Recortes.pt Leia no Recortes.pt

Tag Archive | "escola"

EB 2/3 Vilarinho do Bairro: Festa na escola mostra saberes e sabores da região


No dia 3 de junho, na EB de Vilarinho do Bairro, ocorreu a III Mostra de Saberes e Sabores, com a participação de alunos, pais e encarregados de educação, professores e assistentes operacionais.
Cada turma, do 1.º ao 9.º anos, em colaboração com os docentes, apresentou a sua barraquinha, na sua maioria “de saberes e sabores”, passando pela quermesse, devidamente apetrechadas com produtos caseiros elaborados pelos alunos e encarregados de educação, e posteriormente vendidos na feira.

Manhã dedicada à cultura e ao saber. Na parte da manhã, houve a cerimónia de entrega à escola do quadro alusivo à Paz, no âmbito da participação dos nossos alunos no projeto Impossibility Challenge. O quadro, da autoria do mentor do projeto, Sri Chinmoy, pretendeu agraciar a escola pela sua participação no recorde mundial de maior exposição de desenhos, realizados por crianças, sobre o tema da Paz e Harmonia.
Seguiu-se a apresentação de atividades: o 1.º ciclo apresentou frases sobre a Paz, preparadas em conjunto com as respetivas professoras; o 9.º A cantou “A Paz”, traduzida para português pelo grupo Roupa Nova, e o 5.º B declamou um poema sobre o mesmo tema.
No final, foram entregues os diplomas de participação nas Olimpíadas de Línguas Estrangeiras, Pangea, concurso de Matemática que pretende unir estudantes de diferentes estratos sociais e níveis de ensino, e torná-los entusiastas da matemática; Literacia 3D, concurso que consistiu num desafio nacional dirigido aos alunos dos 2.º e 3.º ciclos do Ensino Básico de todo o país, envolvendo os respetivos professores e estabelecimentos de ensino, com o propósito de avaliar a literacia da leitura, da matemática e da ciência, e para o melhor fato de Carnaval.

Artes e saúde, da parte da tarde. A parte da tarde, para além da animação própria de uma feira, teve ainda o escutar de música medieval e jogos de entretenimento, bem como a atividade Dizfruta- degustação, da autoria de Nelson Franco, José Melo e Mauro Oliveira, que nos presentearam com apresentações invulgares de peças de fruta. Esta degustação insere-se no Projeto de Educação para a Saúde e visa promover hábitos de alimentação saudáveis.
A apresentação teatral do 9.º A, Amores e Desamores, foi um bom exemplo de teatro inclusivo, com impacto no desenvolvimento do indivíduo com deficiência mental (DM) em áreas como a aprendizagem, o civismo, a autoestima, o autoconceito, a criatividade e a inclusão, em contexto normalizante.
O zumba, da autoria da professora Dulcínia Almeida, e a atuação do Rancho Folclórico de Paredes do Bairro, foram outros espetáculos que fizeram as delícias dos presentes.
Ao longo de todo o dia, toda a comunidade educativa pôde apreciar a exposição de fotografia subordinada ao tema “A vinha”, da autoria do professor da nossa escola, Rui Bastos, bem como os trabalhos elaborados pelos 8.º e 9.º anos alusivos ao Ambiente, e todas as atividades realizadas ao longo deste ano letivo.
Todo o trabalho realizado e apresentado contribuiu para momentos de partilha e de convívio, tão característicos desta escola, que perdurarão na memória de todos quantos nesta escola continuarão e por esta escola passaram.
Este evento contou com a participação de: Um Saber, Multisabores- Biblioteca Escolar de Vilarinho do Vsi; Adega Luís Pato; Arte de Empalhar- Natália Morais; Artesanato Isabel Almeida; Sapateiro Artesão Anacleto Luís; Apicultor Alberto Jesus; Tremoços de Cadima- Andreia Ribeiro; Framboesas- Lucília Silva; Colheita de Sabores; Rancho Folclórico de Paredes do Bairro; Rita Cândido (pinturas faciais), e animação de rua pelo grupo Popularis.
Margarida Moura

Posted in Anadia, Vilarinho do BairroComments (0)

