Recortes.pt Leia no Recortes.pt

Tag Archive | "obra"

Anadia: Construção da Secundária recomeça no verão


A construção da Secundária de Anadia vai ser retomada no verão deste ano.
A garantia foi deixada pelo secretário de Estado Ensino e Administração Escolar, João Casanova, respondendo a uma pergunta do deputado do PSD Paulo Cavaleiro, na Comissão de Educação, Ciência e Cultura.
Paulo Cavaleiro, deputado eleito pelo Círculo de Aveiro, abordou o governante sobre as condições do estabelecimento de ensino de Anadia, que o grupo parlamentar do PSD/Aveiro visitou recentemente. “É um caso que tem de ter, verdadeiramente, uma atenção especial. Deve preocupar-nos a todos e peço ao Governo que tenha uma atenção especial” – referiu, na ocasião, o deputado, ouvindo do governante que no próximo verão as obras serão retomadas.
Na mesma intervenção, Paulo Cavaleiro indagou sobre o ponto de situação relativamente à remoção do amianto das escolas do país, tendo João Casanova respondido que houve obras em 117 estabelecimentos de ensino que careciam dessa intervenção urgente, havendo trabalhos em curso em mais 36, “sem prejuízo do trabalho da Direção Geral no sentido de ser elaborada uma relação exaustiva das escolas que necessitam de intervenção”.
O parlamentar social democrata lembrou ainda “quanto custa, hoje, manter essas escolas”, sublinhando a existência de “outro custo de que pouca gente fala”, aquele que acarreta “dificuldade para manter algumas escolas em funcionamento”.

Posted in Anadia, Por Terras da Bairrada Comentários

Amoreira da Gândara: Casa do Povo recebe subsídio de 170 mil euros da tutela


A Casa do Povo de Amoreira da Gândara encontra-se a fazer obras de ampliação e remodelação das suas instalações destinadas à terceira idade, nomeadamente às respostas de Centro de Dia e Serviço de Apoio Domiciliário.
Tendo em conta que as infraestruturas existentes são muito antigas, exíguas e desadaptadas ao fim a que se destina, estas obras têm como objetivo criar condições para os idosos, assim como criar condições de trabalho às colaboradoras. Um outro objetivo, e não menos importante, passa por adquirir a licença de utilização que irá colocar a instituição na legalidade, o que lhe dá maior probabilidade de crescimento futuro.
Na sequência de um pedido de ajuda que a Casa do Povo fez ao Ministério da Solidariedade e da Segurança Social tendo ainda, em 2011, sido contemplada com o montante de 52.200 euros, o que constituiu uma ajuda importante para o arranque desta obra, a instituição conseguiu investir, em 2012, cerca de 120 mil euros. No ano passado, o deputado Raúl Almeida e o presidente da concelhia do CDS-PP/Anadia, Tiago Castelo-Branco, numa visita às instalações da instituição e colocando-se ao corrente das dificuldades sentidas, aconselharam a direção da Casa do Povo a fazer novo pedido de subsídio ao Ministro da Solidariedade e da Segurança Social, deixando a garantia de que a instituição poderia contar com o apoio de ambos, que colocariam o Ministro a par da real situação da instituição. Neste sentido, no final de 2012 foi feito novo pedido ao Ministro da Solidariedade e da Segurança Social e “foi com grande entusiasmo que chegou já este mês a resposta de atribuição de uma verba no valor de 170 mil euros.”
Segundo a direção, “trata-se de um incentivo muito importante para todos nós não apenas pelo seu valor monetário, mas também pela motivação e ânimo que traz para acreditar neste projeto”. A Casa do Povo considera ser um incentivo que constitui também um reconhecimento pela necessidade desta obra e é sempre reconfortante verificar que o cariz social e humanitário ainda está presente e que ainda existem iniciativas que apostam nesta missão.
Este montante, referem, “irá permitir concluir a primeira parte da obra que se destina à ampliação da instituição”, calculando a direção que, em fevereiro de 2014, os idosos já passarem a usufruir do espaço do novo edifício, o que constitui grande melhoria à qualidade na prestação de serviços.
Assim, as novas instalações serão equipadas com a sala de estar dos idosos, a sala de atividades, as casas de banho, nomeadamente de apoio à higiene corporal, gabinetes técnicos e administrativos. Será de facto o edifício que terá um maior impacto na prestação direta dos serviços a esta faixa etária e que já vai ser possível a partir do primeiro trimestre do próximo ano.
Este constitui um sonho antigo que agora começa a ganhar forma, em grande parte devido ao apoio do Ministério da Solidariedade que, no total, atribuiu 222.200 euros para este fim.
Ficará por concluir a parte respeitante à remodelação que integra o refeitório, a cozinha, os vestiários das colaboradoras e a lavandaria.

