Recortes.pt Leia no Recortes.pt

Arquivo | Vilarinho do Bairro

Anadia: Setenta sopas brilharam no Agrupamento de Escolas

Anadia: Setenta sopas brilharam no Agrupamento de Escolas

Para assinalar o Dia Mundial da Alimentação, o Agrupamento de Escolas de Anadia promoveu mais uma Mostra de Sopas. Decorreu no passado dia 16, entre as 12h30 e as 14h e durante o dia nos vários estabelecimentos de ensino foram degustadas cerca de sete dezenas de sopas.
Na Escola Básica n.º 2 de Vilarinho do Bairro foi a 8.ª edição, enquanto que nas Escolas Básica nº 2 e Secundária de Anadia esta foi a 5.ª edição da iniciativa que envolve toda a comunidade escolar.
Esta iniciativa foi promovida pela Equipa do Projeto da Educação para a Saúde (PES), tendo como principais objetivos, não só comemorar o Dia Mundial da Alimentação, mas também fomentar a adoção de comportamentos e hábitos alimentares saudáveis; sensibilizando a comunidade educativa para a importância da sopa na alimentação quotidiana. Por outro lado, pretendeu-se promover a recuperação do uso da sopa nos hábitos alimentares das famílias e ainda envolver os pais no Projeto de Educação para a Saúde.

29 sopas na EB n.º2 de Anadia. No que respeita à EB n.º2 de Anadia, a mostra registou 29 sopas, mais uma virtual: a Sopa da Partilha, da disciplina de EMRC.
Como sempre, os Pais e Encarregados de Educação aderiram em massa, tanto na confeção das sopas como na sua própria degustação. Da mesma forma, merece realce a adesão dos alunos, que não só comeram das sopas das suas turmas, como provaram as sopas das outras. Merece igual destaque a variedade de sopas que todos os anos vai aparecendo, sempre com novidades agradáveis.
Nesta edição da Mostra destacamos algumas: sopa da pedra, creme de mar e terra ou sopa de urtigas.
De acordo com a professora Licínia Simões, coordenadora do PES na EB de Anadia, esta edição foi um sucesso. Realçou que “cada vez mais os encarregados de educação se preocupam em trazerem pequenos ‘mimos’ para acompanhar as sopas”.

Expetativas superadas na Secundária. “A atividade na Secundária correu muito para lá das expetativas”. Quem o afirmou foi Margarida Marques, coordenadora do PES na Escola Secundária de Anadia. E acrescenta que “inicialmente, não havia muitas inscrições, mas na quinta-feira de manhã, à última hora, surgiram mais sopas e totalizámos cerca de 16”. Realçou, ainda, a participação ativa de pais bastante superior ao habitual.

25 sopas em Vil. Bairro. Na EB n.º 2 de Vilarinho do Bairro, veterana nesta atividade, apresentaram-se 25 sopas, mais uma virtual: a “sopa dos Valores”, de EMRC.
O primeiro realce vai para a grande diversidade de sabores nas sopas confecionadas pelos Encarregados de Educação, podendo destacar-se a sopa da pedra, sopa de peixe, aveludado de abóbora ou a sopa primitiva, inspirada numa das teorias da origem da vida… enfim, tantas e tão boas que difícil foi provar de todas.
Outro realce importante cabe à participação ativa das duas turmas do 1.º CEB, que este ano passaram a funcionar na EB n.º 2, devido ao encerramento daquelas escolas.