Vilarinho do Bairro: Caminhada pelo Coração é já a 4 de maio


Vem aí a 10.ª Caminhada pelo Coração. A iniciativa tem lugar no próximo dia 4 de maio e é promovida pela Escola Básica de Vilarinho do Bairro, no âmbito do Projeto de Educação para a Saúde(PES). Envolve toda a comunidade educativa, adivinhando-se, por isso, muito participada.
Tendo como destino a Lagoa de Torres, todos os participantes (alunos, docentes, auxiliares, pais, encarregados de educação e ex-alunos) vão sair daquele estabelecimento de ensino e percorrer, a pé ou de bicicleta, o percurso, pelo meio dos vinhedos, até chegar ao parque de merendas, junto à Lagoa de Torres. Aí será servido um saudável almoço, onde a salada e a fruta são elementos obrigatórios.
Resta esperar que S. Pedro se junte à festa.

Posted in Anadia, Por Terras da Bairrada, Vilarinho do BairroComments (0)

Anadia: Agrupamento de Escolas volta a estar em festa em 2017


“Festa molhada, festa abençoada”. Pois foi precisamente isto que aconteceu na última sexta-feira, em Anadia. O dia de chuva intensa não fez desistir ou mudar os planos e o Agrupamento de Escolas esteve em festa toda a tarde e noite.
Num evento inédito que começou por volta das 14h e que se prolongou para lá da meia-noite, todo o Agrupamento de Escolas de Anadia esteve em festa e viveu uma atividade cultural e recreativa única, designada por “… há Festa no Agrupamento”. Ao longo de 10 horas ininterruptas, tal como o JB anunciara na última edição, mais de cinco mil pessoas passaram pela Escola Sede do Agrupamento, muitas das quais pessoas da comunidade que não conheciam ainda este novo equipamento escolar. Por isso, Jorge Humberto Pereira, diretor do Agrupamento e Aníbal Marques, adjunto da direção, apesar do cansaço, não esconderam o contentamento, até porque as melhores expectativas foram ultrapassadas.
A festa, que envolveu toda a comunidade educativa, permitiu a troca de experiências, propiciando a interação entre todos, ao mesmo tempo mostrando as potencialidades e talentos desta comunidade educativa, que integra 2300 alunos, 217 professores e cerca de 70 funcionários. Todo o Agrupamento, desde o ensino Pré-Escolar ao Secundário, pais, encarregados de educação, familiares e amigos estiveram unidos numa tarde e noite diferentes, de muita animação e convívio. No palco, a música, as canções, a dança fizeram as delícias de todos.
Uma experiência piloto que, com toda a certeza, se vai repetir em 2017, pelo envolvimento que proporcionou. Ainda que correndo o risco de não elencar todos os intervenientes, foi notável o envolvimento de todos os departamentos, Escola Básica de Vilarinho do Bairro, mas também da Câmara Municipal de Anadia, que aproveitou para promover o Cartão Anadia Jovem e as bicicletas b-AND, da GNR – Escola Segura/SEPNA que alertou para questões ambientais, de segurança, animais de companhia e dos Bombeiros Voluntários de Anadia.
Numa visita ao espaço, a edil Teresa Cardoso destacou a mostra do trabalho realizado pelos vários departamentos ao longo do ano letivo, sublinhando ainda a presença de tantos familiares numa clara constatação de que valeu a pena e que o trabalho de proximidade entre a escola e a comunidade está a dar bons frutos. Por outro lado, é uma iniciativa que permite aos mais pequenos ficar a conhecer a escola grande. Daí que Teresa Cardoso tenha destacado que esta é “uma iniciativa a repetir” até porque a criatividade, o empenho e a dedicação são aspetos que caracterizam o Agrupamento.
Para o diretor Jorge Humberto Pereira, é indiscutível o empenhamento de todos, o envolvimento de pais e familiares. “Os mais novos vão levar daqui registos que lhes vão ficar na memória”.
A JB fez um balanço muito positivo, ficando a promessa de nova edição em 2017.
Catarina Cerca

Posted in Anadia, Por Terras da BairradaComments (0)

