Recortes.pt Leia no Recortes.pt

Tag Archive | "câmara"

Bombeiros: Autarquia da Mealhada suporta encargo das candidaturas a fundos 2020


A Câmara da Mealhada vai assumir a comparticipação nacional das candidaturas que as duas corporações de bombeiros do concelho fizerem aos fundos europeus do Portugal 2020, anunciou o presidente da autarquia, Rui Marqueiro, no decorrer da cerimónia dos 88 anos da corporação mealhadense.
O autarca discursava no aniversário da Associação dos Bombeiros Voluntários da Mealhada, no passado dia 1 de agosto, numa festa que contou com a homenagem aos atuais e antigos bombeiros, com um minuto de silêncio em honra dos já falecidos, uma sessão solene e, ainda, a visita ao novo ginásio que os bombeiros passam a dispor, deixando “um presente de aniversário”, como o próprio apelidou, afirmando que “é de bom tom quando se vai a uma festa de aniversário levar um presente: Pois bem, a prenda é a informação da decisão da Câmara de assumir o valor global da comparticipação nacional que as corporações dos bombeiros terão de dispor para a candidatura aos fundos comunitários do Portugal 2020”.
Antes deste anúncio, o presidente da direção dos bombeiros, Nuno Castela Canilho, tinha já dado conta que esse valor que a autarquia se apronta a custear se cifrará, no caso dos Bombeiros da Mealhada, nos 62 mil euros, ou seja 15 por cento do valor total da remodelação do quartel, orçada em 414 mil euros.
Rui Marqueiro, na sua intervenção, incentivou ainda a atual direção a recandidatar-se nas eleições no final do ano, comentando que a atual equipa mostrou “estratégia” e capacidade de “pensar o futuro e de agir. Fizeram um bom trabalho”.

Leia a notícia completa na edição de 13 de agosto do Jornal da Bairrada

Posted in Mealhada, Por Terras da BairradaComments (0)

Câmara Municipal de Anadia reforça subsídios às Juntas de Freguesia


O executivo da Câmara Municipal de Anadia decidiu, por unanimidade, na última reunião, realizada a 29 de julho, reforçar em 139.513 euros os subsídios a atribuir às 10 Juntas de Freguesia do concelho.
O reforço financeiro agora concedido corresponde a 25% do valor do FEF (Fundo de Equilíbrio Financeiro) e é atribuído de acordo com os projetos e obras apresentados por cada uma das freguesias, e cujo investimento global ronda os 194 mil euros.
Segundo a edil Teresa Cardoso, as verbas são ser pagas em duas tranches: uma primeira parte (50%) até final da primeira quinzena de agosto e a outra metade até final do ano.
Teresa Cardoso avança ainda que a maioria das Juntas optou pela requalificação de espaços públicos, jardins e valetas.

Leia a notícia completa na edição de 13 de agosto do Jornal da Bairrada

Posted in A. da Gândara, Anadia, Ancas, Arcos, Avelãs de Caminho, Avelãs de Cima, Mogofores, Moita, Óis do Bairro, Paredes do Bairro, Por Terras da Bairrada, S. Lourenço Bairro, Sangalhos, Tamengos, V. Nova de Monsarros, Vilarinho do BairroComments (0)

Anadia: Presidente de Câmara Municipal pede nó de ligação à A1


 

Um nó de acesso à A1 foi a única obra que a autarca de Anadia destacou como vital para o desenvolvimento do concelho perante Castro Almeida, secretário de Estado do Desenvolvimento Regional e gestor e coordenador dos fundos comunitários, nomeadamente do novo quadro – “Portugal 2020” , que presidiu à cerimónia de abertura da 12.ª edição da Feira da Vinha e do Vinho.
Foi debaixo de um sol tórrido e com uma hora de atraso que, na manhã do último sábado, dia 20 de junho, foi cortada pela autarca Teresa Cardoso, secretário de Estado do Desenvolvimento Regional Manuel Castro Almeida e Pedro Machado, presidente da Entidade de Turismo do Centro, a fita inaugural de um certame que é já tradição no concelho de Anadia.
Uma vez mais, na presença de um membro do governo, a edil anadiense voltou a sensibilizar a tutela para esta preocupação do nó da A1, que disse ser “conhecida há muito, mas ainda não reconhecida”, mas de enorme importância para o desenvolvimento estratégico do concelho e da região.
A decorrer na zona do Vale Santo, no centro da cidade, até ao próximo domingo, dia 28, Anadia vive nove dias de trabalho, mas também de grande festa, que fazem deste evento um ponto de encontro e de confraternização.

