Recortes.pt Leia no Recortes.pt

Arquivo | Sangalhos

Associação do Luxemburgo entrega donativo a Paula Martins

associacao_luxemburgo_donativo_paula_martins

A Associação Cultural e Humanitária da Bairrada no Luxemburgo (ACHBL) entregou, na penúltima quarta-feira, dia 7, um donativo de 6350 euros à família de Paula Martins, para que esta possa continuar a fazer a sua reabilitação numa clínica privada no Porto.
A oficialização da entrega do donativo foi feita nas Caves Aliança, com jantar oferecido pelo Restaurante Mugasa, cujo proprietário, Ricardo Nogueira, se tem mostrado muito sensibilizado com esta situação.
Têm sido, aliás, muitos os particulares, associações e empresas dedicados a esta causa, ajudando a recolher donativos ou participando em atividades para que Paula Martins tenha a melhor qualidade de vida possível.
Recorde-se que esta mulher de 39 anos viu a sua vida interrompida de forma abrupta quando, em janeiro de 2014, na preparação para uma intervenção cirúrgica, sofreu uma paragem cardiorrespiratória.
As sequelas deixaram-na num estado praticamente vegetativo: sem conseguir falar ou comunicar, tetraplégica, a usar fraldas, a ser alimentada por uma sonda e a ter de ser submetida a uma traqueostomia para respirar.
No último ano e meio, é a mãe que trata da Paula a tempo inteiro (Paula vive atualmente com os pais, em Recardães). Através de donativos e da recolha de bens recicláveis (muito fruto da dedicação das amigas Susana Santiago e Tânia Rato), Paula Martins tem realizado tratamentos na Clínica de Reabilitação Neurológica situada no Hospital da Ordem do Carmo, no Porto, cujos custos rondam os 6350 euros mensais.
Sensibilização. Presentes neste jantar, para além de elementos da direção da ACHBL, estavam membros do Rotary Clube de Oliveira do Bairro, cujo presidente, Fernando Castro, lembrou o envolvimento do clube neste caso. “Há um ano, Rotary foi alertado para esta situação e procuramos pelos nossos meios, em colaboração com os clubes de Águeda e Curia Bairrada, fazer uma campanha de angariação de fundos e sensibilizar a sociedade, que praticamente desconhecia este caso.”
Fernando Castro valorizou o papel interventivo de Susana Santiago e Tânia Rato: “Têm sido incansáveis. Elas têm sido as grandes mobilizadoras de tudo o que se tem feito e têm procurado fazer chegar a sua voz a muito lado e de muita forma.”
O anadiense Rogério Oliveira, que fundou e preside à ACHBL há mais de 20 anos, adiantou que a “pequenez” da associação não permite “ajudar muita gente todos os dias”. No entanto, “temos apoiado muitas causas”. Este caso sensibilizou a associação e, adiantou Rogério Oliveira, outros apoios estão já a ser analisados, informando que o próximo será para os Bombeiros de Portugal. “Não sabemos ainda qual a corporação, mas vamos ajudar os bombeiros, a nível nacional. Uma atribuição de cinco mil euros, que vamos discutir na próxima reunião de direção.”

Boa recetividade. Susana Santiago e Tânia Rato, também presentes neste jantar, sublinharam a JB que a recetividade e adesão da população às ações realizadas “têm sido muito boas”. Está já na forja uma iniciativa de grande impacto, nos dias 12 e 13 de novembro, no Espaço Inovação, em Oliveira do Bairro. “Será um evento com concertos e tasquinhas, em que as bandas/músicos e os DJ’s vão atuar gratuitamente, assim como o espaço foi cedido gratuitamente e a comida e as bebidas serão oferecidas”, destacaram as amigas de Paula Martins.

