Recortes.pt Leia no Recortes.pt

Arquivo | Por Terras da Bairrada

Plenário de militantes do PSD retira confiança política ao presidente da Câmara de Oliveira do Bairro

Plenário de militantes do PSD retira confiança política ao presidente da Câmara de Oliveira do Bairro

mario joao oliveira_entrevista

O plenário de militantes do PSD de Oliveira do Bairro retirou, na madrugada de sábado, a confiança política ao presidente da Câmara Municipal de Oliveira do Bairro, Mário João Oliveira. A moção da retirada de confiança política – o que aconteceu pela primeira vez na história do concelho de Oliveira do Bairro com um presidente de Câmara – foi aprovada em plenário do PSD com 33 votos a favor, três contra e dois em branco.
A moção foi apresentada pelo militante do PSD que também é deputado na Assembleia Municipal, Marcos Martins. Entre outras imputações, o Presidente da Câmara é acusado de inércia, desprezo e de desrespeitar causas maiores.

Leia a reportagem completa na próxima edição do Jornal da Bairrada.

Posted in Destaque, Oliveira do Bairro, Por Terras da Bairrada0 Comentários

Programa de Animação do Luso promete um verão pleno de atividades

Programa de Animação do Luso promete um verão pleno de atividades

animação luso

O programa “Luso 3050 – No verão, o Luso é uma animação” volta a animar a vila termal durante os meses de verão. O objetivo passa por enriquecer a oferta local aos turistas, com uma programação abrangente e diversificada, direcionada às famílias. O programa foi apresentado na passada sexta-feira.
A começar pela música – do folclore ao jazz – passando pelo teatro, dos fantoches à recriação da Batalha do Buçaco, cinema ao ar livre, feiras e mercadinhos, atividades de novo circo e oficinas de saúde e bem-estar abertas à população, visitas guiadas pelo património histórico, ambiental e cultural e um sunset artístico. Estas são algumas das atividades que vão preencher os fins de semana de verão no Luso, entre o centro da vila, o mercado e o lago.
O programa, apoiado pela Câmara da Mealhada, com cerca de 63.500 euros, é dinamizado localmente por um conjunto de associações e pela Junta de freguesia, destinado a enriquecer o destino turístico e termal do Luso. “O Luso tem vindo a ser cada vez mais procurado e queremos que as famílias que procuram este destino tenham uma oferta complementar à que já existe. Que cheguem à noite e tenham um espetáculo diferente”, sublinhou Rui Marqueiro, presidente do Município, na apresentação da iniciativa.
“Mais do que um calendário de eventos, temos um projeto turístico que abarca as áreas da cultura, bem-estar e saúde, para pais e filhos, para toda a família, já que o Luso é um destino turístico de famílias”, referiu Inês Seabra, responsável da programação, em nome da AquaCristalina – Associação para o Desenvolvimento Cultural, Turístico e Económico da Vila do Luso, a entidade que produz os espetáculos.
A Junta de Freguesia de Luso, também parceira neste programa, sublinha, pela voz de Carlos Rodrigues, “os encantos” que há para descobrir na vila, lembrando que o Luso vive do turismo e deve, por isso, atrair e fixar cada vez mais turistas, combinando a sua animação com a programação artística desenvolvida pela Fundação Mata do Buçaco.

Posted in Mealhada, Por Terras da Bairrada0 Comentários

Mealhada: Duas listas à ACB disputam gestão e localização do Carnaval

Mealhada: Duas listas à ACB disputam gestão e localização do Carnaval

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

São já conhecidas duas candidaturas para as eleições da Associação do Carnaval da Bairrada (ACB) que deverão acontecer a 30 de junho próximo ou, caso não seja possível, na primeira quinzena de julho, segundo previsão do atual presidente da assembleia-geral, João Peres. Certa, para já, é a disponibilidade de dois antigos dirigentes (Alexandre Oliveira e Fernando Saldanha) para encabeçarem outras tantas listas ao referido ato eleitoral, depois de conhecida a indisponibilidade para uma recandidatura dos atuais dirigentes.
Será a 30 de junho ou então numa data a acordar na primeira quinzena de julho que acontecerão as eleições para os órgãos sociais da ACB. O presidente da assembleia-geral, João Peres, disse ao JB que ainda não há uma data exatamente definida. Questionado sobre a hipótese de concorrerem duas listas, frisou que “é salutar e mostra que o Carnaval da Mealhada está vivo”. “É importante este interesse, em pôr o Carnaval a mexer”, destacou.
Para já, são conhecidas duas listas prontas a formalizar as respetivas candidaturas, uma dessas liderada pelo anterior presidente da ACB, Fernando Saldanha, defensor do modelo tradicional do Carnaval, a acontecer no Sambódromo Luís Marques com um rei brasileiro no trono. A outra candidatura, encabeçada também por um antigo elemento da ACB, Alexandre Oliveira – curiosamente da equipa de Fernando Saldanha – que defende o regresso dos desfiles ao centro da cidade.

