Recortes.pt Leia no Recortes.pt

Arquivo | Sangalhos

Sangalhos: Almoço de Natal solidário no salão da Junta de Freguesia

À semelhança de anos anteriores, o executivo da Junta de Freguesia de Sangalhos, liderado por António Floro, promove no próximo dia 11 de dezembro, a partir das 12h30, um almoço-convívio de Natal que tem como principais destinatários as famílias e pessoas mais carenciadas da freguesia, contudo aberto a todos os sangalhenses que nele queiram participar. Ao evento, promovido pela autarquia, associa-se um grupo de voluntários que vai ajudar a realizar o evento.
Da ementa natalícia não poderiam faltar a sopa de legumes, o bacalhau com todos e sobremesas diversas.
Fica a promessa de um animado convívio, onde reine a paz, a alergia e a solidariedade.
Inscrição até ao dia 7 de dezembro, na Junta de Freguesia.

Posted in Anadia, Sangalhos0 Comentários

Sangalhos: Misericórdia encerra hospital a 31 de dezembro

Sangalhos: Misericórdia encerra hospital a 31 de dezembro

O plano de ação, de atividades e o orçamento para 2017 da Misericórdia de Sangalhos já não contempla a unidade de saúde que a Misericórdia possui e estava a explorar em Sangalhos.
Na última assembleia-geral de irmãos, realizada na noite de sexta-feira, dia 25, foi revelado que o prejuízo de aproximadamente 300 mil euros, nos dois anos em que funcionou sob a alçada da Misericórdia, inviabilizam que continue aberto em 2017, ainda que tenha sido esta a valência que há mais de oito décadas fez nascer e crescer a Misericórdia.
A decisão da mesa administrativa de cessar a atividade do hospital, a 31 de dezembro próximo, foi explicada pelo provedor Manuel Gamboa às várias dezenas de irmãos presentes.
“Há cerca de um ano prometi, em nome da mesa administrativa, não só viabilizar a continuação da unidade de saúde do hospital da Misericórdia, mas também fazer um esforço para se vir a tornar sustentável”, deixando, na altura, a indicação de que “se não se verificasse uma linha ascendente de recuperação económica e financeira, no final do atual exercício em curso de 2016 poderíamos equacionar a possibilidade de cessar a atividade exploratória do hospital”.

Lutar pela melhor solução. De facto, ao longo dos dois últimos anos e sobretudo deste, “fomos avaliando passo a passo a vida da unidade de saúde com crescente preocupação”, isto porque pese embora o acréscimo de atividade diária, registou-se igualmente uma evolução constante nos prejuízos quando se esperava precisamente o contrário.
A meio do ano em curso, revelou o provedor, terá alertado o diretor clínico, a administradora do hospital e outros colaboradores afetos ao hospital para a situação, numa tentativa de a inverter, apelando ainda ao corpo clínico para a sua boa-vontade, abdicando de parte dos seus honorários. “Poucos o fizeram e por valores insignificantes”, acrescentou.
Por isso, entende que continuar com a atividade exploratória do hospital conduziria, nos próximos dois ou três anos, ao colapso financeiro da instituição, colocando em situação de elevado risco as restantes respostas sociais”.
“Respostas sociais que se têm revelado deficitárias mas que, mesmo juntas, não atingem valores negativos evidenciados pelo hospital”, disse ainda sobre as valências direcionadas para o apoio à infância, juventude e terceira idade que é preciso preservar: “o hospital tem uma enorme concorrência nas proximidades.”
Aos irmãos, avançou ser vontade da mesa que as instalações e equipamentos do hospital possam continuar a ser úteis à comunidade, sob a exploração de outra entidade “credível e que mereça a confiança da Misericórdia”. Revelou estar já em negociações com potenciais interessados (Hospital da Misericórdia da Mealhada): “gente séria, honesta, conhecedora do ramo e com capacidade económica e financeira que suporte o investimento a médio/longo prazo que nós não temos”.
Mas, caso não seja possível dar este rumo àquela unidade de saúde, é certo que ser-lhe-á dado outro destino, ao edifício com alienação dos equipamentos para os quais já haverá um grupo na área da saúde interessado.
“O nosso desejo é que no dia 2 de janeiro esteja lá uma entidade a dar continuidade ao nosso projeto”, frisou o provedor, não descartando a hipótese de dar dar outro rumo ao hospital.
Na ocasião, Emanuel Maia, presidente da assembleia-geral, disse ser necessário encontrar soluções para o futuro daquele espaço, mas também que considerava a decisão da mesa administrativa relativa à cessação da valência “uma decisão lúcida”, uma vez que está em causa a vida da Misericórdia, até porque esta (saúde) é uma valência que esteve sujeita a várias pressões, já que na região existe uma grande oferta de unidades privadas de saúde: “não podemos querer ter – só por querer – uma unidade de saúde que consome o que a Misericórdia tem e que deve servir para outros fins”, avançou. “Esta decisão talvez só peque por tardia, uma vez que está em causa a falência a médio prazo da instituição”, sublinhou Emanuel Maia, reforçando que a decisão da mesa administrativa não invalida que haja um esforço para encontrar soluções para aquela unidade de saúde.
Também o irmão Amândio Albuquerque destacou que, sem desvalorizar quem ali trabalha, aquele espaço não era nenhum hospital, mas sim um mero centro de consultas, logo não sendo uma valência lucrativa, não é prioritária para os princípios da Misericórdia.
Catarina Cerca
catarina.i.cerca@jb.pt

