Recortes.pt Leia no Recortes.pt

Arquivo | Oiã

Centro Social inaugura Lar Dr. Fernando Peixinho, no valor de 1.4 milhões de euros

O novo Lar Dr. Fernando Peixinho foi inaugurado, na última sexta-feira, pelo secretário de Estado da Segurança Social, Agostinho Branquinho. Uma inauguração feita no exato dia em que o Centro Social de Oiã comemorou 57 anos de existência. A nova valência, agora inaugurada e que custou 1.4 milhões mais IVA, acolhe as respostas de lar residencial para 13 utentes; lar de idosos para 30 utentes e serviço de apoio domiciliário. “Nas duas primeiras respostas, a procura é já superior à capacidade disponível e no serviço de apoio domiciliário, a arrancar em breve, o número de interessados é já significativo”, afirmou Carlos Réu, presidente da direção do Centro Social de Oiã, destacando “a profunda ligação do Centro Social à comunidade e o trabalho notável de todos que têm servido a associação ao longo dos anos”. “De facto é bem patente como a instituição cresceu à medida que a vila de Oiã também cresceu, como se adaptou e procurou dar respostas adequadas às necessidades sentidas pela população”, afirmou Carlos Réu, sublinhando que “quanto ao trabalho que aqui tem sido feito, ao longo de mais de cinco décadas, a direção, a que presido, quer manifestar o apreço, o profundo respeito e a bem merecida gratidão, a todos quantos deram ao Centro Social o melhor de si”.

Leia mais na versão digital do seu JB.

Posted in Oiã, Oliveira do Bairro, Por Terras da Bairrada0 Comentários

Brigotintas assinala 18.º aniversário durante todo o mês de maio

Brigotintas assinala 18.º aniversário durante todo o mês de maio

A Brigotintas está a assinalar os seus 18 anos de vida, ao longo de todo o mês de maio. Para isso, conta com a colaboração dos seus fornecedores, que estão presentes nas ações promotoras, nas várias lojas da Brigotintas, em Cabecinhas (Calvão, Vagos), Ílhavo e Oiã.
A gerente Helena Domingues recorda como tudo começou, há 18 anos. “Começámos praticamente do zero, numa pequena loja, aqui em Cabecinhas. Depois, estendemo-nos para Ílhavo, em 2004, e Oiã, em 2007. Um ano depois, transferimos a loja de Cabecinhas para este espaço”, na mesma localidade.
Um percurso “trabalhoso”, mas que “valeu a pena”, garante Helena Domingues, que gere uma empresa que conta já com nove funcionários.
As comemorações deste aniversário tão especial vão ter ações, sempre nas três lojas, relacionados com as próprias datas e começaram já no dia 2 (sábado), numa antecipação do Dia da Mãe, com entrega de rosas a todas as mães. Uma ação com apoio da Barbot (foi, aliás, uma semana dedicada a este fornecedor de tintas).
No dia 4, Dia do Sol, foram oferecidos bonés. Ainda neste dia e no dia seguinte, comemorando o Dia da Imprensa (que se assinala no dia 3), houve apontamentos decorativos e distribuição dos dois jornais que colaboram nesta iniciativa, Jornal da Bairrada e O Ponto.
No dia 5, Dia do Trânsito, foram distribuídos folhetos com conselhos aos automobilistas.
No dia 15 de maio, assinalou-se o Dia Internacional da Família.
Já no dia 18, aproveitando o Dia da Internet que se assinala na véspera, haverá uma interação com quem escolher um produto através da loja online e o levar impresso à loja física. Neste mesmo dia, Dia dos Museus, serão oferecidos bilhetes para o Museu do Brincar (Vagos), folhetos informativos sobre o Museu de Etnomúsica (no Troviscal).
No dia 21, Dia Mundial da Diversidade e Cultura para o Diálogo e Desenvolvimento, serão aceites inscrições para uma visita à Casa Gandareza. No dia seguinte, Dia Internacional da Biodiversidade, haverá uma oferta relacionada com o tema.
No dia 28, Dia Internacional da Saúde Feminina, será feita uma interação com a esteticista Joana Ramos, de Calvão, que oferece vouchers de 10% de desconto a todas as mulheres.
No dia 29, Dia da Energia, estará em vigor uma campanha de LED’s.
Finalmente, no dia 30 de maio, a Brigotintas antecipa o Dia da Criança. Serão oferecidos brindes, de vários fornecedores e os mais pequenos podem contar com muita animação.
Todas estas ações serão patrocinadas e realizadas em colaboração com os principais fornecedores da Brigotintas: Barbot, Dyrup, Robbialac, Tintas Titan, Lusaveiro, Mistolin, UHU, Indasa, Central Lobão e também com o apoio dos Municípios de Vagos, Oliveira do Bairro e Ílhavo.

