Recortes.pt Leia no Recortes.pt

Arquivo | Sangalhos

Autocaravanistas celebram Natal em Sangalhos

Cerca de 140 pessoas, distribuídas por 65 autocaravanas escolheram o Parque de Pernoita para Autocaravanas de Sangalhos, em espaço contíguo à Junta de Freguesia, para celebrar o Natal.
À semelhança de anos anteriores, esta foi a terceira vez que este numeroso grupo passou um final de semana, de 6 e 7 de dezembro, em Sangalhos.
Oriundos de vários pontos do país, autocaravanistas, pertencentes ao Clube Português de Autocaravanismo aproveitaram para conhecer a freguesia e o concelho.
Os almoços e jantares decorreram no salão de festas da Junta de Freguesia, mas o grupo, dadas as magníficas condições do parque inaugurado em maio de 2010 pela autarquia local, acabou por ficar neste local entre duas e três noites.
O autarca António Floro mostrou-se muito satisfeito com a preferência por este espaço disponibilizado pela autarquia, sublinhando que o mesmo tem sido bastante procurado, ao mesmo tempo que revela que, em 2015, já está previsto o regresso deste grupo para mais duas estadias em Sangalhos.
O autarca de Sangalhos reconhece que o espaço tem sido muito procurado e que ao longo de todo o ano se podem ver autocaravanas naquele local, sendo uma mais-valia para a freguesia.

Posted in Anadia, Sangalhos0 Comentários

Sangalhos: “Calinas” recebe prenda de Natal antecipada

Sangalhos: “Calinas” recebe prenda de Natal antecipada

Nesta quadra natalícia, os gestos solidários e a boa vontade assumem uma maior importância, acabando por tocar mais corações.
Em Sangalhos, um grupo de amigos e conhecidos decidiu abraçar uma causa solidária a favor de um filho da terra.
Sob o lema “ Unidos por uma causa”, no passado sábado, dia 13 de dezembro, entregaram a Manuel Fernandes, mais conhecido por “Calinas” uma scooter adaptada à sua mobilidade reduzida, que lhe possibilitará agora uma maior autonomia.
A iniciativa de angariação de fundos decorreu durante o último mês e envolveu amigos da terra e fora dela que, conhecendo “Calinas” há vários anos – alguns andaram na escola primária com ele -, se uniram por forma a ajudá-lo.
Com graves problemas de saúde (diabetes) teve, em 2013, de se submeter à amputação de uma perna, ficando bastante limitado em termos de locomoção. Como reside sozinho, dependia das suas canadianas para todas as deslocações.
Pessoa bastante humilde e de parcos recursos económicos, pode agora deslocar-se com extrema facilidade para vários pontos, já que o veículo, orçado em 2 mil euros, lhe permite essa mobilidade.
Na ocasião, bastante sensibilizado com o gesto, “Calinas” agradeceu a todos aqueles que contribuíram com donativos para a aquisição deste veículo.
Catarina Cerca

Posted in Anadia, Por Terras da Bairrada, Sangalhos0 Comentários

Sangalhos: Única aluna do 4.º ano coloca Escola da Fogueira no top (público) do ranking

Sangalhos: Única aluna do 4.º ano coloca Escola da Fogueira no top (público) do ranking

A Escola Básica do 1.º Ciclo da Fogueira, atualmente designada por Sangalhos D, alcançou o melhor lugar – das escolas públicas – no ranking nacional relativo aos exames do 4.º ano (Português e Matémática), no ano letivo 2013/2014.
No ranking geral do 1.º CEB agora conhecido, esta pequena escola surge em 3.º lugar. À sua frente estão apenas dois estabelecimentos de ensino privados, um de Lisboa e outro de Coimbra.
O insólito do caso prende-se com o facto de ter sido apenas uma aluna a realizar exames do 4.º ano naquela escola.
A pequena Matilde Marinho, de 9 anos, conseguiu esta proeza para a escola ao obter no exame de Português 90% (nível 5) e 87% (nível 4) a Matemática. O somatório dos dois exames atribui à escola uma média de 88,5%, catapultando-a para o 3.º lugar no ranking nacional, sendo a 1.ª das escolas públicas.