Oriana Pataco
oriana.b.pataco@jb.pt

Posted in Anadia, Por Terras da Bairrada, Sangalhos0 Comentários

Sangalhos/Geminação – Protocolo vai permitir intercâmbios e estágios

Sangalhos/Geminação – Protocolo vai permitir intercâmbios e estágios

Foi em ambiente de festa que a Associação das Geminações da Vila de Sangalhos recebeu, de 7 a 10 de julho, uma comitiva de cerca de 50 franceses, provenientes de La Chaize le Vicomte, cidade com a qual Sangalhos está geminada. Mas foi em êxtase que os anfitriões se despediram desta comitiva na noite de domingo, depois da seleção nacional ter dado aos portugueses a maior alegria que poderia dar, ao vencer, em Paris, a final do Europeu de 2016 perante a seleção de França.

Programa cultural. O vasto programa cultural integrou vários passeios pelo país. Foram, efetivamente, três dias intensos de partilha e de confraternização. Com quatro anos de geminação, os laços entre as duas comunidades estão criados e quase como uma família, estes três dias de reunião deram para matar saudades e viver novas e inesquecíveis experiências.
No dia 8, os anfitriões levaram os amigos franceses a conhecer um dos locais mais emblemáticos e belos do país: a zona do Porto e de Gaia, com visita à Real Companhia Velha e a uma descida das seis pontes do Douro em barco de cruzeiro. O dia terminou no quartel dos Bombeiros de Anadia onde assistiram ao encerramento do projeto “Ser bombeiros por uma semana”, assim como perceberam um pouco como funciona um quartel que presta socorro 24h/dia, 365 dias por ano e em regime de voluntariado.
O dia 9, foi também intenso e longo com uma saída bem cedo para visitar, no Bombarral, a Quinta dos Loridos. O dia terminaria na sede da Junta de Freguesia de Sangalhos com assinatura de protocolo, jantar que reuniu cerca de 120 pessoas, representantes de várias associações locais, e atuação do Coro Gospel Choir.
Por último, no domingo, todos puderam deliciar-se, em Sangalhos, com a animada e muito concorrida 1.ª edição da Feira de Artesanato que trouxe a esta vila artesãos de vários pontos do país.
Em dia de final de Europeu, com jogo entre a seleção nacional e a francesa, a vitória sorriu a Portugal mas todos viveram e partilharam as emoções de uma grande final em franca confraternização. Por isso, Silvana Marques confirmou que a derrota dos franceses não ensombrou os festejos e alegria dos sangalhenses. “Foi um momento de união e franca amizade. Lado a lado, todos juntos, sangalhenses e franceses festejaram a vitória da seleção lusa. No final, após uma despedida sentida, levaram as nossas bandeiras e cachecóis, demonstrando um grande fair play”, acrescentou Silvana Marques.

Vantagens do protocolo. Com a assinatura do protocolo, no âmbito da geminação, as duas associações estão já a pensar no próximo passo, em intercâmbios e estágios em áreas como a saúde, educação, cultura e desporto. Por isso, a sessão protocolar contou com a presença de Jorge Ribeiro, presidente do Sangalhos DC e de Ana Matias, comandante dos Bombeiros Voluntários de Anadia que deram a conhecer estas duas coletividades e a sua forma de trabalhar. Também por parte da comitiva francesa foi explicada a forma de trabalhar do clube de futebol local e a organização da vila em termos de proteção civil.
Aliás, Silvana Marques realça o facto de, já este ano, ter decorrido e com grande sucesso aulas de língua portuguesa, uma vez por semana, por videoconferência, a 15 franceses de La Chaize le Vicomte. As aulas estão a cargo da professora da Universidade de Aveiro, Maria José Loureiro e vão recomeçar em setembro, com o segundo ano. “Este ano alguns elementos da geminação que frequentam estas aulas já se conseguiram exprimir e comunicar em português”, avançou Silvana Marques, convicta de que o sucesso da iniciativa vai continuar a dar bons frutos. Por isso, faz um balanço muito positivo de mais esta jornada. Para o ano, será a vez da comitiva portuguesa regressar a França e ser recebida pelos seus pares.
Catarina Cerca

