Recortes.pt Leia no Recortes.pt

Arquivo | Por Terras da Bairrada

Há 25 anos que a APPACDM fez gente feliz

A APPACDM (Associação Portuguesa de Pais e Amigos do Cidadão Deficiente Mental) de Anadia inaugurou na última sexta-feira, dia 26, a remodelação dos espaços do edifício sede.
Agostinho Branquinho, secretário de Estado da Solidariedade e da Segurança Social presidiu à cerimónia que reuniu utentes, familiares, corpos sociais da instituição, autarcas, parceiros, representantes de várias instituições e amigos.
Na ocasião, foi também dada a conhecer a nova sala interativa de estimulação sensorial, assim como o projeto de requalificação e ampliação da Unidade de Formação Profissional.

Criação de espaços, tempos e dinâmicas. Madalena Cerveira, presidente da direção da APPACDM, não poderia estar mais feliz. No ano em que a instituição que dirige completa 25 anos de existência, inaugura novos espaços (orçados em 200 mil euros) no seu edifício sede, que se apresentam de “cara lavada” e mais funcionais, permitindo maior conforto, bem como o aumento do número de utentes (de 45 para 60).
“Há 25 anos reconhecemos como prioritário a criação de estruturas capazes de dar resposta a necessidades específicas. Criámos os espaços, depois os tempos e agora as dinâmicas entre eles”, que permitem, como disse, “dar corpo a uma política inclusiva, integrada e transversal de prevenção, de habilitação, de reabilitação e de participação das pessoas com incapacidade.”
Na ocasião, destacaria que “na APPACDM tudo o que existe é o resultado de uma parceria efetiva entre diversas vontades”, reconhecendo publicamente o apoio prestado pelo poder central, regional e local, empresas e amigos que solidariamente colaboram com a instituição.

Trabalho, dedicação e carinho. A presidente da autarquia, Teresa Cardoso, começou por fazer um agradecimento a todos os que têm dado apoio a esta instituição ao longo de 25 anos, nomeadamente várias empresas do concelho e da região, solidárias com esta causa social, mas também a Câmara Municipal que, desde a primeira hora, se associou à criação das instalações da APPACDM. Obras que têm vindo a ser realizadas ao longo do tempo, fruto de muito trabalho, dedicação e carinho, com vista a fazer muita gente feliz.
Determinada em continuar a apoiar a APPACDM, a edil Teresa Cardoso diria ser um orgulho ter no concelho uma instituição como esta, que se vem consolidando com muito trabalho, empenho, dedicação e ajuda de beneméritos.

Leia mais na versão digital do seu JB.

Posted in Oliveira do Bairro, Por Terras da Bairrada0 Comentários

ANEIS reivindica legislação para sobredotação

Portugal é o único país da União Europeia onde não há legislação específica sobre a matéria da sobredotação. Isto apesar das inúmeras recomendações já enviadas para o(s) governo(s), pela Associação Nacional para o Estado e a Intervenção na Sobredotação (ANEIS).
A vice-presidente da ANEIS e presidente da delegação de Braga, Cristina Palhares, esteve na passada sexta-feira, dia 26, na Santa Casa da Misericórdia de Oliveira do Bairro onde, perante uma assembleia essencialmente constituída por pais e educadores, explicou as principais características de uma criança sobredotada e como devem os pais e a escola reagir perante um caso destes.
“A percentagem de crianças sobredotadas é similar à de crianças com deficiência; no entanto, para estas há legislação e para as outras não. E as razões são simples: é preciso investir em recursos humanos e materiais. Mas um dia destes isto terá de mudar”, frisou a responsável da ANEIS.
Na presença da diretora do Agrupamento de Escolas de Oliveira do Bairro, Júlia Gradeço, e vários professores/educadores, Cristina Palhares deixou indicações claras às escolas. “É preciso sinalizar estas crianças, como fazemos com as crianças com necessidades educativas especiais, e trabalhá-las. Porque, em qualquer estado de desenvolvimento, se não trabalharmos esta criança, se não a estimularmos, vamos perdê-la, ela vai andar para trás”, constatou.
Explicou ainda que há seis campos/habilidades onde a sobredotação pode incidir: intelectual, académica, motora, social, mecânica e artística. “Os pais podem estimular muito a criança, mas a aptidão já tem de lá estar.”
Pediu atenção aos sinais presentes nas crianças sobredotadas: linguagem muito acima da média, curiosidade obsessiva numa determinada área e um desenvolvimento cognitivo invulgar. Defendeu ainda que uma criança com conhecimentos acima do que seria suposto para a sua idade, por exemplo, que já sabe ler aos 4 anos, deve passar um ano de escolaridade à frente, pedindo sempre aos professores que procurem desenvolver ao máximo as capacidades destas crianças.