Posted in A. da Gândara, Anadia, Por Terras da Bairrada Comentários

Obras da Alameda da Cidade de O.Bairro estendem-se por terrenos de Sangalhos


A designada rotunda 4, integrada na empreitada da “Nova Alameda da Cidade” de Oliveira do Bairro, está a ser construída no limite do concelho oliveirense, com a freguesia de Sangalhos, concelho de Anadia.
A construção desta rotunda, já em execução, foi discutida em reunião do executivo de Anadia, realizada na última quarta-feira, dia 28, na medida em que o autarca de Oliveira do Bairro, Mário João Oliveira, enviou uma missiva a Litério Marques, dando conta que, “por uma questão de concordância com a rotunda que estamos a iniciar junto à Escola Secundária, impõe-se para quem circula no sentido Sangalhos – Oliveira do Bairro, disciplinar a envolvente a esta nova rotunda”.
Com isto, o edil oliveirense referiu-se em concreto à necessidade de efetuar obras ao nível de “recolha de águas pluviais, provenientes de Sangalhos e simultaneamente executar um passeio com cerca de 20 metros, na freguesia de Sangalhos”.
Daí que, no passado dia 27, técnicos das duas Câmaras Municipais e o presidente da Junta de Freguesia de Sangalhos, António Floro, tenham reunido no local da obra para esclarecer que nesta reconfiguração geométrica da ex-EN 235, na entrada sul no município de Oliveira do Bairro, junto à Secundária, o triângulo de aproximação a sul e respetivas faixas e passeios adjacentes ficam localizados na freguesia de Sangalhos.
De acordo com os técnicos da autarquia anadiense, que estiveram no local, “para além da correção do traçado da via existente, na aproximação sul da rotunda, de modo a proporcionar igualmente uma desejável qualificação formal da envolvente, foi do entendimento de todos os presentes que a obra em curso, da responsabilidade da Câmara Municipal de Oliveira do Bairro, deverá contemplar a realização de um conjunto de trabalhos naquela zona:
- construção de um passeio com a largura de 2,25m, devidamente pavimentado, em ambas as faces da ex-EN 235 desde a rotunda, a norte, até à zona da entrada (portão recuado) do prédio onde reside Herculano Maia, a sul;
- repavimentação da faixa de rodagem confinante com os passeios, numa largura de 7 metros;
- execução de infraestruturas de recolha e condução de águas pluviais necessárias que salvaguardem a continuidade da rede existente ao longo da ex-EN 235, nesta parte da freguesia de Sangalhos, que se realiza de modo superficial e em valetas.”
Aos vereadores, Litério Marques apenas acrescentou que, face à análise efetuada pelos técnicos da Câmara Municipal de Anadia, “deverá agora a Câmara Municipal de Oliveira do Bairro cumprir o que está exposto na informação técnica elaborada pela divisão de planeamento, ambiente e vias municipais da Câmara Municipal de Anadia.”

