Recortes.pt Leia no Recortes.pt

Arquivo | Aveiro

Lugar dos Afectos deixa Convite do Cupido

O Lugar dos Afectos, em Eixo, Aveiro, quer juntar o maior número de namorados e… Cupidos, no próximo Dia dos Namorados. Assim, no sábado, convida todos os apaixonados, de todas as idades, a visitar aquele espaço, a partir das 14h30.

Declarações de amor à janela, beijos, prendas e lembranças, brindes ao Amor, de tudo isto e muito mais se fará na Grande Festa do(s) Cupido(s), no Lugar dos Afectos.

O Lugar dos Afectos, obra de Graça Gonçalves (escritora e médica), para além de ter no alicerce a mensagem dos seus livros, jogos de afetos e da colecção Afetos, dá continuidade à Rede de Afeto, sque começou nas sua obras e, hoje em dia, tem cada vez mais expressão, e adesão, a nível nacional e internacional.

O Lugar dos Afectos, profundamente inovador, foi pensado e construído de modo a comportar várias casas temáticas, caminhos, jardins e recantos únicos. Graça Gonçalves, a autora de todo o projeto, concebeu até os mais pequenos pormenores da arquitetura exterior e interior.

Posted in Aveiro, Região0 Comentários

Burlão dividia dinheiro com professora de O. do Bairro

Um homem, de 44 anos, e uma mulher, de 36, que já tinham sido condenados a prisão efetiva por burlas e outros crimes, começaram a ser julgados no tribunal de Aveiro num novo processo.
Os arguidos, um engenheiro químico, que se encontra detido há mais de dez anos, e a antiga companheira, estão acusados pelo Ministério Público (MP) de 19 crimes de falsificação de documento.
Leia mais na versão digital do seu JB.

Posted in Aveiro, Oliveira do Bairro, Por Terras da Bairrada, Região0 Comentários