Posted in Anadia, Sangalhos0 Comentários

Bairrada: “Sons na Bairrada”  regressa com concerto na Aliança Vinhos de Portugal

Bairrada: “Sons na Bairrada” regressa com concerto na Aliança Vinhos de Portugal

A 2.ª edição do ciclo de concertos “Sons na Bairrada” terá lugar na Aliança Vinhos de Portugal, em Sangalhos.
É já amanhã, dia 18, que estas emblemáticas caves recebem a iniciativa lançada pela Associação Rota da Bairrada.
Depois do sucesso que foi a 1.ª edição do evento, realizado no passado dia 28 de outubro, nas belíssimas Caves São Domingos, “Sons na Bairrada” está de regresso à Aliança Vinhos de Portugal e o programa não deixa ninguém indiferente… num ambiente único, a música estará aliada ao vinho para, em conjunto, proporcionar momentos de emoções e sentidos.

Leitão será o rei à mesa. O início está marcado para as 19h30, onde o cocktail de boas-vindas fará as honras da casa para se partir à descoberta do Aliança Underground Museum, num percurso de 1,5km.
Ao longo da visita seremos surpreendidos pelos sentidos em três momentos de prova de um espumante, um vinho tinto e uma aguardente.
Segue-se o momento de jantar na cave, onde o rei é o Leitão da Bairrada. A magia da música encerrará a noite com a atuação de Lilian Raquel e Cláudio César Ribeiro.
A eles juntam-se Rogério Pitomba na bateria e Tiago Mourão no baixo.
Quarteto que apresentará clássicos da música brasileira em versões próprias e também alguns originais do seu mais recente trabalho.
O acesso a este “Sons na Bairrada” tem um valor de 38 euros por pessoa. A reserva é obrigatória.
Informações e reservas junto da Associação Rota da Bairrada, pelo telefone 231 503 105| geral@rotadabairrada.pt | https://www.facebook.com/rotadabairrada.

Posted in Anadia, Bairrada, Sangalhos0 Comentários

Caves São Domingos  acolheram 1.ª edição do ciclo de concertos “Sons na Bairrada”

Caves São Domingos acolheram 1.ª edição do ciclo de concertos “Sons na Bairrada”

