Recortes.pt Leia no Recortes.pt

Arquivo | Vagos

Copa da Ria 2015 em Vagos

Realiza-se, de 1 a 5 de julho, o evento desportivo “Copa da Ria 2015”.

O Copa da Ria é um torneio internacional de futebol para jovens atletas dos 8 aos 17 anos, que alia a componente desportiva ao lazer, prometendo cinco dias recheados de emoção e com muitos momentos reservados para a descoberta de uma das mais belas regiões do país – Aveiro.

Participam, neste torneio, 53 equipas de 28 clubes perfazendo um total de cerca de 800 atletas.

O Município de Vagos é parceiro neste evento e irá receber alguns dos jogos, que decorrem no Estádio Municipal de Vagos, no campo dos Lagos, em Soza.

No dia 5 de julho, dia do encerramento do torneio, o evento alia-se a uma causa organizando, no Estádio Municipal de Vagos, duas aulas de zumba solidário que revertem à favor da Associação Diferentes e Especiais. Uma aula de zumba kids/júnior, que decorre das 16h às 16h30, onde para participar as crianças terão de trazer um bem de higiene e limpeza (ex.: toalhetes, fraldas, etc.) e uma aula de zumba para adultos, das 16h30 às 17h30, cuja entrada tem um valor de 4 zumbas.

O calendário de jogos, assim como outras informações, podem ser consultadas no site oficial do evento em http://www.copadaria.com.

Posted in Por Terras da Bairrada, Vagos0 Comentários

Vagos: Marchas populares no dia 27

No próximo dia 27 de junho, realizam-se, em Vagos, as Marchas Populares com início às 21h30, junto à Capela de Santo António, na saída de Vagos (sentido norte). As Marchas desfilarão pela estrada nacional (EN 109) até ao anfiteatro centro da Vila, onde cada marcha fará a sua exibição.

A iniciativa volta-se a repetir no dia 18 de julho, na Praia da Vagueira. As marchas iniciam, pelas 21h30, o desfile na Avenida Principal, junto à Praça das Palmeiras até à Praça Central da Praia da Vagueira, onde farão a sua atuação.

Esta iniciativa é organizada pela Câmara Municipal e conta com a participação das Juntas de Freguesias de Vagos e St.º António, Ouca, Ponte de Vagos e Santa Catarina, Soza, Calvão, Fonte de Angeão e Covão do Lobo e Gafanha da Boa Hora. Este projeto tem como principal objetivo a mobilização de toda a população num convívio salutar entre as freguesias do Concelho.

As marchas, que terão a participação de, aproximadamente, 700 figurantes, serão realizadas pelas seguintes juntas de freguesia e na seguinte ordem:

  1. Freguesia de Vagos e Santo António
  2. Freguesia de Ouca
  3. Freguesia de Ponte de Vagos e Santa Catarina
  4. Freguesia de Soza
  5. Freguesia de Calvão
  6. Freguesia de Gafanha Boa Hora
  7. Freguesia de Fonte Angeão e Covão Lobo

Posted in Por Terras da Bairrada, Vagos0 Comentários

CDS/PP vota contra aquisição de serviços do Vagueira Surf Fest

Os vereadores do CDS/PP votaram, na penúltima quinta-feira, na reunião de Câmara, contra o parecer prévio vinculativo para ajuste direto – regime geral para aquisição de serviços para a organização e produção do festival “Vagueira Surf Fest”.
O Vagueira Surf Fest, que vai na sua quinta edição, realiza-se nos dias 3, 4, e 5 de julho, proporcionando três dias cheios de muita animação com diversas atividades, desde aulas de Surf, Kite Surf, Slackline, Skate Park, Bodyboard e Longboard, entre outras.

Falta de respeito. Maria do Céu Marques, vereadora eleita do CDS/PP, considerou “uma falta de respeito pelo trabalho da oposição”, sublinhando que “não faz sentido sermos confrontados com a aprovação de programas já feitos”. “Não sou contra o evento, mas contra estar a votar um evento que já está a ser publicitado”, referiu a vereadora do CDS/PP.
Leia mais na versão digital do seu JB.