Mensagem de Natal do Bispo de Aveiro

Mensagem de Natal do Bispo de Aveiro

É Natal, Jesus está connosco. Desde a Sua conceção, Ele é verdadeiro homem e verdadeiro Deus: homem como nós, nascido numa família humana, mas concebido pelo Espírito Santo. Ele é o verdadeiro «Emanuel», o Deus connosco (Mt 1, 23).
Este Jesus é a razão do verdadeiro Natal. Celebramos o Seu nascimento. A narração da natividade, tal como a descrevem os Evangelhos, é muito simples: tudo ocorre na solidão e no silêncio. Maria e José são as únicas testemunhas. A grandiosidade de um Imperador que ordena um recenseamento em todo o mundo conflui num humilde presépio, no qual está deitado o Menino.
Assim valoriza Deus o que somos e temos. Quando falamos em “oferecer o melhor que temos ao Senhor”, deveríamos examinar se a nossa escala de valores se ajusta a esta que Deus Pai estabeleceu, preparando o acolhimento ao Seu querido Filho, que nasceu para cada um de nós. O que é verdadeiramente extraordinário é que Deus se fez homem.
A verdade fundamental do nascimento de Jesus é esta: nascido numa aldeia desconhecida, em absoluta pobreza, no seio de uma família humilde, expressa-se a exaltação das coisas pequenas. É nesta pequenez, nesta humildade, que devemos crescer para o acolhimento de Deus e para a entrega de nós próprios ao seu serviço, traduzido no amor generoso e gratuito aos outros. Mas só à luz da Ressurreição podemos avaliar esta pequenez como grão de mostarda que se converterá em árvore frondosa (Mt 13, 32).
No início do meu ministério como bispo de Aveiro, no passado mês de setembro, centrei a atenção nas famílias e nos desafios que se lhes deparam na realização da sua missão. Apelei a que não se fechassem em si mesmas, mas que se abrissem à vida como um dom que vem de Deus. Também a Mensagem do Sínodo dos Bispos sobre a família refere que o amor do homem e da mulher nos ensina que cada um dos cônjuges precisa do outro para ser ele mesmo, mantendo-se diferente do outro na sua identidade, que se abre e se revela no dom recíproco. É o que exprime de uma forma sugestiva a mulher do Cântico dos Cânticos: «O meu amado é meu e eu sou dele… Eu sou do meu amado e o meu amado é meu» (Ct 2,16; 6,3). Nesta reciprocidade, temos de concluir que só partilhando o Natal alguém pode viver a sério o seu Natal.
A família cristã, como verdadeira Igreja doméstica, deve ser a primeira e principal educadora dos seus filhos. Enquanto pais cristãos, estão obrigados, antes que quaisquer outros, a formar os seus filhos na fé e na prática da vida cristã, através da palavra e do exemplo. Apesar das dificuldades que se deparam hoje à família cristã, ela continua a ser uma estrutura básica na iniciação cristã e inclusive um desafio pastoral: a família cristã não pode renunciar à sua missão de educar na fé os seus membros e ser modelo para as gerações mais jovens. Em tempo de Natal, a manifestação do amor de Deus deve chegar ao seio das famílias com a mesma ternura e ardor que nos é transmitido pela família deste Menino que em cada ano festejamos o Seu nascimento, para que a Sua luz irradie para os que caminham longe da luz.
O modelo da família de Nazaré – Jesus, Maria e José – deve inspirar todas as famílias, porque o amor faz parte da nossa identidade cristã: «Dou-vos um novo mandamento: que vos ameis uns aos outros; que vos ameis uns aos outros assim como Eu vos amei. Por isto é que todos conhecerão que sois meus discípulos: se vos amardes uns aos outros» (Jo 13, 34-35). Devemos amar-nos uns aos outros porque Deus nos ama, e nos amou primeiro, e mostra esse amor enviando o seu filho Jesus, que por amor deu a vida por nós. Aprendamos o amor para sairmos de nós mesmos e irmos ao encontro da grande família humana.
Neste Natal, procuremos estreitar laços, fazer com que o amor de Deus renasça em nós e no coração daqueles que vivem à nossa volta. Que ninguém sem lar, sem pão ou sem trabalho, sem horizontes de vida… nos seja indiferente. Procuremos ajudar a construir, naquilo que estiver ao nosso alcance, um mundo mais belo e mais justo, onde a paz anunciada pelos anjos na noite de Natal se estenda a toda a terra.
Desejo que o nascimento de Jesus seja um desafio a uma vida nova, na esperança de que nos empenhemos para que o ano 2015 seja de graças e bênçãos para todos os diocesanos de Aveiro.
A todos desejo a melhor prenda do Natal!

António Moiteiro
Bispo de Aveiro

Posted in Águeda, Anadia, Aveiro, Destaque, Mealhada, Oliveira do Bairro, Por Terras da Bairrada, Região, Vagos0 Comentários

Recluso morre na cadeia

Um recluso de 48 anos faleceu, na última segunda-feira na cadeia de Aveiro, ao que tudo indica devido a doença súbita. O recluso estava detido preventivamente à ordem de um processo por tráfico de droga.
O falecido já tinha faltado a uma das últimas audiências devido a doença grave.
O INEM foi chamado ao local, mas limitou-se a confirmar o óbito. O cadáver foi autopsiado no Instituto de Medicina Legal.

Posted in Aveiro, Por Terras da Bairrada0 Comentários

Universidade de Aveiro quer potencializar o consumo do saudável medronho

Aproveitado exclusivamente para a produção de aguardentes e licores, uma equipa de investigadores da Universidade de Aveiro (UA) quer ver também o medronho nacional fora das garrafas e consumido fresco ou incluído noutros alimentos. A capacidade de evitar os radicais livres responsáveis por doenças como o cancro, de controlar os níveis de colesterol e de melhorar a saúde da pele e dos ossos, propriedades descobertas no medronho pelo Departamento de Química (DQ) da UA, dão o mote aos objetivos dos investigadores desafiados pela Cooperativa Portuguesa de Medronho: colocar o fruto na roda alimentar dos portugueses.

E se dúvidas possam haver quanto à versatilidade gastronómica do medronho, dia 3 de dezembro, às 16h30, na sala do Senado da Reitoria, uma mostra de alimentos, com o fruto na lista de ingredientes pretende acabar com o ceticismo. Toda a comunidade está convidada a ver e, literalmente, a provar o porquê do trabalho do DQ.

