Recortes.pt Leia no Recortes.pt

Arquivo | Mogofores

Mogofores: Vendaval contribui para fim anunciado dos choupos no Parque das Merendas

Mogofores: Vendaval contribui para fim anunciado dos choupos no Parque das Merendas

Na segunda-feira, 4 de maio, o vendaval que se fez sentir na nossa região trouxe o fim, há muito anunciado, de grande parte dos choupos do Parque das Merendas, em Mogofores. Árvores em fim de ciclo, envelhecidas, carcomidas em muitas partes do tronco, capitularam perante o afago mais violento da ventania, causando estragos em muitos dos bancos da área mais a norte do parque.
A intervenção que a Junta de Freguesia da União das Freguesias de Arcos e Mogofores vem preconizando desde o início do atual mandato, por força das circunstâncias, irá agora ter lugar: os choupos que oferecem perigo nesta zona do parque irão ser substituídos, dando início à sua requalificação. Relativamente aos choupos da área mais a sul, junto à estrada que liga à Malaposta, proceder-se-á a um corte seletivo de modo a não danificar as restantes espécies arbóreas.
Estes trabalhos deverão ser efetuados o quanto antes pois aproxima-se o período de maior utilização do Parque das Merendas pelos grupos que anualmente nos visitam para aqui realizarem os seus convívios, sendo importante que não haja qualquer risco para os utentes do parque, motivado pela queda sistemática de arrancas dos choupos envelhecidos.
Depois do novo Parque Infantil executado no ano transato, a requalificação do Parque das Merendas será efetuada não só ao nível do maciço arbóreo, como também ao nível da regularização dos ervados com correção de cotas e implementação de um sistema de drenagem, execução de um mini campo polivalente, renovação do mobiliário (mesas e bancos) e iluminação, dando continuidade a um espaço de recreio e lazer da maior importância para a nossa comunidade.
Joaquim Santos

Posted in Anadia, Mogofores, Por Terras da Bairrada0 Comentários

Colégio Salesiano de Mogofores: “O centro da Educação é a confiança”

Colégio Salesiano de Mogofores: “O centro da Educação é a confiança”

O padre Stefano Martoglio, Conselheiro Regional para a Região Mediterrânea da Congregação Salesiana, esteve de visita a Portugal. Depois de uma semana em Mogofores, fez-nos um balanço muito positivo destes dias passados em pleno coração da Bairrada, de onde leva a certeza de que o pequeno Colégio de Mogofores é um bom modelo da proximidade, da relação familiar que um estabelecimento de ensino deve manter com os alunos e as suas famílias.

Já conhecia o Colégio de Mogofores?
Não, não conhecia. É a minha primeira vez aqui.

Que impressão leva do Colégio?
É um colégio pequenino mas com um clima muito familiar. E isso é importante, pois confere-lhe uma grande capacidade de educação individualizada na escola, que dá muitos bons frutos, sobretudo junto de jovens mais difíceis ou com problemas.
O colégio tem um clima muito familiar, que vai ao encontro do sistema educativo salesiano, que se chama sistema preventivo. Noto que todos os leigos que trabalham nesta escola (professores, funcionários) têm essa capacidade de conseguir ter um modo de educação muito personalizado porque a casa é bastante pequena.
O espírito salesiano que esteve na génese e filosofia de D. Bosco existe aqui?
Sim. O espírito de família é claro, nota-se a presença do espírito salesiano e os professores, funcionários e irmãos estão muito perto dos jovens. Existe uma grande proximidade, o que é muito benéfico. Este é um bom modelo.

O concelho de Anadia tem dois colégios a que se juntam mais dois estabelecimentos de ensino públicos. Numa altura em que há cada vez menos crianças, menos alunos e redução de turmas, é possível a subsistência e convivência entre estes dois modelos?
Não sei responder especificamente a esta situação particular do vosso país. Mas as convenções com o Ministério da Educação são importantes. Sem essa ajuda do Estado, não poderiam funcionar muitos colégios.