Anadia detém mais de 70% da produção de espumantes Bairrada. Foi na nova tenda dedicada aos produtores e onde se localiza o wine bar e a loja de vinhos que a todos a edil anadiense deu as boas-vindas. Teresa Cardoso, que no dia da apresentação do certame, a 1 de junho, tinha pedido bom tempo a S.Pedro, estava longe de imaginar o quão generoso ele seria. Com temperaturas a rondar os 40 graus, nada melhor que brindar a abertura do certame com um espumante fresquinho. E foi isso que aconteceu neste espaço que, até domingo próximo, irá dar a provar o produto ex-líbris do concelho e que promete afirmar Anadia como a capital do espumante.
Na ocasião, Teresa Cardoso destacou a importância do espumante para o concelho que foi pioneiro na sua produção. Hoje, passados 125 anos, Anadia é um concelho que “soube dinamizar e modernizar esta atividade e este património absolutamente essenciais para o concelho e para a região, onde Anadia detém mais de 70% da produção de espumantes Bairrada, os quais, por sua vez, representam 65% da produção nacional de espumante”, referiu a edil, que aproveitou para sublinhar o também não menos importante papel da vitivinicultura que molda a paisagem. “Mas é o espumante que nos dá ainda um ex-líbris e uma divisa: Anadia, Capital do Espumante”, disse. Por isso, destacou a forte presença do setor no certame mas também o tecido empresarial em geral presente com vários stands, sem esquecer a vertente cultural, gastronómica e de animação.
A autarca de Anadia sublinharia igualmente a importância estratégica do projeto “Investem Anadia”, um programa municipal de apoio às empresas e aos empresários, à criação de emprego, à fixação de pessoas e à criação de riqueza, através da disponibilização das melhores condições de investimento, com o objetivo de criar dinâmicas e de acrescentar valor ao nível do tecido empresarial do concelho e da região.
Assim, o certame que vai já na sua 12.ª edição é mais “um contributo, apoio e incentivo ao tecido empresarial da região”.
Teresa Cardoso destacou ainda que, para além dos vinhos, Anadia é conhecida pela gastronomia e termas, mas também pela sua hotelaria, equipamentos desportivos e culturais de grande qualidade.
“Dos vinhos à gastronomia, da cerâmica à indústria das duas rodas, da floresta, do termalismo, do turismo desportivo, ao enoturismo, dispomos de um conjunto de potencialidades que destacamos e que importa fortalecer salientando desde logo, e uma vez mais, a necessidade de ligar o principal eixo rodoviário do país ao nosso concelho”.
Uma ligação que Teresa Cardoso acredita permitir aumentar a competitividade e a sustentabilidade dos vários setores económicos do concelho e dos concelhos vizinhos.

Campanha gigantesca para promover e dar a conhecer os nossos produto. Castro Almeida mostrou-se bastante agradado com o facto de Teresa Cardoso ter falado apenas de uma obra que é necessária para o desenvolvimento do concelho (nó de acesso à A1) mas, sobretudo, por ter centrado a sua intervenção a falar de emprego e da criação de riqueza no concelho. “Isto diz bem da mudança no pensamento dos nossos autarcas”, agora mais empenhados em resolver problemas como o desemprego e os salários baixos.
Para o secretário de Estado do Desenvolvimento Regional, este é precisamente um aspeto em que os autarcas podem ajudar bastante, já que o país precisa de empresários e da criação de emprego, destacando que no novo Quadro Comunitário haverá fundos destinados a este fim. Por isso, deixou a indicação da criação na UTAD (Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro) de um Centro de Investigação do Vinho, de nível mundial, com o apoio dos fundos comunitários.
“O nosso esforço deve centrar-se em ajudar as empresas a ser mais competitivas e ajudar os empresários”. Debruçando-se em concreto sobre o setor vitivinícola, avançou ser “uma área de negócio geradora de riqueza que deve aumentar nos próximos anos”, já que é um setor que tem futuro, ainda “que tenha de percorrer um bom caminho ao nível da comercialização”, sobretudo nos mercados externos.
“É preciso uma campanha gigantesca para promover e dar a conhecer os nossos produtos”, nomeadamente nos países emergentes. “Temos qualidade, precisamos melhorar o valor de referência do vinho”, disse.
Catarina Cerca