Conferência esta sexta-feira. A Santa Casa continua o seu ciclo de conferências e, esta sexta-feira, dia 3, às 19h, a conferência, subordinada ao tema “A comunicação nas Organizações”, será dinamizada por João Martins da Cunha, da AESE-Escola de Direção e Negócios.
As inscrições podem ser feitas na página da instituição ou por e-mail para dre@misericordiaob.pt.

Posted in Oliveira do Bairro, Por Terras da Bairrada0 Comentários

Ideia de negócio do IPB vale 3.º em concurso regional

O IPB – Instituto Profissional da Bairrada, em representação da região de Aveiro, foi o vencedor do terceiro prémio, com a ideia de negócio GCO – Garbage Collect Optimizer, no Concurso Regional de Ideias de Negócio para a População Escolar da Região Centro, promovido pela CCDRC. Este concurso tem como objetivo sensibilizar e motivar os jovens para a inovação e o empreendedorismo, promovendo a iniciativa e o dinamismo nas comunidades onde se inserem. A concurso estiveram projetos de grande qualidade, representantes de seis regiões – Aveiro (3.º); Coimbra (2.º); Leiria; Médio Tejo (1.º); Oeste e Viseu Dão Lafões.

Resultados. Nuno Santos, diretor do IPB, visivelmente satisfeito pela conquista, diz que “para os alunos, do Curso Profissional – Técnico de Eletrónica, Automação e Comando, que estão no primeiro ano de formação, foi mais um dia de destaque, aprendizagem, divertido e competitivo”.
Nuno Santos refere que “o IPB por opção, e cumprindo um plano de atividades dinâmico e enérgico, ao longo do ano letivo, tem marcado presença em vários «palcos» com resultados francamente animadores, que provavelmente poucos esperariam para um primeiro ano de atividade”.

Leia mais na versão digital do seu JB.

Posted in Oliveira do Bairro, Por Terras da Bairrada0 Comentários

Novas Unidades de Saúde são meras intenções, diz presidente

A construção de uma Unidade de Saúde Familiar na União de Freguesias de Bustos, Troviscal e Mamarrosa, e de uma Extensão de Saúde na Palhaça não passam de meras intenções e não “existem projetos”. A garantia foi dada, na última reunião de Câmara, realizada na penúltima quinta-feira, pelo presidente da autarquia Mário João Oliveira, respondendo, desta forma, a uma preocupação da vereadora do CDS/PP, Lília Ana Águas, que citou uma notícia publicada no Jornal da Bairrada, onde demos conta que foram apresentadas pela autarquia oliveirense duas candidaturas aos fundos do Centro 2020, no valor global de um milhão de euros.

Dimensão. A vereadora do CDS/PP, Lília Ana Águas, alertou ainda o presidente da Câmara Municipal, Mário João Oliveira, para “as discrepâncias populacionais da União de Freguesias (6500 pessoas) e da Palhaça (2500)”, questionando o presidente sobre “a localização e a dimensão”.
Mário João Oliveira justificou que “o novo Quadro Comunitário de Apoio ainda agora se iniciou e com patamares muito distintos dos anteriores. Com regras mais apertadas e mais difíceis, tendo a CIRA apresentado candidatura no âmbito do pacto de desenvolvimento”. “O elencar das necessidades e lutar por elas é um dever de qualquer autarca, devendo os valores ser analisados a seu tempo, para se ter mais e melhores recursos na área da saúde, tanto mais que as competências da autarquia neste domínio são praticamente nulas”.