João Paulo Teles

Leia a notícia completa na edição de 23 de junho de 2016 do Jornal da Bairrada

Posted in Destaque, Mealhada, Por Terras da Bairrada0 Comentários

Vagos Metal Fest ambiciona ser festival de referência a nível ibérico

Vagos Metal Fest ambiciona ser festival de referência a nível ibérico

vagos_metal fest

O cartaz ainda não está fechado, mas já se sabe que a histórica banda de power metal Helloween vai regressar a Portugal e será o cabeça de cartaz do segundo dia do Vagos Metal Fest. Nos dias 13 e 14 de agosto, a Quinta do Ega, em Vagos, vai voltar a ser o ponto de encontro dos aficionados do heavy metal.
Na sexta-feira, dia 17 de junho, o Município de Vagos e as duas empresas promotoras do evento – Metrónomo e Amazing Events – confirmaram os nomes já fechados do cartaz, que inclui algumas bandas nacionais e até uma da região, Godvlad.
Helloween, Thrash Metal, Dark Funeral, Discharge, RAMP, Godvlad, Tribulation e ainda os portugueses Bizarra Locomotiva e Heavenwood são portanto as primeiras confirmações deste festival.

Toda a reportagem na edição de 23 de junho de 2016 do Jornal da Bairrada

Posted in Destaque, Por Terras da Bairrada, Vagos0 Comentários

1.ª Feira de Artesanato e Sabores pela mão da Associação das Geminações

A vila de Sangalhos vai ser palco, no dia 10 de julho, da 1.ª Feira de Artesanato e Sabores de Sangalhos.
A iniciativa está a ser organizada pela Associação das Geminações da Vila de Sangalhos (AGVS) e insere-se no âmbito da visita da comitiva francesa de La Chaize le Vicomte a Sangalhos.
A iniciativa, inédita na freguesia, vai decorrer entre as 10 e as 24h, no espaço anexo à Junta de Freguesia, na Rua Dr.º Seabra Dinis.
De acordo com Silvana Marques, da Associação das Geminações da Vila de Sangalhos, as expetativas são grandes, uma vez que tem havido uma forte adesão de artesãos, muitos oriundos de outras zonas do país, a esta 1.ª Feira. “Uma feira de artesanato que pensávamos ser pequenina, está a tomar uma proporção que jamais pensávamos tomar”, disse.
Por outro lado, a organização desta 1.ª Feira de Artesanato e Sabores visa ajudar à promoção, potencialização e amostragem das vertentes tradicional e criativa do artesanato existente no concelho de Anadia, bem como a nível nacional. Por outro lado, Silvana Marques destaca que poderá ser uma forma de “chamar a atenção e estimular a camada mais jovem da população para que valorize e se dedique ao artesanato, pela importância económica e social que tem”, quer a nível local, regional quer, ainda, a nível nacional e internacional.
No local haverá ainda tasquinhas de associações do concelho de Anadia e zonas de restauração para que os visitantes que queiram possam almoçar, jantar ou degustar algumas iguarias da região.
Podem participar neste certame artesãos a título individual, em representação de Câmaras Municipais, Regiões de Turismo, Centros de Artesanato e/ou Associações de Artesãos, desde que apresentem artesanato genuíno, e representativo da sua região. Poderão, ainda, participar quaisquer outras entidades, a definir pela organização desde que, de algum modo, possam enriquecer as finalidades da Feira.
As inscrições dos artesãos devem ser feitas por email: agvsangalhos2013@gmail.com.