Posted in Ílhavo, Oiã, Oliveira do Bairro, Por Terras da Bairrada, Região, Vagos0 Comentários

Ciclismo: IV Troféu Luso-Galaico este domingo em Sangalhos

Ciclismo: IV Troféu Luso-Galaico este domingo em Sangalhos

No âmbito das Bodas de Diamante do Sangalhos Desporto Clube, a Associação de Ciclismo de Aveiro, a Federação Portuguesa de Ciclismo e a Federação Galega de Ciclismo promovem mais uma edição do Troféu Luso-Galaico no próximo domingo, dia 3 de maio.
O Troféu Luso Galaico consta de duas provas uma já disputada em Espanha no passado dia 11 de abril e outra, agora domingo, que comemora também o 75.º Aniversário do Sangalhos Desporto Clube.
A prova é destinada a corredores Sub-23 das equipas de clube, podendo participar corredores Elites das citadas equipas.
Com saída e chegada a Sangalhos, a prova de 159,5 kms terá partida simbólica na Av Dr. Seabra Dinis e partida real às 13.01 em frente à Aliança – Vinhos de Portugal.

A prova segue em direção a Vila Verde, Póvoa do Forno, Quinta do Gordo, Campanas, Poutena, Torres, Vilarinho do Bairro, Curia (meta volante), Póvoa do Pereiro, Monsarros, Moita, Vale de Boi, Póvoa do Gago (prémio de montanha), Canelas, Boialvo, Perrães, Palhaça, Ílhavo (meta volante), Albergaria a Velha, Águeda, Piedade, Perrães, Oiã, Oliveira do Bairro e Sangalhos (meta final) na Avenida Dr. Seabra Dinis.

Posted in Anadia, Ciclismo, Ílhavo, Oiã, Oliveira do Bairro, Por Terras da Bairrada, Região0 Comentários

Oliveira do Bairro: AMPER comemora 35 anos preocupada  com sustentabilidade do Lar de Idosos

Oliveira do Bairro: AMPER comemora 35 anos preocupada com sustentabilidade do Lar de Idosos

O presidente da direção da Associação dos Amigos de Perrães (AMPER), Henrique Ferreira, está preocupado com o futuro da instituição, nomeadamente com a sustentabilidade do Lar de Idosos, caso o Estado não aprove o alargamento do acordo de cooperação de 16 para 24 utentes. Durante a cerimónia do 35.º aniversário da instituição, Henrique Ferreira referiu-se ainda à necessidade urgente de substituição de algumas viaturas do parque automóvel, devido ao envelhecimento e ao custo de reparação e manutenção, que começam a ser incomportáveis.