Posted in Anadia, Por Terras da Bairrada, Sangalhos0 Comentários

Sangalhos: 1.ª Feira de Artesanato e Sabores

Sangalhos: 1.ª Feira de Artesanato e Sabores

A Associação das Geminações da Vila de Sangalhos (AGVS) promove no próximo domingo, dia 10 de julho, a I Feira de Artesanato e Sabores na Vila de Sangalhos. O evento decorre das 10 à meia-noite e enquadra-se na vinda da comitiva francesa de La Chaize le Vicomte – cidade geminada com Sangalhos, ao concelho de Anadia.
De referir ainda que no âmbito da visita da comitiva francesa (cerca de 50 franceses) à vila de Sangalhos, entre 7 e 10 de julho, e integrado no programa cultural, foi programada uma sessão protocolar no dia 9 de julho, pelas 18h30, na sede da Junta de Freguesia de Sangalhos, seguindo-se um jantar e espetáculo com Coro Gospel Choir.
A sessão protocolar integra ainda a assinatura de protocolo de cooperação da AGVS com associações francesas convidadas.

Posted in Anadia, Por Terras da Bairrada, Sangalhos0 Comentários

1.ª Feira de Artesanato e Sabores pela mão da Associação das Geminações

A vila de Sangalhos vai ser palco, no dia 10 de julho, da 1.ª Feira de Artesanato e Sabores de Sangalhos.
A iniciativa está a ser organizada pela Associação das Geminações da Vila de Sangalhos (AGVS) e insere-se no âmbito da visita da comitiva francesa de La Chaize le Vicomte a Sangalhos.
A iniciativa, inédita na freguesia, vai decorrer entre as 10 e as 24h, no espaço anexo à Junta de Freguesia, na Rua Dr.º Seabra Dinis.
De acordo com Silvana Marques, da Associação das Geminações da Vila de Sangalhos, as expetativas são grandes, uma vez que tem havido uma forte adesão de artesãos, muitos oriundos de outras zonas do país, a esta 1.ª Feira. “Uma feira de artesanato que pensávamos ser pequenina, está a tomar uma proporção que jamais pensávamos tomar”, disse.
Por outro lado, a organização desta 1.ª Feira de Artesanato e Sabores visa ajudar à promoção, potencialização e amostragem das vertentes tradicional e criativa do artesanato existente no concelho de Anadia, bem como a nível nacional. Por outro lado, Silvana Marques destaca que poderá ser uma forma de “chamar a atenção e estimular a camada mais jovem da população para que valorize e se dedique ao artesanato, pela importância económica e social que tem”, quer a nível local, regional quer, ainda, a nível nacional e internacional.
No local haverá ainda tasquinhas de associações do concelho de Anadia e zonas de restauração para que os visitantes que queiram possam almoçar, jantar ou degustar algumas iguarias da região.
Podem participar neste certame artesãos a título individual, em representação de Câmaras Municipais, Regiões de Turismo, Centros de Artesanato e/ou Associações de Artesãos, desde que apresentem artesanato genuíno, e representativo da sua região. Poderão, ainda, participar quaisquer outras entidades, a definir pela organização desde que, de algum modo, possam enriquecer as finalidades da Feira.
As inscrições dos artesãos devem ser feitas por email: agvsangalhos2013@gmail.com.