Posted in Anadia, Destaque, Por Terras da BairradaComments (0)

Anadia: Peddy Paper muito participado


Realizou-se no passado domingo, dia 21, a 2.ª edição do peddy paper, este ano subordinado ao tema “Anadia Capital do Espumante”. Os participantes calcorrearam a cidade de Anadia, em busca de adegas, museu, caves e quintas, numa iniciativa muito participada.
Promovida pela Câmara Municipal de Anadia, esta atividade física e cultural decorreu entre as 10h e as 12h30, numa manhã muito quente. As equipas partiram da Praça Visconde de Seabra e percorreram diversas ruas da cidade, dirigindo-se a diversos locais emblemáticos, orientadas por um guião/road-book contendo questões relacionadas com o espumante.
Este projeto desportivo e cultural vai ao encontro de um dos temas que a Câmara Municipal de Anadia decidiu privilegiar neste ano de 2015 – Anadia, Capital do Espumante.
Assim, para além da prática desportiva, este peddy paper procurou levar os participantes a alguns locais relacionados com a história do espumante e com a sua produção, contribuindo para testar e ampliar os conhecimentos dos participantes sobre este verdadeiro ex-líbris do concelho e da região.
Participaram 17 equipas, num total de 100 participantes, tendo a Câmara Municipal destacado 16 colaboradores para a organização do evento.
No final da prova e antes da entrega de prémios, a edil Teresa Cardoso felicitou todos os participantes e agradeceu às nove entidades que disponibilizaram as suas instalações para a realização desta iniciativa.

Resultados
1.º – Equipa “Os Golfinhos”; 2.º – GDM Montes e Vales e 3.º – Give me Zumba.

Posted in Anadia, Por Terras da BairradaComments (0)

Anadia: Adjudicações camarárias


O executivo camarário acaba de adjudicar a última fase da obra do Pavilhão Municipal de Anadia, localizado no centro da cidade, pelo valor de 295 mil euros. A obra deverá estar concluída dentro de cinco meses e contempla a substituição de todo o piso do campo de jogos, remodelação dos balneários, do ginásio, átrio principal de entrada e sanitários de apoio ao público.
Toda a iluminação será substituída por leds, assim como as bancadas vão ter assentos, à semelhança dos colocados no Pavilhão do Sangalhos DC.
Também já está adjudicada a Requalificação Integrada ao Complexo Desportivo de Anadia pelo valor de 324 mil euros. A obra vai demorar quatro meses a concluir e visa melhorar substancialmente a entrada sul na cidade, vindo de Vale da Bica. Para além da requalificação do pavimento em frente ao Estádio Municipal, esta beneficiação contempla a colocação de novos tapetes betuminosos, requalificação das zonas de estacionamento e definição de um passeio em torno de todo o complexo escolar e desportivo, onde surgirá uma ciclovia que ligará esta zona à estância termal da Curia, pela estrada de Vale da Bica.
A zona envolvente ao Cineteatro de Anadia também não foi esquecida e será integrada nesta beneficiação.
A requalificação será feita ainda ao nível dos braços de iluminação pública, que vão ser substituídos por leds.