Lar de Idosos. Henrique Pires Ferreira começou por recordar que a direção adquiriu um terreno com mais de 2 mil m2 para a construção do edifício do lar de Idosos. A candidatura foi rejeitada, mas não desistiu. Posteriormente, fez uma segunda tentativa e esta sim foi aprovada, embora sem acordo de cooperação.
A primeira pedra do Lar de Idosos foi lançada no dia 21 de março de 2010, dia em que se assinalou o 30.º aniversário da AMPER. Ao Lar foi dado o nome “Lar Dr. Álvaro Santos”. “A atribuição do nome do nosso querido amigo Dr. Álvaro Santos foi uma forma de reconhecimento dos associados da AMPER pelos serviços prestados pelo mesmo à instituição, ao longo de vários anos, de uma forma empenhada e sem qualquer contrapartida, a não ser a imensa gratidão dos associados”, acrescentou Henrique Ferreira, afirmando que o edifício do Lar de Idosos “Dr. Álvaro Santos”, acabaria por ser inaugurado no dia 1 de dezembro de 2013. “É uma obra magnífica, com ótimas instalações e bem localizada, com a possibilidade de se deslocarem até ao parque do Carreiro Velho, através do caminho pedonal que liga o Lar ao dito parque, onde poderão desfrutar das boas condições que oferece e apreciar as magníficas paisagens, proporcionando aos nossos idosos qualidade de vida”, justificou, dando a conhecer que “a AMPER, após a construção do Lar de Idosos, detém um património que, a preços de custo, ultrapassa os 3 milhões e 50 mil euros”. Contudo, o presidente da AMPER deixou claro que “para aqui chegarmos houve que vencer muitos desafios e ultrapassar muitas dificuldades, mas estas ainda não terminaram”, já que “ a construção dos edifícios do Lar Residencial, Residência Autónoma e Lar de Idosos obrigou a que a AMPER tivesse que recorrer ao financiamento externo e o cumprimento do plano de amortização preocupa-nos, pois ainda não recebemos do POPH o resto da comparticipação do Lar de Idosos, que ronda os 170 mil euros”. “Cumprimos, escrupulosamente, as regras que nos foram impostas. O processo, julgamos que esteja concluído e esperamos ser, em breve, reembolsados do valor em dívida, para assim podermos honrar atempadamente os compromissos assumidos”, afirmou.

Cooperação. O presidente da direção, Henrique Ferreira, referiu ainda que “o alargamento do acordo de cooperação do Lar de Idosos de 16 para 24 utentes é, nesta altura, a nossa grande preocupação. Esteve garantido, com data marcada para a sua assinatura, mas, sem sabermos porquê, tal não se verificou. Não encontramos explicação para este recuo, mas somos pessoas de fé e esperamos que o futuro, não muito longínquo, nos traga essa realidade, dado que os principais custos de funcionamento do Lar, recursos humanos, eletricidade, gás e água são sensivelmente os mesmos, quer tenhamos 16 ou 30 utentes”.
Afirmou ainda que “existem pessoas que se encontram em lista de espera para entrar, mas só o poderão fazer se inseridas no acordo de cooperação, pois não têm capacidade financeira para suportar os custos de extra acordo, senão já há muito teriam esgotado a capacidade do Lar”.
“Temos a promessa de que, brevemente, irá ser celebrado o acordo para o Serviço de Apoio Domiciliário para 16 utentes mas, nesta fase, o mais importante para a AMPER é o alargamento do acordo de cooperação para o Lar de Idosos. Sem o acordo, o Lar não é sustentável, o que será deveras ruinoso para a Instituição”, afirmou o presidente da direção, dando a conhecer que “outro problema com que nos deparamos é o envelhecimento do nosso parque de viaturas, cujos custos de reparação e manutenção são incomportáveis”. É que “precisamos urgentemente de adquirir duas viaturas. Uma de nove lugares, com a capacidade de adaptar quatro cadeiras de rodas. Outra, comercial de três lugares, que se destina ao Serviço de Apoio Domiciliário”. “O custo destas viaturas ronda os 54 mil euros. Com os encargos assumidos que já temos, não nos será possível libertar meios para fazer face a este investimento”. Por isso, “apelamos ao presidente do Centro Regional de Segurança Social, e ao presidente da Câmara Municipal de Oliveira do Bairro para que, dentro das possibilidades dos organismos que dirigem, ajudem a AMPER a concretizar este investimento”.