Anadia: Agrupamento de Escolas promove festa inédita já esta sexta-feira


Na próxima sexta-feira, dia 15, a Escola Básica e Secundária de Anadia vai ser palco de um evento inédito. Com início pelas 14h e ao longo de 10 horas ininterruptas (até às 24h), todo o Agrupamento de Escolas de Anadia vai estar em festa e viver uma atividade cultural e recreativa única, designada por “… há Festa no Agrupamento”.
Por esta nova escola de Anadia poderão passar, ao longo de tarde e noite, cerca de cinco mil pessoas.
Essa é a convicção do diretor Jorge Humberto Pereira, que justifica este evento como uma festa informal, num espaço amplo, capaz de receber toda a comunidade educativa. “Queremos que este seja um momento de encontro e convívio, que se pretende constituir como um fator identificativo, de troca de experiências, propiciando a interação entre todos, ao mesmo tempo que capitaliza todas as potencialidades e talentos desta comunidade educativa”.
Assim, esta festa, a decorrer na Escola Sede do Agrupamento, vai envolver cerca de 2300 alunos, 217 professores e cerca de 70 funcionários, ou seja, todo o Agrupamento, desde o ensino Pré-Escolar ao Secundário. A estes números impressionantes vão juntar-se certamente muitos pais, encarregados de educação, familiares e amigos numa tarde e noite diferentes, de muita animação e convívio.
De resto, o adjunto da direção e docente Aníbal Marques diz ser este “um evento multiplicador, um momento identificativo onde todo o Agrupamento se reveja como Agrupamento”, mas também uma oportunidade de trazer à Escola Sede do Agrupamento todas as 19 unidades que o compõem.
Uma experiência piloto que vai contar com a participação de todos: alunos, professores, funcionários, Associação de Pais, Associação de Estudantes e comunidade.
“Um tempo de encontro”, reforça Jorge Humberto Pereira, que servirá para dar a conhecer a muitos pais e pessoas da comunidade este novo estabelecimento de ensino. “Esta festa está a aguçar a curiosidade. As pessoas vão ficar a conhecer o edifício e há muitos pais curiosos em vir à festa, que se vai prolongar pela noite dentro”, diz. No entanto, não rejeita que esta possa funcionar também como uma operação de charme, no sentido de dar a conhecer a muitos pais de outras escolas do Agrupamento e pessoas da comunidade as excelentes condições físicas que a nova escola possui. Ou seja, para os pais dos mais pequenos, na hora de escolherem a escola onde colocar os filhos no 5.º ano, o facto de conhecerem este estabelecimento poderá ter um peso considerável na decisão a tomar. Por outro lado, é um facto de que esta poderá ser também uma forma de arrecadar algumas receitas e angariar alguns fundos para o Agrupamento.
Uma coisa é certa, o empenho é total e nem o transporte de tantos alunos foi esquecido. Haverá seis autocarros que vão transportar os alunos, de todos os estabelecimentos afetos a este Agrupamento para a festa.