Posted in Anadia, Por Terras da BairradaComments (0)

Anadia vai ter posto de carregamento para carros elétricos


A cidade de Anadia vai ter, em breve, um posto de carregamento de carros elétricos. A notícia foi avançada pelo executivo no Dia do Ambiente. O posto (o primeiro do género na região) vai ficar localizado na Praça da Juventude, junto ao posto B-And, em Anadia. Nesta fase inicial, não terá qualquer custo para os seus utilizadores. Neste momento, a autarquia procede à instalação da baixada elétrica, pelo que o equipamento deverá ser colocado até final do mês. Este equipamento terá capacidade para fazer o carregamento das baterias de dois carros ao mesmo tempo. Aos jornalistas foi revelado que, para utilizar o posto, os utilizadores terão de se registar no site da Mobi.E. Depois de receberem um cartão com um código que lhes permite fazer os carregamentos.
Sensibilização para questões ambientais. A edil Teresa Cardoso revelou ainda que a autarquia está, na área da educação, a dinamizar um conjunto de iniciativas que visam sensibilizar os mais novos para as questões ambientais.
Cinco escolas do concelho (Centros Escolares de Arcos, Paredes do Bairro, Sangalhos e as Escolas de Aguim e Tamengos) participaram num projeto intermunicipal que visa a redução dos consumos de água, eletricidade e gás, tendo nestes estabelecimentos sido instalados contadores inteligentes para monitorizar à distância os referidos consumos. Segundo a autarca, as escolas estão “a ter bons resultados”. O município está ainda a distribuir pelos diversos espaços públicos do concelho panfletos onde dá conta das boas práticas ambientais.
Também o projeto B-And, que conta com vários pontos de bicicletas em Anadia, Curia e Sangalhos, foi alargado às unidades hoteleiras do concelho, que poderão disponibilizá-las aos seus hóspedes e visitantes. A autarquia tem 50 bicicletas, número que a curto prazo.

Posted in Anadia, Por Terras da BairradaComments (0)

Anadia: PDM é o possível, mas não o desejável


A versão final da 1.ª revisão do PDM (Plano Diretor Municipal) de Anadia foi aprovada pelo executivo e será agora aAssembleia Municipal a deliberar sobre o mesmo.
Na última sexta-feira, dia 5 de junho, o executivo apreciou esta versão final, que vai agora seguir para a Assembleia Municipal, a realizar no dia 19 de junho.
Numa sessão onde estiveram presentes os autarcas da Moita, Vilarinho do Bairro, Sangalhos, Avelãs de Cima e União de Freguesias de Tamengos, Aguim e Óis do Bairro, assim como vários técnicos da autarquia que ao longo dos anos têm trabalhado neste processo, a edil Teresa Cardoso sublinhou que a carta da REN (Reserva Ecológica Nacional) se encontra ainda em apreciação: “o PDM aprovado terá de se regular pela carta de REN antiga”.

Melhorias significativas. Apesar desta situação, a autarca avançou que a proposta de ordenamento do território classifica como solo urbano 3805 hectares, sendo 642,98 hectares espaços para atividades económicas (dos quais 342,21 hectares já se encontram ocupados, existindo, contudo, ainda uma boa parte para ocupação). “Nesta revisão houve um acréscimo de 37% para espaços de atividades económicas”, destacou.
Assim, há a registar um aumento de mil hectares em relação ao perímetro urbano, incluindo algumas situações que antes não estavam contempladas.
A edil lamentou, contudo, que a REN não tenha contemplado todas as manchas que se desejavam, apesar da autarquia ter insistido na sua reavaliação. Por isso, admitiu que “vamos ter um PDM que vai permitir a expansão urbana e industrial, mas não vamos ter o PDM que desejávamos, pois queríamos que fosse mais abrangente, deixando de fora áreas importantes nas várias freguesias”.
Na ocasião, reconheceu que, face ao novo PDM, “todos terão de se adaptar a esta nova realidade”, até porque “não há PDM’s ideais que respondam a todas as solicitações, assim como as autarquias são condicionadas por políticas e regras impostas por todas as entidades”.
Teresa Cardoso destacou ainda o papel do ex-presidente de Câmara e seu vereador Litério Marques neste processo: “foi um lutador que lutou dentro das suas convicções. A sua persistência permitiu alcançar o que se alcançou.”
Posição semelhante foi assumida pelo vice-presidente da autarquia anadiense. Jorge Sampaio sublinhou o sentimento ambíguo de satisfação “por o processo terminar”, mas também de insatisfação “por não responder a 100% do que queríamos”.
Um passo, mesmo assim, positivo, que se deve à edil Teresa Cardoso que viu a necessidade urgente de avançar com este processo, mas também a Litério Marques “pela vontade e querer que sempre teve”, reconhecendo o seu trabalho, empenho e luta para que esta revisão acontecesse.
Já o vereador Lino Pintado (PS) deixou palavras de reconhecimento à equipa técnica, que fez um caminho penoso para chegar a esta fase, assim como destacaria também a importância da atual presidente e do ex-presidente neste processo.
“Parabéns à presidente da Câmara e a Litério Marques pelo trabalho político que tiveram ao longo destes quase 20 anos”. Reconhecendo não ser uma “versão ideal – não existem versões ideais de PDM – acredito que mesmo não sendo o PDM que nós gostaríamos de ter é o possível”, deixando uma nota de esperança para que este novo PDM “permita um crescimento sustentado e sustentável do concelho.”