Professora orgulhosa. A professora Lúcia Silva dá aulas nesta pequena escola de aldeia vai para uns 15 anos e, com 33 anos de profissão, não poderia estar mais orgulhosa de uma aluna. “A Matilde é, desde o 1.º ano, uma menina muito atenta, aplicada, muito responsável”, recorda. Por isso, sempre acreditou nas suas capacidades e no facto dela conseguir tirar boas notas nos exames, embora os fatores nervosismo, ansiedade e medo, por vezes sejam verdadeiras “ratoeiras”, bloqueando os melhores alunos, tanto mais que foi a única aluna desta escola a ter de se deslocar para um Centro Escolar vizinho onde fez os exames, num ambiente que lhe era completamente desconhecido.
Habituada a trabalhar com grupos pequenos, no ano transato, a sala da professora Lúcia tinha um total de nove alunos (um aluno do 1.º ano, um do 2.º, seis do 3.º e uma aluna no 4.º ano).
Este ano, o panorama é semelhante. São sete alunos, mas distribuídos por apenas dois anos (2.º e 4.º ano).
Embora reconheça que estas turmas pequenas lhe têm permitido tirar notas muito jeitosas nos exames, sabe, melhor do que ninguém, que não é fácil estar numa escola agora de lugar único, com os quatro graus de ensino.
Como explicou a JB, “não é fácil planificar aulas diárias para diferentes graus de ensino, fazer fichas de trabalho, sumários, tudo diferente, consoante os anos”. E, depois, dentro de cada ano, avança existirem também alunos ou grupo de alunos que estão mais avançados ou mais atrasados. “Acabo por não estar a dar trabalho a dois anos mas a mais, consoante o estado de evolução/aprendizagem de cada criança”, admite a docente.
Recorda com saudade o tempo em que havia mais crianças, mais docentes. Hoje, são cada vez menos as crianças nesta escola condenada ao encerramento (talvez ainda este ano), quando abrir o novo Centro Escolar de Sangalhos. Uma situação que admite ter-se agravado com o encerramento do Jardim de Infância, localizado paredes meias com a Escola.

Sonha com a área da Saúde. Matilde Marinho é hoje aluna do 5.º ano na EB 2/3 Dr. Acácio de Azevedo, em Oliveira do Bairro. Aluna empenhada e trabalhadora, continua a tirar boas notas, apesar da mudança que se sabe ser enorme quando um aluno passa da primária para o segundo ciclo.
A Matemática e o Português continuam a ser matérias muito queridas para esta aluna e, recordando os dias em que fez os exames, diz que, apesar de terem corrido bem, não esperava tanto.
“Achei que podia ter boas notas, mas estava nervosa pois não conhecia ninguém na escola onde fiz os exames” e sublinha que as notas que alcançou mostram que, “embora estas pequenas escolas de aldeia sejam desvalorizadas, não lhes sendo dada grande importância, agora são obrigadas a reconhecer que basta uma pessoa para mudar tudo”. Foi o seu caso. Para os pais, Maria do Céu Marinho e Ramiro Marinho, esta foi uma muito agradável surpresa, motivo do maior orgulho.
Hoje, a Matilde diz estar completamente integrada no 2.º ciclo, ter muitos amigos e gostar muito da nova escola.
Catarina Cerca

Posted in Anadia, Por Terras da Bairrada, Sangalhos0 Comentários

Voluntários para apoio ao estudo na Casa da Criança, em Sangalhos

O Banco Local de Voluntariado de Anadia (BLVA), coordenado pela Câmara Municipal de Anadia, procura voluntários para colaborarem no projeto de acompanhamento ao estudo dirigido às crianças que frequentam a Casa da Criança de Sangalhos (Centro de Acolhimento Temporário para Crianças e Jovens em Perigo).

Este projeto, que o BLVA dinamiza há já alguns anos, visa o acompanhamento e apoio ao estudo de crianças dos 6 aos 12 anos, constituindo uma grande alavanca no sucesso do seu percurso escolar. Neste momento, são necessários voluntários para acompanhar o estudo de Português e de Matemática das 17 crianças da Casa da Criança de Sangalhos que se encontram matriculadas em escolas dos 1º, 2º e 3º Ciclos do Ensino Básico.

Lembramos que o BLVA pretende ser um espaço de encontro entre pessoas que expressam vontade de ser voluntários, bem como de entidades promotoras que reúnam condições para integrar esses mesmos voluntários.

As informações sobre o BLVA estão disponíveis em www.cm-anadia.pt (Serviços > Ação Social) e os interessados em obter esclarecimentos poderão contactar esta entidade pelo telefone 231510486 ou através do endereço de correio eletrónico voluntariado.anadia@hotmail.com.