Posted in Por Terras da Bairrada, Sangalhos1 Comentário

Hospital da Misericórdia de Sangalhos: Brinquedos doentes  foram ao hospital

Hospital da Misericórdia de Sangalhos: Brinquedos doentes foram ao hospital

Para celebrar o Dia Mundial da Criança (1 de junho), o Hospital da Misericórdia de Sangalhos preparou uma atividade dirigida a todas as crianças da freguesia, com idades compreendidas entre os 2 e 7 anos.
A iniciativa consistiu em receber as crianças com os seus brinquedos doentes, para que estes recebessem cuidados dos enfermeiros com o auxílio das próprias crianças.
De acordo com as enfermeiras, Ana Gonzalez e Soraia Rodrigues, “os brinquedos são utilizados para aliviar a ansiedade das crianças em situações atípicas para a sua idade, podendo ser úteis sempre que elas têm dificuldade em compreender ou lidar com novas experiências”.
Por isso, conhecendo a sua importância para as crianças em geral, “surgiu a ideia de os utilizar na explicação e preparação das crianças para procedimentos terapêuticos futuros, ajudando-as a compreender e a lidar com novas experiências”.
As enfermeiras Ana Gonzalez e Soraia Rodrigues destacaram ainda que “o principal objetivo consistiu em quebrar o «medo das batas brancas» que tantas crianças manifestam quando, em contexto de doença necessitam de receber cuidados dos profissionais de saúde em ambiente hospitalar”.
Com esta atividade, o Hospital da Misericórdia de Sangalhos pretendeu também promover a proximidade entres as crianças e os profissionais de saúde, para que esta se traduza em ganhos de saúde no futuro.
Neste dia de maior azáfama no Hospital, as principais queixas trazidas foram febre, dores de barriga, pernas e braços partidos, bem como alguns casos de varicela.
De acordo com as crianças “a febre era tão alta que até rebentou com o termómetro”…
Depois de várias avaliações, exames de diagnóstico e algumas “picas”, os brinquedos saíram bem-dispostos, e as crianças com sorrisos estampados na face.
Foi um dia diferente para as crianças e para os profissionais de saúde deste hospital que foram presenteados com a alegria contagiante dos mais pequenos.
Ana Gonzalez e Soraia Rodrigues não deixam de agradecer a todas as crianças, pais e instituições que tornaram esta atividade possível.

Posted in Anadia, Por Terras da Bairrada, Sangalhos0 Comentários

Sangalhos: Dia da Hipertensão Pulmonar comemorado no Velódromo

Sangalhos: Dia da Hipertensão Pulmonar comemorado no Velódromo

Decorreram no sábado, dia 7 de maio, no Centro de Alto Rendimento- Velódromo Nacional, em Sangalhos, as comemorações do Dia Mundial da Hipertensão Pulmonar (HP), envolvendo mais de 70 atletas de ginástica rítmica, ginástica artística, ciclismo de pista e de karaté.
À semelhança dos anos anteriores, estas comemorações tiveram como lema “Perca o fôlego pela HP”. Estiveram presentes mais de 150 pessoas durante o evento, tendo o almoço de convívio sido servido na Estalagem de Sangalhos.
Enquadradas nas atividades comemorativas, houve conferências, uma visita ao Museu das Caves Aliança, uma aula de relaxamento e demonstrações de vários desportos em simultâneo: ginástica rítmica e acrobática (pela Escola de Ginástica de Aveiro e pela Escola de Ginástica de Bad Düben, da Alemanha), ciclismo de pista (pela Seleção Nacional de Cadetes) e karaté (pelo Núcleo de Karate de Sangalhos).
O evento, organizado pela Associação Portuguesa de Hipertensão Pulmonar (APHP) em colaboração com o Grupo Sunlive, contou com o apoio da Câmara Municipal de Anadia e teve como objetivo assinalar o Dia Mundial da HP, uma doença rara e mortal que afeta os pulmões e o coração.
Quem apadrinhou o evento foi Filipa Martins, atleta de Ginástica Artística do Sport Club do Porto e que vai representar Portugal nos Jogos Olímpicos do Brasil já este ano. A atleta refere que “é com muito orgulho que me associo a esta causa tão nobre e que perco o fôlego pela hipertensão pulmonar”.

Sintomas. Teresa Carvallho, colaboradora da APHP, refere que “um dos sintomas mais debilitantes da HP e o que melhor caracteriza esta doença é a falta de ar, o que dificulta muito a realização de tarefas diárias tão simples como caminhar pequenas distâncias ou subir escadas. Todos os anos, no âmbito do Dia Mundial da HP, organizamos atividades desportivas para que os participantes (que são pessoas comuns, saudáveis) se cansem, que percam o fôlego, para que se sintam como um doente de HP se sente habitualmente: cansado, com falta de ar. Para além de ter sido um evento memorável, o Dia Mundial da HP foi uma excelente forma de unir a comunidade de doentes de HP, que vieram de vários pontos do país, e que também nos permitiu divulgar a doença à população local que se demonstrou muito participativa”.