Posted in Oliveira do Bairro0 Comentários

Câmara dá 45 dias ao Kart Clube de Oiã para abandonar as instalações

A Câmara Municipal de Oliveira do Bairro aprovou, na penúltima quinta-feira, em reunião de Câmara, por maioria, com a abstenção dos três vereadores do CDS/PP (Noémio Ferreira, Paulo Caiado e Lília Ana Águas), o despejo administrativo do Kart Club de Oiã. O despejo deverá acontecer num prazo de 45 dias a contar da notificação.
De acordo com a informação aprovada pelo PSD, o despejo administrativo do Kart Club de Oiã – Indústria de Turismo e Hotelaria, nomeadamente das edificações existentes no Lote C32 (restaurante, edifício polivalente, boxes, armazém, oficina e pista de Kart), deverá ser feito num prazo de 45 dias, após notificação e é feito em virtude desta sociedade não ter voluntariamente acatado uma ordem administrativa datada de fevereiro de 2012.

Palhaçada. Francisco Salvadorinho, da empresa Kart Club de Oiã, já veio dizer que “é tudo uma palhaçada e que a história não está a ser devidamente contada”.
Este responsável argumenta que não vai ser despejado de um terreno que é sua pertença. E mais: “Este terreno está penhorado há dois anos, e o presidente da Câmara Municipal, Mário João Oliveira, não dá a conhecer este facto aos seus vereadores”.
Francisco Salvadorinho acrescenta ainda que só após a notificação será tomada uma posição sobre esta questão, sublinhando que “a autarquia oliveirense usou de má-fé neste processo, já que podia esperar até que fosse conhecida a decisão de um outro processo que está em curso e que poderá inverter esta decisão tomada pela Câmara”.

Leia mais na versão digital do seu JB.

Posted in Oliveira do Bairro, Por Terras da Bairrada0 Comentários

Feira da Palhaça – “Centro Comercial ao ar livre” – faz 300 anos de existência

A Feira da Palhaça completou, na passada segunda-feira, dia 29 de junho, 300 anos de existência. Uma data comemorada com o descerramento de uma placa alusiva à efeméride e uma atuação da Banda Filarmónica da Mamarrosa. “Uma data grande”, como disse António Bernardo, presidente da Assembleia de Freguesia da Palhaça, recordando que em 1725 foi inaugurada a primeira Feira da Palhaça, que tem sido, ao longo dos anos, “dos principais motores de desenvolvimento da freguesia”, recordando que as novas instalações resultam do “investimento da Câmara Municipal”.

Persistência. O presidente da Junta de Freguesia da Palhaça, Manuel Martins, começou a sua intervenção por fazer um enquadramento histórico, nomeadamente sobre os seus antecessores, que deram os primeiros passos numa ideia que se veio a materializar. “Estar aqui, nestas instalações, é um grande orgulho para todos os palhacenses”. “Este espaço é um verdadeiro centro comercial ao ar livre, onde podemos encontrar tudo”, referiu o autarca da Palhaça, relembrando que “esta obra é também o resultado da persistência de quem reclama”. “Quem reclama chega sempre a um fim”, reforçou Manuel Martins.
Leia mais na versão digital do seu JB.

Posted in Oliveira do Bairro, Por Terras da Bairrada0 Comentários

Copa da Ria 2015 em Vagos

Realiza-se, de 1 a 5 de julho, o evento desportivo “Copa da Ria 2015”.

O Copa da Ria é um torneio internacional de futebol para jovens atletas dos 8 aos 17 anos, que alia a componente desportiva ao lazer, prometendo cinco dias recheados de emoção e com muitos momentos reservados para a descoberta de uma das mais belas regiões do país – Aveiro.

Participam, neste torneio, 53 equipas de 28 clubes perfazendo um total de cerca de 800 atletas.

O Município de Vagos é parceiro neste evento e irá receber alguns dos jogos, que decorrem no Estádio Municipal de Vagos, no campo dos Lagos, em Soza.