Inédita presença da Confraria do Leitão presente com uma sopa. Destaque, ainda, para a Confraria Gastronómica do Leitão da Bairrada, que acedeu ao pedido da docente Noémia Machado, professora Bibliotecária nesta Escola. A Confraria apresentou-se com uma deliciosa sopa, tendo por base o leitão, evidentemente. Foi servida pelo confrade António Duque, fundador e presidente da direção da Confraria.
Como já é habitual, também foi apresentada a sopa da Educação Especial, confecionada durante a manhã pelos alunos, com a orientação das respetivas docentes. Também a professora Bibliotecária voltou a fazer uma ‘bibliosopa’, desta vez uma “Canja francesa”, muito apreciada por todos.
Pais fazem balanço positivo. A Associação de Pais e Encarregados de Educação esteve em todas as escolas e faz um balanço muito positivo da atividade. “Alguns de nós (como eu, que levei uma sopa para representar o 8.ºA) tivemos uma participação ativa, o que muito gosto nos deu”, disse Patrícia Flores, presidente desta associação. Reforçou a ideia dizendo que “vale a pena ver o nosso Agrupamento a fazer atividades desta qualidade, em que reúne alunos, professores, funcionários e pais/encarregados de educação”.
Em nome do grupo de trabalho do PES, Alexandra Gonçalves agradeceu o envolvimento e empenho de todos os que contribuíram para o sucesso da atividade. Começou pelos Diretores de Turma, que souberam motivar os alunos a participar ativamente na Mostra de Sopas.
“É com grande satisfação que, ano após ano, vemos os nossos alunos comerem não uma sopa, mas várias”, acrescenta Alexandra Gonçalves, para quem “o sucesso de mais uma Mostra de Sopas só foi possível pela dedicação de todos os que estiveram sempre prontos a ajudar.
Destaque, ainda, para a exposição bibliográfica; para a sopa de legumes com salpicão, do professor João Joaquim; para a decoração do espaço pela turma do ensino vocacional, 8.º D, sob orientação da professora Paula Lucas; para a presença, nas três escolas, dos elementos da direção do Agrupamento. Peça EB n.º2 de Vilarinho do Bairro passaram também a edil Teresa Cardoso e o professor Ângelo Santos, da Câmara Municipal. Foi ainda gratificante notar a presença de antigos alunos, bem como de professores, uns já aposentados, outros em funções noutros agrupamentos, mas cujo vínculo afectivo a Vilarinho do Bairro nunca se perdeu.
Rui Godinho

Posted in Anadia, Por Terras da Bairrada, Vilarinho do Bairro0 Comentários

Anadia: Feira Social, no Velódromo, arranca no dia 16 de outubro

A Câmara Municipal de Anadia inaugura, no próximo dia 16 de outubro, pelas 14h30, no Velódromo Nacional, em Sangalhos, a quinta edição da Feira Social de Anadia, mostra que estará patente até 18 do corrente, entre as 14 e as 18h, com entrada gratuita.
Organizada pela autarquia, em parceria com as instituições concelhias, esta será a quinta mostra global de projetos sociais desenvolvidos e implementados, junto da sociedade civil, no concelho. Nela participarão todas as Instituições Particulares de Solidariedade Social e Santas Casas da Misericórdia existentes no concelho, bem como outras entidades que integram a Rede Social de Anadia.
Durante os três dias da Feira, o público terá a oportunidade de assistir ou de participar num vasto leque de atividades. Uma dessas iniciativas está já a decorrer: trata-se da ação solidária “Ajude a Ajudar, Traga um Género Alimentar!” que, a propósito do Dia Internacional contra a Erradicação da Pobreza e da Exclusão Social (17 de outubro), tem como objetivo a recolha de géneros alimentares, que serão entregues a famílias com comprovada carência económica, devidamente sinalizadas por entidades da área social do concelho. Neste momento, os donativos podem ser entregues nas instituições sociais, e, no decorrer da Feira, poderão também ser entregues no recinto da mesma. Para além de ajudar famílias desfavorecidas, esta ação visa igualmente sensibilizar a comunidade em geral para a problemática da pobreza e da exclusão social.
No âmbito desta 5.ª Feira Social de Anadia, serão também dinamizados diversos workshops, bem como outras atividades de caráter diverso, que passam por atuações a cargo das instituições sociais, bem como animação infantil, circuito de prevenção rodoviária, demonstração de karaté, e os projetos “Livraria Social” e “Árvore da Sabedoria Social”. No dia 18 de outubro, entre as 16h e as 18h, junto ao edifício do Velódromo, os visitantes terão também a possibilidade de realizar um voo cativo em balão de ar quente, graças a uma parceria com a Comunidade Intermunicipal da Região de Aveiro.