O desafio lançado à UA para o desenvolvimento de produtos naturais, saudáveis, de produção local e práticos, em conformidade com as atuais tendências do mercado alimentar e que contenha o ingrediente que abunda em todo o país, foi formalizado há um ano atrás. Desejam os produtores que os milhares de toneladas de medronho produzidas anualmente em Portugal não só tenham outros destinos para além das destilarias como também que o fruto possa constituir uma imagem de marca de uma alimentação saudável.

O trabalho desenvolvido em colaboração entre as unidades de investigação Química Orgânica, Produtos Naturais e Agroalimentares (QOPNA) do DQ e o Centro de Investigação em Materiais Cerâmicos e Compósitos (CICECO) da UA, já resultou na incorporação da polpa do medronho em vários alimentos comuns, sejam biscoitos, iogurtes, barras energéticas ou bombons. O passo seguinte da equipa de químicos de Aveiro será o do eventual isolamento dos compostos do fruto que possam ser promotores de saúde humana e a sua adição a alimentos funcionais. E ingredientes para isso não faltam.

A caracterização química detalhada do medronho realizada pelos investigadores da UA destaca a presença de ácidos gordos insaturados, nomeadamente ómega 3 e 6, fitoesteróis e triterpenóides, compostos com importante atividade biológica. “Os ómegas 3 e 6 são ácidos gordos essenciais que têm de ser obtidos a partir da dieta uma vez que o nosso organismo não os sintetiza”, explica Sílvia Rocha. A investigadora no QOPNA, juntamente com os investigadores Armando Silvestre, do CICECO, e a aluna de Mestrado Daniela Fonseca, lembra que esses compostos “têm demonstrado um papel importante no controlo dos níveis de colesterol, na saúde da pele e dos ossos e uma relação inversa entre o consumo de ómega 3 e a perda de funções cognitivas”.

Da mesma forma, os esteróis, aponta Sílvia Rocha, “têm um importante papel na saúde uma vez que contribuem regular o nível de colesterol”. E os triterpenóides, para além de ajudarem igualmente a controlar o colesterol, têm uma ação anti-inflamatória, antimicrobiana e antifúngica. Assim, sublinha, “a presença destes compostos com atividade biológica reconhecida contribui para a valorização do consumo do medronho”.

Potencialidades antioxidantes

Os resultados do estudo desenvolvido mostram ainda que os medronhos da Serra da Beira, que os investigadores têm usado no trabalho, “apresentam uma atividade antioxidante superior à de frutos de outras proveniências, tanto de Portugal como de outros países europeus”.

“A atividade antioxidante reflete a capacidade de evitar a formação de radicais livres, substâncias que, quando produzidas em excesso no organismo são responsáveis pelo stress oxidativo, conhecido por provocar danos no organismo humano, os quais estão associado ao envelhecimento e aumento da suscetibilidade a diversas doenças, nomeadamente as doenças civilizacionais emergentes”, aponta Sílvia Rocha. A investigadora lembra que “o estilo de vida atual é um dos fatores desencandeadores de stress” e que por isso, “o consumo regular de medronho em fresco ou a sua inclusão noutros alimentos pode ser visto como aspeto valorizador da dieta e, por conseguinte, diminuir a suscetibilidade ao desenvolvimento de doenças”.

Os investigadores do QOPNA e do CICECO lembram que não é comum encontrar medronhos frescos no mercado. “Este fruto é muito perecível e, quando colhido maduro da planta, apresenta um teor alcoólico que tem uma conotação negativa junto da população”, destaca Sílvia Rocha. Para contrariar o cenário os químicos da UA já têm definidas as condições para recolha e armazenamento do fruto no sentido de incrementar respetivo consumo ao natural.

“Agora é preciso arranjar parceiros e financiamento”, sublinha Sílvia Rocha. “Esses são os dois elementos chave que estamos a procurar neste momento para se avançar com a introdução do medronho na indústria alimentar”, acrescenta.