Impacto da doença. Em Portugal existem cerca de 300 doentes diagnosticados com a doença, que afeta milhares de pessoas em todo o mundo. A APHP acredita que estejam dezenas de casos por diagnosticar, dado que é uma condição que reúne vários sintomas inespecíficos e que tornam o diagnóstico muito difícil. É uma doença que afeta pessoas de todas as raças e idades e que, e não for tratada, a taxa de mortalidade pode ser superior a alguns cancros, como o da mama ou o colo-retal.
Esta doença grave e progressiva pode dificultar as tarefas do dia-a-dia e ter um impacto muito grande na qualidade de vida dos doentes. Existem 5 tipos de HP e cada um afeta de forma diferente os doentes, uma vez que existem várias causas da doença e diferentes formas desta se expressar. Não há cura para esta doença, mas existem várias opções de tratamento que ajudam a controlar a doença: fármacos, terapia com oxigénio e transplante de pulmões (nos casos mais graves).

Posted in Anadia, Por Terras da Bairrada, Sangalhos0 Comentários

Sangalhos: Vinagre Moura Alves vence concurso nacional

Sangalhos: Vinagre Moura Alves vence concurso nacional

O Vinagre Moura Alves é produzido em Sangalhos, por método completamente artesanal, e acaba de vencer a 3.ª edição do Concurso Nacional de Vinagres de Vinho e outros Vinagres Tradicionais Portugueses que decorreu no passado dia 13 de abril, no CNEMA – Centro Nacional de Exposições e Mercados Agrícolas, em Santarém, promovido pela Qualifica/oriGIn Portugal.
Sobre este importante prémio, JB conversou com Isabel Alves, diretora comercial e filha do produtor e conhecido enólogo Rui Moura Alves.
“Foi a primeira vez que concorremos a este concurso. Como deve compreender, estamos muito felizes por vencer nas duas principais categorias”, avança.
O concurso realizou-se em Santarém, onde estiveram presentes a concurso 17 vinagres de vinho nacionais, completamente artesanais e produzidos apenas por pequenos produtores.
Um certame que visa premiar, promover, valorizar e divulgar os Vinagres de Vinho e outros Vinagres Tradicionais, genuínos e exclusivamente produzidos em Portugal.
“O nosso vinagre ganhou a Medalha de Ouro na categoria de vinagres de vinho e ganhou o prémio Melhor dos Melhores de todas as categorias”, diz com orgulho a diretora comercial da Vinagreira Moura Alves, que produz atualmente dois tipos de vinagre: o vinagre que foi a concurso e que tem um estágio de 10 anos e o vinagre Reserva Especial que estagia entre 14 e 15 anos, produzido a partir de vinhos mais graduados. “O vinagre Reserva Especial ainda não está no mercado mas vai ser apresentado durante a Feira Nacional de Agricultura, que vai decorrer, em junho, em Santarém”, sublinha Isabel Alves, que a JB destaca o longo processo na produção deste vinagre único e tão exclusivo: “O nosso vinagre é feito por um processo inteiramente artesanal, pois demora 10 anos a transformar o álcool em ácido acético”.
Em estágio na vinagreira estão, neste momento, cerca de 50 mil litros de vinagre.
“Vendemos cerca de 2.500 litros de vinagre por ano, um valor que tem vindo a aumentar substancialmente, mas é preciso ter presente que vendemos garrafas de 100, 250 e 500 ml, o que significa que precisamos de vender milhares de garrafas”.
“Não existe segredo na produção deste vinagre. É um vinagre natural, feito apenas com vinho de qualidade. Não fazemos vinagre de vinho azedo. Isso é um erro”, destaca a responsável, para quem o prémio agora alcançado é “o reconhecimento de décadas de trabalho, uma vez que neste tipo de vinagre fomos os primeiros que, no país, iniciámos a comercialização”.
A zona de Lisboa e o Norte do país são os principais destinos deste nobre vinagre. “Os nossos clientes são muito garrafeiras, lojas gourmet, sendo o maior cliente o El Corte Inglés, que todas as semanas faz encomendas. Não vendemos para grandes superfícies, pois este é um produto delicado e muito seleto”, destaca, salientando ser este prémio “muito bom para a promoção do nosso vinagre”, mas porque o prémio lhes dá o direito de participar com stand próprio na 53.ª edição da Feira da Agricultura, que se realiza em Santarém, de 4 a 11 de junho, assim como, durante um ano, a rotulagem deste vinagre irá ser acompanhada por uma “medalha de ouro”.
Isabel Alves recorda ainda como começou a aventura da produção de vinagre: “o projeto foi iniciado na década de 80, por brincadeira. Como tínhamos o laboratório de análises enológicas e muito vinho de amostras, o meu pai decidiu começar a aproveitar o que sobrava das melhores amostras e tentar fazer vinagre. Uma experiência que ao fim dos primeiros 10 anos foi dada a provar a um leque de amigos, que ficou rendido à qualidade do vinagre. A aprovação foi de tal ordem que lhe ofereceram o rótulo (imagem) para o incentivar a comercializar. O grande amigo Luís Lopes, diretor da Revista de Vinhos, foi um dos maiores impulsionadores deste projeto, tal como mais tarde o chef Hélio Loureiro”.
Há uma década que o negócio assumiu uma dimensão séria e profissional. Neste momento, o vinagre Moura Alves é exportado para Canadá, França, China e Bélgica.
Catarina Cerca