Posted in A. da Gândara, Aguim, Anadia, Ancas, Arcos, Avelãs de Caminho, Avelãs de Cima, Mogofores, Moita, Óis do Bairro, Paredes do Bairro, Por Terras da Bairrada, S. Lourenço Bairro, Sangalhos, Tamengos, V. Nova de Monsarros, Vilarinho do Bairro0 Comentários

Vilarinho do Bairro: Mudanças dos alunos para a EB 2/3 pouco consensual

Vários alunos que frequentavam as Escolas Básicas de Samel e de Vilarinho do Bairro (a encerrar este ano, no âmbito da reforma educativa) vão sair para escolas fora do concelho de Anadia.
Embora a Câmara Municipal de Anadia tenha apresentado no Tribunal, em julho, uma Providência Cautelar contra os encerramentos das Escolas Básicas de Samel e de Vilarinho do Bairro a verdade é que, até agora, reina o silêncio relativamente ao resultado da mesma, assim como perante os dois encerramentos, a EB 2/3 de Vilarinho do Bairro (frequentada por alunos do 5.º ao 9.º ano) foi escolhida como escola de acolhimento para estas crianças.
Uma situação que tem causado muito descontentamento no seio da população, com vários encarregados de educação a rejeitarem a solução da EB 2/3 e a preferirem retirar os filhos da rede de ensino do concelho.
EB 2/3 preparada. Embora António Alves, responsável pela Escola Básica 2/3 de Vilarinho do Bairro diga que está tudo a postos para receber as crianças do 1.º CEB e que foram criadas duas turmas do ensino básico (uma de 15 e de 18 alunos), a verdade é que muitos pais não querem que os filhos, tão pequenos, convivam numa escola com alunos mais velhos.
“Esta escola é mais segura, tem excelentes condições, uma cantina com alimentação de excelência”, diz o docente António Alves, rejeitando os argumentos dos pais. “As salas de aulas e o refeitório têm mobiliário igual ao das escolas primárias e estão selecionados sanitários públicos só para os mais pequenos”, embora admita que ainda falta efetuar algumas adaptações.
Esta mudança levou, oportunamente, a autarca Teresa Cardoso a alertar, no passado mês de agosto, para estaa situação que agora se confirma: os pais iriam retirar os filhos para fora do concelho, deslocando-os para concelhos limítrofes.
Leia mais na versão digital do seu JB.

Posted in Anadia, Por Terras da Bairrada, Vilarinho do Bairro0 Comentários

Vilarinho do Bairro: Produtores bairradinos de batata protestam contra silêncio do Governo

Vilarinho do Bairro: Produtores bairradinos de batata protestam contra silêncio do Governo

Numa iniciativa promovida pela ALDA – Associação da Lavoura do Distrito de Aveiro, cerca de 50 produtores de batata dos concelhos de Anadia e Oliveira do Bairro reuniram-se junto ao mercado de Vilarinho do Bairro, Anadia, indignados pela falta de resposta do Governo e do Ministério da Agricultura aos problemas de escoamento e da baixa dos preços à produção.
A situação é calamitosa e dramática para os produtores. Após a concentração dos agricultores junto ao mercado de Vilarinho do Bairro, os promotores da conferência de imprensa convidaram os jornalistas a visitar um terreno de batatas, nos Banhos, Vilarinho do Bairro, propriedade de Mário dos Santos Simões, onde era visível o amontoado de sacos de batatas, ainda sem destino.