No dia 5 de julho, dia do encerramento do torneio, o evento alia-se a uma causa organizando, no Estádio Municipal de Vagos, duas aulas de zumba solidário que revertem à favor da Associação Diferentes e Especiais. Uma aula de zumba kids/júnior, que decorre das 16h às 16h30, onde para participar as crianças terão de trazer um bem de higiene e limpeza (ex.: toalhetes, fraldas, etc.) e uma aula de zumba para adultos, das 16h30 às 17h30, cuja entrada tem um valor de 4 zumbas.

O calendário de jogos, assim como outras informações, podem ser consultadas no site oficial do evento em http://www.copadaria.com.

Posted in Por Terras da Bairrada, Vagos0 Comentários

Vagos: Marchas populares no dia 27

No próximo dia 27 de junho, realizam-se, em Vagos, as Marchas Populares com início às 21h30, junto à Capela de Santo António, na saída de Vagos (sentido norte). As Marchas desfilarão pela estrada nacional (EN 109) até ao anfiteatro centro da Vila, onde cada marcha fará a sua exibição.

A iniciativa volta-se a repetir no dia 18 de julho, na Praia da Vagueira. As marchas iniciam, pelas 21h30, o desfile na Avenida Principal, junto à Praça das Palmeiras até à Praça Central da Praia da Vagueira, onde farão a sua atuação.

Esta iniciativa é organizada pela Câmara Municipal e conta com a participação das Juntas de Freguesias de Vagos e St.º António, Ouca, Ponte de Vagos e Santa Catarina, Soza, Calvão, Fonte de Angeão e Covão do Lobo e Gafanha da Boa Hora. Este projeto tem como principal objetivo a mobilização de toda a população num convívio salutar entre as freguesias do Concelho.

As marchas, que terão a participação de, aproximadamente, 700 figurantes, serão realizadas pelas seguintes juntas de freguesia e na seguinte ordem:

  1. Freguesia de Vagos e Santo António
  2. Freguesia de Ouca
  3. Freguesia de Ponte de Vagos e Santa Catarina
  4. Freguesia de Soza
  5. Freguesia de Calvão
  6. Freguesia de Gafanha Boa Hora
  7. Freguesia de Fonte Angeão e Covão Lobo

Posted in Por Terras da Bairrada, Vagos0 Comentários

Assembleia Municipal de Anadia: 1.ª revisão ao PDM de Anadia aprovada por maioria

Assembleia Municipal de Anadia: 1.ª revisão ao PDM de Anadia aprovada por maioria