Os colégios católicos têm futuro?
Sim. Porque desenvolvem um trabalho educativo não só com os jovens, mas com os pais e as famílias que devem ser ajudadas no caminho de formação dos jovens. Muitas escolas não têm possibilidade de levar a cabo esta missão, que é muito importante. Aqui, ajuda-se diretamente os jovens, mas indiretamente as suas famílias e estas têm muita necessidade de ajuda.
Como vê estes casos de violência extrema nas escolas, de agressão e de alunos que assassinam professores e colegas?
Estes casos são chocantes. Mas o trabalho do educador é de olhar antes, de prevenir. Prevenir é construir uma relação diferente que permite evitar estas situações. Todos os educadores, professores e funcionários, no pátio da escola, no recreio, devem ter uma palavra para com os jovens: “como vais?; como vão as coisas em casa?”, porque sabemos que os sentimentos vão-se acumulando no coração, o que pode ser muito perigoso, se forem de rancor e raiva. Depois, há um problema de economia de escala. Os alunos em escolas grandes, com todos os níveis de ensino, correm um grande risco de anonimato. E a educação não é um trabalho, é sim uma arte. É preciso saber ver, estar atento, saber ouvir e ter o contacto pessoal. O centro da Educação é a confiança.

O que diferencia os colégios de Portugal e da Europa das restantes casas que a congregação tem, por exemplo, nos países maioritariamente muçulmanos?
A Congregação Salesiana tem na Europa 650 escolas e centros de formação profissional. É uma holding educativa. Mas existe uma grande diferença em relação aos estados de maioria muçulmana. Aí temos um trabalho difícil. São estados que aceitam melhor a formação profissional. É por aí que se conseguem abrir portas, porque temos grande tradição em formação profissional e esta é importante para a economia desses estados.

Ainda vai estar uns dias em Portugal. Vai assistir aos XXII Jogos Nacionais Salesianos?
Sim, vou seguir para Manique e Estoril. Vou assistir aos 22.º Jogos Nacionais, uma tradição salesiana que existe só em Portugal. Um evento (30 de abril a 3 de maio) que envolve os colégios. Aqui é possível às escolas fazerem coisas juntas, que lhes dá uma identidade nacional que noutras nações não é possível. Isso é muito positivo e salutar.

Acompanhar todos os que trabalham no terreno

A Congregação Salesiana tem 15 mil irmãos salesianos. O padre Stefano Martoglio tem 49 anos e é o conselheiro regional que promove uma ligação mais direta entre as províncias e o Reitor-Mor (Superior Geral) e seu Conselho.
Cuida dos interesses das províncias que lhe são confiadas. A ele cabe transmitir ao Conselho Geral as condições que vai acompanhando no terreno. É o responsável para a região mediterrânea que abrange 3300 irmãos salesianos e cerca de 400 obras espalhadas por Portugal, Espanha, Itália e por países do Médio Oriente onde a congregação tem casas (Turquia, Irão, Líbano, Israel, Palestina, Egipto e Síria) e ainda onde existem comunidades ligadas à província da região mediterrânea, como são os casos da Tunísia, Albânia, Kosovo, Roménia, Moldávia, e no norte da Europa, Lituânia.
O P. Stefano Martoglio é responsável ainda pelos cerca de 15 mil leigos que trabalham nas obras salesianas nos países acima referidos, seja em escolas, centros de formação profissional, obras de acolhimento, obras para jovens pobres ou nas paróquias.
Por isso, parte do ano é passado em viagem. Em Itália permanece apenas quatro meses (dezembro e janeiro e em junho e julho). Nos restantes meses circula pelas províncias, visita e acompanha a vida nas comunidades, junto dos irmãos salesianos, dos leigos e colaboradores. Uma vida passada junto da família salesiana, acompanhando o clima salesiano e encorajando os que estão no terreno.

Catarina Cerca

Posted in Anadia, Mogofores, Por Terras da Bairrada0 Comentários

Mogofores: Natal em família no Colégio Salesiano

Mogofores: Natal em família no Colégio Salesiano

Revestiu-se de brilho e valor pedagógico a celebração do Natal no domingo 14 de dezembro, no Colégio Salesiano de Mogofores. Envolvendo a comunidade educativa, docentes, colaboradores, estudantes, pais dos estudantes, Associação de Pais e salesianos, esse domingo foi a demonstração de como a união é possível e realiza maravilhas.
Os três momentos: Eucaristia pelas 12h; almoço, pelas 13h; e a sessão cultural pela 14h30 deram um sabor familiar, espiritual e pedagógico de grande relevo.
A eucaristia foi presidida pelo diretor e pároco, padre José Fernandes, que sublinhou na homilia o sentido da alegria cristã, como tanto apregoa o papa Francisco, por exemplo em “A Alegria do Evangelho”. O santuário estava repleto, com algumas pessoas de pé. O almoço teve lugar no ginásio, organizado pela Associação de Pais e servido pelos pais. Bom convívio, com pais e filhos, estes estudantes no Colégio Salesiano, que contou com a presença de mais de 350 participantes.
A sessão cultural e recreativa teve como pano de fundo Encontros com Jesus; Encontros com Dom Bosco, no bicentenário do seu nascimento.
Os docentes tinham distribuído as várias peças pelas turmas, notando-se ótima criatividade e envolvendo um grande número de estudantes. Até souberam apresentar o comboio em andamento, e outras cenas maravilhosas de vida salesiana e do Evangelho.
Destacamos a colaboração de muitos voluntários para a preparação dos ambientes e de todas as atuações, e a rápida arrumação do ginásio no final da sessão. Um ambiente muito salesiano.
Esta celebração teve um ótimo remate no dia 16, com a visita das várias turmas à Feira do Livro, na Biblioteca Municipal de Anadia, em que os jovens adquiriram livros ao seu gosto, a preços acessíveis: um meio de cultura e recreio.