Posted in Por Terras da Bairrada, Sangalhos0 Comentários

PSD de Anadia retira confiança a quatro deputados

A Comissão Política de Secção do PSD de Anadia (CPS) retirou a confiança política a quatro deputados municipais, nomeadamente José Manuel Carvalho (líder da bancada municipal), João Nogueira de Almeida, Ricardo Manão e Sara Seabra dos Reis. Os quatro elementos receberam, na semana passada, uma carta da estrutura local a dar conta da decisão, bem como dos argumentos que estiveram na base dessa retirada de confiança. São acusados de não aceitar indicações de voto, nem qualquer orientação política ou definição de estratégia por parte da Comissão Política.
No caso do deputado Ricardo Manão, a CPS refere a existência de divergências políticas insanáveis com a atual Comissão Política da Seção do PSD de Anadia.
Já João Nogueira é acusado, entre outras situações, de ter uma estratégia de oposição interna à CPS que tem sido difundida na praça pública, nomeadamente através de artigos de opinião publicados em jornais, enquanto que a deputada Sara Reis é penalizada – entre outros factos – por nunca ter informado a CPS do PSD dos trabalhos realizados no âmbito da sua nomeação enquanto representante do Concelho Municipal da Juventude.
Por último, o líder de bancada José Manuel Carvalho iniciou “um processo político no qual as indicações da estratégia política da CPS foram claramente desconsideradas e ostensivamente violadas”. Entretanto, o presidente da CPS, Henrique Fidalgo escreveu ao presidente da Assembleia Municipal de Anadia, Adriano Aires, a dar conta da retirada da confiança política dos quatro deputados, e informando que a representação do novo Grupo Municipal do PSD nas reuniões de líderes será feita pela deputada Graciete da Piedade Castro. Contudo, Adriano Aires já respondeu que o não fará, invocando o regimento.
Recorde-se que a Concelhia de Anadia já havia retirado a confiança política ao vereador Jorge São José.

Posted in Anadia, Por Terras da Bairrada0 Comentários

Menos voluntários e menos alimentos recolhidos

No concelho de Oliveira do Bairro foram recolhidos, em finais de maio, 4.698 quilos de alimentos para o Banco Alimentar Contra a Fome, contra os 4892 quilos da campanha homóloga efetuada em maio de 2015, o que representa uma diminuição de 3,97%. O concelho de Oliveira do Bairro ficou posicionado em 11.º lugar entre os 19 do distrito de Aveiro em quantidades recolhidas.
Segundo Fernando Castro, presidente do Rotary de Oliveira do Bairro, que coordenou a campanha de recolha de alimentos para o Banco Alimentar Contra a Fome, “as recolhas conseguidas no concelho de Oliveira do Bairro desde 2009 têm sido superiores a 10 toneladas por ano, tendo em 2012, em plena crise socioeconómica, superado as 12 toneladas. A partir desse ano, porém, começaram a diminuir, situando em 2015 no valor mínimo de 10 toneladas”. “Esta diminuição, apesar de ser inferior à média distrital de 5,57%, não nos consola, apenas nos estimula a prosseguir a luta contra a fome no nosso concelho, a qual a todos deve envergonhar”, refere Fernando Castro, que agradece a todos os voluntários e doadores que colaboraram na campanha, lembrando que “o lema rotário “Dar de si antes de pensar em si” pode e deve ser praticado por todos. “Todos ficaremos a ganhar.”
Fernando Castro explica ainda que “a iniciativa «Alimentar esta ideia» tem contado sempre com a colaboração rotária, não só no nosso concelho, mas por todo o país, tanto mais que alguns clubes, incluindo o de Oliveira do Bairro, já desenvolviam ações idênticas ainda antes da criação do Banco Alimentar”. “Felizmente, o Banco Alimentar Contra a Fome tem sido uma das várias instituições que, independentemente de algumas críticas descabidas, sempre estiveram na linha da frente na luta contra este flagelo, vezes demais escondido, procurando minorar as necessidades de muitos milhares de carenciados do nosso país e assim combater a exclusão social”, acrescenta o presidente do Rotary de Oliveira do Bairro, justificando que “os alimentos recolhidos em diversos locais, são depois distribuídos pelas instituições de solidariedade social que, por sua vez, os redistribuem às famílias que assistem”.
Este responsável acrescenta ainda que “é uma nobre ação baseada no voluntariado que, duas vezes por ano e durante dois dias, envolve milhares de pessoas em todo o país, integrando inúmeras organizações. Alguns dos voluntários são recrutados pelas instituições beneficiárias dos bens recolhidos, mas a maior parte pertence a outras organizações ou são simplesmente voluntários a título individual”.