A Bairrada deu início a um ciclo de concertos ‘Sons na Bairrada’ que prometeram e cumpriram, com enorme sucesso, a visita às belíssimas Caves São Domingos, a prova de três excecionais vinhos do produtor, a degustação de produtos regionais e o concerto musical.
Na passada sexta-feira, dia 28 de outubro, as Caves São Domingos encetaram, da melhor forma, os Sons na Bairrada, deixando-se invadir por mais de 60 visitantes, na sua grande maioria fora da região, e curiosos por descobrir este mundo das caves e vinhos Bairrada.
O início estava marcado para as 18h nas Caves São Domingos e a receção aos convidados foi feita na sala das aguardentes, onde estagiam em quartolas de carvalho francês aguardentes vínicas, com a degustação de espumante Rosé São Domingos (100% Baga) e um brinde de boas-vindas do presidente da Rota da Bairrada, Jorge Sampaio e o anfitrião, Alexandrino Amorim.
Seguiu-se a visita pelos túneis de espumantes, que albergam mais de dois milhões de garrafas, onde a história das Caves com mais de 75 anos foi contada efusivamente por Alexandrino Amorim. No percurso o som do clarinete de João Sousa surpreendeu os convidados.
Chegado à Sala Bairrada deu-se início ao concerto com a atuação de The Drowning Bride, tendo à guitarra e voz de Ana Figueiras e com multi instrumentismo João Sousa, que criaram um ambiente intimista com a recriação das ‘Murder Ballads’ e do folk americano.
A degustação dos produtos regionais foi acompanhada da prova de dois espumantes e um vinho tinto São Domingos, comentados pelo produtor: Espumante São Domingos Velha Reserva (Pinot Noir e Chardonnay), Espumante São Domingos Elpídio (Chardonnay e Arinto) e Vinho Tinto São Domingos Grande Escolha (Touriga Nacional, Merlot e Syrah).

Dia 18 será na Aliança Vinhos de Portugal. Os “Sons na Bairrad” voltam no dia 18 de novembro, pelas 19h30, na Aliança Vinhos de Portugal (em Sangalhos), desta vez com prova de vinhos e um jantar na cave (onde o rei é o Leitão da Bairrada), acompanhado de Lilian Raquel e Cláudio César Ribeiro Quarteto. Uma dupla brasileira que apresenta clássicos em versões próprias e também alguns originais do seu mais recente trabalho. A eles juntam-se Rogério Pitomba na bateria e Tiago Mourão no baixo. Informações e reservas na Associação Rota da Bairrada, pelo telefone 231 503 105| geral@rotadabairrada.pt.

Posted in Anadia, Bairrada, Moita, Sangalhos0 Comentários

Centro Escolar de Sangalhos: Exposição de vassouras de halloween para ver até ao dia 4

Centro Escolar de Sangalhos: Exposição de vassouras de halloween para ver até ao dia 4

O Centro Escolar de Sangalhos tem patente ao público uma exposição de vassouras alusivas ao halloween (dia da bruxas).
Patente no átrio do Centro Escolar de Sangalhos, desde o passado dia 27 de outubro, esta interessante e original mostra pode ser vista até sexta-feira, dia 4 de novembro.
“Viagens de encantar com vassouras a voar” foi o tema lançada a todos os alunos do pré-escolar e do 1.º CEB, ao qual as crianças e famílias responderam de forma muito positiva.
Patentes estão cerca de 60 trabalhos elaborados com o recurso ao mais variado tipo de materiais.
Contudo, há a registar a utilização de materiais vindos da natureza (ramos secos, palha, folhas).
“Desde vassouras das mais sofisticadas, que podem ir ao espaço, até às mais tradicionais, há um pouco de tudo”, disse a JB o professor Amílcar Costa, diretor do Centro Escolar.
Uma nota para alguns modelos inspirados nos veículos das duas rodas, não se estivesse em Sangalhos, freguesia à qual o ciclismo tanto diz.
Amílcar Costa revelou ainda que, no âmbito desta quadra festiva, na última segunda-feira, dia 31, foram realizadas várias atividades alusivas ao dia das bruxas. O ponto alto do dia incluiu a confeção das tradicionais papas de abóbora, mas também falar da tradição dos Santoros.
De referir ainda que os trabalhos expostos, todos muito originais, merecem uma visita pela grande criatividade na sua elaboração.
O docente explicou ainda que esta iniciativa visou desenvolver a criatividade e sentido estético, assim como dar a conhecer a origem e diferentes tradições desta comemoração, assim como promover o espírito de entreajuda na família e o intercâmbio entre a escola e a comunidade.
CC