Posted in Aveiro, Destaque, Região0 Comentários

Bairrada unida na candidatura a Cidade Europeia do Vinho/2015

Bairrada unida na candidatura a Cidade Europeia do Vinho/2015

A quatro dias de sabermos se a Bairrada é ou não Cidade Europeia do Vinho/2015, foi divulgada à comunicação social a apresentação de 15 minutos com as linhas de força da região, que, na próxima segunda-feira, será vista em Jerez de la Frontera. É nesse dia 24, cerca das 17h, no âmbito da Assembleia Geral da RECEVIN – Rede Europeia das Cidades do Vinho, que ficaremos então a saber se a Bairrada foi mais forte que Melgaço e Monção (candidatura conjunta) e Reguengos de Monsaraz.

Foi em Cantanhede que se encontraram todos os protagonistas da candidatura bairradina, entre os quais os presidente de câmara dos oito concelhos da Bairrada e outras entidades parceiras – Turismo Centro de Portugal, Comissão Vitivinícola da Bairrada, Associação Rota da Bairrada, Vinibairrada e Confraria dos Enófilos da Bairrada.

Na região da Bairrada, Cantanhede assumiu as rédeas da candidatura, mas trata-se de uma candidatura conjunta dos municípios de Cantanhede, Anadia, Mealhada, Águeda e Oliveira do Bairro, para “promover e divulgar a excelência dos vinhos da Bairrada”, através de 72 eventos previstos, num orçamento que “ronda os cinco milhões de euros”, disse o presidente da Câmara de Cantanhede, João Moura.

Antes ainda da apresentação do vídeo promotor, Ana Catarina Gomes conduziu os convidados numa visita à unidade de Genómica (UC-Biotech), no Biocant Park, onde estão em curso projetos de investigação pioneiros baseados no conceito de agricultura de precisão, entre os quais o “Inovwine”.

A responsável pela unidade Genómica, onde trabalha uma equipa de 10 jovens investigadores, esclareceu, de forma sintetizada, todo o programa que é ali desenvolvido, dedicado à vinha e ao vinho. “A nossa postura foi sempre de olhar para a tradição, percebendo a dinâmica de tudo o que se faz na prática enológica, e depois inovar, pois uma tradição não é mais do que uma inovação bem sucedida.”

O foco desta unidade, disse ainda Ana Catarina Gomes, “é analisar o que se faz e procurar desafios, que permitam a transferência do que se obtém aqui em conhecimento para a indústria”, destacando o papel fundamental que tem tido neste processo a Adega Cooperativa de Cantanhede. Adega cujos vinhos estiveram depois em destaque no almoço que se seguiu, que terminou com um brinde à candidatura da Bairrada, com o vinho que já conquistou 12 medalhas de ouro, o Foral de Cantanhede Grande Reserva 2009.

Posted in Águeda, Anadia, Aveiro, Cantanhede, Destaque, Mealhada, Oliveira do Bairro, Por Terras da Bairrada, Região, Vagos0 Comentários

GNR sensibiliza idosos para burlas

A população mais idosa é uma parcela de população que, pelas suas características, carece de proteção e segurança acrescidos. Em consequência de tal realidade, a Guarda Nacional Republicana tem desenvolvido vários projetos nesta área em que se privilegia a prevenção dos ilícitos de que são alvo os mais idosos.
Neste sentido, o Comando Territorial de Aveiro desenvolveu, na última quarta-feira, um conjunto de ações de prevenção/sensibilização com a finalidade de combater os fenómenos criminais que afetam a população idosa, especialmente as burlas.

Posted in Águeda, Anadia, Aveiro, Cantanhede, Ílhavo, Mealhada, Oliveira do Bairro, Por Terras da Bairrada, Região, Vagos0 Comentários

2.ª Conferência QCIRA “Região-Cidade Inteligente” no dia 16

“Região-Cidade Inteligente” é o tema da conferência a realizar no dia 16 de outubro, a partir das 15h, na Sala de Atos da Reitoria da Universidade de Aveiro. A sessão tem por objetivo discutir modelos de organização, para os sistemas de conhecimento locais e regionais, baseados no conceito de território inteligente.

Esta iniciativa, organização conjunta da CIRA / UA, conta com apresentações de especialistas. Já o encerramento estará a cargo do Ministro Adjunto e do Desenvolvimento Regional, Miguel Poiares Maduro, do Presidente do Conselho Intermunicipal da Região de Aveiro, Ribau Esteves, e do Reitor da Universidade de Aveiro, Manuel Assunção. No final da sessão, pelas 16h45, terá lugar a assinatura do Contrato de Parceria Institucional entre a CIRA e a UA.