Nada foi deixado ao acaso. De facto, tudo foi pensado ao pormenor. A título de curiosidade, podemos dizer que em destaque vão estar as atividades de palco (música, dança, magia) levadas a cabo por alunos, professores, funcionários, pais e pessoas da comunidade. Pelo meio, haverá algumas surpresas em palco, num espetáculo que terá como apresentadores alunos do Agrupamento.
“Haverá um alinhamento para tarde e noite”, num espetáculo que está a ser preparado com grande empenho e dedicação.
Não vão faltar as barraquinhas (15), espaço de exposição e mostra de trabalhos e projetos desenvolvidos ao longo do ano pelas várias áreas disciplinares e departamentos. Também a GNR-Escola Segura e a Câmara Municipal de Anadia se vão juntar a este evento com stands próprios, onde vão divulgar as suas áreas de intervenção.
De destacar ainda que algumas barraquinhas serão interativas, ou seja, na barraquinha do Ensino Especial haverá boccia e na barraquinha do PES (Projeto de Educação para a Saúde) haverá uma sensibilização para o consumo e importância das leguminosas. Esta barraquinha ficará quase em frente à “Mostra de Saberes e Sabores”, para maior interação.
Já os “Comes e Bebes” adivinham-se bastante concorridos. Para além das bancas “exploradas” por algumas turmas, haverá também pão com chouriço, porco no espeto, moelas, rojões, caldo verde, crepes, biscoitos, bolos, café, entre muitas outras iguarias.
Uma nota também para os alunos do curso de Turismo, que vão colaborar na receção aos colegas de outros estabelecimentos de ensino e orientá-los na festa; para os alunos do curso profissional de serviço de mesa, que vão dar apoio ao setor dos comes e bebes e para a própria Associação de Estudantes que vai dar apoio à quermesse.
A Mostra de Saberes e Sabores diz respeito a um conjunto de convidados (produtores locais) que vão dar a conhecer produtos, tais como mel/apicultura; produção de cogumelos; ervas aromáticas; produção de morangos em hidroponia.
Jorge Humberto Pereira espera que S.Pedro não estrague a festa que já está a ser preparada há vários meses, realçando ainda que este evento foi concebido de forma a não perturbar o encerramento do ano letivo, altura em que decorrem avaliações e exames: “neste momento ainda não há avaliações. Tivemos essa preocupação em termos pedagógicos”.
Catarina Cerca
catarina.i.cerca@jb.pt

Posted in Anadia, Por Terras da BairradaComments (0)

Anadia: Projeto promove brincadeiras no recreio


Promover a socialização, prevenir episódios de conflito e violência nos recreios, descobrir os interesses e gostos individuais, promover a autonomia no desenvolvimento das atividades físicas, desenvolver hábitos de atividade física e a destreza motora e os reflexos são algumas das premissas que estiveram na origem do projeto “A brincar também se aprende”, apresentado à comunidade educativa do concelho de Anadia, na tarde da última sexta-feira.
Um projeto “simples mas ambicioso”, desenvolvido e coordenado pela área da Educação do Município de Anadia e que deverá começar a ser implementado, já nas próximas semanas, em todas as escolas do 1.º CEB do concelho.
No auditório do Museu do Vinho foi apresentado um pequeno livro, muito colorido, com jogos de agora e do antigamente.
Jogos e brincadeiras. São 26 no total, os jogos que a autarquia desafia alunos e professores a jogar, nos recreios das escolas.
Aos presentes foi dado a conhecer que a ideia de construir este projeto surge na sequência da constatação de um conjunto de problemas, vivenciados nos tempos de recreio dos alunos, nomeadamente, a nível dos novos Centros Escolares, onde se verifica uma maior concentração de crianças. Assim, o projeto vem ao encontro das necessidades das escolas e dos centros escolares, numa tentativa de, ao promover a dinamização sistemática de diferentes jogos e brincadeiras, prevenir situações potencialmente problemáticas e de fomentar um clima de convívio saudável e harmonioso entre as crianças.
De resto, existem atualmente no concelho 762 alunos a frequentar o 1.º CEB na rede pública, acrescidos de 212 alunos que frequentam o 1.ºCEB no Colégio Nossa Senhora da Assunção. Por outro lado, a autarquia quer combater a falta de atividade física, verificada na vida de muitas das crianças do concelho.
O manual integra jogos e brincadeiras (não só tradicionais), destinados a possibilitar que cada momento de tempo livre e de recreio na escola possa ser desfrutado pelas crianças de forma mais adequada e entusiástica. Para tal cabe envolver educadores, professores, pessoal auxiliar, enfim, toda a comunidade escolar neste projeto que a autarquia anadiense quer implementar a partir de agora, uma vez que é ponto assente que estes espaços e tempos não letivos são importantes para o desenvolvimento das crianças (a aprendizagem que não se limita apenas ao contexto da sala de aula), motivo pelo qual se torna pertinente trabalhar com vista a melhorar a ocupação dos seus tempos de recreio.
O projeto prevê ainda nesta sua fase inicial, a entrega em todas as escolas de kits com o material necessário para desenvolver os jogos, assim como a sua regular monitorização, de forma a aferir a eficácia da sua operacionalização. Os alunos vão ser ainda desafiados a serem “capitão de jogo”, ou seja, a cada jogo estará associado um “capitão”, isto é, um líder que deve estar incumbido de explicar o jogo aos colegas, dinamizando-o, desenvolvendo capacidades como o espírito de liderança e aumentando, ainda, a sua autoestima.