Posted in Anadia, Mogofores, Por Terras da Bairrada0 Comentários

Anadia: Feira Social, no Velódromo, arranca no dia 16 de outubro

A Câmara Municipal de Anadia inaugura, no próximo dia 16 de outubro, pelas 14h30, no Velódromo Nacional, em Sangalhos, a quinta edição da Feira Social de Anadia, mostra que estará patente até 18 do corrente, entre as 14 e as 18h, com entrada gratuita.
Organizada pela autarquia, em parceria com as instituições concelhias, esta será a quinta mostra global de projetos sociais desenvolvidos e implementados, junto da sociedade civil, no concelho. Nela participarão todas as Instituições Particulares de Solidariedade Social e Santas Casas da Misericórdia existentes no concelho, bem como outras entidades que integram a Rede Social de Anadia.
Durante os três dias da Feira, o público terá a oportunidade de assistir ou de participar num vasto leque de atividades. Uma dessas iniciativas está já a decorrer: trata-se da ação solidária “Ajude a Ajudar, Traga um Género Alimentar!” que, a propósito do Dia Internacional contra a Erradicação da Pobreza e da Exclusão Social (17 de outubro), tem como objetivo a recolha de géneros alimentares, que serão entregues a famílias com comprovada carência económica, devidamente sinalizadas por entidades da área social do concelho. Neste momento, os donativos podem ser entregues nas instituições sociais, e, no decorrer da Feira, poderão também ser entregues no recinto da mesma. Para além de ajudar famílias desfavorecidas, esta ação visa igualmente sensibilizar a comunidade em geral para a problemática da pobreza e da exclusão social.
No âmbito desta 5.ª Feira Social de Anadia, serão também dinamizados diversos workshops, bem como outras atividades de caráter diverso, que passam por atuações a cargo das instituições sociais, bem como animação infantil, circuito de prevenção rodoviária, demonstração de karaté, e os projetos “Livraria Social” e “Árvore da Sabedoria Social”. No dia 18 de outubro, entre as 16h e as 18h, junto ao edifício do Velódromo, os visitantes terão também a possibilidade de realizar um voo cativo em balão de ar quente, graças a uma parceria com a Comunidade Intermunicipal da Região de Aveiro.

Posted in A. da Gândara, Aguim, Anadia, Ancas, Arcos, Avelãs de Caminho, Avelãs de Cima, Mogofores, Moita, Óis do Bairro, Paredes do Bairro, Por Terras da Bairrada, S. Lourenço Bairro, Sangalhos, Tamengos, V. Nova de Monsarros, Vilarinho do Bairro0 Comentários

Mogofores: Dezenas de árvores queimadas por pura maldade

Mogofores: Dezenas de árvores queimadas por pura maldade

Não existe explicação para o que aconteceu há cerca de duas semanas na zona do Cabeço, em Mogofores. Dezenas de árvores de fruto e ornamentais, arbustos de jardim, roseiras e sardinheiras foram queimadas no Bairro de Santa Luzia, em terreno que alegadamente pertence à autarquia anadiense.
O terreno localiza-se numa urbanização que data da década de 80. Segundo moradores, “o lote não numerado, maior do que os outros, sem frente, é o único escoante possível para os caudais pluviais de toda a praceta, bem com o dos telhados das moradias que para ali têm frente”.