Vereadores do PSD aprovam PDM. O vereador José Manuel Ribeiro, do PSD, reconheceu estar o município a dar um passo muito relevante num processo que foi moroso e complexo e que foi prejudicial para o desenvolvimento do concelho.
“Quando foi iniciado, em 1998, era urgente e prioritário, mas iniciou-se de forma errada e comprometedora.”
Tal como os seus pares, reconheceu que o PDM não é perfeito, não é o ideal mas o possível face às contingências e ao que a Lei obriga. “É o preço que temos de pagar para termos um novo PDM”, diria.
O vereador destacou ainda que este importante instrumento de gestão territorial dota Anadia de mais área urbana e industrial e vem responder a muitas solicitações de munícipes. “Tivemos durante anos um espartilho no desenvolvimento. Ele não terminou, foi apenas aliviado.” Por isso, diz ser “ um PDM com algumas lacunas e imperfeições e que não responde às expetativas de todos, mas dá um salto qualitativo em relação ao que ainda está em vigor”.
Jorge São José (PSD) destacou a urgência de alterar o PDM em vigor. “Embora tenha demorado muito tempo, resultou numa versão melhorada e que cria oportunidades de desenvolvimento a todos os níveis, ainda que não seja uma versão ideal. Mas, mais vale ter uma boa melhoria do que coisa nenhuma”, disse.
Na ocasião mostrou-se solidário com todas as pessoas que não conseguiram regularizar várias situações.
Lígia Seabra, também do PSD, destacou a importância do documento que agora é preciso entrar em vigor e que vai estar em constante adaptação, que cria novas dinâmicas para o concelho. “Fica esta nota de esperança e coragem da presidente de Câmara em colocar o PDM na finalização e levar para a frente este processo.”

Ex-autarca, a voz mais crítica. O ex-presidente da autarquia, Litério Marques, foi a voz mais crítica. “Mais uma vez, vamos enviar para aprovação para a Assembleia um PDM que, curiosamente, traz o carro à frente dos bois. Vamos aprovar um plano que, enquanto não tiver a carta da REN aprovada, é mau”. Por isso, considerou o novo PDM “redutor em relação ao anterior”, uma vez que afirmou terem existido casos em que a Câmara teve de ceder.
“Não contempla tudo porque não convém”, lamentou, criticando a atuação de várias entidades e organismos públicos.
“Reparem que tudo o que toca a REN não passou. Zero. Todas as sugestões foram recusadas”, o que o deixa triste.
Litério Marques diria ainda que “a presidente fez um bom trabalho, não deixou cair por terra o trabalho que vinha sendo realizado por tanta gente, nos últimos anos. Mas ela foi obrigada a andar com o PDM para a frente porque saiu uma lei que dava a indicação de que quem não acabasse os PDM’s ficaria pura e simplesmente amarrado. Isto diz tudo. Estamos a aprovar um PDM porque a lei nos impõe”, sublinhou.
A terminar, mostrou-se agradado “por termos PDM”, mas lamentou “continuamos agarrados à burocracia infernal e a instituições que neste Estado mandam mais do que o próprio Estado. Por isso, este PDM é, por outro lado, insuficiente e injusto”.
Catarina Cerca
catarina@jb.pt