Importância do recreio. Durante a tarde foi explicado como o recreio faz também parte da educação escolar, ainda que muitas vezes não seja entendido como tal, devendo ser encarado como peça fundamental no crescimento e no desenvolvimento das crianças.
Presente nesta apresentação, o Professor Doutor João Amado falou da importância do brincar e da riqueza deste projeto que “deve servir de exemplo a outros municípios e escolas”.
Na ocasião, a edil Teresa Cardoso avançou ser esta apenas mais uma das iniciativas que a autarquia promove para os seus alunos, desta feita para os mais pequenos. Mostrou-se ainda agradada pelo projeto, mesmo antes de arrancar (na prática), já que possibilitou uma ampla reflexão à volta dos protagonistas principais deste projeto que são as crianças.
O evento contou ainda com a presença de Jorge Humberto Pereira, diretor do Agrupamento de Anadia, irmã Idalina Faneca, diretora pedagógica do Colégio de Famalicão, Pe. Aníbal Afonso, Dário Tavares e Sónia Monteiro, responsáveis pelo Colégio de Mogofores.
Catarina Cerca

Posted in Anadia, Por Terras da BairradaComments (0)

Anadia: Escola Profissional celebra S. Martinho com viagem pela Europa


A Escola Profissional de Anadia (VITI) festejou o S. Martinho, que é seu padroeiro, na penúltima quinta-feira, dia 11, com um conjunto de atividades organizadas pelos alunos e professores.
Carla Falcão é uma das docentes responsáveis pela organização do evento, que pretendeu recriar a passagem de S. Martinho pelos vários países do mundo, apesar deste não ter passado por Portugal. “O nosso grande objetivo é ligar a escola à comunidade, abrindo as suas portas”, explicou Carla Falcão, sublinhando que “cada um dos noves países foi recriado com a colocação de uma «barraquinha», onde disponibilizamos pratos típicos, além de todo um conjunto de informação sobre aquele país”.
Por outro lado, a escola lançou uma Barraquinha solidária, que tem como objetivo a angariação de fundos que reverterão a favor das crianças mais carenciadas. “É um projeto que vai estar ativo durante os próximos tempos e que passará por diversas instituições”, explicou Carla Falcão, destacando “a importância da Tuna Liceal que está a completar três anos de existência”.

Solidariedade. O diretor da Escola Profissional de Anadia, Adriano Aires, destaca o envolvimento da escola com a comunidade, afirmando que “é nosso objetivo quebrar o ritmo na aprendizagem, fomentando o convívio, o sentimento de pertença e a solidariedade”. “Pretendemos criar mais motivação para a Escola”, acrescentou o diretor da Escola, destacando todo o trabalho que os alunos tiveram em organizar o evento, o que os obrigou a um grande trabalho de pesquisa sobre cada um dos países por onde S. Martinho passou.
Adriano Aires referiu-se ainda ao lado mais solidário do evento, que pretende “incentivar o culto da solidariedade” e depois a um outro projeto da Escola, que “passa pela desincentivação do tabagismo, abrindo portas a uma cidadania mais ativa”.
Pedro Fontes da Costa
pedro.f.costa@jb.pt

Posted in Anadia, Por Terras da BairradaComments (0)