Silêncio. “A preocupação dos produtores e agricultores é enorme. Depois de uma primeira iniciativa na Câmara Municipal de Aveiro com os produtores do leite, onde também estiveram presentes agricultores de batata, enviámos vários documentos ao Ministério da Agricultura e ao presidente da República para os problemas de escoamento e da baixa dos preços à produção da batata. Até hoje não obtivemos qualquer tipo de resposta por parte do Ministério da Agricultura e de Cavaco Silva, nem de outros órgãos de soberania.” Foi deste modo que, Albino Silva, presidente da ALDA, se dirigiu aos muitos jornalistas presentes.
Atualmente, o preço por quilo de batata, custa cinco cêntimos, as grandes superfícies praticam outro tipo de preços (30 cêntimos), e os agricultores, em uníssono, dizem que “alguém está a ganhar à nossa custa”.
Albino Silva proclamou que era importante haver uma reunião com as grandes empresas e pediu que a ministra da Agricultura, Assunção Cristas, “venha aqui, olhos nos olhos, falar com os agricultores e ver o problema da falta de escoamento do nosso produto e os preços que estão a ser praticados, pois não há qualquer intervenção por parte do Governo”, acrescentando que “a situação é muito grave para os agricultores e, no próximo ano, também não sabemos se nos pagam o preço certo. O futuro não é risonho”.

Sem retorno. “O setor da batata tem muito investimento. Uma pessoa, por dia, na apanha da batata, ganha 30 euros. Os cinco cêntimos por quilo não pagam a colheita. Quinze cêntimos, por quilo, é um preço para não perder dinheiro e para fazer face ao custo da produção”, afirmou Manuel Reis, produtor da Mamarrosa – Oliveira do Bairro, que este ano semeou três hectares – cerca de 100 sacos de batatas. “No ano passado deu algum dinheiro, este ano semeou-se muita batata, e é aquilo que todos sabem. Há agricultores que não têm outra fonte de rendimento e, perante este estado de coisas, não têm dinheiro para pagar os custos e vão à falência. O cenário poderá ser este”, avisa Manuel Reis.
Antíbio Seabra, outro dos produtores, referiu que “há jovens que ficam endividados para toda a vida”, e que o Governo terá que “tomar medidas urgentes na resolução deste problema”.
Mário dos Santos Simões, proprietário do terreno visitado pelos agricultores em Banhos, dedica-se em exclusivo à produção da batata desde 1999. Diz que houve um ano em que as batatas ficaram todas na terra por causa de uma praga de traça. Agora, adianta, que “este ano é para esquecer”, ele que semeou 12 hectares.
“Tenho 350 toneladas de batatas e ainda não vendi 100. E daqui a uma ou duas semanas, os espanhóis invadem o país, e tudo se torna ainda mais complicado para os agricultores.”
O produtor bairradino confessou, já numa alusão à próxima posição a tomar pelos produtores, que “o presidente da Câmara Municipal de Oliveira do Bairro (Mário João Oliveira) é muito amigo do povo dele e apoia estas iniciativas”, sublinhando ainda que “a CALCOB já devia ter feito alguma coisa pelos agricultores, tal como as cooperativas”.

Concentração. Na próxima quinta-feira, dia 7 de agosto, pelas 11h, a Comissão de Produtores de Batata, vai levar a efeito uma concentração em frente à Câmara Municipal de Oliveira do Bairro.
O tema volta a ser “pelo escoamento a melhores preços para a nossa batata” e os promotores da iniciativa vão entregar um documento ao presidente da Câmara Municipal, Mário João Oliveira, e solicitar o apoio da autarquia e dos autarcas.
A Comissão de Produtores de Batata faz um apelo para que os agricultores compareçam em massa e levem a sua máquina ou viatura agrícola.
Manuel Zappa
zappa@jb.pt

Posted in Anadia, Destaque, Por Terras da Bairrada, Vilarinho do Bairro0 Comentários

Escola Básica n.º 2 de Vilarinho do Bairro: Mostra de Saberes e Sabores envolve comunidade educativa

Escola Básica n.º 2 de Vilarinho do Bairro: Mostra de Saberes e Sabores envolve comunidade educativa