 

Posted in Anadia, Por Terras da Bairrada, Sangalhos0 Comentários

Sangalhos: 94 Anos de História Caves S. João, a primeira aguardente vínica DOC Bairrada no mercado

Sangalhos: 94 Anos de História Caves S. João, a primeira aguardente vínica DOC Bairrada no mercado

As Caves S. João, localizadas em Sangalhos, acabam de lançar para o mercado mais um “pedaço” da sua notável história com o lançamento do 94 Anos de História. Mais um passo em direção ao Centenário. Trata–se de uma aguardente vínica velhíssima 1965 DOC Bairrada n.º 1, comemorativa do projeto Centenário – 5.ª edição.
A empresa escolheu o Encontro com Vinho e Sabores 2014, que decorreu de 7 a 10 de novembro, no Centro de Congressos de Lisboa, para fazer a apresentação desta aguardente, numa Prova Especial – “Os Gloriosos Anos 60 das Caves São João” que a organizadora do evento – Revista de Vinhos – preparou para esta 15.ª edição.
Foi no último domingo, que as Caves S. João lançaram este nova aguardente, dando corpo à 5.ª edição comemorativa do projeto do Centenário das Caves S. João, que culminará em 2010 com o lançamento do 100 Anos de História, a última edição do projeto.
Agora, as Caves São João voltam a fazer história ao lançarem no mercado a primeira Aguardente com a Denominação de Origem Bairrada. A Aguardente Vínica Velhíssima 1965 DOC Bairrada – n.º1 já está disponível e foi apresentada no âmbito da prova intitulada ‘Os Gloriosos Anos 60 das Caves São João’.
Caberia à administradora da empresa, Célia Alves e a José Carvalheira (enólogo consultor), a apresentação, num evento que contou com a presença dos sócios-gerentes e administradores, Fátima Flores e Manuel José Costa.
Esta edição apresenta um rótulo alusivo à década de 60-70, os chamados “Anos Rebeldes” que nos fazem recordar a quinta década de existência das Caves São João. Foi precisamente nesta década que as Caves São João começam a destilar aguardente.

Posted in Anadia, Por Terras da Bairrada, Sangalhos0 Comentários

Sangalhos: Aceitam-se voluntários para dar apoio ao estudo

O Banco de Voluntariado de Anadia, coordenado pela Câmara Municipal de Anadia, procura voluntários para colaborarem no projeto de acompanhamento ao estudo dirigido às crianças que frequentam a Casa da Criança de Sangalhos (Centro de Acolhimento Temporário para Crianças e Jovens em Perigo).
Este projeto, que o Banco Local de Voluntariado de Anadia dinamiza há já alguns anos, visa o acompanhamento e apoio ao estudo de crianças dos 6 aos 12 anos, constituindo uma grande alavanca no sucesso do seu percurso escolar. No presente ano letivo, o Banco Local de Voluntariado necessita de voluntários que se proponham dar continuidade a este projeto tão importante para as 17 crianças da Casa da Criança de Sangalhos que, atualmente, se encontram matriculadas em escolas dos 1.º, 2.º e 3.º ciclos do Ensino Básico.

Posted in Anadia, Por Terras da Bairrada, Sangalhos0 Comentários

Sangalhos: Feira Outonal fomenta aquisição de bons hábitos alimentares

Sangalhos: Feira Outonal fomenta aquisição de bons hábitos alimentares

A Feira Outonal, projeto da iniciativa do Jardim de Infância e das turmas A e F da Escola Básica de Sangalhos, do Agrupamento de Escolas de Anadia, decorreu, no passado dia 17 de outubro, entre as 10h30 às 12h30, no recinto da Escola da Pista, em Sangalhos.
O evento incluiu a promoção das hortas biológicas/pedagógicas existentes na comunidade local e das vantagens existentes destas na sensibilização aos alunos para atingir modos de vida mais saudáveis.
Os produtos hortícolas e outros foram gentilmente oferecidos pelos pais e encarregados de educação. Todos os alunos participaram com entusiasmo e motivação na organização e preparação da feira e fizeram a sua divulgação junto da comunidade local, a qual também aderiu à iniciativa contribuindo com a sua presença e com a aquisição dos produtos expostos.
Desta forma, a feira voltou a encher de cor o “coração” de toda a comunidade escolar, fazendo dos alunos comerciantes por um dia.
Fomentar a aquisição de bons hábitos alimentares, reconhecer a importância de uma alimentação racional e equilibrado desenvolvimento das crianças, fomentar atividades em grupo que visam a socialização, sensibilizar para o excesso de consumo de determinados alimentos, reconhecer a importância das explorações agrícolas familiares e vivenciar experiências do comércio tradicional foram alguns dos principais objetivos desta iniciativa.
Amílcar Costa