Voluntariado. Fernando Castro diz ainda que “no concelho de Oliveira do Bairro, o número de voluntários envolvidos nos dois dias do peditório, que já chegou a ultrapassar uma centena, atualmente mobiliza pouco mais de 60, muito aquém do que seria desejável, dado que o número de horas de ocupação ultrapassa as 200h. Há voluntários que chegam a estar 9 horas e mais de forma contínua, num mesmo posto de recolha, o que diz bem do espírito abnegado de solidariedade dos mesmos”. “Mesmo assim, face à diminuição de voluntários, há períodos em que não é possível fazer a cobertura, o que indubitavelmente afeta o resultado da recolha. É que o concelho de Oliveira do Bairro conta com 11 locais de recolha, sendo, a nível do distrito de Aveiro, o 5.º concelho com maior número de postos de recolha”, acrescenta Fernando Castro, apelando “às instituições beneficiárias envolvidas – normalmente entre 10 e 15 – para implementarem ações que levem ao recrutamento de mais meios humanos”. “Afinal, os géneros recolhidos destinam-se a ser-lhes entregue, para que elas, por sua vez, os possam distribuir pelas populações que assistem e assim poderem cumprir melhor as suas missões”, defendeu.

Posted in Oliveira do Bairro, Por Terras da Bairrada0 Comentários

Autarca de Anadia apela à redução do IVA na comercialização dos vinhos

Autarca de Anadia apela à redução do IVA na comercialização dos vinhos

feira da vinha

A presidente da Câmara Municipal de Anadia, Teresa Cardoso, aproveitou a presença dos secretários de Estado dos Assuntos Parlamentares e da Agricultura e Alimentação, na inauguração da Feira da Vinha e do Vinho, no último sábado, para dar a conhecer as conquistas do concelho e da região no setor vitivinícola nos últimos anos, mas também para deixar alguns apelos. Um deles tem a ver com a redução dos impostos, em particular do IVA, na comercialização dos vinhos e em especial dos espumantes.

Teresa Cardoso reconheceu, por outro lado, que a promoção, no que respeita aos vinhos e espumantes, é fundamental e abordou a importância da casta Baga e de como esta tem sido enaltecida lá fora.

O secretário de Estado da Agricultura e da Alimentação, Luís Medeiros Vieira, ressalvou que os nossos vinhos e espumantes têm de se afirmar lá fora “pela qualidade e pela diferença”.

Se ainda não visitou a Feira da Vinha e do Vinho – Anadia Capital do Espumante, ainda está a tempo de o fazer. Até domingo, há stands para visitar, espumante para provar, eventos paralelos a decorrer e, claro está, concertos para assistir. A feira termina no domingo, com as marchas populares e, neste dia, as entradas são grátis.

Leia a reportagem completa na edição de 23 de junho de 2016 do Jornal da Bairrada

Posted in Anadia, Destaque, Por Terras da Bairrada0 Comentários

Anadia: Sardinhada de Sto. António muito concorrida

Anadia: Sardinhada de Sto. António muito concorrida

Os anadienses cumpriram a tradição e homenagearam Santo António com um animado arraial, que decorreu em Anadia, no Vale Santo, na noite do passado sábado, 11 de junho, e a que não faltaram as sardinhas, o vinho da Bairrada e o baile.
Coube a quatro agrupamentos de escuteiros do concelho (Avelãs de Cima, Sangalhos, São Lourenço do Bairro e os Escuteiros Adultos – Fraternidade Nuno Álvares) providenciar o jantar, cuja ementa contemplou, para além das sardinhas assadas na brasa, o caldo verde e as fêveras.
Também a APPACDM de Anadia colaborou no evento, encarregando-se dos manjericos, das bebidas e das sobremesas (arroz doce e leite-creme).
Numa noite em que até S. Pedro se juntou à festa, o baile fez-se ao som da “Bandalusa” e durou até ao início do dia seguinte.
A Câmara Municipal de Anadia, entidade organizadora, calcula que cerca de um milhar de convivas terá participado no arraial, cujas receitas reverteram para os escuteiros e APPACDM.

Posted in Anadia, Por Terras da Bairrada0 Comentários

PSD chumbou proposta “salvadora” do IPSB apresentada pelo CDS/PP

ipsbA proposta que o CDS/PP considerou de “salvadora” do Instituto de Promoção Social de Bustos (IPSB), na sequência da redução de turmas em contrato de associação, foi chumbada, na quinta-feira, em reunião de Câmara, pelo PSD.
Os vereadores do CDS/PP pretendiam que a Câmara Municipal de Oliveira do Bairro informasse o Ministério da Educação que “estaria totalmente indisponível para redefinir a rede escolar concelhia, assim como para redefinir o sistema de transportes e para suportar o aumento dos recursos humanos, nomeadamente pessoal não docente, necessários para viabilizar a redução de turmas ao IPSB”.
O vereador do CDS/PP, Jorge Pato, já fez saber que “a autarquia devia chamar o governo a negociar e salvar o IPSB, já que, aparentemente, até agora, a autarquia limitou-se a transmitir um voto de solidariedade. É manifestamente pouco e parece-me que temos aqui uma prática de omissão das nossas competências”.
Jorge Pato lamenta o chumbo da proposta relembrando que “o presidente da Câmara, além de ser presidente de todos os munícipes, já foi presidente da Associação de Pais do IPSB, enquanto que o vice-presidente, Cristóvão Batista, foi aluno daquela escola e chegou a ser dirigente estudante e chegou a afirmar que tudo faria para salvar a escola”.
Jorge Pato acrescenta ainda que a vereadora da Educação, que também votou contra, “é residente em Bustos, passa todos os dias naquele local e tem noção do desastre para aquela zona, se o IPSB fechar”. “Por último, lembrou que o PPD/PSD enviou dois deputados da nação ao IPSB, acompanhados por dirigentes locais do partido e nessa visita terá sido dito que o PPD/PSD apoiaria o IPSB em tudo o que pudesse, daí ser muito estranho que os vereadores do PSD tenham votado ao contrário daquilo que foi dito”.