Pedro Fontes da Costa

pedro@jb.pt

Posted in Oiã, Oliveira do Bairro, Por Terras da Bairrada0 Comentários

Estado apoia Casa Mortuária de Oiã em 44 mil euros

A Fábrica da Igreja de Oiã assinou, na última sexta-feira, na Câmara Municipal de Oliveira do Bairro, um protocolo com o secretário de Estado da Administração Local, António Leitão Amaro, para a construção da Casa Mortuária de Oiã. O apoio é de 44.375 mil euros para uma obra de cerca de 100 mil euros.
O subsídio está inserido no programa de equipamentos que apoia financeiramente instituições/coletividades locais sem fins lucrativos, na realização de projetos e/ou obras de reabilitação em equipamentos desportivos, religiosos, culturais ou recreativos.

Investimento. O presidente da Câmara Municipal de Oliveira do Bairro, Mário João Oliveira, começou por destacar que “Oiã há muito tempo que necessita desta obra”, felicitando a Fábrica da Igreja “por este arrojado investimento para toda a região de Oiã que, sendo uma obra tão necessária, vai ver a luz do dia”.
O autarca explicou ainda que “quando verificamos que estão reunidos os pressupostos: primeiro a necessidade e depois a vontade de fazer, a autarquia tem a obrigação de ajudar”, sublinhando que “da parte da Câmara de Oliveira do Bairro há muitos anos que tem vindo a ser prestado apoio ao tecido associativo e às fábricas das igrejas e a outros credos religiosos”. “A Fábrica da Igreja de Oiã tem sido uma dessas instituições que tem sido apoiada”, sublinhou Mário João Oliveira, anunciando que em breve comunicará qual vai ser o apoio que a autarquia dará a esta obra em concreto.
Leia mais na versão digital do seu JB.

Posted in Oiã, Oliveira do Bairro, Por Terras da Bairrada0 Comentários

Fábrica da Igreja de Oiã assina protocolo para Casa Mortuária

A Fábrica da Igreja de Oiã assinou, hoje, na Câmara Municipal de Oliveira do Bairro, um protocolo com o Secretário de Estado da Administração Local, António Leitão Amaro, para a construção de uma casa mortuária de Oiã. O apoio é de 44 mil euros para uma obra de cerca de 100 mil euros.

Posted in Oiã, Oliveira do Bairro, Por Terras da Bairrada, Vídeo0 Comentários

Oiã: GNR acaba com ligações pirata em acampamento cigano

Oiã: GNR acaba com ligações pirata em acampamento cigano

A GNR de Oliveira do Bairro desmantelou as ligações clandestinas de abastecimento elétrico que existiam num acampamento de indivíduos de etnia cigana, localizado em Oiã, na Rua da Comissão dos Melhoramentos que liga à Zona Industrial de Oiã.
Cerca de dez barracas estavam a ser abastecidas, de forma ilegal, com energia elétrica, através de um cabo, que se encontrava enterrado, com cerca de um quilómetro de comprimento que ligava o acampamento a uma caixa elétrica, localizada na Travessa da Rua das Cavadas.
A instalação ilegal deste tipo de ligações, tanto elétricas como de ramais de águas, é muito comum nos acampamentos de indivíduos de etnia cigana.

Posted in Oiã, Oliveira do Bairro, Por Terras da Bairrada0 Comentários

Três dias de festa no Centro Social de Oiã

Três dias de festa no Centro Social de Oiã

O Centro Social de Oiã viveu intensamente três dias dedicados ao espírito de Nata, à festa em família, em convívio e partilha. Três dias marcados pela alegria e disponibilidade e novamente pelo espírito de solidariedade, manifestado sobretudo no jantar de Natal que, no último sábado juntou uma centena de pessoas.

Missa no Lar. O padre Mário que nutre uma grande ternura e carinho pelos idosos e doentes, disponibilizou-se, na última quinta-feira, para celebrar a Eucaristia para os utentes (idosos e crianças) que encheram o refeitório do Lar. O que, aliás, já tinha acontecido também na Solsil. Dentro da homilia, rezou por todos eles e os abençoou e bendisse quantos se dedicam a estas instituições, desde os dirigentes às funcionárias, passando neste caso também pelos voluntários que os visitam todas as semanas, todos os dias, levando-lhes assim um pouco de dedicação e carinho. Além disso, fez um apelo: que ninguém se demita das suas obrigações sociais e humanas, que ninguém deixe de transmitir alegria e afectos, não só neste tempo de Natal, mas sempre.