Posted in Anadia, Por Terras da Bairrada, Sangalhos0 Comentários

Vinhos Bairrada: Rosé Quinta do Poço do Lobo estreia-se em grande

O vinho Quinta do Poço do Lobo Reserva Baga & Pinot Noir Rosé 2013 Bairrada, produzido pelas Caves São João (S. João da Azenha, Sangalhos) foi um dos grandes vencedor do 4.º Concurso de Vinhos e Espumantes Bairrada, arrecadando a Medalha de Ouro na categoria de vinho rosé.
Trata-se do primeiro lançamento de um vinho nesta categoria – Rosé Bairrada com a marca Quinta do Poço do Lobo. Esta primeira edição foi elaborada com as castas Baga e Pinot Noir, com fermentação parcial e ligeiro estágio em barrica.
A apresentação à comunicação social e lançamento deste novo néctar foi realizada durante o Encontro com o Vinho e Sabores Bairrada, realizado de 3 a 5 de outubro, no Velódromo Nacional, em Sangalhos.
Os visitantes não ficaram indiferentes e a recetividade foi muito boa. De resto, este vinho já foi apresentado à Revista de Vinhos que considerou um rosé “de perfil muito elegante, com fruta muito delicada, especiarias, um fino toque floral, que mostra uma cor blush aberta. Leve, sofisticado, fresquíssimo, um rosé de puro prazer”.

Frei João Reserva Tinto 2011 é Medalha de Ouro Internacional no Concurso AWC Viena 2014. As Caves São João voltam a estar em destaque, desta feita com um tinto da marca Frei João medalhado com ouro, num concurso internacional de Viena. Este vinho, que resulta de uma criteriosa seleção de uvas da Bairrada das castas Baga, Touriga Nacional e Cabernet Sauvignon, teve uma vinificação cuidada com fermentação em lagares, estagiando durante 11 meses em pipas de carvalho francês de 450 litros.
Possui cor profunda, o seu aroma é dominado por notas frutadas, especiarias, e de madeira de carvalho. O sabor é encorpado e bastante persistente, possuindo taninos redondos.
Esta colheita já está disponível para comercialização.

Posted in Anadia, Por Terras da Bairrada, Sangalhos0 Comentários

Sangalhos: Seguro escolar cobrado pela Misericórdia aos pais pode ser desnecessário

Sangalhos: Seguro escolar cobrado pela Misericórdia aos pais pode ser desnecessário

Os oito euros anuais para seguro escolar cobrados pela Misericórdia de Sangalhos a cerca de 20 encarregados de educação com crianças na EB n.º1 de Sangalhos (Cruzeiro), que almoçam em instalações da Misericórdia (mas não frequentam o ATL), poderá ser desnecessário, já que todas as crianças e jovens que frequentam a rede escolar pública estão abrangidas por um seguro escolar suportado pelo Ministério da Educação e que cobre também a hora do almoço. Assim, o montante que vem sendo cobrado nos últimos anos poderá não ter cabimento.