Posted in Anadia, Bairrada, Sangalhos0 Comentários

Sangalhos: 2.ª Mostra dá à prova 21 sopas no Centro Escolar

Sangalhos: 2.ª Mostra dá à prova 21 sopas no Centro Escolar

A 2.ª Mostra de Sopas do Centro Escolar de Sangalhos (integrada no PES – Projeto Educação para a Saúde, do Agrupamento de Escolas de Anadia) confirmou, uma vez mais, o sucesso da iniciativa.
Na última sexta-feira, dia 14, estiveram à prova, entre as 12h30 e as 14h, neste estabelecimento de ensino, 21 sopas (1,5 euros/sopa).
Este ano, uma edição inteiramente solidária com o objetivo de angariar receitas para a corporação de bombeiros do concelho de Anadia, um dos concelhos mais fustigados, durante o verão, pelos fogos florestais.
Sopas de peixe, marisco, canja, caldo verde, feijão, legumes e dos Açores, confecionadas pelos encarregados de educação, num evento que esteve aberto à comunidade fizeram as delícias de muitas dezenas de participantes.
Uma mostra que contou com a presença do vereador Jorge Sampaio, da Câmara Municipal de Anadia, que acompanhou uma comitiva franceses de La Chaize Le Vicomte, geminada com a vila de Sangalhos, mas também pelo autarca de Sangalhos, António Floro e pelos representantes da Associação das Geminações da Vila Sangalhos que durante quatro dias estiveram de visita à vila.
A visita da comitiva francesa inseriu-se no âmbito da geminação para avaliar futuros intercâmbios em áreas como o desporto, educação e cultura.
De destacar o apoio logístico da equipa da Misericórdia da Freguesia de Sangalhos que organizou e serviu – em articulação com as assistentes operacionais do Centro Escolar – as 21 sopas que estiveram expostas.
CC

Posted in Anadia, Bairrada, Sangalhos0 Comentários

Centro Escolar de Sangalhos: Concorrida Feira Outonal cumpre tradição

Centro Escolar de Sangalhos: Concorrida Feira Outonal cumpre tradição

Esteve muito concorrida a 2.ª edição da Feira Outonal/Feira da Alimentação do Centro Escolar de Sangalhos. Realizada na última sexta-feira, dia 14, a feira, que se realizou pelo segundo ano consecutivo neste novo equipamento escolar, é já uma tradição que começou na Escola da Pista há cerca de oito anos.
Tal como nas anteriores edições, a feira fez-se à volta da venda de vários produtos oferecidos pelos pais, encarregados de educação e familiares das crianças. Produtos que são cultivados nos quintais, logo bastante saudáveis.
Legumes, hortaliças, frutas, animais de capoeira (coelhos, galinhas e este ano até uma cabra), mas também doces, compotas, frutos secos, tremoços, azeitonas, bolos e pão caseiro fizeram as delícias de miúdos e graúdos.

Envolvimento de toda a comunidade escolar. Amílcar Costa, coordenador do Centro Escolar de Sangalhos, destaca a mobilização de pais e encarregados de educação, que “se organizaram no sentido de nos ajudarem na realização desta feira”.
Um evento que envolveu as 87 crianças do primeiro-ciclo e 16 do pré-escolar. Ou seja, toda a comunidade educativa esteve envolvida este evento.
Em dia brindado pelo bom tempo, a feira começou às 10h, prolongando-se até às 12h, altura em que a maior parte dos bens doados já tinha sido vendida, revertendo a verba angariada para “colmatar algumas dificuldades na aquisição de material didático e de desgaste”, revelou o docente.
Realizado no âmbito da comemoração do Dia Mundial da Alimentação que se celebra anualmente a 16 de outubro, este evento já faz parte do Plano de Atividades anual do Centro Escolar, sendo sempre aguardado com muita expectativa.
Este ano, todas as melhores expectativas foram ultrapassadas, pela forma generosa como tantos produtos foram ofertados para vender.
“Foi um ano muito bom, ao nível do envolvimento e de entrega de bens alimentares”, reconheceu Amílcar Costa.
“Vem muita gente de fora e não apenas familiares. Muitas pessoas, de idade mais avançada, que estão habituadas a fazer as compras no mercado e nas feiras, mas que através dos netos e bisnetos sabem que neste dia podem vir aqui abastecer-se de produtos, aproveitam para fazer algumas compras, ou até mesmo para brindar as crianças com algumas guloseimas, oferecendo-lhes fatias de bolos”, concluiu.
Catarina Cerca