Por maioria e não por unanimidade como era desejo da edil Teresa Cardoso, a versão final da 1.ª revisão ao Plano Diretor Municipal (PDM) de Anadia foi aprovada (28 votos a favor do MIAP, PS e PSD; 1 voto contra do CDS/PP) na última assembleia municipal, realizada no passado dia 19 de junho.
Um documento que a edil considera vital para o desenvolvimento do concelho, mas que foi aprovado mantendo em vigor a carta de REN (Reserva Ecológica Nacional) antiga, uma vez que a nova ainda não está aprovada. Assim, esta 1.ª revisão do PDM agora aprovada, acaba por ter uma grande limitação, ao ficar sujeita a uma carta de REN antiga.
Uma situação que fez pairar sobre as cabeças dos presentes algumas dúvidas, tanto mais que todos tinham presente a necessidade de fazer aprovar os documentos antes do dia 29 de junho, altura em que vai surgir nova legislação que poderia colocar por terra todo o trabalho realizado nos últimos anos, obrigando a que o processo de revisão do PDM de Anadia começasse da estaca zero.
Por isso, foram várias as questões colocadas, precisamente pelo facto de se aprovar um PDM que tem de se sujeitar a uma carta de REN antiga, o que levou a várias críticas por parte dos deputados do PSD e do CDS/PP.
Sidónio Simões (CDS/PP) levantou algumas questões relacionadas com a forma de gerir um novo PDM com uma REN antiga, defendendo que “se está a aprovar algo que pode não ter eficácia”.
Na ocasião, a edil Teresa Cardoso avançou que o PDM não se limita só à REN e à RAN e que a autarquia teve em consideração as recomendações e sugestões feitas pela CCDR-Centro.
“Faremos o que todos os municípios fizeram: publicar o que for aprovado por esta assembleia e é isso que eu vos peço, que apreciem e decidam. Caso esta Assembleia aprove o documento, ele será publicado e aguardaremos pela decisão da REN. Nada impede que este documento entre em vigor. Mas é o que nos é proporcionado”, explicou a edil.
Também José Carvalho, líder da bancada do PSD, teceu algumas considerações e críticas. Embora sublinhando que a bancada do PSD é a favor do PDM, elogiando o processo transparente, de diálogo e de apresentação nas freguesias dos documentos, foi o parecer da CCDR-Centro que o levou a tecer alguns comentários. “Ainda que obrigatório, mas não vinculativo, o parecer da CCDRC diz que o envio do PDM só deverá ocorrer após a aprovação e publicação da carta REN pelo Governo”, referiu, acrescentando que “aprovar o PDM sem a aprovação da carta REN torna o processo ineficaz porque não produz os efeitos desejados, na medida em que há um novo documento vinculativo, mas mantém-se em vigor até à publicação da nova carta REN, a antiga… isto poderá trazer conflitos junto dos técnicos e da população, factos nada desejáveis”.
Já André Henriques, do PS, considerou o momento “histórico”, e reconhecendo não ser o PDM ideal, “é o possível, pois abre um novo capítulo para o município”.
Sidónio Simões, do CDS/PP, apresentou uma justificação de voto, dizendo que “a votação contra o presente ponto nada tem a ver com a versão atual do PDM na versão final da 1.ª revisão, com o que é proposto, mas com a oportunidade da sua votação no tempo e o referido pela CCDR, de 25 de maio”. E como não lhe foram dadas respostas concretas a todas as questões levantadas e por ter dúvidas sobre a sua eficácia e benefícios para a população, optou pelo voto contra. “Após a publicação, os munícipes sentir-se-ão enganados com esta votação, até porque o facto de ir entrar nova legislação em vigor «não cola»”, referiu.
Durante a Assembleia, as bancadas do MIAP e do PS conseguiram fazer aprovar uma recomendação que acompanha a aprovação da 1.ª Revisão ao PDM, onde se inclui um parágrafo a referir que “a delimitação da REN do concelho de Anadia em vigor é a que consta da Carta aprovada pela Resolução do Conselho de Ministros n.º 57/96 (…) até que a nova Carta da REN de Anadia seja publicada”. Esta recomendação seria aprovada por maioria com 28 votos a favor e uma abstenção do deputado do CDS/PP).

Outros assuntos

PSD satisfeito com resolução da falta de água
O líder da bancada do PSD, José Manuel Carvalho, mostrou-se satisfeito com o facto da sistemática falta de água, durante o verão, nos lugares mais serranos da freguesia de Avelãs de Cima ter sido resolvida.
A edil explicou que o novo sistema – reforço na conduta adutora – entrou em funcionamento na véspera e que, pelos testes já realizados, vai funcionar bem. “Fizeram-se várias tentativas para solucionar esta questão. O sistema instalado permite criar maior caudal de água e os reservatórios estão com água.”

Apartamentos e hasta pública
O deputado do PSD e líder da Concelhia “laranja”, Henrique Fidalgo, questionou a edil acerca de mais uma hasta pública para tentar vender os apartamentos, com mais de uma década, no Edifício Visconde de Seabra, no centro da cidade. A seu ver, “está na altura do município olhar para esta questão de outra forma”. Isto porque, apesar das várias hastas públicas realizadas para tentar vender os apartamentos e dos preços extremamente competitivos, a verdade é que ainda restam seis apartamentos para vender. O deputado falava da solução do arrendamento jovem. Teresa Cardoso defendeu que a hasta pública até correu bem e que das 12 frações já foram vendidas seis e que na última hasta pública foram vendidas três. “O arrendamento jovem é uma opção, o executivo optou pela venda. É neste sentido que vamos continuar a trabalhar”, concluiu.