De lixeira a jardim. O lote, onde não se prevê venda ou construção, está identificado legalmente com o jardim público da urbanização, ainda que em 30 anos nunca ali tenha nascido qualquer jardim. Pelo contrário, durante décadas serviu de lixeira coletiva, um verdadeiro atentado à saúde pública, cheio de silvas, mato e vegetação daninha diversa, escondendo (tal como um outro terreno ali perto de grandes dimensões, mas abandonado) centenas de coelhos, para já não falar de ratos e cobras e outra bicharada que invade casas e praceta.
De acordo com alguns moradores, este espaço, perante a inércia da autarquia, tem sido gradualmente embelezado por moradores do bairro que ali têm gasto recursos, tempo e dinheiro a plantar árvores de fruto e ornamentais, assim como várias espécies de flores, com vista a criarem o tão sonhado jardim.
“Esta reestruturação perspetivava a construção de um muro de suporte de terras, terraplanagem e regularização do terreno, com adequado escoamento de águas, enriquecimento do solo e plantação de mais árvores, com vista à colocação de bancos e mesas à sombra dos renovados sobreiros”.
“Com esse bem visível apoio e após conveniente reestruturação, pretendíamos transformar a ex-lixeira no jardim de Santa Luzia. Criar um belo espaço comunitário para benefício de todos”, contam, revoltados agora com o ato de “pura maldade, ignorância e vandalismo”.

Crime. Agora, esse sonho parece ter ido por água abaixo, já que entre os dias 11 e 12 de maio, alguém, pela calada da noite, terá queimado a quase totalidade das espécies ali plantadas: “só por pura maldade”, dizem-nos, acrescentando que já em fevereiro deste ano, numa visita ao local por técnicos da Câmara Municipal, seguiu-se a oferta de 60 m3 de terra (5 camiões).
Há mesmo quem considere o ato “um crime ambiental”, perpetrado por “um espírito terrorista”, que “pulverizou veneno”, matando dezenas de espécies. Indignados, apelam à intervenção mais enérgica da Câmara Municipal e da Junta da União de Freguesias, mas também para virem verificar, in loco, o “ato infame”.
Um dos moradores, que há mais anos cuida das árvores, “para não ser obrigado a ver um pessegueiro adulto carregado de fruto, agonizar e secar lentamente, cortou-o logo”, avança um dos moradores que deixa no ar algumas questões: “este ato tresloucado terá sido motivado por inveja, ódio, por quê e de quem?”.

Catarina Cerca
catarina@jb.pt

Posted in Anadia, Destaque, Mogofores, Por Terras da Bairrada0 Comentários

Mogofores: Albano Jorge reconduzido na direção da ADABEM

O atual presidente da direção da ADABEM (Associação dos Dadores Benévolos de Sangue de Mogofores) foi reconduzido no cargo, pondo um ponto final na crise diretiva com que esta associação estava a braços.
Como na Assembleia Geral Ordinária, realizada a 26 de março, não foi possível proceder à eleição dos novos corpos sociais, houve necessidade de agendar uma nova Assembleia Geral Extraordinária, agora para o dia 8 de maio, com o propósito de eleger os novos Corpos Sociais.
Assim, na passada quinta-feira, a Assembleia Geral Extraordinária acabou por se realizar mas apenas com a presença de 16 sócios (dadores e não dadores), contando ainda com a presença de Manuel Martins, da ADASMA.
Após a abertura dos trabalhos e mencionado pelo Presidente da Assembleia Geral que a Ordem dos Trabalhos se circunscrevia a um só ponto: “Eleição dos novos Corpos Sociais para o ano de 2014 /2015” pediu que se apresentassem, à mesa, as listas concorrentes.

Lista única. A direção cessante apresentou à mesa uma lista e, sobre a mesma o seu artífice (Albano Jorge) teceu as considerações que entendeu como pertinentes para justificar a sua escolha.
Testemunhou à Assembleia e na sua qualidade de presidente ainda em exercício, em seu nome e em nome de toda a sua equipa, o seu imenso agradecimento aos Dadores, Armando Santos e Augusto Soares, que “deixaram de fazer parte da sua lista, pela imensa confiança com que sempre nos distinguiram e com que sempre nos entusiasmaram”.
A propósito deste testemunho, foi sugerido e a ser objeto de tratamento em outra Assembleia, a atribuição do título, a ex-membros da Direção, de Membros Honorários dos Corpos Sociais.
Procedeu-se à votação da lista presente e candidata a um novo mandato e o resultado foi de zero votos contra, zero abstenções, pelo que a lista foi aprovada por unanimidade dos sócios presentes.
Na ocasião, Manuel Martins deixou algumas palavras sobre quem fez um longo e um imenso caminho em prol dos Dadores e da Dádiva de Sangue e que soube cuidar e preparar o futuro da ADASMA.
“Saibamos nós seguir-lhe o exemplo”, admitiu Albano Jorge.
A Assembleia terminou envolta numa atmosfera, onde se respirava a mensagem, de que vale sempre a pena meter no barco, novos e entusiastas marinheiros.