Posted in Anadia, Bairrada, Sangalhos0 Comentários

Sangalhos: Vinhos e gastronomia à prova durante três dias

Sangalhos: Vinhos e gastronomia à prova durante três dias

O Ministro do Ambiente, João Pedro Fernandes, presidiu, na tarde da última sexta-feira, à cerimónia de abertura da 4.ª edição do Encontro com o Vinho e Sabores Bairrada que decorreu até ao dia 2 de outubro, no Centro de Alto Rendimento (Velódromo Nacional), em Sangalhos.
Em dia de inauguração de um dos eventos mais aguardados na região, Pedro Soares, presidente da Comissão Vitivinícola da Bairrada, destacou que este é um evento que se vem afirmando como “de referência na região para a promoção dos produtos endógenos.” Três dias para mostrar o que de melhor se produz na região e que ajuda a afirmar a identidade, o valor e credibilidade da marca coletiva Bairrada.
“Vive-se, hoje, na Bairrada o que se pode chamar de “boa onda”, cabe a todos trabalhar para que essa boa onda não se desfaça”, disse, avançando, contudo que as dificuldades não desapareceram, subsistem em várias vertentes. Num claro apelo à união, salientou que o caminho tem de ser trilhado pela via da certificação e que esta “seja um desígnio para todos os produtores”.
E sendo, hoje, a marca Bairrada um ativo valorizado quer a nível nacional, quer internacional, lembrou ao presidente do IVV, ali presente, que para os produtores de regiões de menor dimensão, como é o caso da Bairrada e que são o suporte financeiro das CVR´s, é necessário que se equacione formas de financiamento que possibilitem a diminuição das assimetrias entre cada uma das regiões demarcadas.
Já ao ministro do Ambiente relembrou a importância do setor vitivinícola para questões tão importantes como a sustentabilidade dos territórios.
Na ocasião, apelou ainda à diminuição da taxa do IVA nos espumantes, quando esses sejam produzidos com base na matéria-prima endógena. “Seria este um incentivo determinante para a valorização dos produtos endógenos da região.”
Pedro Soares destacou ainda o trabalho da CCDR Centro que decidiu apoiar a fileira do vinho, envolvendo num projeto comum as cinco regiões vitivinícolas. “Este projeto será para nós determinante para a reformulação do rebranding da marca Bairrada como um todo”, sem esquecer que a região deve retomar o quanto antes as atividades de experimentação e investigação neste domínio temático, estabelecendo as parcerias necessárias para que os ganhos se tornem efetivos.

Promoção de produtos endógenos. Adriana Rodrigues, do Turismo Centro Portugal, salientou as duas razões que levaram o Turismo do Centro a associar-se a esta organização: “por pretender assinalar e promover, de forma significativa, os produtos endógenos desta região, desde os gastronómicos aos vinhos e espumantes e pelo esforço de valorização da atividade dos produtos e dos produtores.” Sobre este evento diria ser: “um evento com características inigualáveis, dificilmente comparáveis com um caráter identitário muito específico e próprio.” Uma mostra voltada para a promoção e comercialização que dá a conhecer a diversidade e a qualidade dos vinhos da região.
“Este evento espelha e personaliza o esforço e o trabalho que se tem desenvolvido na fileira do enoturismo que a Bairrada tem sabido desenvolver”, concluiria.

O legado e a importância da casta Baga. Durante a sua intervenção, a autarca anadiense Teresa Cardoso defendeu tratar-se de um encontro fundamental para a imagem e para a difusão do trabalho realizado pelas empresas e entidades participantes, que assim demonstram a sua dimensão, excelência, capacidade de inovação e pioneirismo.
“Ao longo destes três dias, vamos poder conhecer o que a Bairrada idealiza, projeta e produz, honrando o legado das gerações que nos antecederam, seja pelo perpetuar do seu património, ou seja pela sua reinvenção”, diria.
Na ocasião destacou ainda a importância da casta Baga e da projeção, alcançada agora através do grupo “Baga Friends”.
“A Baga teve um conjunto restrito de adeptos, até que surgiu, pela mão da Comissão Vitivinícola da Bairrada, o “Plano de Ação para a Viticultura Bairradina”, e, com ele, o projeto “Baga Bairrada” e o lema “Uma Região. Uma Casta. Um Espumante”, destacou.
Relativamente ao espumante, um dos vinhos em que a Bairrada é excelente e domina a produção nacional, lamentou que continue a ter dificuldade em se ver reconhecido lá fora. “Um combate que urge travar e que pode tirar partido do desbravar de terreno já feito pelos restantes vinhos”, adiantou a autarca, sublinhando uma vontade já expressa anteriormente por Pedro Soares: “ver criado na centenária Estação Vitivinícola da Bairrada, um Centro de Investigação de Espumantes, fundamental para apoiar a produção destes vinhos.”