Posted in Anadia, Por Terras da Bairrada, Sangalhos0 Comentários

Sangalhos: Parque infantil do Passal regressou à Câmara

Sangalhos: Parque infantil do Passal regressou à Câmara

O mau estado de conservação em que se encontra o parque infantil no jardim do Passal, junto à Igreja Matriz de Sangalhos, não é a primeira vez que é abordado em reunião de câmara.
A vereadora Lígia Seabra, do PSD, justificou a necessidade urgente de intervir naquele local porque aquele equipamento, já com muitos anos, não é seguro para as crianças, para além de não cumprir a legislação em vigor.
Embora esteja localizado num sítio privilegiado, a vereadora diz que não é usufruído dado o piso ser em areia e já ter os equipamentos antiquados e degradados.
Por isso, também o autarca António Floro, em entrevista a JB, tenha já defendido a requalificação deste equipamento, ainda que, na altura, tenha referido que tal só será possível com apoio da Câmara Municipal.
Agora, na reunião de executivo Lígia Seabra questionou a edil Teresa Cardoso sobre esta intervenção: “Para quando a requalificação do mesmo?”, lembrando que “da última vez respondeu-me que no Orçamento de 2016 estava verba aprovada para os parques infantis, dependeria das conversas com os presidentes de junta”.
Na ocasião, a edil Teresa Cardoso admitiu estar nos planos da Câmara Municipal requalificar os parques infantis que exigem uma verificação devido à legislação em vigor, tendo, por isso, solicitado o reforço de equipas técnicas nesta área.
A substituição do equipamento e requalificação do parque infantil aguarda orçamentos para depois se poder avançar com este melhoramento tão desejado pelos casais da freguesia com filhos pequenos.
CC

Posted in Anadia, Por Terras da Bairrada, Sangalhos0 Comentários

Sangalhos: Onda solidária a favor da Paula para  ajudar a custear tratamentos e recuperação

Sangalhos: Onda solidária a favor da Paula para ajudar a custear tratamentos e recuperação

 

“A Paula não quer desistir! Então não sejamos nós a cruzar os braços. Não vamos virar as costas à Paula.” É desta forma que familiares e amigos falam da Paula Alexandra Martins, de 38 anos, através da página criada no facebook para dar a conhecer o seu caso, mas também para divulgar as inúmeras iniciativas em curso que visam angariar fundos para ajudar os pais a suportar os tratamentos dispendiosos que está a realizar numa clínica privada, na cidade do Porto.
Melhorar o mais possível a qualidade de vida da Paula é o objetivo último, ainda que todos estejam cientes de que a jovem jamais voltará a ser como era.