Posted in Anadia, Por Terras da BairradaComments (0)

Autarquia distribui kits de poupança de água


No Dia Mundial do Ambiente, celebrado a 5 de junho, a Câmara Municipal de Oliveira do Bairro distribuiu a 400 alunos do 2.º, 3.º e 4.º anos, de cinco escolas do concelho, kits de redutores de caudal de água.
A iniciativa, que passou pelos Polos Escolares de Oliveira do Bairro, Vila Verde, Troviscal, Bustos e Palhaça, teve como objetivo sensibilizar os mais novos, e por arrasto as suas famílias, para a importância da redução do consumo de água, num quadro de sustentabilidade da região mas também do país e do próprio planeta. Na ocasião foram transmitidas dicas de poupança de água, a forma de se instalar o redutor de caudal entregue a cada criança e sugeridos gestos diários que promovem a melhoria do ambiente, como a separação dos resíduos, não deitar lixo para o chão, etc..
Esta ação de distribuição de kits que permitem poupar água (redutores de caudal) integra-se no projeto da Agência para a Sustentabilidade e a Competitividade da Região de Aveiro, que tem como objetivo dotar a Comunidade Intermunicipal da Região de Aveiro (CIRA), que inclui 11 municípios, de um conjunto de práticas inovadoras, no contexto nacional e internacional, promovendo-a como uma região de excelência, dinâmica e competitiva, com práticas e metodologias diferenciadas, nomeadamente no que diz respeito à sustentabilidade.
Atuando em sete eixos temáticos (economia verde, eficiência energética, eficiência hídrica, construção sustentável, valorização dos resíduos, alterações climáticas e mobilidade suave e ecoturismo) o projeto procura contribuir para a identificação e promoção de oportunidades geradoras de mais-valias e crescimento para a região, a criação de postos de trabalho e a difusão de conhecimento e boas práticas.
Os projetos e ações que estão a ser desenvolvidas no âmbito da Agência pretendem também auxiliar as 11 autarquias da CIRA a cumprirem os objetivos nacionais e internacionais no domínio do desenvolvimento sustentável.

Posted in Oliveira do Bairro, Por Terras da BairradaComments (0)

ANADIA: Delimitação territorial deve ser retificada, diz vereadora do PSD


Lígia Seabra, vereadora do PSD, defendeu, na última reunião de câmara do executivo anadiense, que a delimitação territorial do concelho de Anadia deve ser revista. Isto porque, segundo avançou, em recente decisão, o executivo da Câmara Municipal de Oliveira do Bairro decidiu avançar com processo de delimitação administrativa do concelho, procurando também fazer retificações nas confrontações que mantém com o concelho de Anadia.
Uma situação que , a seu ver, deveria ser aproveitada por Anadia. “Como os membros deste executivo bem sabem, o concelho de Oliveira do Bairro tem, neste momento, cerca de 150 hectares a mais na sua área cartográfica e que correspondem, na realidade, ao concelho de Anadia, mais propriamente à freguesia de Sangalhos, nomeadamente terrenos situados no sítio de Monte Verde, lugar da Murta”. A vereadora não compreende como é que estando na posse da Câmara Municipal de Anadia um dossiê completo sobre esta situação, até ao momento nada foi feito.
“Começando no executivo presidido, na década de 90, pelo senhor Armando Castro e por todos os outros presidentes de Junta que se seguiram, fizeram chegar à Câmara um trabalho exaustivo e minucioso de junção de provas, com vista à aprovação dos limites desta freguesia e do próprio concelho. Nunca a Câmara deu andamento, ou finalizou este processo”.
Uma situação tanto mais grave por que estará, segundo avançou, “o município de Oliveira do Bairro a receber valores de receita correspondentes a IMI’s de terrenos que não entram na área do município, estando a freguesia de Sangalhos, há muitos anos, a ser prejudicada, anualmente, no valor das tranferências de verbas que lhe são afetas em função de uma área que não corresponde à realidade”.
“Para quando a resolução deste assunto?”, perguntou, defendendo que Anadia deve aproveitar a iniciativa da Câmara de Oliveira do Bairro para resolver esta questão. “Os presidentes de Junta de Oliveira do Bairro sempre estiveram de boa fé neste processo, não havendo qualquer conflito que obste à resolução amigável”, acrescentou.
A presidente de Câmara, Teresa Cardoso, reconheceu que a situação de Monte Verde, na Murta, não é uma situação nova e que mesmo com a construção da Alameda, a rotunda veio até ao limite com o concelho de Anadia, estando a própria ESOB implantada em terrenos do concelho de Anadia.
A edil explicou que já têm sido feitas várias diligências mas quando se vai buscar o registo e o histórico, os terrenos estão registados em Oliveira do Bairro. “Surge aqui logo a primeira dificuldade de prova. Não é um processo fácil e por alguma razão as provas e documentos recolhidos ainda não clarificaram estas situações”, avançou.
A edil acredita que o consenso e o entendimento entre as câmaras é possível.