Ministro destaca diversidade da Bairrada. João Pedro Fernandes, ministro Ambiente, bairradino de corpo e alma (nasceu em Águeda), diz ter aprendido o que era o ondulado da paisagem muito miúdo ainda. Por isso, afirmou que a Bairrada é um território completamente diferente do da sua infância e juventude quando vinha estudar, de bicicleta para o Liceu de Oliveira do Bairro, numa altura em que a sua mãe era Conservadora Civil, naquele município.
“Ao dar um passeio nesta feira parece-me evidente que o que hoje diferencia a Bairrada é a qualidade e a forma como sabe trabalhar os seus produtos”.
O governante salientou ainda a forma como os vinhos e espumantes se cruzam com a gastronomia, com a hotelaria, numa tentativa de mostrar uma Bairrada que vai muito para além do leitão e do espumante.
Paralelamente, João Pedro Fernandes salientou a importância da diversidade, que é também uma vantagem enorme mas também uma preocupação ambiental se não for bem cuidada.
Catarina Cerca
catarina.i.cerca@jb.pt

Posted in Anadia, Bairrada, Sangalhos0 Comentários

Sangalhos: População reclama mais caixas multibanco na freguesia

Sangalhos: População reclama mais caixas multibanco na freguesia

Sangalhos é uma das freguesias com maior densidade populacional no concelho de Anadia. Tem aproximadamente 4.100 habitantes e segundo os Censos de 2011, mais de 1500 famílias.
Neste momento, a freguesia tem à disposição apenas uma caixa multibanco (colocada há dois anos numa agência de seguros) que não chega, nem de perto, nem de longe para as necessidades da população.
Embora muitos sangalhenses já optem por levantar dinheiro nas caixas multibanco existentes nas freguesias limítrofes, a verdade é que a falta destes equipamentos tem causado imensos transtornos à população, sobretudo durante o fim de semana. Na localidade, os lamentos ouvem-se um pouco por todo o lado. E é fácil perceber a razão.
As caixas multibanco mais próximas localizam-se na Malaposta, que dista seis quilómetros de Sangalhos, ou em alternativa, no concelho vizinho de Oliveira do Bairro, a três quilómetros.

Já foram duas. Mas a freguesia, nomeadamente a vila de Sangalhos, já teve duas caixas multibanco a funcionar em simultâneo. Tudo mudou no início de 2013, altura em que encerrou, na Rua do Comércio, aquela que era uma das mais antigas agências bancárias do concelho de Anadia. Num processo de reorganização, o Millennium BCP encerrou o balcão de Sangalhos, que existia na vila há 44 anos. Mais recentemente, em julho passado, o extinto Banif, que passou a Santander Totta, também encerrou a sua agência nesta mesma rua. Com ambos os encerramentos, as caixas multibanco tiveram a mesma sorte, deixando a população a braços com uma enorme dor de cabeça.
Neste momento, a única caixa multibanco está muitas das vezes indisponível para levantamentos, dada a elevada procura.