A segunda conferência do plano de divulgação do QCIRA – Quadro Comum de Investimento da Região de Aveiro para 2014-2020 integra também programa de atividades do DIA da REGIÃO de AVEIRO, que se assinala pela primeira vez em 2014, no aniversário da constituição formal da Comunidade Intermunicipal da Região de Aveiro (16 de outubro de 2008).

 

Programa

15h Abertura

Filipe Teles, Pró-Reitor da Universidade de Aveiro

José Eduardo de Matos, Secretário Executivo Intermunicipal da Região de Aveiro

15h15 Painel: O conhecimento ao serviço do desenvolvimento regional

– As plataformas tecnológicas da Universidade de Aveiro ao serviço da Região, Carlos Pascoal Neto, Vice-Reitor da Universidade de Aveiro

– Connected Communities – A Região de Aveiro como um laboratório do futuro, Rui Aguiar, Professor na Universidade de Aveiro

– A Incubadora de empresas da Região de Aveiro e o apoio ao Empreendedorismo, Celso de Carvalho, Diretor Geral da Incubadora de Empresas da UA

– A visão empresarial e a prática de mercado, Rui Lopes, Presidente da Inova Ria

16h15 As oportunidades de financiamento para uma Região Inteligente

Ana Abrunhosa, Presidente da CCDRC (comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Centro)

16h45 Encerramento e Assinatura do Contrato de Parceria Institucional entre a CIRA e a UA

Manuel Assunção, Reitor da Universidade de Aveiro

Ribau Esteves, Presidente do Conselho Intermunicipal da Região de Aveiro

Miguel Poiares Maduro, Ministro Adjunto e do Desenvolvimento Regional

Posted in Aveiro, Por Terras da Bairrada, Região0 Comentários

Ligação Aveiro/Águeda entre os investimentos do próximo Quadro Comunitário 2014-20

A qualificação da Linha do Vouga (ligação Aveiro/Águeda) e as vias estruturantes para a competitividade empresarial estão entre os vários investimentos integrados na estratégia regional para o período do próximo Quadro Comunitário 2014-2020. Estratégia esta que foi apresentada nos Paços do Concelho do Município de Águeda, no dia 2 de outubro, na primeira sessão municipal de um vasto programa de divulgação, pelos 11 municípios que integram a Região de Aveiro, a decorrer até março de 2015.
Entre os vários investimentos que se perspetivam para 2020, o Presidente do Conselho Intermunicipal da Região de Aveiro, Ribau Esteves, salientou aqueles que servirão de base para a ITI – Iniciativa Territorial Integrada da Região de Aveiro. São eles a política intermunicipal de empreendedorismo e inovação; a qualificação e valorização agrícola e ambiental do Baixo Vouga Lagunar; a Fase 2 do Polis Litoral da Ria de Aveiro; a qualificação da Linha do Vouga (ligação Aveiro/Águeda), e as vias estruturantes para a competitividade empresarial.

Posted in Águeda, Aveiro, Por Terras da Bairrada, Região0 Comentários

Cantanhede: Adega arrecada sete prémios no Concurso  de Vinhos e Espumantes Bairrada

Cantanhede: Adega arrecada sete prémios no Concurso de Vinhos e Espumantes Bairrada