“Fomentar a aproximação entre o meio escolar e as famílias, promover a divulgação de alguns dos materiais produzidos pelos alunos ao longo do ano letivo em várias disciplinas e sensibilizar toda a comunidade educativa para a promoção da saúde” foram os principais objetivos desta primeira Mostra de Saberes e Sabores que se realizou no passado dia 6 de junho, na EB n.º2 de Vilarinho do Bairro.
A iniciativa, promovida no âmbito do PES (Projeto de Educação para a Saúde), contou com a participação de 15 turmas, envolvendo os cerca de 280 alunos daquele estabelecimento de ensino.
A docente Alexandra Gonçalves avançou que ao longo do dia, nas “barraquinhas” dinamizadas por todas as turmas, estiveram à venda o mais variado tipo de produtos (artesanato, doces, legumes, fruta, hortaliça, animais vivos), enquanto que da parte da tarde todos os alunos foram convidados a degustar fruta laminada, “num incentivo para que passem a comer mais fruta”, disse.
Uma das “barraquinhas” que deu uma bela lição foi a da Biblioteca escolar, a cargo da professora bibliotecária Noémia Machado Lopes. “Um sabor, multisaberes” foi o tema apresentado para uma mostra de quatro pratos confecionados com bacalhau; tapioca, caril e coco, mas revelando um pouco da história, cultura e enquadramento geográfico de cada um deles.
“Esta mostra possibilita a envolvência de todos os alunos, numa escola cultural e que não é só de aprendizagem de conteúdos”, referiu.
Destaque também para a presença de vários artesãos (manualidades, sabão e apicultor), mas também para a participação de ex-alunos e ex-professores que continuam afetivamente ligados à escola. Durante a tarde houve ainda uma aula de pilates e outra de hip-hop.
Presente no evento, o vereador Lino Pintado, da Câmara Municipal de Anadia, ficou agradavelmente surpreso com a animação e envolvimento dos alunos. “A Câmara Municipal louva e congratula-se com este tipo de iniciativas, que ajudam a fomentar a aproximação das famílias à escola”, não deixando de considerar uma ideia feliz, a angariação de fundos para cada uma das turmas, através da venda dos produtos que trouxeram de casa.
O dia foi animado por um grupo de músicos do Conservatório de Oliveira do Bairro.
CC

Posted in Anadia, Por Terras da Bairrada, Vilarinho do Bairro0 Comentários

EB n.º 2 Vilarinho Bairro: Trezentos participantes na  8.ª Caminhada pelo Coração

EB n.º 2 Vilarinho Bairro: Trezentos participantes na 8.ª Caminhada pelo Coração

A Escola Básica nº 2 de Vilarinho do Bairro, do Agrupamento de Escolas de Anadia, levou a efeito a 8.ª edição da Caminhada pelo Coração, no passado dia 7 de maio, entre as 11h e as 17h, no âmbito do Projeto de Educação para a Saúde (PES). A caminhada entre a escola e a Lagoa de Torres, numa distância total aproximada de 10 quilómetros, contou com a presença de cerca de 300 participantes.

Mais pais na iniciativa. A atividade visa envolver a comunidade escolar em práticas que aumentem a qualidade de vida e o bem-estar, para além de pretender sensibilizar para a necessidade da proteção ambiental e para a proteção da saúde e desenvolver hábitos de vida saudáveis. Também pretendia, e conseguiu, aproximar a família da escola, o que aconteceu mesmo, porque aumentou a quantidade de pais que foram à Lagoa.
A partida em direção à Lagoa de Torres foi dada pouco depois das 11h, tendo em conta alguns cuidados, nomeadamente, roupa e calçado confortável, água, boné e protetor solar, visto que o sol ameaçava dificultar o percurso aos caminhantes.
Esta iniciativa obteve mais um êxito assinalável, pois estiveram presentes quase 300 participantes, tendo a maior parte feito o percurso a pé. Cumpriram a caminhada 230 alunos, 30 professores, 8 assistentes operacionais, 2 assistentes técnicos, 14 encarregados de educação e 4 elementos da Associação de Pais do Agrupamento, incluindo a presidente. Apenas ficaram na escola 36 alunos e 5 professores.