Novos Corpos Sociais
Assembleia Geral: Presidente – José Carlos Coelho; Vice-Presidente – José Ribeiro; Secretário – José Carlos Marques
Conselho Fiscal: Presidente – António Oliveira; 1.º Vogal – João Alves; 2.º Vogal – José Lagoa
Direção: Presidente – Albano Jorge; Tesoureiro – Isabel Riça; 1.º Secretário – Francisco Lemos; 2.º Secretário- Paulo Pires e Vogais- Filipe José Lopes, Sara Lopes, José João e Eduardo Santos.

Posted in Anadia, Mogofores, Por Terras da Bairrada0 Comentários

Mogofores: 20.º Encontro do Futuro da ADABEM sensibiliza para a dádiva de sangue

Durante os meses de abril e maio terá lugar a 20.ª edição do “Encontro do Futuro”, promovido pela ADABEM – Associação dos Dadores Benévolos de Sangue de Mogofores.
A iniciativa, que conta já com duas décadas de existência, visa mobilizar as gentes do concelho nas suas diferentes vertentes (cultural e desportiva) com o objetivo de sensibilizar as plateias para a prática da dádiva de sangue.

Este ano, Encontro do Futuro terá a seguinte programação:
Sábado, dia 5 de abril
16h – Torneio de Futebol de Salão no ginásio do Colégio S. João Bosco
21h30 – Teatro “The Bucket List” no Cineteatro de Anadia (adaptação ao teatro pelo O Baluarte, de Amoreira da Gândara)
Sexta-feira, dia 11 de abril
21h – Caminhada noturna entre os vinhedos. Todos os participantes devem levar coletes refletores e focos de luz. No fim da caminhada, será servida uma bebida quente, na sede da ADABEM.
Sábado, dia 12 de abril
16h – Torneio de Futebol de Salão no ginásio do Colégio S. João Bosco
22h – Encontro com o Folclore, com a presença dos Ranchos de Paredes do Bairro e da Pedralva, na sede da ADABEM.
Sábado, dia 26 de abril
16h – Torneio de Futebol de Salão no ginásio do Colégio S. João Bosco
21h30- Concerto pela Banda da Escola de Música da Quinta do Picado, no salão do Centro Cultural de Paredes do Bairro.
Sexta-feira, dia 2 de maio
22h – Todos os participantes, oriundos de Tamengos, de Avelãs de Cima, de Paredes do Bairro, da Moita, de Mogofores, da Pedralva e do Outeiro de Baixo e de outros lugares farão ponto de encontro na Praça da Juventude – centro de Anadia, versus… caminhada, corrida ou de uma outra forma… e munidos com coletes refletores e com focos de luz irão realizar uma mini “Night Runners”, com partida do citado ponto de encontro e levados a percorrer as vias circundantes. No momento do encontro, na Praça da Juventude, será construído o “Puzzle” de uma Gota de Sangue com as peças transportadas por cada uma das Associações.
A “Night Runners” servirá para acordar a “indiferença” pelo clamor do nosso movimento: DAR SANGUE… É MULTIPLICAR A VIDA! No fim, será servido na Praça da Juventude, uma bebida quente.
Sábado, dia 3 de maio
16h – Torneio de Futebol de Salão (Final) – no ginásio dos Colégio S. João Bosco
21h30 – “ADABEM” (secção Cultural) e entrega de lembranças na sede da Associação, em Mogofores.
Domingo, dia 4 de maio
17h – 5.ª edição do Concurso de Sopas, na sede da ADABEM.

Posted in Anadia, Mogofores, Por Terras da Bairrada0 Comentários

Mogofores: Festa de D. Bosco reúne  amigos, voluntários e benfeitores

Mogofores: Festa de D. Bosco reúne amigos, voluntários e benfeitores

Cerca de uma centena de amigos, voluntários e benfeitores ligados à obra salesiana de Mogofores, estiveram reunidos no último domingo para assinalar o Dia de D. Bosco (31 janeiro) mas que se celebra nesta comunidade no último domingo de janeiro.
A iniciativa realiza-se há já sete anos e junta neste dia muitas pessoas ligadas à comunidade de Mogofores, mas também amigos, voluntários que ao longo dos tempos têm colaborado com esta obra (que integra a paróquia, o colégio e o santuário).
Este ano, políticos, autarcas e representantes de outras instituições de ensino não faltaram ao convite. Por isso, a presidente da Câmara Municipal de Anadia, Teresa Cardoso, o ex-presidente da Câmara e vereador Litério Marques e diretores de três estabelecimentos de ensino do concelho (Eloi Gomes, da ESA; Idalina Faneca, do Colégio de Famalicão e Adriano Aires, da Escola Profissional de Anadia), foram alguns dos rostos desta festa, que contou ainda com a presença do presidente da Junta de Freguesia, Fernando Fernandes e de muitas outras personalidades.
Um convívio que serviu sobretudo para celebrar o patrono da instituição que, há 79 anos, está instalada em Mogofores.
Depois da eucaristia das 12h, onde esteve em evidência D. Bosco, “pescador de homens”, mas sobretudo de jovens, era chegada a hora do convívio realizado na cantina da Colégio.