Avelãs de Cima: Associação reclama Escola de Boialvo


Elementos da direção da Associação de Proteção Florestal do Corgo, Pardieiro, Boialvo e Mata estiveram, na manhã da última quarta-feira, na reunião de executivo a reivindicar ficarem com a desativada Escola Primária de Boialvo, à semelhança do que aconteceu com várias associações que, através de protocolos recentemente assinados com a Câmara Municipal de Anadia, viram ser-lhes cedidas algumas escolas básicas, entretanto desativadas no concelho.
Américo Tomás, da associação, sublinhou que esta faz a vigilância noturna e defesa da floresta contra incêndios, estando, por isso, ao serviço público. Contudo, destacou a dificuldade na proteção e manutenção de equipamento. “Temos equipamentos vários e três veículos que precisam de estar protegidos e mais salvaguardados para não se degradarem tanto”, disse, entendendo que aquele local seria um bom abrigo e um excelente local para a associação.
Na ocasião, a edil explicou que o pedido endereçado por aquela associação não foi ainda apreciado e deliberado no executivo.
Américo Tomás destacou que se as salas de aulas seriam bem-vindas para reuniões e tratar de burocracia, o recreio poderia, depois de algumas obras, servir de abrigo às viaturas e equipamentos.
Na altura, a presidente da autarquia destacou que a Câmara “cede apenas o direito de ocupação, mantendo-se as escolas como património da Câmara Municipal”, e que “qualquer tipo de intervenção ou obra não pode desvirtualizar o espaço e só é realizado mediante autorização camarária”.

CC

 

Posted in Avelãs de Cima, Por Terras da BairradaComments (0)

Centro Escolar Sangalhos: Oitenta chapéus “de gritos” exibem criatividade de alunos


No âmbito da celebração do “Dia das Bruxas”, o Centro Escolar de Sangalhos, do Agrupamento de Escolas de Anadia, organizou o I Concurso/Exposição de Chapéus de Bruxa(o).
A exposição esteve patente ao público de 28 a 30 de outubro, reuniu cerca de 80 chapéus elaborados pelos alunos do pré-escolar e 1.º ciclo, em conjunto com as suas famílias.
Os trabalhos expostos foram feitos em materiais reciclados, alusivos com o “Dia das Bruxas” e expostos junto à Biblioteca Escolar.
A atribuição dos prémios teve em consideração a criatividade, originalidade, a diversidade dos materiais utilizados e respeito pelo tema. A votação decorreu durante os três dias do evento, através de um boletim do voto preparado para o efeito e utilizado pelo visitante.
Esta atividade pretendeu introduzir do vocabulário alusivo ao tema, convidando os alunos a fazerem um exercício de “brainstorming” no qual aprenderam o vocabulário sobre o mesmo.
Salientamos ainda a socialização e promoção do convívio respeitando as normas estabelecidas e as regras de segurança. Finalmente, dar a conhecer a origem do “Dia das Bruxas” e explorar a criatividade e a promoção do domínio das línguas inglesa e portuguesa. Agradecemos a cooperação de todas as turmas e o envolvimento e participação de toda a comunidade escolar.
Alunos da turma E do C.E. Sangalhos

Posted in Anadia, Por Terras da Bairrada, SangalhosComments (0)

Escola Básica e Secundária de Anadia: Escola onde apetece estar


 

São os 14 mil m2 de área coberta e os 46 mil e 600 m2 quadrados de terreno onde se encontra implantada que fazem da nova Escola Básica e Secundária de Anadia um dos maiores estabelecimentos de ensino da região.
A apresentação do novo equipamento escolar aos alunos e pais decorreu na última semana. JB esteve presente e deixa aqui alguns registos e opiniões sobre este espaço que é único no concelho, mas onde a falta de pessoal, de computadores, de retroprojetores e de rede de telecomunicações é, para já, a maior dor de cabeça.

“Muito grande, moderna e arejada”. “Uma escola onde apetece estar”. É assim que alunos, pais, professores e funcionários veem a nova Escola Básica e Secundária de Anadia. Envolvido por uma enorme zona exterior devidamente vedada e ajardinada, este novíssimo equipamento escolar está localizado junto ao complexo desportivo da cidade de Anadia.
Num esforço gigantesco, a nova direção do Agrupamento de Escolas de Anadia, liderada por Jorge Humberto Pereira, conseguiu realizar as apresentações (dias 17 e 18) e começar as aulas (dia 21) neste moderno equipamento escolar. Para trás ficam vários anos passados numa escola que já não reunia as condições mínimas para trabalhar, agravados por três penosos anos de interrupção na construção da nova escola.
Foi com enormes sorrisos estampados nos rostos que vimos chegar, em dia de apresentação, alunos e pais a esta escola considerada por todos “enorme”. Ninguém escondia a ansiedade e até algum nervosismo, logo dissipados com as explicações sobre a forma como irá funcionar este novo equipamento escolar.