Junta de Freguesia procura solução. Sobre esta questão, o autarca de Sangalhos, António Floro, diz ser uma “situação preocupante e lamentável”. Por isso, já reuniu com uma entidade bancária no sentido de se equacionar a abertura de uma agência na freguesia, de forma a resolver ou minorar este problema.
A JB diz mesmo que “se o banco contactado – que está neste momento a analisar o processo – aqui se fixar, nem que seja em instalações cedidas pela Junta de Freguesia, as nossas contas (Junta e de várias associações) passam para lá.”
A seu ver, o ideal era a freguesia manter duas a três caixas, por forma a dar resposta às solicitações da população e de quem por aqui passa.
Mas a situação de Sangalhos é semelhante a muitas vividas por outras localidades. A concentração de serviços nos grandes centros, respetivamente nas sedes de concelho, causa vários constrangimentos às populações, sobretudo aos mais idosos e com mais dificuldade nas deslocações.
Senão vejamos: a freguesia de Sangalhos tem estado a braços com sucessivos encerramentos: bancos, CTT, comércios, posto de abastecimento de combustível (entretanto, substituído por um posto self-service) e SAP, com a agravante de não existir uma rede de transportes públicos como nas cidades que a população possa utilizar.
Catarina Cerca

Posted in Anadia, Bairrada, Sangalhos0 Comentários

Concurso de Vinhos e Espumantes Bairrada 2016

Concurso de Vinhos e Espumantes Bairrada 2016

No âmbito do Encontro com o Vinho e Sabores Bairrada 2016, foi realizado um Concurso de Vinhos e Espumantes Bairrada.
Nesta 4.ª edição do certame, que decorreu de 30 de setembro a 2 de outubro, no Velódromo Nacional, em Sangalhos, a Grande Medalha de Ouro foi atribuído ao vinho Encontro Baga, Bairrada tinto 2011 da Quinta do Encontro.

Aqui deixamos os resultados:

Espumantes com estágio até 24 meses
OURO: M&M Gold Edition, Beira Atlântico – Espumante branco, Cave Central da Bairrada
PRATA: Argau, Beira Atlântico – Espumante branco da Casa dos Barbas; Marquês de Marialva, Beira Atlântico – Espumante Bical e Arinto branco 2014 da Adega de Cantanhede

Espumantes com estágio igual ou superior a 24 meses
OURO: Encontro Special Cuvée, Bairrada Espumante branco 2011 da Quinta do Encontro; Lopo de Freitas, Bairrada Espumante branco 2011 das Caves do Solar de São Domingos; Milheiro Selas, Bairrada Espumante branco 2012 de António Assunção Coelho Selas; Quinta dos Abibes Sublime, Bairrada Espumante branco 2012 da Quinta dos Abibes; Rama Blanc de Blanc Special Cuvée, Bairrada Espumante branco 2012 de Jorge Manuel Ferreira Rama; São Domingos Velha Reserva, Bairrada Espumante branco 2011 das Caves do Solar de São Domingos
PRATA: Quinta dos Abibes Sublime, Bairrada Espumante branco 2010 da Quinta dos Abibes

Espumantes brancos de casta BAGA
OURO: Marquês de Marialva Blanc de Noir, Baga@Bairrada Espumante branco 2014 da Adega de Cantanhede

Vinho branco
OURO: Marquês de Marialva, Bairrada Reserva Arinto branco 2015, da Adega de Cantanhede; Volúpia, Bairrada branco 2015 das Caves do Solar de São Domingos

Vinho tinto
OURO: 2221 Terroir Cantanhede, Bairrada tinto 2011 da Adega Cooperativa de Cantanhede; Aliança Baga, Bairrada tinto 2009 da Aliança Vinhos de Portugal; Porta dos Templários, Bairrada tinto 2014 das Caves Arcos do Rei; Quinta da Lagoa Velha Premium, Bairrada tinto 2015 de Carlos Silva Neto; Tagarela, Bairrada tinto 2015 de Carlos Silva Neto; Vale da Brenha, Beira Atlântico Reserva Baga e Bastardo tinto 2013 de Manuel Jesus Silva
PRATA: Kompassus, Bairrada Reserva tinto 2013, de Kompassus;São Domingos Grande Escolha, Bairrada tinto 2012, das Caves do Solar de São Domingos; Vale da Brenha, Beira Atlântico Reserva Baga e Bastardo tinto 2012 de Manuel Jesus Silva

GRANDE OURO
Grande Medalha de Ouro, Encontro Baga, Bairrada tinto 2011 da Quinta do Encontro

Posted in Anadia, Bairrada, Sangalhos0 Comentários

Pergunta da semana

É assinante do Jornal da Bairrada?

View Results

Loading ... Loading ...
Newsletter Powered By : XYZScripts.com