Prenda da Natal, vinda de Aveiro. Também o Centro Social este ano teve uma prenda inesperada, especial, embrulhada em Aveiro. O BPI, agência as Barrocas, surpreendeu os dirigentes do CSO. O Gerente, acompanhado por uma funcionária, entregou na instituição, na tarde de sexta-feira, um comboio de brinquedos, centenas de brinquedos. Foram recebidos pelo Carlos Réu e Cláudia Gonçalves. Mas mais: a prenda só ficou completa com a entrega de um cheque de 200 euros. Outro sobre azul e um obrigado muito grande pela lembrança. Tanto mais que veio de longe. Prendas deste género ou de outro são sempre bem-vindas.

Quando os pais brincam para os filhos. Isto não é novidade, mas voltou a acontecer, este ano, na noite de sexta-feira. Os pais vestiram-se de actores e atrizes, tomaram a sério o seu papel e divertiram-se e divertiram a petizada e os avós, os dirigentes e gente amiga da instituição, durante cerca de 90 minutos. Abriram com uma peça de teatro musicado, intitulado “loja dos brinquedos do avô cantigas” e começou aí a bela noite. A trupe fez de tudo. Além do teatro, cantou cantigas de ternura, próprias para as crianças, houve música de vários géneros, até pop, mais ou menos frenética, muita alegria a chegar à assistência que enchia por completo o refeitório… até que chegou a hora do convívio e da partilha, despesas suportadas pelos próprios pais das crianças.

Jantar de Natal. Chegou a noite de sábado e decorreu o habitual jantar de Natal com os idosos que estiveram rodeados dos seus familiares, numa manifestação de grande carinho e afectos, de gestos nobres, avivando laços, vivendo memórias. Marcaram presença as entidades autárquicas: a vereadora da cultura, Elsa Pires, que, tendo de sair mais cedo, fez uma bela intervenção, aproveitando a antiga tradição do envio dos postais natalícios. Naquela noite exibiam-se, vivia-se a beleza dos postais ilustrados pelo amor dos filhos em sintonia com os mais idosos, aquecidos pelos afectos, pela presença da família, pelo espírito familiar vivido, outros belos postais, e fez um apelo à repetição da ternura deste tipo de postal. Mais tarde, chegaram o padre Mário Ferreira e o presidente da Junta, Victor Oliveira, que vinham exactamente da festa dos idosos de mais de 65 anos, promovida pala autarquia. Todo o ambiente foi de um grande calor humano, de uma grande serenidade e acalmia, um ambiente verdadeiramente familiar, comungado por todos: não só pelos idosos, mas também pelos dirigentes e grupo dos voluntários e ainda pelos que serviram às mesas com disponibilidade bastante e alegria de quem está a servir o outro. Não faltaram intervenções, nem música, nem mensagens coreografadas por um grupo das funcionárias em serviço, com cartazes e mensagens: é preciso viver o Natal no coração. Surgiu mesmo um grupo coral (o da igreja, aos sábados) que cantou peças natalícias que souberam bem e mais envolveram todos no espírito de Natal. O presidente, Carlos Réu, além de recitar poesia com o seu quê de jocoso, o que dispôs bem, fez um apelo a que os familiares nunca deixem de visitar e estar com os seus pais. É importante, ajuda ao seu bem-estar sentimental, sentem-se amados. Noutro passo, fez questão de frisar que a ementa (bacalhau e leitão) foi uma oferta da sociedade civil, mas também toda a espécie de doçaria e o próprio pão. E as bebidas, claro. E prometeu que esta iniciativa, assim com este espírito, será para continuar em próximos anos. Victor Oliveira seguiu a mesma tónica, lembrando os sacrifícios que os nossos pais suportaram para nos deixarem um mundo melhor, não recorrendo ao consumo desenfreado de hoje. Padre Mário falando no Natal e do Menino feito homem para ser estrela e luz, caminho e vida, deve ser visto e vivido na humildade do presépio, na simplicidade da mensagem que nos deixa. No final, houve entrega de prendas aos idosos, formada essencialmente por um sabonete e um lenço de mãos bordado com a letra inicial de cada nome, tudo devidamente acondicionado dentro de um envelope onde baloiçava um pompom, confeccionado pelos idosos. Foi ainda distribuído e vendido um bonito e original calendário ilustrado com o rosto de todos os idosos, que assim davam um ar de mais jovens.