CC

Posted in Anadia, Por Terras da BairradaComments (0)

Cem mil euros para as camadas jovens


A Câmara Municipal de Oliveira do Bairro aprovou, na penúltima feira, por unanimidade, a atribuição de 99.534 euros de subsídios às camadas jovens, prosseguindo “a determinação num apoio mais forte à formação iniciado em 2004”, segundo Mário João Oliveira, presidente da Câmara Municipal de Oliveira do Bairro.
Mário João Oliveira recordou que em 2004 os apoios às associações cifravam-se em 27.330 euros e, passado 11 anos , ascendem a quase 100 mil euros, apoiando mais de 1200 atletas.
O autarca deu ainda conta que “este ano foi introduzida uma majoração nos apoios, que terá em atenção o número de treinos e o mérito dos atletas, evidenciado através do número de provas ganhas”. “Esta valoração vai ser mais visível no atletismo, nomeadamente na ADERCUS e na ADREP”, acrescentou.
Relativamente ao pagamento, Mário João Oliveira adiantou que a primeira tranche deverá ser paga num prazo de um mês.
Já António Mota, vereador, disse não ter dúvidas que “a formação no concelho passou a ser muito especializada, o que se deveu ao investimento da Câmara Municipal”. “O pontapé na bola ou uma simples corrida acabou. Temos aqui uma formação que vai dar grandes atletas olímpicos, já que a formação não pode ser vista só por formação, mas formação com grande nível de especialização”.
O vereador do desporto, Cristóvão Batista, reforçou que “este ano houve uma análise criteriosa às camadas jovens”, sublinhando que “se trata do maior valor de sempre que entregamos”.
Cristóvão Batista esclareceu que “a majoração foi atribuída a duas coletividades, ADERCUS e ADREP, atendendo à boa época desportiva e ao alto nome que tem levado por este país fora”.

Subsídios
ADREP: 23.234,20 euros
Frei Gil Voleibol: 23.086,70 euros
OBSC: 17.853,06 euros
G. D. Águas Boas: 9.883,01 euros
ADERCUS: 9.801,00 euros
A. D. Oiã: 5.732,44 euros
Atómicos Sport Clube: 5.506,15 euros
APECOB: 2.754,15 euros
U. D. Silveiro: 744,98 euros
A. P. Wing Chun: 583,73 euros
A. D. Vilaverdense: 354,75 euros
Total 99.534,16 euros

Posted in Oliveira do Bairro, Por Terras da BairradaComments (0)

Blogues recomendados


Cagido

CAMPEONATO DA EUROPA HÓQUEI EM PATINS SUB-17
   É aqui perto! É no Luso!    Luso está a tornar-se a casa das seleções na …


Notícias de Bustos

ESTÃO DE PARABÉNS ANIVERSARIANTES- 1º de Setembro
PARABÉNS ANIVERSARIANTES paraCristina SantosDiogo SilvaInfantario Frei GilJ …


Portal de Nariz

Cartão Jovem Municipal
Está disponível na Casa Municipal da Juventude o Cartão Jovem Municipal. Pa …

Pergunta da semana

Portugueses praticam cada vez mais exercício ao ar livre. É o seu caso?

View Results

Loading ... Loading ...
Newsletter Powered By : XYZScripts.com