Posted in Vagos0 Comentários

Lions Clube de Vagos tem novo presidente

Lions Clube de Vagos tem novo presidente

Sócio fundador do clube, António Paulo Maia Gravato é o novo presidente do Lions de Vagos, sucedendo no cargo a João Pedro Mateus, que liderou a equipa que presidiu às comemorações das “bodas de prata” da instituição.
A cerimónia da transmissão de funções teve lugar no passado sábado, durante um jantar, que contou com a presença da presidente de Divisão, Maria Rosário Soares, e vereadora da Cultura da Câmara Municipal, Dulcínia Sereno.
No decorrer da assembleia geral, foi apresentado o relatório de atividades do mandato que agora termina, com relevância para as ações de angariação de fundos e de apoio social. No plano cultural, destaque para as conferências sobre a “Arte de Xávega”, e “Casa Gandareza”, proferidas por Gaspar Albino e João Carlos Sarabando, respetivamente, e o concerto com o coro e orquestra da Fundação Conservatório de Música de Gaia, sob a direção do maestro Mário Mateus, e também o organista Leonardo Moço.
Foi, ainda, anunciado que Vagos fora distinguido, no ano lionístico 2014/2015, “Clube de Excelência” do Distrito 115 C/N. A informação foi veiculada pela própria governadora, Anabela Caldevilla, que ao assinar o primeiro formulário felicitou o clube vaguense. “O Lions Clube de Vagos é, sem dúvida, com muito mérito, um clube exemplar”, referiu, a propósito.
Da nova direção fazem também parte Manuel Manangão (vice-presidente), João Paiva (secretário) e Clara Nunes (tesoureira).

Eduardo Jaques

Posted in Por Terras da Bairrada, Vagos0 Comentários

Centro Comunitário de Soza vem a caminho

Centro Comunitário de Soza vem a caminho

Património “mais rico”, assegura o presidente do Centro Social da freguesia de Soza, a quem o município de Vagos doou um terreno inculto, destinado à construção do futuro centro comunitário. João Carlos Loureiro, que agradeceu “reconhecidamente” à câmara, em nome de “todos os sócios” da instituição, disse, em declarações a este jornal, que o projeto inicial, concluído há anos, ainda continua “à espera de uma solução financeira”.
Para já está em funcionamento a creche, inaugurada em 2007 pelos então secretários de Estado da Segurança Social, Pedro Marques, e da Modernização Administrativa, Maria Manuel Leitão.
Aprovado em 2003, o projeto levou menos de um ano a construir, em terreno adquirido com o apoio da comunidade emigrante residente em Elisabeth e Newark (Estados Unidos da América). Teve um custo a rondar os 220 mil euros, e contou com o apoio do Governo e FEDER, através do Programa Operacional de Emprego, Formação e Desenvolvimento Social (POEDDS). A autarquia acabaria por financiar metade da parte não comparticipada.
Do projeto fazia, ainda parte, um centro de convívio, centro de dia para idosos e reforço do apoio domiciliário. Valências que em 2009 foram candidatadas ao POPH – Programa Operacional Potencial Humano, mas que, segundo João Carlos Loureiro, não foram contempladas por “não terem pontuação suficiente” para tal.

Doação

Recorde-se que a doação resultou de uma deliberação camarária, tomada com base no despacho do então presidente da autarquia vaguense, Rui Cruz, que autorizou, na reta final do mandato, o destaque da parcela sobrante do terreno onde, há mais de uma década, fora construído o posto médico de Soza. Seria ratificado, por unanimidade, em reunião de 17 de setembro de 2013.
A escritura foi outorgada há dias, pelo vice-presidente da câmara, João Paulo Sousa Gonçalves, em representação do município, e por João Carlos Loureiro e Armando Jorge Santos, presidente e tesoureiro daquela IPSS.
O prédio urbano, com a área de 4.474,40 m2 e valor patrimonial atribuído de 67.120 euros, destina-se, como se disse, à construção do centro comunitário.