Convívio dirigentes-funcionárias. Na segunda-feira, dia 22, aconteceu o convívio entre as funcionárias e todos aqueles que prestam outros serviços, relacionados com a saúde (45, ao todo) que constou de um jantar cuja ementa passou pelos pratos de bacalhau e leitão (mas cumpre-nos já dizer que os custos foram suportados por todos os convivas). O ponto mais alto foi a troca de prendas pelos amigos secretos. Terminou com uma parte cultural, recheada da leitura de alguns poemas de sabor natalício, mas também de outra poesia brejeira na boca do presidente Carlos Réu.
Armor Pires Mota

Posted in Oiã, Oliveira do Bairro, Por Terras da Bairrada0 Comentários

Conferência JB/CMOB dá pistas à economia bairradina

Conferência JB/CMOB dá pistas à economia bairradina

Abordar a economia numa altura de grandes mudanças e viragens nos mercados, aproveitar o momento menos favorável das finanças da maior parte das empresas para repensar objetivos e perspetivar novos rumos comerciais foram desafios colocados no 3.º Jantar Conferência do Jornal da Bairrada, organizado em conjunto com a Câmara Municipal de Oliveira do Bairro e subordinado ao tema “A Economia que Funciona”.

No restaurante D. Rogério, em Oiã, juntaram-se, no dia 4 de dezembro, cerca de duas centenas de participantes, numa plateia recheada de empresários, autarcas, líderes associativos, entre outras figuras proeminentes do desenvolvimento económico da Bairrada.

Daniel Bessa: Capitalização das empresas é prioritária

O ex-ministro de António Guterres, Daniel Bessa, abriu a conferência e deu enfoque ao facto de termos uma economia dicotómica no país, garantindo que “há um Portugal que está à margem da crise” e, por outro lado, “há meio país pendurado nas dívidas públicas e com a crise das finanças públicas, é o diabo”.
Para o agora diretor-geral da COTEC Portugal, dicotomia é também a marca no financiamento das empresas, argumentando que, por mais paradoxal que essa possa parecer, retrata a realidade do país, já que “há uma economia que funciona, que merece toda a confiança do sistema bancário”, mas também “há uma economia que não funciona, rejeitada pelo sistema bancário”.
Para o futuro, o ex-governante acredita que vai haver grandes dificuldades para os empresários, deixando como desafios a rentabilidade ou melhoria da balança comercial, elegendo a capitalização das empresas como “objetivo principal”, seguindo como tarefa “trabalhar a rentabilidade, depois de preocupações com a qualidade e a solidez”.

Rui Assis: Tecnologia permite testar mercado antes do investimento

Seguiu-se na conferência a intervenção de Rui Assis, responsável da área de Consultoria de Transformação de Negócios da PT Empresas, deixando o vinco de que a massificação da internet tem sido determinante para o sucesso da economia e, pegando no exemplo das empresas de hotelaria e turismo, o desenvolvimento da tecnologia levou à desintermediação, ou seja, “colocou as empresas em contacto direto com os clientes”, mas, por outro lado, criou um nicho de negócio de intermediários virtuais, que colocam novos desafios aos empresários do ramo, o que, para este responsável, faz funcionar a economia.