Autarquia presente. Destaque, ainda, para o presidente da Junta de Freguesia de Vilarinho do Bairro, que também cumpriu a caminhada até à lagoa, bem como de Rosa Tomás que, apesar de já não ter responsabilidades autárquicas, não prescindiu de se associar a esta iniciativa, assim como a presença, no almoço, de Teresa Cardoso, presidente da Câmara Municipal de Anadia.
A grande adesão da parte dos alunos merece tanto maior destaque quanto mais nos recordarmos que à quarta-feira de tarde não há aulas na escola. Portanto, todos os alunos que participaram prescindiram de uma tarde de liberdade em casa, trocando umas horas de TV, computador, bicicleta ou outras quaisquer diversões por uma tarde de agradável convívio com os colegas, bem como ainda de convívio com a Natureza.
Importa referir ainda a presença em número apreciável de antigos alunos desta escola, apesar de os seus percursos académicos os terem encaminhado para outras escolas.
No fim do almoço, desenrolou-se mais uma eliminatória do Concurso “Atreve-te a cantar”, mas houve ainda outras atividades: uma das novidades foi dinamizada pelo Grupo de Educação Física – o slackline.

Êxito. Mas para este êxito ser possível tornou-se necessária a colaboração de muitas pessoas ou entidades, nomeadamente da Câmara Municipal, Junta de Freguesia, todos os participantes, coordenador deste estabelecimento e dos diretores de Turma, bem como das assistentes Operacionais da cozinha, Núcleo da Escola Segura da GNR, Bombeiros Voluntários de Anadia, Liga dos Amigos da Lagoa de Torres, pela disponibilidade sempre demonstrada por todos estes elementos, sem esquecer o colega Nelson, que, apesar de aposentado, continua disponível para trabalhar para a escola.

Rui Godinho

Posted in Anadia, Por Terras da Bairrada, Vilarinho do Bairro0 Comentários

Poutena: Desfile “Noivas de todos os tempos” foi sucesso no Centro Social

Poutena: Desfile “Noivas de todos os tempos” foi sucesso no Centro Social

O Centro Social da Poutena foi palco de um deslumbrante desfile de vestidos de noiva no passado sábado, dia 5 de abril, com o objetivo de angariar fundos para a instituição.
Foram apresentados 48 vestidos que foram cedidos e desfilados, na sua grande maioria, pelas funcionárias da instituição. A festa contou ainda com a atuação do Grupo de Dança Jazz da Poutena, com um sorteio de prémios, e com uma demonstração de Zumba, pela professora Cristiana Gomes, que leciona aulas da modalidade no Centro Social. O espetáculo teve casa cheia. A iniciativa foi bastante acarinhada não apenas pelo público, mas também por todos aqueles que trabalham e colaboram com a instituição, que num imenso esforço de equipa, se uniram e tornaram esta festa possível.
O Centro Social Cultural e Recreativo de Poutena agradece a todos os patrocinadores, funcionários, colaboradores e voluntários, por todo o apoio dado ao evento.

Posted in Anadia, Por Terras da Bairrada, Vilarinho do Bairro0 Comentários

Poutena: Desfile de vestidos de noiva, sábado, no Centro Social

O Centro Social da Poutena será palco de um deslumbrante desfile de vestidos de noiva já no próximo sábado, dia 5 de abril. A partir das 21h, 20 mulheres de idades variadas, desfilarão sobre uma passadeira vermelha, com os seus próprios vestidos de casamento ou com os de outras noivas que os cederam para o evento. Vão a desfile cerca de 40 vestidos de várias gerações, que levarão os espectadores a viajar no tempo.
 A festa contará ainda com várias actuações do grupo de Dança Jazz do Centro Social de Poutena.
A atividade tem como objectivo angariar fundos para a instituição através da recolha de donativos e venda de rifas. Os prémios serão sorteados no dia do evento: 1º prémio – 2 noites de alojamento para duas pessoas num local à escolha (catálogo fugas); 2º prémio – 1 cabaz alimentar; 3º prémio – 1 relógio Swatch.
A entrada é livre e gratuita.