Paragem cardiorrespiratória. A vida da Paula Alexandra foi, até aos 36 anos, perfeitamente normal. Casada, com dois filhos, tratava da casa, da família, assim como colaborava nas tarefas administrativas da empresa do marido. Tinha uma vida pela frente, com projetos e sonhos, como qualquer outra pessoa. Uma vida interrompida de forma abrupta quando, em janeiro de 2014, na preparação para uma intervenção cirúrgica, sofreu uma paragem cardiorrespiratória.
As sequelas deixaram-na num estado praticamente vegetativo: sem conseguir falar ou comunicar, tetraplégica, a usar fraldas, a ser alimentada por uma sonda e a ter de ser submetida a uma traqueostomia para respirar.
Nestes últimos dois anos, tem estado presa a uma cama, sem qualquer perspetiva de melhorar. O seu corpo é a sua prisão e depende 24h/dia da ajuda de terceiros. Passou por um Centro de Reabilitação, por uma Unidade de Cuidados Continuados, por uma Clínica, mas nos últimos 15 meses é a mãe que trata da Paula a tempo inteiro.

Recuperação lenta. Apesar do tempo que já passou, familiares e um grupo de amigos não desistem e fazem tudo por um sinal de melhoras. Como se diz, “enquanto há vida, há esperança” e é essa máxima que os impele a procurar soluções que, se não podem trazer a “velha” Paula de volta, lhe proporcione, ao menos, mais qualidade de vida.
Assim, através da amiga Susana Santiago, proprietária do comércio Girassol do Futuro, em Sangalhos, a família teve conhecimento da existência de uma Clínica de Reabilitação Neurológica situada no Hospital da Ordem do Carmo, no Porto, especializada em tratar pessoas com doenças neurológicas. Um espaço onde uma equipa mista de médicos, terapeutas e outros profissionais de saúde, com vasta experiência pluridisciplinar tratam de várias patologias do foro neurológico.
A equipa é coordenada pelo médico cubano Lázaro Álvarez que, depois de realizar uma avaliação em novembro de 2015, confirmou a possibilidade de alguma recuperação vista pelos mais próximos de Paula como a derradeira tentativa para a resgatar do estado em que se encontra.
Lurdes Martins, mãe de Paula, sublinha que estão a tentar estimular algumas funções cerebrais, mas reconhece que este é um processo muito lento. A acompanhar a filha no Porto, garante que irá até onde as suas forças permitirem, pois é a única filha que tem. Nunca se conformou com o destino e juntamente com o marido, Amadeu Martins, (residentes em Recardães, Águeda) têm sido os principais responsáveis na luta pela recuperação de Paula, juntamente com outros familiares e muitos amigos, aos quais se começam agora a juntar muitos anónimos, numa enorme onda solidária.
“A recuperação é lenta, mas já é visível. A Paula reagiu muito bem ao primeiro ciclo de tratamentos (estímulos cerebrais, ozono, terapia da fala, terapia ocupacional, fisioterapia), mas precisa continuar os tratamentos”, diz Susana Santiago, amiga e grande impulsionadora da campanha “Um donativo pela Paula”.
Neste momento, a Paula está no segundo mês de um ciclo de mais 28 sessões de tratamento. O único senão é o custo mensal (6.350 euros), que os pais não podem suportar.

Onda solidária. De boca em boca ou através das redes sociais, a verdade é que se está a formar uma onda solidária na recolha de material vário para reciclar. Familiares, amigos e voluntários pedem a todos que recolham tampinhas das garrafas de plástico, latas de sumos, rolhas de cortiça, jornais, revistas, cartão. Tudo isto vale dinheiro que pode ajudar a suportar os custos com os tratamentos da Paula. “É só dizerem que têm que vou recolher. Não vamos desistir da Paula”, diz Susana Santiago, que fala de ideias e projetos a desenvolver em 2016, entre os quais um jantar concerto solidário, já no próximo dia 20 de maio, no restaurante D. Rogério (Oiã), seguindo-se uma caminhada solidária, em data a marcar.