Carlos Coelho: Gerir uma marca é controlar uma metade e seduzir outra metade

O último orador foi Carlos Coelho, uma das grandes referências portuguesas no domínio da construção e gestão de marcas. Fundador e presidente da Ivity Brand Corp, este responsável arrancou sonoras gargalhadas da plateia, que por alguns minutos foi desafiada a pensar no valor do país, nas suas marcas e identidade. E começou pela cómica alegoria de “um cão a fazer xixi na roda de um automóvel, deixando uma marca e definindo território. Os territórios estão sempre a mexer, por isso temos que estar, no mínimo, sempre a fazer xixi”.
Numa intervenção proativa e positiva sobre Portugal e os portugueses, aquele responsável apelidou o país de “extraordinário” e não se cansou de deixar casos de sucesso, entre eles a famosa onda da Nazaré surfada por McNamara: “Uma onda ao final da rua pode mudar uma economia inteira”. Os três vinhos de Portugal no lote dos quatro melhores do mundo e outros exemplos foram também mote para a intervenção de Carlos Coelho, defendendo que, já que o mundo está rendido ao nosso valor, “é altura de subir preços”.
“Portugal é um país de pequenas coisas extraordinárias”, disse Carlos Coelho, almejando ver no futuro “um alemão a trabalhar muito para poder comprar um vinho baga português”. “Esta é a altura para sonhar, fazer coisas que os outros não fazem”, concluiu.
No encerramento da iniciativa, o presidente da Câmara de Oliveira do Bairro, Mário João Oliveira, congratulou-se com o elevado número de presenças, entre as quais os seus congéneres de Cantanhede e Vagos – e vereadores dos restantes municípios bairradinos – com a qualidade dos oradores e com o facto daquela noite ter permitido abordar melhor termos como “tecnologia, valor, competitividade e, sobretudo, falar bem das potencialidades do nosso país”.
O 3.º Jantar Conferência JB/CMOB contou com com o Alto Patrocínio da PT Empresas e os apoios da Associação Comercial e Industrial da Bairrada (ACIB) e da Associação da Empresarial de Águeda (AEA).

João Paulo Teles

Reportagem completa na edição impressa ou digital do Jornal da Bairrada de 11/12/2014

Posted in Destaque, Oiã, Oliveira do Bairro, Por Terras da Bairrada0 Comentários

Mico da Câmara apresenta CD de Fados

Mico da Câmara Pereira vai fazer um espetáculo de apresentação do seu novo CD, que se intitula FADO MEU, no Centro Cultural Prof. Élio Martins, Silveiro, no dia 31 de janeiro de 2015, pelas 21h30.
Depois de ter editado “À Sombra da Luta (1999)” e “Por viver Assim”, este é o primeiro CD de fado, editado por Mico da Câmara Pereira.
Neste trabalho participam convidados como Luís Represas, Mafalda Arnauth, Olga Prats, Noa, Samanta Castilho, Silvestre Fonseca e os irmãos Francisca, Nuno e Gonçalo da Câmara Pereira. Neste concerto, os convidados não participam mas são interpretados todos os temas do CD, bem como alguns de CD anteriores.
Está a ser um CD muito aguardado pelo meio fadista e pela crítica especializada, a que se poderá assistir pelo preço de 10 euros.

Posted in Oiã, Oliveira do Bairro, Por Terras da Bairrada0 Comentários

Blogues recomendados


Cagido

RUA DA FONTE, PÓVOA DO PEREIRO
   Uma rua a precisar de água fresca e renovação, pois há muito, que sabemo …


Notícias de Bustos

SOBUSTOS – Biblioteca não é só livros, também é um espaço de amigos. (NB, 10-05-2012)
Nota de abertura:Porque a câmara municipal pretende enviar o Pólo de Leitur …


Portal de Nariz

Maria da Conceição Martins expõe na Palhaça
 Durante o próximo mês de agosto, a naricense Maria da Conceição Martins ap …

Pergunta da semana

Portugueses praticam cada vez mais exercício ao ar livre. É o seu caso?

View Results

Loading ... Loading ...
Newsletter Powered By : XYZScripts.com