Eduardo Jaques/Colaborador

Posted in Por Terras da Bairrada, Vagos0 Comentários

Prisão para condutor que transportava elementos do coro do Orfeão de Águeda

Prisão para condutor que transportava elementos do coro do Orfeão de Águeda

 

O condutor do autocarro que transportava elementos do coro do Orfeão de Águeda, que se despistou, há quase seis anos, em Santa Maria da Feira, foi, na segunda-feira, condenado pelo tribunal daquela cidade a dois anos e meio de prisão, com pena suspensa. Do acidente resultou um morto, uma mulher de 44 anos, sete feridos graves, entre os quais uma grávida, e 20 ligeiros.
O coletivo de juízes deu como provado que o acidente ficou a dever-se ao “excesso de velocidade, potenciado pelas deficiências mecânicas do veículo” que, na altura, transportava elementos do coro do Orfeão de Águeda.
Durante a leitura do acórdão, o juiz presidente referiu ainda que o local onde ocorreu o acidente “estava mal sinalizado”, adiantando não ter sido dado como provado que o motorista conhecesse aquela zona.
“Este acidente também teve consequências para si. Já sofreu sanção pela prática destes crimes, mas o tribunal não poderia deixar de o sancionar”, referiu o magistrado dirigindo-se ao arguido, após a leitura do acórdão.
O arguido, de 60 anos, foi condenado a um ano e meio de prisão, por um crime de homicídio por negligência, oito meses, por um crime de ofensa à integridade física grave por negligência, e três meses, por cada um dos dez crimes de ofensa à integridade física por negligência.

Pena. Em cúmulo jurídico, foi-lhe aplicada uma pena única de dois anos e meio de prisão, suspensos por igual período.
Na noite da tragédia, o coro do Orfeão de Águeda dirigia-se para São Paio de Oleiros, em Santa Maria da Feira, onde era esperado para as celebrações do 25.º aniversário da Associação Musical Oleirense.

Acusação. Segundo a acusação do Ministério Público, o arguido “conduzia desatento, não tomando as precauções devidas e de que era capaz, iniciando a aproximação à curva sem diminuir a velocidade da forma devida e sem se precaver que a podia descrever em segurança, manifestando desprezo para com as pessoas que consigo seguiam no veículo”.
A defesa do arguido requereu a abertura da instrução, alegando que as causas do acidente ficaram a dever-se a falhas de manutenção no veículo acidentado. Contudo, o Juiz de Instrução confirmou que o veículo apresentava, desde o início da marcha, problemas que determinavam “a existência de folga no volante”, mas, ainda assim, decidiu pronunciar o arguido por todos os crimes de que estava acusado.

Posted in Águeda, Anadia, Cantanhede, Destaque, Mealhada, Oliveira do Bairro, Por Terras da Bairrada, Vagos0 Comentários

Mérito e profissionalismo distinguidos no “Dia do Município”

Depois do tributo, prestado em 2014 a antigos servidores camarários, a autarquia de Vagos decidiu celebrar, este ano, a “municipalidade do vaguense”, distinguindo, no dia do município, os melhores alunos das escolas e a totalidade das IPSS.
Em cerimónia muito concorrida, que contou com a presença do secretário de Estado da Administração Local, Leitão Amaro, o presidente da câmara, Silvério Regalado, destacou o trabalho que tem sido feito a nível social, sublinhando, a propósito, que se trata de uma área onde os municípios, por razões de maior proximidade, “trabalham muito melhor que a administração central”. “Fazem-no de forma profissional e com carinho”, especificou
Aproveitando a presença daquele governante, Silvério Regalado admitiu que Vagos “não fica atrás do que é feito pelos nossos vizinhos”. Na oportunidade, reafirmou, ainda, o “não” da autarquia, no que respeita à transferência de competências de alguns serviços, como acontece com a educação.
“Já fazemos isso há muito tempo”, advertiu o autarca, dando como exemplo o que sucede com a escola secundária, que durante duas décadas utilizou (de forma gratuita) o pavilhão municipal.
Cerca de 70 dos melhores alunos, pertencentes ao Agrupamento de Escolas de Vagos, Escola Profissional de Agricultura e Desenvolvimento Rural (EPADR) e Colégio Nossa Senhora da Apresentação (Calvão), receberam diplomas de mérito. Paralelamente, a totalidade das IPSS (12), que nos últimos anos têm trabalhado em parceria com a autarquia, foram igualmente distinguidas.
Homenagem. Uma homenagem “muito merecida”, confiou Leitão Amaro, para quem “falta-nos [no país] valorizar quem faz bem”.
No caso dos alunos premiados, aquele governante admitiu que o reconhecimento camarário é “pequeno, face às vantagens que vão ganhar ao longo da vida”.