Reunião de amigos. Na ocasião, o Padre José Fernandes, diretor do Colégio não só agradeceu a presença de todos em tão animado convívio, demonstrativo do carinho e amizade que sentem pela instituição, mas também porque os cinco salesianos residentes nesta instituição tentam, todos os dias, estar mais próximos dos jovens e da comunidade.
Mas é, sem dúvida, “o especial carinho pelos jovens” que aqui estudam que dá força, ânimo e alento ao projeto salesinano.
O diretor não deixaria, neste momento de festa, de recordar, Norberto Correia que, apesar dos seus 90 anos não faltou ao convívio.
Natural da Malaposta, este nonagenário é conhecido por ser um dos vários beneméritos que muito fez pela instituição: “naquele tempo, era caixeiro viajante e fez um contrato com D. Bosco; o que ganhasse acima de um determinado valor, dava 10%, todos os meses aos salesianos”, explicou o padre José Fernandes, que destacaria ainda as boas relações entre as instituições de ensino do concelho, agradecendo a presença dos seus diretores e representantes, evidenciando que todos trabalham para um mesmo objetivo.

Criar ofertas. Também a autarca Teresa Cardoso se mostrou sensibilizada com o convite, e sendo presença assídua em eventos promovidos pelos estabelecimentos de ensino do concelho, sublinhou estar “perto de vós, da vossa comunidade religiosa e do vosso projeto educativo para nos conhecermos melhor e perceber os vossos anseios”, dando nota do esforço contínuo no estreitar de relações com as escolas, “porque todos somos pescadores de jovens”. A edil anadiense entende que, nesta área da Educação, só o trabalho conjunto de todos permitirá alcançar o sucesso educativo, assim como criar mais ofertas para que os jovens se sintam realizados.
Acrescente-se ainda que a comunidade educativa celebra a Festa de D.Bosco no próximo dia 31 (sexta-feira), com eucaristia, pelas 9h, seguindo-se um sarau cultural e uma tarde desportiva.

Catarina Cerca

Posted in Anadia, Mogofores, Por Terras da Bairrada0 Comentários

Anadia: “Sweet Sugar”, loja de cake design abre na cidade

Anadia: “Sweet Sugar”, loja de cake design abre na cidade

A cidade de Anadia tem, desde o passado dia 7, um novo espaço comercial que promete fazer as delícias dos mais gulosos e dos entusiastas por cake design.
A loja e ateliê de cake design “Sweet Sugar” acaba de surgir pelas mãos de duas jovens, a enfermeira Lúcia Rosa e a professora, Rita Figueira.
O espaço, localizado em plena Avenida das Laranjeiras, no Edifício Palmeiras, é completamente inovador, pois é a primeira casa (loja e ateliê) na região a dedicar-se exclusivamente à área da confeção de bolos temáticos, mais conhecido como pastelaria decorativa (cake design), por encomenda, baseada em pasta de açúcar.
Uma aposta arrojada, em tempos de crise, mas que as promotoras acreditam ter pernas para andar, tal a movimentação que a loja tem tido desde a abertura.
Um projeto que tem vindo a amadurecer, desde a altura em que ambas que se conheceram, numa formação de cake design.