Posted in Anadia, Por Terras da Bairrada, Vilarinho do Bairro0 Comentários

Anadia: “Sweet Sugar”, loja de cake design abre na cidade

Anadia: “Sweet Sugar”, loja de cake design abre na cidade

A cidade de Anadia tem, desde o passado dia 7, um novo espaço comercial que promete fazer as delícias dos mais gulosos e dos entusiastas por cake design.
A loja e ateliê de cake design “Sweet Sugar” acaba de surgir pelas mãos de duas jovens, a enfermeira Lúcia Rosa e a professora, Rita Figueira.
O espaço, localizado em plena Avenida das Laranjeiras, no Edifício Palmeiras, é completamente inovador, pois é a primeira casa (loja e ateliê) na região a dedicar-se exclusivamente à área da confeção de bolos temáticos, mais conhecido como pastelaria decorativa (cake design), por encomenda, baseada em pasta de açúcar.
Uma aposta arrojada, em tempos de crise, mas que as promotoras acreditam ter pernas para andar, tal a movimentação que a loja tem tido desde a abertura.
Um projeto que tem vindo a amadurecer, desde a altura em que ambas que se conheceram, numa formação de cake design.

Loja e ateliê. “É uma área nova, que não existe na região, aliás não existe nada do género entre Coimbra e Aveiro”, dizem, ao mesmo tempo que confessam querer “trazer algo de novo à cidade, colmatando assim uma lacuna que existia na área da pastelaria”.
No espaço reservado à loja encontra-se todo o tipo de utensílios para fazer bolos, bombons, cupcakes, bolachas decorativas e cakepops. Formas, utensílios de cake design, pastas de açúcar, pratos decorativos, chocolate, corantes, essências dos mais variados sabores (anis, morango, avelã, café, amêndoa), pérolas, purpurinas, frosting de várias cores, até recheios para bolos (também variados, caramelo, nutela, maça-canela, ananás, limão, creme de pasteleiro), num sem fim de sabores, velas, entre outros fazem parte das ofertas deste espaço.
Uma mais valia, dizem, são os preços competitivos que praticam, comparativamente a espaços semelhantes localizados nas cidades.
“Fazemos vários tipos de massas e todo o tipo de decoração. Mas se o cliente desejar fazer o bolo em casa e encomendar o boneco ou o elemento para a decoração, nós fazemo-lo”, explicam, dando conta que esta é uma “área muito específica, que requer muita técnica e cada bolo é único, podendo a decoração de um só bolo demorar 2 a 3 dias a realizar”.
Isto, porque todos os trabalhos são únicos, verdadeiros desafios que podem exigir a idealização de um projeto, primeiro em papel, e só depois em bolo.
“Já deitámos muito bolo e pasta de açúcar para o lixo, por não ficar exatamente como queríamos”, sublinham, evidenciando que na Sweet Sugar se procura o perfecionismo em todos os trabalhos.