Estradas de Portugal e a falta de limpeza no IC2
O autarca da União de Freguesias de Arcos/Mogofores questionou a edil Teresa Cardoso sobre a falta de limpeza nos passeios que atravessam a União de Freguesias ao longo do IC 2. “Temos feito um enorme esforço em matéria de limpeza. Mas ninguém nos responde a nada”. O autarca falava da EP – Estradas de Portugal. A edil explicou que a entidade tem estado ausente porque está em remodelação total dos serviços: “vai chamar-se Infraestruturas de Portugal.” Uma nova e grande entidade que demorará o seu tempo a reorganizar-se. Em sintonia com os lamentos e queixas do presidente de Junta de Freguesia, também Teresa Cardoso lamentou a falta de limpeza nos passeios e valetas (caso mais flagrante entre Avelãs de Caminho, Malaposta e Curia) e até de pagamento da eletricidade gasta pelos semáforos, até agora suportada pela Câmara de Anadia. Aos presentes mostrou a intenção de vir a estabelecer com esta nova entidade um protocolo no sentido de ser a Câmara Municipal a garantir a limpeza e manutenção desses locais. “Só queremos ser ressarcidos desses trabalhos”, concluiu.

Biblioteca Municipal bate recorde de visitantes
José Carvalho, do PSD, deixou a proposta para que a biblioteca municipal tenha um horário mais alargado (abrir às 9h e manter-se aberta no horário do almoço). Uma proposta que surge na sequência de uma petição popular que tem estado a correr nesse sentido. O deputado diz que aquele espaço é um bem precioso e o alargamento de horário viria dar resposta aos anseios da população, sobretudo de jovens que têm que estudar nesta época de exames.
A edil Teresa Cardoso recordou que aquele espaço, quando abriu, não encerrava na hora do almoço, o que veio a mudar por não ter procura. “Somos a única biblioteca com um horário tão alargado – de segunda a sábado, das 10h às 13h e das 14h às 19h. Só está fechada ao domingo.”
A edil revelou ainda que, na última semana, a biblioteca bateu um novo recorde ao receber, num só dia, 180 pessoas, o que obrigou a utilizar o espaço da cafetaria, equacionando já a utilização da sala polivalente para mais um espaço de leitura quando necessário. Um sucesso que acredita dever-se “à grande equipa da biblioteca, que tem sabido cativar as pessoas”, concluiu.
Catarina Cerca

 

Posted in Anadia, Por Terras da Bairrada0 Comentários

Anadia: Presidente de Câmara Municipal pede nó de ligação à A1

Anadia: Presidente de Câmara Municipal pede nó de ligação à A1

 

Um nó de acesso à A1 foi a única obra que a autarca de Anadia destacou como vital para o desenvolvimento do concelho perante Castro Almeida, secretário de Estado do Desenvolvimento Regional e gestor e coordenador dos fundos comunitários, nomeadamente do novo quadro – “Portugal 2020” , que presidiu à cerimónia de abertura da 12.ª edição da Feira da Vinha e do Vinho.
Foi debaixo de um sol tórrido e com uma hora de atraso que, na manhã do último sábado, dia 20 de junho, foi cortada pela autarca Teresa Cardoso, secretário de Estado do Desenvolvimento Regional Manuel Castro Almeida e Pedro Machado, presidente da Entidade de Turismo do Centro, a fita inaugural de um certame que é já tradição no concelho de Anadia.
Uma vez mais, na presença de um membro do governo, a edil anadiense voltou a sensibilizar a tutela para esta preocupação do nó da A1, que disse ser “conhecida há muito, mas ainda não reconhecida”, mas de enorme importância para o desenvolvimento estratégico do concelho e da região.
A decorrer na zona do Vale Santo, no centro da cidade, até ao próximo domingo, dia 28, Anadia vive nove dias de trabalho, mas também de grande festa, que fazem deste evento um ponto de encontro e de confraternização.