Trapalhada com o período de almoços. No centro da questão está uma confusão que se prende com o período de almoço. A maioria dos alunos da EB almoça nas instalações do Centro de Bem Estar Infantil da Misericórdia de Sangalhos, no âmbito de um protocolo entre a Câmara de Anadia e a instituição, que dista uns escassos 100 metros da escola.
As crianças vão, a pé, para o local onde almoçam, regressando à escola para as aulas da tarde, sempre acompanhadas por funcionárias da instituição. Ora a questão prende-se precisamente com o hiato de tempo entre o momento em que os alunos saem e regressam à escola, período este em que permanecem nas instalações da Misericórdia.
JB sabe que, na primeira reunião com os pais, em setembro, ter-lhes-á sido pedida pela Misericórdia aquela verba, relativa ao seguro escolar. No entanto, a mesma poderá não passar de uma duplicação de seguro, uma vez que, de acordo com o Despacho n. 18987/2009, referente ao Programa de Generalização do Fornecimento de Refeições Escolares aos Alunos no 1.º Ciclo, “os acidentes decorrentes na prestação do serviço de fornecimento de refeições escolares que envolvam alunos no âmbito da execução do Programa são cobertos por seguro escolar, nos termos legais”.
Manuel Gamboa, provedor da Misericórdia de Sangalhos, explica que a decisão de cobrar o seguro “tem alguns anos” e surgiu quando a instituição foi confrontada com a questão dos acidentes. “Como nunca houve resposta efetiva da escola no momento dos mesmos e para nos precavermos, propusemos este produto aos pais, que até hoje aceitaram, aliás percebendo que era uma melhoria em termos de serviço”, destaca.
Contudo, a questão do seguro foi agora levantada numa reunião pública do executivo de Anadia, tendo a edil Teresa Cardoso sido questionada sobre o seguro e o seu enquadramento. Na altura, a presidente de Câmara mostrou-se surpresa com a questão colocada pela vereadora Lígia Seabra, já que desconhecia tal situação, deixando a promessa de que se iria inteirar do problema.
Agora, o provedor justifica que “perante o risco inerente a este transporte e permanência nas nossas instalações, entendemos que deveria existir um seguro”, exigindo ver a apólice. “Essa apólice tem de vir às nossa mão para, de facto, deixarmos de cobrar esse valor”, diz, admitindo ter já consultado o Instituto Nacional de Seguros: “não é assim tão líquido que essa apólice escolar cubra os riscos todos”.
Embora o protocolo com a autarquia de Anadia especifique o local do almoço (refeitório da Misericórdia), o provedor defende que “têm de nos dizer por escrito como é. Estamos à espera desses esclarecimento por parte da DGEstE para ver qual o procedimento a tomar em caso de acidente e quem contactar”.
Manuel Gamboa admite que “na dúvida fizemos uma opção”, pelo que será feita uma proposta aos pais de manterem o seguro mas, alerta: “se eles não aceitarem, a responsabilidade é remetida para os próprios e para a escola”, estranhando ainda que o assunto tenha sido abordado numa reunião de executivo e não diretamente com a Misericórdia.
Alguns pais dizem que esta embrulhada seria evitada se o Centro Escolar de Sangalhos tivesse aberto no início do ano letivo: as crianças deixariam de andar para trás e para a frente, à chuva e ao frio na hora do almoço, e a questão do seguro já não se colocaria, já que os encarregados de educação da Escola da Pista e da Fogueira não o pagam. “É uma questão de equidade”, defendem.
Catarina Cerca
catarina@jb.pt

Posted in Anadia, Por Terras da Bairrada, Sangalhos0 Comentários

Anadia: Feira Social, no Velódromo, arranca no dia 16 de outubro

A Câmara Municipal de Anadia inaugura, no próximo dia 16 de outubro, pelas 14h30, no Velódromo Nacional, em Sangalhos, a quinta edição da Feira Social de Anadia, mostra que estará patente até 18 do corrente, entre as 14 e as 18h, com entrada gratuita.
Organizada pela autarquia, em parceria com as instituições concelhias, esta será a quinta mostra global de projetos sociais desenvolvidos e implementados, junto da sociedade civil, no concelho. Nela participarão todas as Instituições Particulares de Solidariedade Social e Santas Casas da Misericórdia existentes no concelho, bem como outras entidades que integram a Rede Social de Anadia.
Durante os três dias da Feira, o público terá a oportunidade de assistir ou de participar num vasto leque de atividades. Uma dessas iniciativas está já a decorrer: trata-se da ação solidária “Ajude a Ajudar, Traga um Género Alimentar!” que, a propósito do Dia Internacional contra a Erradicação da Pobreza e da Exclusão Social (17 de outubro), tem como objetivo a recolha de géneros alimentares, que serão entregues a famílias com comprovada carência económica, devidamente sinalizadas por entidades da área social do concelho. Neste momento, os donativos podem ser entregues nas instituições sociais, e, no decorrer da Feira, poderão também ser entregues no recinto da mesma. Para além de ajudar famílias desfavorecidas, esta ação visa igualmente sensibilizar a comunidade em geral para a problemática da pobreza e da exclusão social.
No âmbito desta 5.ª Feira Social de Anadia, serão também dinamizados diversos workshops, bem como outras atividades de caráter diverso, que passam por atuações a cargo das instituições sociais, bem como animação infantil, circuito de prevenção rodoviária, demonstração de karaté, e os projetos “Livraria Social” e “Árvore da Sabedoria Social”. No dia 18 de outubro, entre as 16h e as 18h, junto ao edifício do Velódromo, os visitantes terão também a possibilidade de realizar um voo cativo em balão de ar quente, graças a uma parceria com a Comunidade Intermunicipal da Região de Aveiro.

Posted in A. da Gândara, Aguim, Anadia, Ancas, Arcos, Avelãs de Caminho, Avelãs de Cima, Mogofores, Moita, Óis do Bairro, Paredes do Bairro, Por Terras da Bairrada, S. Lourenço Bairro, Sangalhos, Tamengos, V. Nova de Monsarros, Vilarinho do Bairro0 Comentários

Ad Code

Pergunta da semana

Acredita na Astrologia?

View Results

Loading ... Loading ...
Newsletter Powered By : XYZScripts.com