Loja e ateliê. “É uma área nova, que não existe na região, aliás não existe nada do género entre Coimbra e Aveiro”, dizem, ao mesmo tempo que confessam querer “trazer algo de novo à cidade, colmatando assim uma lacuna que existia na área da pastelaria”.
No espaço reservado à loja encontra-se todo o tipo de utensílios para fazer bolos, bombons, cupcakes, bolachas decorativas e cakepops. Formas, utensílios de cake design, pastas de açúcar, pratos decorativos, chocolate, corantes, essências dos mais variados sabores (anis, morango, avelã, café, amêndoa), pérolas, purpurinas, frosting de várias cores, até recheios para bolos (também variados, caramelo, nutela, maça-canela, ananás, limão, creme de pasteleiro), num sem fim de sabores, velas, entre outros fazem parte das ofertas deste espaço.
Uma mais valia, dizem, são os preços competitivos que praticam, comparativamente a espaços semelhantes localizados nas cidades.
“Fazemos vários tipos de massas e todo o tipo de decoração. Mas se o cliente desejar fazer o bolo em casa e encomendar o boneco ou o elemento para a decoração, nós fazemo-lo”, explicam, dando conta que esta é uma “área muito específica, que requer muita técnica e cada bolo é único, podendo a decoração de um só bolo demorar 2 a 3 dias a realizar”.
Isto, porque todos os trabalhos são únicos, verdadeiros desafios que podem exigir a idealização de um projeto, primeiro em papel, e só depois em bolo.
“Já deitámos muito bolo e pasta de açúcar para o lixo, por não ficar exatamente como queríamos”, sublinham, evidenciando que na Sweet Sugar se procura o perfecionismo em todos os trabalhos.

Workshop dia 21. Para além da loja existe ainda a cozinha onde bolos de aspeto simples se transformam em verdadeira obras de arte.
É neste espaço ainda que têm ainda lugar os workshops abertos ao público.
O segundo workshop tem lugar no próximo dia 21 de dezembro e é subordinado ao tema: modelagem de figuras humanas avançada. Começa às 9h e termina às 13h.
Nestas aulas práticas os participantes são desafiados a fazer cake design seja em cupcakes, cakepops, ou em bolos.
Refira-se ainda que a loja está aberta todos os dias, de segunda a sábado, das 10 às 19h.
As encomendas de bolos deverá ser feita com antecedência por forma a que o produto final idealizado pelo cliente seja alcançado.
Os adeptos de cake design podem acompanhar “Sweet Sugar” na rede social facebook.com/sweetsugardesign ou então pelo mail sweetsugar.cakedesign@gmail.com

Posted in A. da Gândara, Aguada de Baixo, Águeda, Aguim, Anadia, Ancas, Arcos, Avelãs de Caminho, Avelãs de Cima, Cantanhede, Fermentelos, Mealhada, Mogofores, Moita, Oiã, Óis do Bairro, Oliveira do Bairro, Palhaça, Paredes do Bairro, Por Terras da Bairrada, S. Lourenço Bairro, Sangalhos, Tamengos, Troviscal, V. Nova de Monsarros, Vagos, Vilarinho do Bairro0 Comentários

ADABEM celebra Bodas de Prata rodeada de amigos

ADABEM celebra Bodas de Prata rodeada de amigos

Cerca de 240 pessoas participaram, na noite do último sábado, no jantar de aniversário da ADABEM – Associação de Dadores Benévolos de Sangue de Mogofores.
Vinte e cinco anos de atividades, elencada ao longo da noite, num jantar informal, completamente “familiar” que serviu para enaltecer o trabalho desta associação e de todos os dadores a ela ligados, mas também para homenagear com diplomas, todos os dadores da ADABEM com mais de 25 dádivas. Aliás, a boa disposição e o espírito solidário foi uma constante, mostrando que esta é, “uma associação diferente”, como diria Albano Jorge, presidente da ADABEM.
Na ocasião, ele que é rosto da ADABEM , falou dos 25 anos da Associação que nasceu pela mão de Fernando Serrano e Armando Santos (28/11/1988) que, em boa hora, deram corpo a um entusiasmo coletivo da população de Mogofores, berço da associação.
Falta de sangue é um problema nacional. Joaquim Silva, vice-presidente da Federação da Associação de Dadores de Sangue, sublinhou que o país atravessa uma grave situação na área da dádiva de sangue: “há dois anos éramos autossuficientes”. Hoje, a situação inverteu-se e para tal tem contribuído o envelhecimento da população, mas também o facto de haver cada vez um maior número de jovens a deixar o país. Por outro lado, este responsável não deixaria de destacar as “tomadas de decisões políticas desgraçadas” que conduziram a uma redução de dádivas. Daí ter deixado um apelo aos jovens para que se juntem a esta causa. Mostrou-se ainda bastante entusiasmado com as palavras de Albano Jorge, mas também muito comovido e sensibilizado com a forma como fora recebido em Anadia.
Também na ocasião, Ana Marques, em representação do IPST – Coimbra recordou aos dadores presentes que o Instituto Português do Sangue, estará sempre disponível para ajudar, apelando a que os dadores tragam mais dadores para as associações, até porque “2014 é um ano que se adivinha com muitas crises. Temos de dar a volta à questão, porque os doentes estão nos hospitais e precisam de sangue”.