Anadia detém mais de 70% da produção de espumantes Bairrada. Foi na nova tenda dedicada aos produtores e onde se localiza o wine bar e a loja de vinhos que a todos a edil anadiense deu as boas-vindas. Teresa Cardoso, que no dia da apresentação do certame, a 1 de junho, tinha pedido bom tempo a S.Pedro, estava longe de imaginar o quão generoso ele seria. Com temperaturas a rondar os 40 graus, nada melhor que brindar a abertura do certame com um espumante fresquinho. E foi isso que aconteceu neste espaço que, até domingo próximo, irá dar a provar o produto ex-líbris do concelho e que promete afirmar Anadia como a capital do espumante.
Na ocasião, Teresa Cardoso destacou a importância do espumante para o concelho que foi pioneiro na sua produção. Hoje, passados 125 anos, Anadia é um concelho que “soube dinamizar e modernizar esta atividade e este património absolutamente essenciais para o concelho e para a região, onde Anadia detém mais de 70% da produção de espumantes Bairrada, os quais, por sua vez, representam 65% da produção nacional de espumante”, referiu a edil, que aproveitou para sublinhar o também não menos importante papel da vitivinicultura que molda a paisagem. “Mas é o espumante que nos dá ainda um ex-líbris e uma divisa: Anadia, Capital do Espumante”, disse. Por isso, destacou a forte presença do setor no certame mas também o tecido empresarial em geral presente com vários stands, sem esquecer a vertente cultural, gastronómica e de animação.
A autarca de Anadia sublinharia igualmente a importância estratégica do projeto “Investem Anadia”, um programa municipal de apoio às empresas e aos empresários, à criação de emprego, à fixação de pessoas e à criação de riqueza, através da disponibilização das melhores condições de investimento, com o objetivo de criar dinâmicas e de acrescentar valor ao nível do tecido empresarial do concelho e da região.
Assim, o certame que vai já na sua 12.ª edição é mais “um contributo, apoio e incentivo ao tecido empresarial da região”.
Teresa Cardoso destacou ainda que, para além dos vinhos, Anadia é conhecida pela gastronomia e termas, mas também pela sua hotelaria, equipamentos desportivos e culturais de grande qualidade.
“Dos vinhos à gastronomia, da cerâmica à indústria das duas rodas, da floresta, do termalismo, do turismo desportivo, ao enoturismo, dispomos de um conjunto de potencialidades que destacamos e que importa fortalecer salientando desde logo, e uma vez mais, a necessidade de ligar o principal eixo rodoviário do país ao nosso concelho”.
Uma ligação que Teresa Cardoso acredita permitir aumentar a competitividade e a sustentabilidade dos vários setores económicos do concelho e dos concelhos vizinhos.

Campanha gigantesca para promover e dar a conhecer os nossos produto. Castro Almeida mostrou-se bastante agradado com o facto de Teresa Cardoso ter falado apenas de uma obra que é necessária para o desenvolvimento do concelho (nó de acesso à A1) mas, sobretudo, por ter centrado a sua intervenção a falar de emprego e da criação de riqueza no concelho. “Isto diz bem da mudança no pensamento dos nossos autarcas”, agora mais empenhados em resolver problemas como o desemprego e os salários baixos.
Para o secretário de Estado do Desenvolvimento Regional, este é precisamente um aspeto em que os autarcas podem ajudar bastante, já que o país precisa de empresários e da criação de emprego, destacando que no novo Quadro Comunitário haverá fundos destinados a este fim. Por isso, deixou a indicação da criação na UTAD (Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro) de um Centro de Investigação do Vinho, de nível mundial, com o apoio dos fundos comunitários.
“O nosso esforço deve centrar-se em ajudar as empresas a ser mais competitivas e ajudar os empresários”. Debruçando-se em concreto sobre o setor vitivinícola, avançou ser “uma área de negócio geradora de riqueza que deve aumentar nos próximos anos”, já que é um setor que tem futuro, ainda “que tenha de percorrer um bom caminho ao nível da comercialização”, sobretudo nos mercados externos.
“É preciso uma campanha gigantesca para promover e dar a conhecer os nossos produtos”, nomeadamente nos países emergentes. “Temos qualidade, precisamos melhorar o valor de referência do vinho”, disse.
Catarina Cerca

Posted in Anadia, Destaque, Por Terras da Bairrada0 Comentários

SFImobiliaria

Pergunta da semana

Portugueses praticam cada vez mais exercício ao ar livre. É o seu caso?

View Results

Loading ... Loading ...
Newsletter Powered By : XYZScripts.com