Posted in Por Terras da Bairrada, Vagos0 Comentários

Peregrinação de Cantanhede atrai milhares a Vagos

Unidos pela mesma fé, em redor de Maria. De Cantanhede e outras paragens, rumaram, aos milhares, ao santuário da Senhora de Vagos. Como manda a tradição, alguns dos peregrinos (poucas centenas), fizeram o percurso a pé, partindo de madrugada da sede do município, e dos restantes lugares da freguesia (Póvoa da Lomba, Lemede, Varziela, Franciscas, Lírios e Tarelhos).
Chegaram a Vagos por volta das 10 horas, dirigindo-se, em procissão até ao santuário, levando consigo a cruz paroquial, bandeiras e outras insígnias. No interior da capela ps devotos haveriam de cumprir, em silêncio, suas promessas, celebrando, deste modo, uma história religiosa que data do século XII, quando o primitivo santuário foi “entregue” ao Convento de Grijó.
Uma ligação particularmente afectiva e humana da fé, num “cruzamento de gentes, sensibilidades e perspectivas”, como apontou o padre Luís Francisco, da paróquia de Cantanhede. Memória que mais não é senão “renovação, criatividade e actualização” da mensagem de Maria, referiu.
Este ano, a celebração eucarística festiva foi presidida, pela primeira vez, por D. António Moiteiro, e contou, como habitualmente, com a presença, entre outros, dos autarcas de Vagos e Cantanhede.
Na homilia, o novo bispo diocesano, que concelebrou com vários sacerdotes do arciprestado, destacou o jubileu extraordinário dos 50 anos do encerramento do Concilio Vaticano II – o “catecismo dos tempos modernos”, segundo Paulo VI.
Centrada na elevação de Santa Maria, “mãe do amor formoso”, a palavra do prelado aveirense foi “direta” à oração e à grandeza de Deus, que disse ser a “alegria de Maria”.

Igreja, fermento e luz. Justificando a escala de valores no mundo em que vivemos, onde, segundo disse, “o estar acima do outro é trepar seja à custa de quem for”, D. António Moiteiro admitiu, por outro lado, que celebrar Santa Maria de Vagos é celebrar o “modelo da igreja que é Maria”, e o compromisso da igreja “ser hoje sinal, fermento e luz e testemunha de Cristo ressuscitado”.
A meio da tarde, antecedida do terço, decorreu a cerimónia da bênção do bodo, considerado por alguns peregrinos como gesto “mágico supersticioso”. Perto de uma centena de bodos (mais de 20 mil pães) foram benzidos, com destaque para as representações das paróquias de Cantanhede e Varziela, Pocariça, Lemede, S. Caetano e Póvoa da Lomba.
Ao princípio da noite, teve lugar a procissão de velas. Com saída do santuário, em direcção ao centro da vila, nela se incorporaram muitos milhares de devotos, que entupiram literalmente a EN 109.