Workshop dia 21. Para além da loja existe ainda a cozinha onde bolos de aspeto simples se transformam em verdadeira obras de arte.
É neste espaço ainda que têm ainda lugar os workshops abertos ao público.
O segundo workshop tem lugar no próximo dia 21 de dezembro e é subordinado ao tema: modelagem de figuras humanas avançada. Começa às 9h e termina às 13h.
Nestas aulas práticas os participantes são desafiados a fazer cake design seja em cupcakes, cakepops, ou em bolos.
Refira-se ainda que a loja está aberta todos os dias, de segunda a sábado, das 10 às 19h.
As encomendas de bolos deverá ser feita com antecedência por forma a que o produto final idealizado pelo cliente seja alcançado.
Os adeptos de cake design podem acompanhar “Sweet Sugar” na rede social facebook.com/sweetsugardesign ou então pelo mail sweetsugar.cakedesign@gmail.com

Posted in A. da Gândara, Aguada de Baixo, Águeda, Aguim, Anadia, Ancas, Arcos, Avelãs de Caminho, Avelãs de Cima, Cantanhede, Fermentelos, Mealhada, Mogofores, Moita, Oiã, Óis do Bairro, Oliveira do Bairro, Palhaça, Paredes do Bairro, Por Terras da Bairrada, S. Lourenço Bairro, Sangalhos, Tamengos, Troviscal, V. Nova de Monsarros, Vagos, Vilarinho do Bairro0 Comentários

Club de Ancas: Emotiva Noite de Fados em tributo a José Roberto

Club de Ancas: Emotiva Noite de Fados em tributo a José Roberto

O dia 13 de dezembro nunca foi um dia igual aos outros!
Foi sempre um dia muito especial… Dia do Aniversário do José Roberto! Este ano fez 41 anos!
No âmbito das comemorações da 12.ª Semana Cultural do Club de Ancas, associação pela qual José Roberto nutria um carinho muito especial, onde desenvolvia vários projetos em simultâneo e desempenhava as funções de coordenador do Núcleo Cultural, quis esta mesma Associação, juntamente com os seus familiares e amigos, prestar-lhe uma merecida e sentida homenagem! Uma grande Noite de Fados! … porque o Fado era um dos projetos em que ele se revia!
Grupos de Fado de que ele fazia parte, tais como: Tertúlia Bairradina, Baga Madura, Grupo de Fados de Aveiro, Grupo de Trovas e Serenatas e outros amigos, disseram: Presente! E cantaram… e encantaram… e o público amigo que enchia por completo, na noite da última sexta-feira, dia 13, o salão do Club escutava em silêncio, não escondendo a sua emoção…
E para que tudo fosse perfeito, não faltou a presença de um grande amigo seu, amigo de infância, que hoje tem responsabilidades como vice-presidente na Câmara Municipal de Anadia. Jorge Sampaio no seu breve discurso, disse duas coisas que não vamos esquecer tão cedo! Estava ali “para prestar duas homenagens”: uma, ao seu querido amigo Roberto, “como amigo de todo o sempre e como reconhecimento de toda a obra que no campo cultural realizou em tão curto espaço de tempo.” A outra homenagem era para o Club de Ancas “pela sua vertente cultural já tão apreciada e espalhada por toda a região”.
O Club de Ancas agradece o elogio. Estava a necessitar deste incentivo, depois da grande perda que sofreu. Jorge Sampaio comunicou ainda que ia agendar uma reunião com elementos da direção. Ficámos felizes! Foi uma prenda para o Club no dia de aniversário do Roberto!
Para todos quantos contribuíram e participaram neste Tributo, o Club de Ancas fica com uma imensa dívida de gratidão. Bem hajam!
Natália Seabra

Posted in A. da Gândara, Águeda, Aguim, Anadia, Ancas, Arcos, Avelãs de Caminho, Avelãs de Cima, Bustos, Cantanhede, Crime da Mamarrosa, Mamarrosa, Mealhada, Mogofores, Moita, Óis do Bairro, Palhaça, Paredes do Bairro, Por Terras da Bairrada, S. Lourenço Bairro, Sangalhos, Tamengos, Troviscal, V. Nova de Monsarros, Vagos, Vilarinho do Bairro0 Comentários

Ad Code

Pergunta da semana

Um estudo indica que mais de duas doses diárias de álcool por dia aceleram perda de memória. Qual o seu consumo habitual no dia a dia?

View Results

Loading ... Loading ...
Newsletter Powered By : XYZScripts.com