Gesto de autarca aplaudido. Fernando Fernandes, autarca da União de Freguesias de Arcos e Mogofores, foi o protagonista de um dos gestos mais aplaudidos da noite, ao chamar o ex-autarca da extinta freguesia de Mogofores, José Maria Ribeiro, para, em conjunto, ofertarem uma lembrança à ADABEM, mostrando que nas Uniões de Freguesias é possível haver entendimento e boas relações entre os fregueses.
Sobre a ADABEM, Fernando Fernandes diria tratar-se de uma associação com grande importância no meio onde está inserida, felicitando todos os que estão envolvidos neste projeto de voluntariado. Por isso, deixou a certeza de que a Junta de Freguesia estará sempre disponível para ajudar, ainda que dentro das suas parcas possibilidades: “vocês honram-nos muito”.

Presidente de Câmara elogia Albano Jorge. Também a presidente de Câmara Municipal de Anadia, Teresa Cardoso, não faltou a esta comemoração, mostrando-se “profundamente sensibilizada”, por participar num evento que conseguiu mobilizar tantas pessoas, de uma forma empenhada e participativa.
A autarca, que enalteceu o facto da ADABEM aproveitar o evento para homenagear os dadores com mais dádivas, considerou de todo justa uma homenagem a Albano Jorge, a força motriz deste projeto: “temos de prestar uma justa homenagem a este homem de metro e meio e com pouco mais de 40 quilos. Também ele é uma dádiva para nós”, diria, sublinhando que as palavras de Albano Jorge “fazem-nos crescer e aprender sempre mais. A sua alegria, energia, associadas à espontaneidade que nos transmite, é contagiante e fascinante”.
Aos presentes recordou que a ADABEM cresceu pelas mãos de Albano Jorge, que “deu o corpo e a alma” ao projeto e que sabe, como poucos, motivar e levar a mensagem às pessoas, criando uma grande empatia com todos com quem se cruza.
Por outro lado, Teresa Cardoso referiu-se à ADABEM como uma das associações que menos verbas pede à Câmara Municipal: “só querem estar presentes nas nossas iniciativas e atividades”, o que demontra “uma forma de estar diferente”, “pois é assim que fazem chegar a mensagem e estar na sociedade”. E deixando a indicação de que 2014 será um ano profícuo em atividades culturais e recreativas no concelho, não será de estranhar que a ADABEM venha a estar presente em várias dessas iniciativas.

25 anos em franco crescimento.Com o à vontade de todos conhecido, Albano Jorge traçou o percurso da ADABEM e da dinâmica secção cultural (a noite foi animada pelo Grupo Coral da ADABEM), mas também das dádivas de sangue já realizadas não só em Mogofores, como também nos vários núcleos. Aos presentes avançou que a quebra nacional entre 2012 e 2011 foi de 11% nas presenças e de 10% nas dádivas, enquanto que na ADABEM foi mais do dobro. “Contudo, para a Associação, o ano de 2013 consolida uma notória recuperação, com 409 presenças”. Um bom indicador, já que a presença de novos dadores/ano atesta um crescimento de 40%.
“Esta é a resposta de quem é dador de sangue e que a sociedade deve reconhecer”, diria.
Um caso impressionante é o do jovem núcleo de Paredes do Bairro, criado em 2010. Conta já com 91 dadores. Em Mogofores são 176, em Avelãs de Cima 33, na Moita 30 e em Tamengos 18. Albano Jorge lamentou ainda que em 2011, o Decreto-Lei n.º 113 tenha limitado a isenção do pagamento das taxas moderadoras aos dadores de sangue nos cuidados primários de saúde. “Esta atitude do governo, inexplicável, motiva uma contínua contestação das Associações”. Contudo, “o número crescente de presenças e dadores mostra que esta é a melhor resposta ao Decreto-Lei que nos cortou algumas benesses. Estamos com uma média de 60 dadores por mil potenciais dadores. Superámos a média nacional”, realçaria, deixando ainda a nota que o futuro passa por um maior contacto com alunos das escolas da região, convicto de que a ADABEM irá comemorar 50 anos: “tem gente nova e capaz de dar resposta às exigências atuais”.

Catarina Cerca
catarina@jb.pt

Posted in Anadia, Mogofores, Por Terras da Bairrada0 Comentários

SFImobiliaria

Pergunta da semana

Portugueses praticam cada vez mais exercício ao ar livre. É o seu caso?

View Results

Loading ... Loading ...
Newsletter Powered By : XYZScripts.com