Eduardo Jaques
Colaborador

Posted in Por Terras da Bairrada, Vagos0 Comentários

Até ao final do ano, Vagos tem mais 13,75 kms de aceiros florestais

Aguiar Branco e Assunção Cristas, respetivamente Ministro da Defesa e Ministra da Agricultura e do Mar, estiveram, na última sexta-feira, em Vagos para testemunhar a assinatura de um protocolo com o Exército, avaliado em um milhão de euros, para a prevenção dos fogos florestais.
Pelo documento, subscrito com o Instituto da Conservação da Natureza e Florestas (ICNF), o Exército compromete-se, em 2015, a abrir mais 350 quilómetros da rede primária de aceiros e a realizar 1500 horas de vigilância nas matas nacionais. No concelho de Vagos, serão abertos 13,75 quilómetros de aceiros.
Trata-se de renovar o Plano Faunos, através do qual a engenharia militar é colocada a desbravar a floresta para criar uma rede de acessos aos meios de combate aos incêndios, que servirá de contenção aos fogos florestais.
Em 2014 foram já abertos 250 quilómetros e este ano serão abertos mais, “num esforço muito positivo do Exército”, segundo a ministra da Agricultura e do Mar, que realçou o facto daquele ramo das Forças Armadas “estar atento e disponível para ajudar na defesa do território”.
Um passo pequeno, se for tida em conta que a rede primária está planeada para uma extensão de 11,5 mil quilómetros, mas como referiu na ocasião Rui Almeida, do ICNF, “é um processo de décadas que terá de ser feito paulatinamente”.
Leia mais na versão digital do seu JB.

Posted in Por Terras da Bairrada, Vagos0 Comentários

Festas de Vagos e Semana Cultural unidas para “poupar”

Realizada a solo, desde que foi institucionalizada num dos mandatos de Rui Cruz, a semana cultural vai ser, este ano, integrada nas festas da vila, que têm início amanhã, dia 23. Uma “união de facto” perfeita, que permite poupar milhares de euros aos cofres camarários, no ano em que a autarquia assume, pela primeira vez (à falta de comissão), a organização direta das festas do município.
Tanto quanto apurou o JB, os dois eventos vão custar pouco mais de 60 mil euros, quando em 2014 as contratações e despesas com a logística [só da festa], tinham ascendido a 39.086 euros. É ponto assente que “haverá uma redução da despesa na ordem dos 26%”, ou seja cerca de 18 mil euros. Quem o garante é a vereadora responsável pelo pelouro da Cultura, Dulcínia Sereno, que coordenou a elaboração do programa e respetivo cartaz.
Na ótica do presidente da câmara, as festas acabam por ser concelhias e pretendem, acima de tudo, celebrar o “espírito de ser vaguense”. Uma “interação muito forte”, entre a autarquia e os agentes locais, com a finalidade de mostrar “o que de bom fazem os vaguenses, a nível cultural e social, na educação ou na área da gastronomia”, alega Silvério Regalado.

Música e teatro. Do programa, que se estende até ao santuário de Nossa Senhora de Vagos – palco privilegiado da peregrinação anual das gentes de Cantanhede -, destaque para o concerto de “Os Azeitonas”, cuja atuação está agendada para a noite de 25, feriado municipal.
É o regresso de Miguel Araújo, que há um ano locupletou o anfiteatro do centro da vila, interpretando alguns dos seus recentes sucessos. Na memória fica o registo da presença, em palco, da Filarmónica Vaguense, que “ajudou” o vocalista de “Os Azeitonas” a cantar “Balada astral” e “Maridos das outras”.
As festas arrancam no sábado, à tarde, com a inauguração do espaço cultural (junto ao quartel dos bombeiros, no jardim São Sebastião), na presença da Banda Vaguense e fanfarra da Associação Recreativa e Cultural de Ouca. À noite haverá teatro, com o grupo “Fantástico”, mordomia da Santa Casa da Misericórdia de Vagos. Será apresentada, em estreia (repete a 30 de maio), no auditório do Centro de Educação e Recreio (CER) a peça “Degraus”, de Marcantónio del Carlo, com encenação de João Mário Fernandes.
No domingo, para além da missa solene na igreja matriz (11h), a tradicional procissão do Divino Espírito Santo (17h30) vai percorrer as principais artérias da vila. Mais tarde (20h), os “Groove da Villa” estarão no espaço cultural, enquanto a noitada é da responsabilidade do grupo “Alta Frequência”, que marca presença no anfiteatro. Antes da meia noite, terá lugar o espetáculo piromusical, para ser visto ao pormenor.

Posted in Por Terras da Bairrada, Vagos0 Comentários

SFImobiliaria

Pergunta da semana

Portugueses praticam cada vez mais exercício ao ar livre. É o seu caso?

View Results

Loading ... Loading ...
Newsletter Powered By : XYZScripts.com