Delegação de competências. De acordo com a vereadora do CDS/PP, Lília Ana Águas, em 2015, a Câmara Municipal de Oliveira do Bairro assinou com o Ministério da Educação e Ciência, um contrato de delegação de competências na área da educação e formação e na referida delegação de competências, “a titularidade das escolas básicas e secundárias do concelho passa para o município”. “Nesse contrato, assinado, está previsto que a definição anual da rede escolar e da oferta educativa e formativa é da inteira responsabilidade do município e do Agrupamento de Escolas, assim como a definição dos critérios para a organização e gestão da rede escolar municipal e gestão dos processos de ação social escolar.” É ainda da responsabilidade do município a definição do plano anual de transportes escolares e a implementação e gestão de circuitos especiais de transporte”, acrescentou Lília Ana Águas, sublinhando que “o IPSB foi a escola do país com maior redução de turmas financiadas, uma vez que apenas terá financiamento para uma turma do 5.º ano, não havendo financiamento para qualquer turma do 7.º e 10.º anos”. “O IPSB previa matricular no próximo ano letivo, nos 5.º, 7.º e 10.º anos, cerca de 400 alunos, pelo que esta medida governamental terá consequências sociais e económicas gravíssimas para toda a população do concelho”, afirmou.
Lília Ana Águas diz não concordar com o argumento do presidente da Câmara, ao justificar que “são dois contratos distintos e que o contrato da delegação de competências é específico quanto às competências da câmara no ensino público”. “O executivo não pode escudar-se nessa justificação porque a consequência do corte de financiamento do IPSB, é necessariamente uma modificação e ajuste no contrato de municipalização, uma vez que as crianças serão colocadas nas escolas públicas do concelho e, por força daquela delegação de competências, é o município que está obrigado a suportar as condições necessárias para tal.”
A centrista defende ainda que “a autarquia não deve aceitar possíveis transferências de verbas para gerir os novos alunos, ao contrário do que foi dito pelo presidente da Câmara, que estaria disponível para aceitar possíveis transferências de verbas do Ministério da Educação”. “A autarquia não pode aceitar. Não se trata de verbas, trata-se sim de uma questão social e económica de toda uma parte do concelho, de uma escola de excelência reconhecida no concelho”, defendeu.

Silêncio. O presidente da Câmara Municipal de Oliveira do Bairro, Mário João Oliveira, já disse não concordar com a posição do vereador Jorge Pato, sublinhando que já fez muito mais do que simplesmente transmitir um voto de solidariedade, dando conta que no dia 12 de maio a Câmara Municipal assumiu uma posição formal (moção) em defesa do IPSB que remeteu ao ministro e à secretária de estado da Educação; no dia 24 de maio, participou numa reunião pública organizada pela APECOB; no dia 25 de maio foi realizada uma Assembleia Municipal em Bustos e que no dia 30 formalizou pedidos de audiência, com caráter de urgência, ao ministro da Educação e à secretária de Estado da Educação. Mário João Oliveira não obteve resposta (até às 16h do dia 14 de junho) aos pedidos de audiência. Entretanto, Mário João Oliveira remeteu-se ao silêncio quando foi instado pelo JB a pronunciar-se se a autarquia vai ou não aceitar as transferências de verbas do Ministério da Educação para gerir novos alunos; e se o concelho de Oliveira do Bairro está disponível para aceitar os cerca de 400 novos alunos que poderão transitar do IPSB para a rede pública.

Posted in Oliveira do Bairro, Por Terras da Bairrada0 Comentários

Pergunta da semana

É assinante do Jornal da Bairrada?

View Results

Loading ... Loading ...
Newsletter Powered By : XYZScripts.com