A Adega Cooperativa de Cantanhede foi a grande vencedora da 4.ª edição do Concurso de Vinhos e Espumantes Bairrada ao arrecadar sete prémios, entre os quais o do melhor vinho.
O concurso, que vai na 4.ª edição, decorreu no primeiro dia do evento. Foram provados 76 vinhos, por um painel de 17 jurados, entre críticos e jornalistas, enólogos e escanções.
Os vinhos, todos certificados pela Comissão Vitivinícola da Bairrada, concorreram em quatro categorias (tinto, branco, rosé e espumante), com especial atenção para três prémios: o melhor espumante, o melhor espumante Baga (a casta bandeira da região) e o melhor vinho do concurso.
A entrega de prémios, que aconteceu por volta das 20h, foi presidida por Luís Campos, secretário de Estado dos Negócios Estrangeiros.
Na ocasião, Luís Lopes, da Revista de Vinhos, sublinharia “o nível muito bom, mesmo bastante elevado” dos vinhos apresentados, o que é revelador “do salto qualitativo que a região deu nesta última dezena de anos”.
Luís Campos, secretário de Estado dos Negócios Estrangeiros, classificaria, perante os convidados presentes, “o vinho e a gastronomia como dois grandes embaixadores de Portugal, que produz cada vez com mais qualidade e criatividade”. Duas áreas “importantes para o desenvolvimento da economia regional”.
A propósito dos sete prémios conquistados, Vitor Damião, presidente da direção da Adega de Cantanhede, disse estar muito satisfeito e orgulhoso porque “são mais sete prémios que se vão juntar aos outros 75 já recebidos este ano”. Destacando a importância deste evento para os vinhos da região, não deixou de destacar que todas estas distinções confirmam que “as adegas não são filhos de um Deus menor e que não ficam atrás de qualquer produtor”.
“Estes prémios nacionais e estrangeiros ajudam a projetar a imagem da Adega, do concelho, mas também de toda a região”, disse, destacando que a Adega exporta já 20% da produção, para mais de 20 países: Canadá, Russia, China, entre outros.
A Adega de Cantanhede, que é já o maior produtor da Bairrada, tem como enólogo o consultor Osvaldo Amado.

Espumante Prata
Encontro Special Cuvée Branco 2010, Quinta do Encontro
Marquês de Marialva Blanc de Blancs Branco 2012, Adega Cooperativa de Cantanhede
Milheiro Selas Pinot-Noir/Cercial Branco 2011, António Selas
Montanha Real, Super-Reserva Branco 2009, Caves da Montanha – A. Henriques

Espumante Ouro
Aliança Vintage Branco 2008, Aliança Vinhos de Portugal
Casa de Sarmento Brut de Baga Branco 2009, Casa de Sarmento
Marquês de Marialva Bical / Arinto Reserva Branco 2011, Adega Cooperativa de Cantanhede
Marquês de Marialva Cuvée Branco 2010, Adega Cooperativa de Cantanhede
Primavera Unum Touriga – Nacional Branco 2012, Caves Primavera
São Domingos Baga Branco 2008, Caves do Solar de São Domingos

Vinho Branco Prata
Encontro Bical Branco 2013, Quinta do Encontro

Vinho Branco Ouro
Marquês de Marialva Reserva Arinto Branco 2013, Adega Cooperativa de Cantanhede
Quinta dos Abibes Sublima Branco 2010, Quinta dos Abibes

Vinho Rosé Ouro
Quinta do Poço do Lobo Reserva Baga / Pinot-Noir Rosé 2013, Caves São João

Vinho Tinto Prata
Marquês de Marialva Grande Reserva Tinto 2008, Adega Cooperativa de Cantanhede
São Domingos Reserva Tinto 2009, Caves do Solar de São Domingos

Vinho Tinto Ouro
Pinho Leão Tinto 2011, Casa Agrícola António Santos Lopes, Herd.
Quinta dos Abibes Sublime Tinto 2010, Quinta dos Abibes
Encontro 1 Tinto 2009, Quinta do Encontro
Marquês de Marialva Confirmado Baga Tinto 1991, Adega Cooperativa de Cantanhede
Castel Venegas Tinto 2013, Hélder Manuel Ferreira dos Santos

Melhor Espumante
Aliança Vintage Branco 2008, Aliança – Vinhos de Portugal

Melhor Espumante Baga
Casa de Sarmento Brut de Baga Branco 2009, Casa de Sarmento

Melhor Vinho
Marquês de Marialva Reserva Arinto Branco 2013, Adega Cooperativa de Cantanhede

Posted in Águeda, Anadia, Aveiro, Cantanhede, Mealhada, Oliveira do Bairro, Por Terras da Bairrada0 Comentários

SFImobiliaria

Pergunta da semana

Acredita na Astrologia?

View Results

Loading ... Loading ...
Newsletter Powered By : XYZScripts.com