Como pode ajudar

Conta solidária a favor da Paula
IBAN PT50003502850007465690091 BIC CGDIPTPL

Locais de recolha de material para reciclar
Centro Paroquial de Aguada de Cima, de preferência ao sábado à tarde (quando se encontra alguém), durante a semana se não tiver ninguém pode-se deixar à porta; Bombeiros Voluntários de Vagos; Café “Aposta Aqui”, fica atrás do ginásio Knock-Out Health Club, Edifício a Torre, em Aveiro, perto do Jumbo; Imobiliária GuiaImóvel em frente ao ginásio Knock-Out Health Club, Aveiro e em Sangalhos, no Girassol do Futuro e também na sede do Jornal da Bairrada, em Oliveira do Bairro.

Facebook
“Um donativo para a Paula” é o nome da página criada por familiares e amigos da Paula no Facebook. Ali é feito um apelo à generosidade de todos, mas também que todos visitem e partilhem esta página, por forma a chegarem mais longe, nesta rede solidária.

Catarina Cerca

 

Posted in Águeda, Anadia, Destaque, Por Terras da Bairrada, Sangalhos0 Comentários

Bairrada é palco de grandes e reputados eventos vínicos

Os gloriosos tempos estão a voltar à Bairrada. Mas como nada se faz sem trabalho, há que caminhar trabalhando… Prova de que o pior já era, são as várias distinções que o sector vitivinícola tem trazido para a região. Este ano é também marcado pela realização de grandes eventos na Bairrada, o que revela o seu enorme potencial, não apenas no vinho. A região vai ser palco de três grandes eventos vínicos. O primeiro é já amanhã, com a realização da 19.ª Gala da Revista de Vinhos, na qual são consagrados ‘Os Melhores do Ano de 2015’. Seguem-se o concurso Portugal Wine Trophy e a Gala de Entrega dos Prémios do Concurso Vinhos de Portugal.
A Revista de Vinhos elegeu a Bairrada para a realização da 19.ª edição da Gala ‘Os Melhores do Ano 2015’. Este é um evento épico onde a publicação distingue os melhores vinhos provados durante o ano findo, ao mesmo tempo que atribui cerca os tão aguardados ‘Prémios Especiais’ a um conjunto de empresas e personalidades, galardoadas com as “famosas” estatuetas prateadas. A cerimónia, já conhecida como os “Óscares do Vinho”, acontece amanhã no coração da Bairrada, tendo como palco o Centro de Alto Rendimento de Sangalhos, no concelho de Anadia, reunindo cerca de 1000 pessoas do sector do vinho e da gastronomia portuguesa, sendo a maior concentração de profissionais do ramo em Portugal, conta com o apoio do Município de Anadia.
Anadia, mas desta vez a cidade, vai também ser palco de outro evento, desta vez de âmbito internacional. Referimo-nos ao ‘Wine Trophy’ – que este ano se intitula de ‘Portugal Wine Trophy 2016’ porque se realiza no nosso país –, considerado um dos mais importantes e maiores concursos mundiais de vinhos. Este ano Portugal foi o país escolhido, tendo como centro de operações o Museu do Vinho Bairrada, entre os dias 05 e 08 de Maio. Habitualmente realizado em Berlim, a edição anterior teve lugar na Coreia do Sul, em Daejeon.
Durante o mês de Maio a Bairrada volta a receber um importante acontecimento: a última prova, na qual são eleitos as Grandes Medalhas de Ouro, e a cerimónia de entrega de prémios do Concurso Vinhos de Portugal. O primeiro momento conta com a presença de sonantes nomes da crítica internacional – Dirceu Viana Júnior, Jancis Robinson e Joshua Greene – e vai ter lugar no Museu do Vinho Bairrada, em Anadia, e o segundo no Bussaco Palace Hotel, situado na Mata do Bussaco, no Luso.

Posted in Anadia, Por Terras da Bairrada, Sangalhos0 Comentários

SFImobiliaria

Pergunta da semana

É assinante do Jornal da Bairrada?

View Results

Loading ... Loading ...
Newsletter Powered By : XYZScripts.com