Falta de pessoal. Em dia de apresentação as questões mais delicadas prenderam-se com a segurança e a falta de pessoal, sobretudo para vigilância, manutenção e limpeza dos espaços.
Se as entradas e saídas são controladas por um cartão individual de acesso, a vigilância nos espaços escolares é o mais complicado, devido à falta de recursos humanos. Por isso, o Agrupamento já endereçou um pedido urgente de pessoal para a DGEstE (Direção-Geral dos Estabelecimentos Escolares) a solicitar, a título, excecional, mais funcionários. “São necessários mais 15 a 20 funcionários para que tudo funcione bem”, avança a JB Jorge Humberto Pereira. Daí que em dia de receção aos alunos tenha deixado um apelo a todos: “mantenham a escola limpa, tenham gosto nos espaços, não sujem as paredes e se possível ajudem os funcionários. Os gestos mais simples e pequenos podem fazer toda a diferença”.

Cantina. O enorme refeitório é um dos locais onde se sente (e bastante) a falta de pessoal. Ali trabalham apenas oito pessoas responsáveis pela preparação de uma média diária de 850 refeições. Terá duas linhas de self-service e a chamada será feita por turma e por ordem rotativa, semanalmente.
Os 5.ºs e 6.ºs anos serão sempre os primeiros a entrar no refeitório e só depois os restantes anos.
Assim, deixa de ser necessário “correr para a fila”, pois haverá um plano para os alunos almoçarem.

Recreio para os mais pequenos. Também a pensar nos mais pequenos (5.º e 6º anos), que pela primeira vez, se juntam nesta mega escola com alunos mais velhos (7.º ao 12.º), foi criado um recreio exclusivo a alunos do 5.º e do 6.º ano, ainda que estes possam circular por toda a escola como todos os outros alunos.

Sistema de segurança de emergência. A escola está equipada com um sofisticado e complexo sistema de segurança (alarmes). Por isso, todos os alunos estão a ser alertados para que não acionem inadvertidamente estes equipamentos. “Ao fazerem-no será o caos, pois a escola para e cria-se o pânico”, alertou o diretor sublinhando ainda que estes equipamentos existem apenas para situações de emergência, já que haverá cortes imediatos de energia, as portas corta-fogo são acionadas, entre outras medidas de segurança.

Conforto e tranquilidade da biblioteca. Numa breve visita à biblioteca, a professora Manuela Monteiro, responsável pelo espaço, realça como este é convidativo e acolhedor, proporcionando todos os serviços – leitura, estudo e lazer. Um espaço onde o conforto, a tranquilidade, a luz natural ajudam ao equilíbrio e bem-estar.
“Não dá para comparar com a outra biblioteca onde, mesmo assim, tínhamos uma média diária de 120 alunos e 2 a 3 turmas na biblioteca ao longo do dia. “Queremos aumentar essa média”, todavia, não deixa de lamentar que num local tão belo e nobre haja uma grande falta de meios informáticos: o ideal era ter cerca de 10 a 15 computadores para os alunos. “Neste momento temos apenas oito velhos PC’s e portáteis de 2007, completamente obsoletos”.

Pais satisfeitos. Para Ana Paula Gama, da Associação de Pais e Encarregados de Educação, trata-de de uma escola nova e de uma direção nova, estando, por isso, “reunidas todas as condições para que esta seja uma escola de excelência”. Um espaço que reúne todas as condições para o ensino de qualidade, ainda que esteja ciente de que, neste arranque, há alguns constrangimentos a ultrapassar: “é uma fase de aprendizagem para todos”. Tal como o diretor, apela à consciência e civismo dos alunos para que mantenham a escola limpa, asseada, evitando estragar equipamentos, porque a escola é de todos e para todos.
Com o processo de transferência para esta nova escola concluído, a direção sublinha o facto da cantina continuar a funcionar por administração-direta, por forma a manter uma alimentação o mais próxima possível da comida caseira, confecionada com toda a qualidade. Ao mesmo tempo, recorda que as turmas incluem vários alunos com necessidades educativas especiais, o que requer uma exigência muito maior a todos os profissionais e colaboradores.
A terminar evidenciam também que os cortes da Parque Escolar para com esta obra obrigaram a colocar nesta nova escola todo o equipamento e mobiliário existente nas duas antigas escolas. Tudo foi aproveitado, faltando por isso ainda muito mobiliário e equipamento para preencher todos os espaços desta mega-escola.
A direção não deixa de elogiar a forma exemplar como o empreiteiro da obra colaborou com a mudança, num esforço colossal. Para além de ter prestado uma ajuda imprescindível na mudança, continuará presente na escola até dezembro, já que existem pequenas obras e afinações a realizar, mas apenas quando não houver aulas, ou seja, durante a noite e finais de semana.

