterros sanitários que servem 36 concelhos dos distritos de Aveiro Coimbra e Leiria.
O responsável pela ERSUC, Alberto Santos, confirma a existência do estudo que Miguel Oliveira e Silva, ambientalista da «Cegonha« e professor de Universidade de Aveiro, classifica como «péssima notícia para o ambiente«.
«Os resíduos que dão viabilidade a um equipamento desses são essencialmente papel e plástico e esses são recicláveis. Somos contra essa estação, como tínhamos sido contra equipamentos similares na Maia (Lipor II) e em Lisboa (Valorsul)«, frisou.
Alberto Santos prefere não alimentar polémicas, sublinhando que se está a falar de um relatório preliminar e de estudos longos, «feitos com perfeito conhecimento dos municípios accionistas da ERSUC«.
Considera que Águeda «é só uma das localizações propostas«, observando que «falta ponderar critérios de natureza ambiental«.
Preferindo ser «rigoroso«, o responsável da ERSUC escusa-se a equiparar a UVE a uma incineradora, porque essa associação também não lhe terá sido feita pelos especialistas.
«Tenho que utilizar a terminologia que me é fornecida pelos estudos técnicos«, declara.
«Não se trata de uma queima a céu aberto, mas não deixa de ser queima. E, ainda por cima, pode representar um investimento avultadíssimo«, contrapõe Miguel Oliveira e Silva, o activista da «Cegonha«, que tem trabalhado na região de Aveiro em estreita colaboração com a Quercus.
Dependendo da dimensão, uma Unidade de Valorização Energética pode representar um investimento até 20 ou 30 milhões de contos (100 ou 150 milhões de euros), segundo Miguel Oliveira e Silva.
Por sua vez, o presidente da Câmara de Águeda, Castro Azevedo, admite conhecer os estudos sobre a UVE ainda não sabe bem como encarar a hipótese de o seu concelho receber o equipamento.
«Está tudo numa fase muito embrionária. Só depois de analisar detalhamente todas as vantagens e inconvenientes é que me poderei pronunciar«, disse o presidente desta autarquia que também detém uma posição accionista na ERSUC.
Poderá ter que o fazer já dia 21, altura em que a assembleia geral da ERSUC analisa o assunto.

Lusa

(9 Mai / 10:06)

Posted in arquivo notícias Comentários

Anadia

Anadia

Bombeiros “passaram” no teste

O centro da vila anadiense (Praça do Município) viveu uma manhã bem diferente das habituais, no passado domingo, dia 28 de Abril. Tudo porque os Bombeiros Voluntários de Anadia levaram a cabo uma simulação de um grave acidente de viação, que acabou por exigir a intervenção de aproximadamente 30 homens e cinco viaturas, duas delas de desencarceramento.
Do “acidente” que envolveu três viaturas ligeiras de passageiros (uma delas capotada) e um motociclo, resultaram quatro feridos, com os mais variados tipos de lesões, para além dos avultados danos materiais.
Um acidente que ocorreu por volta das 11.30 horas e que se ficou a dever ao excesso de velocidade e desrespeito pelos sinais verticais, situados à entrada deste cruzamento.
De imediato, o Quartel mobilizou um significativo número de meios humanos e materiais que no local trabalharam o mais profissionalmente possível , no sentido de salvar as vidas em perigo.
O simulacro não passou de um mero teste que permitiu testar e avaliar a capacidade de resposta dos bombeiros que recentemente concluíram, com mérito, os cursos de desencarceramento e de tripulantes de ambulância e transporte.
A avaliar o desempenho dos bombeiros estiveram três elementos enviados pela Escola Nacional de Bombeiros, bem como o comandante Dias Coimbra, dos Voluntários de Anadia. No final, aqueles responsáveis mostraram-se satisfeitos com o desempenho dos bombeiros de Anadia que souberam estar à altura do sinistro, não cometendo falhas.
De destacar ainda que alguns anadienses menos atentos e pouco habituados a “simulacros” desta natureza sofreram pequenos sustos, julgando tratar-se de um acidente verdadeiro e grave. Só quando se aproximavam do local, “arrastados” pela curiosidade e pelas várias dezenas de observadores atentos, é que se aperceberam que tudo não passava de uma encenação e treino dos Voluntários da vila.
O simulacro exigiu a colaboração da GNR de Anadia que teve necessidade e interromper a circulação e desviar o trânsito.