Aluno-padrinho

Numa escola onde se cruzam, pela primeira vez, alunos com idades tão díspares, houve a necessidade de assegurar a melhor convivência entre as diferentes faixas etárias. Criar e fortalecer laços de amizade é imperativo numa escola com esta dimensão. Nasceu assim o projeto que tem dado frutos muito positivos em escolas grandes como esta.
O conceito de “aluno-padrinho” vai ser uma realidade neste novo espaço. Os alunos do 12.º ano vão ser incentivados e convidados a apadrinhar alunos do 5.º ano e os do 11.º ano a apadrinhar os alunos do 6.º ano.
“Queremos que os alunos mais velhos, no dia a dia, orientem e protejam os mais novos por forma a que estes se sintam mais seguros, integrados e confortados”, avança Jorge Humberto Pereira.

 

Posted in Anadia, Destaque, Por Terras da BairradaComments (0)

Escola de Bombeiros inicia novo ano letivo em outubro para garantir o futuro da corporação


Os Bombeiros Voluntários de Oliveira do Bairro vão arrancar, em outubro, com mais um ano letivo da sua Escola de Bombeiros. “As escolas de bombeiros têm como principal objetivo a formação de novos elementos e a dotação dos mesmos de conhecimentos teóricos e práticos, preparando-os da melhor forma para o ingresso no Quadro Ativo do Corpo de Bombeiros”, explica o Comandante da corporação oliveirense Marco Maia, acrescentando que “as novas escolas terão início já no próximo mês de outubro” e que “por norma as escolas têm a durabilidade de um ano letivo, iniciando em meados de outubro e terminando no mês de junho”. É exceção a Escola de Infantes, que vai tendo continuidade enquanto os elementos se encontram naquele intervalo de idades.
A Escola de Bombeiros de Oliveira do Bairro subdivide-se em três escolas: Escola de Infantes, para elementos com idades entre os 8 e os 16 anos; a Escola de Cadetes, para elementos com idades entre os 16 e os 17 anos e a Escola de Estagiários, para elementos com idade superior a 17 anos.
É ainda objetivo desta escola, que os bombeiros tenham mais conhecimentos. “Cada vez mais, a inovação tecnológica obriga os bombeiros a uma melhor preparação para uma maior capacidade de resposta em todos os âmbitos.” No entanto, “e porque essa é uma necessidade geral do Corpo de Bombeiros, também os mais antigos são instruídos e dotados dos novos conhecimentos que sejam relevantes para o sucesso nas diversas tarefas desempenhadas”, afirma o Comandante dos Bombeiros de Oliveira do Bairro.
Leia mais na versão digital do seu JB.

Posted in Oliveira do Bairro, Por Terras da BairradaComments (0)

Blogues recomendados


Cagido

"DE MÃO EM MÃO!"
   “De mão em mão!” é um projeto promovido pela Câmara Municipal de Anadia, …


Notícias de Bustos

A. C.Arrais – Portugal na Eurocopa – 2016 (O orgulho de ser Português). MARÉ ALTA – 12.07.2016
                                                        Foi um final emocio …


Portal de Nariz

RECORTES do QUOTIDIANO – A nova etapa do Portal de Nariz
RECORTES do QUOTIDIANOPara uma Imensa Minoria… by BASTIÃO

Pergunta da semana

É assinante do Jornal da Bairrada?

View Results

Loading ... Loading ...
Newsletter Powered By : XYZScripts.com