(3 Mai / 11:26)

Posted in arquivo notícias Comentários

Águeda

Águeda

Encontro de músicos de instrumentos tradicionais

Nisa, 3, 4 e 5 Maio 2002

As associações Pedexumbo, At-Tambur, d´Orfeu, Gaita de Foles, Ocre e Cortiçol -com o apoio da Câmara Municipal de Nisa – vão organizar o I Encontro de Tocadores, uma reunião entre gerações de músicos e tocadores de instrumentos tradicionais. Desta ideia resultará a memória das nossas tradições musicais e a troca de experiências.
O «Encontro de Tocadores« surge na sequência de várias reflexões sobre o estado actual da cultura musical de raiz tradicional em Portugal – que abarca um vasto e riquíssimo património, disperso por todos aqueles que tocam instrumentos tradicionais.
Foi a partir da ideia de recuperar e partilhar este conhecimento que surgiu este desafio: a realização de um encontro regular entre músicos, como forma trocar experiências – juntando todos aqueles que, pertencendo a diferentes gerações e vivências musicais, podem fazer o registo e a memória da nossa cultura popular.
O encontro de tocadores será destinado a músicos amadores e profissionais: isto, aproveitando o facto de ainda existirem, em Portugal, alguns velhos tocadores tradicionais, executando instrumentos como a Gaita de Foles, a Concertina, o Adufe, o Canto ou a Viola Campaniça. Este encontro pretende promover a ligação entre várias gerações, criando um espaço de partilha e aprendizagem mútua.
O programa da primeira edição deste evento irá compreender um «Encontro de Músicos«, uma «Feira de construtores de instrumentos«, um «Seminário sobre O Estado da Música Popular Portuguesa« e também, os «Encontros Sobre o Palco – Bailes informais acústicos«.
Este encontro de músicos visa, na sua essência, proporcionar a troca de informação e experiências, quer ao nível dos instrumentos musicais, quer ao nível das técnicas utilizadas, ou mesmo de repertórios e a sua interpretação. Os instrumentos sobre os quais incidirão as atenções desta primeira edição são a Gaita de Foles, a Viola Campaniça, o Canto, a Concertina e o Adufe.
Cada um dos instrumentos servirá como elemento «unificador«, à volta do qual serão convidados alguns músicos representantes de possíveis equadramentos: diferentes gerações, repertórios e contextos musicais próprios. À volta destes músicos e das suas experiências, os restantes músicos participantes partilharão as suas valências e poderão, desta forma, tomar contacto com muitas realidades dispersas.
Como forma de criar uma memória de todo este encontro, entre outras iniciativas, existirão meios para a gravação de audio e video, permitindo que os vários participantes possam obter e reter informação das suas experiências e de outras tantas, vividas nos restantes grupos.
De resto, este tipo de encontro é inspirado num evento similar, com grande sucesso em França, o qual contribuíu de forma decisiva para aumentar o conhecimento e a colaboração entre os músicos, idependentemente dos seus conhecimentos e gerações.
Este desafio é lançado por um conjunto de associações, que desenvolvem diversas competências de estudo, promoção e preservação da cultura popular. São elas a Pédexumbo, At-tambur, d´Orfeu, Gaita de Foles, Ocre e Cortiçol, que contam com o apoio da Câmara Municipal de Nisa.

(24 Abr / 11:52)

Posted in arquivo notícias Comentários

Repolão

Repoḷo РO. do Bairro

3º Encontro de música popular e tradicional portuguesa

Numa organização do grupo de cantares “Raízes do Povo”, realiza-se no dia 5 de Maio, pelas 14h30, no parque dos Atómicos, no Repolão, o terceiro encontro de música popular e tradicional portuguesa. No evento participarão quatro grupos:
Grupos de cantares “Raízes do Povo”, grupo de danças e cantares “S. Romão”, Leiria; grupo de cantares de “S. Miguel”, Fermelã, e o rancho folclórico “As Vindimadeiras da Mamarrosa”.
A entrada é livre e no recinto haverá comes e bebes.
Os organizadores esperam “casa cheia”, pois que a sua presença “ajudará o Grupo Raízes do Povo a crescer ainda mais”.

(20 Abr / 13:42)

Posted in arquivo notícias Comentários

Pergunta da semana

Vai a algum festival de verão este ano?

View Results

Loading ... Loading ...
Newsletter Powered By : XYZScripts.com