Catarina Cerca
catarina@jb.pt

Posted in Anadia, Oliveira do Bairro, Por Terras da Bairrada Comentários

Centro Escolar de Sangalhos concluído em 2014


Custa 1.905.880 euros, ocupará 2.575 m2 e estará concluído dentro de 15 meses. Falamos do futuro Centro Escolar de Sangalhos que vai ser construído num terreno junto ao Velódromo Nacional.
A apresentação do equipamento e a assinatura do auto de consignação da obra com o empreiteiro responsável – Socértima – teve lugar na última sexta-feira, no Velódromo Nacional, em Sangalhos.
Um evento que contou com a presença de elementos da vereação anadiense, presidente da Assembleia Municipal, membros da Junta de Freguesia de Sangalhos, vários autarcas, professores e educadores.
Este Centro Escolar seguirá a mesma linguagem arquitetónica dos restantes Centros Escolares em construção (Paredes do Bairro e Avelãs de Cima). Terá oito salas de aulas, uma sala de informática, três salas para o ensino pré-escolar, uma biblioteca, uma reprografia, uma sala polivalente, um refeitório e cozinha, sala de professores, sala de apoio a educadores, vários sanitários e parque infantil.
Aos presentes, o arquiteto responsável pelo projeto, Rui Rosmaninho explicou pormenores do edifício que será de piso térreo (rés-do-chão), com boa orientação solar e pátios interiores por forma a criar ambientes diferentes.
O equipamento que servirá o ensino pré-escolar e do 1.º ciclo da freguesia, dita, por certo, o encerramento das restantes escolas que ainda se vão mantendo em funções, mas permitirá condições de trabalho, conforto e aprendizagem únicas. O bom isolamento térmico e acústico, a fácil manutenção e a rentabilização de espaços de circulação são algumas das mais-valias do novo Centro Escolar, que deverá receber um máximo de 264 crianças.
Na oportunidade, o autarca António Floro destacaria que este projeto virá contribuir para o bem-estar da comunidade escolar, não deixando de destacar que são várias as obras de vulto em curso na freguesia: pavilhão do Sangalhos DC, remodelação e ampliação da ETAR, renovação da rede de água, rede viária, a que se soma o Velódromo Nacional, equipamento único no país.
Para o autarca Litério Marques, Sangalhos, “terra de gente muito reivindicativa”, está a usufruir de investimentos de que carecia há muito tempo, lamentando apenas que, devido a constrangimentos vários e ao contrário de outros Centros Escolares do concelho, este será feito sem apoio de fundos comunitários, ou seja, apenas recorrendo ao orçamento da Câmara Municipal.
“Esta obra será feita sem o apoio da tutela ou de qualquer organismo, mas é para a Câmara pagar, pois quando for embora, deixarei dinheiro cativo para que assim seja”, explicou, contrariando alguns rumores de que “o executivo está a fazer obras para outros pagarem ou a endividar o município.
“Poderia não fazer estas obras, alegando não ter dinheiro, uma vez que foram pensadas para Fundos Comunitários. Fazêmo-las porque temos dinheiro e não vamos endividar o município, uma vez que pagamos a pronto”, destacou.
Aos presentes explicou também que, com a conclusão deste equipamento, a velha Escola da Pista será um desafio para o Sangalhos DC, que ali terá à disposição um espaço desportivo onde poderá dedicar-se à formação desportiva. “Já a prometida e projetada posta de BMX permanece por agora uma incógnita, face à falta de comparticipações estatais para este tipo de equipamentos”, concluiu.

Catarina Cerca

Posted in Anadia, Por Terras da Bairrada, Sangalhos Comentários

Ampliação da Etar de Sangalhos ultrapassa 2,5 milhões de euros


 

Orçada em 2.581.971 euros, a remodelação e ampliação da Estação de Tratamento de Águas Residuais (ETAR) de Sangalhos é, sem dúvida, um dos maiores e mais ambiciosos investimentos feito pela Câmara Municipal de Anadia na área do saneamento básico, a par de um outro grande Sistema – o do Levira.
O auto de consignação da obra teve lugar na última quinta-feira, na Câmara Municipal, e contou com a presença dos responsáveis da empresa vencedora a quem foi adjudicada a obra: Espina & Delfim/FactorAmbiente, Ldª.
A obra, que foi adjudicada por um valor mais baixo do que aquele inicialmente previsto (ou seja, 1.126.631 euros abaixo do preço base, que era de 3.708.602,83 euros) faz parte do investimento da autarquia anadiense no Sistema Integrado do Cértima. Com prazo de execução de 12 meses, esta infraestrutura irá possibilitar a desativação das ETAR’s de Arcos e Mogofores. Com o financiamento de 85%, obtido através do QREN, o município de Anadia, mesmo assim, terá de desembolsar cerca de meio milhão de euros (15%). Foi ainda prevista, pela empresa que elaborou o projeto, a elevação em mais de um metro da ETAR, por se encontrar em leito de cheia, junto ao rio Cértima.
De acordo com o autarca Litério Marques, esta ETAR “é uma peça fundamental do Sistema Integrado de Saneamento de Cértima, integrado no mais abrangente Sistema Integrado de Drenagem e Tratamento de Águas Residuais do Concelho de Anadia”, sendo estar ETAR responsável pelo tratamento de todos os esgotos produzidos por cerca de 25 mil habitantes. A título de curiosidade, refira-se que vão ser tratados cerca de 5.700 m3 de esgotos/dia, e 200 m3 de água/hora, que será encaminha para o rio completamente limpa.
Na oportunidade, Litério Marques reconheceu que o grande objetivo é alcançar a “cobertura total do saneamento básico no concelho”, e referindo-se em concreto ao consórcio luso-espanhol, avançou que este “deu um sinal claro de que iria ter a obra concluída dentro dos prazos previstos”. “Isso é bom para vocês e para a Câmara, que paga atempadamente aos seus fornecedores”, dando a indicação de que em Anadia “trabalhos executados significa trabalhos pagos”.
Aos responsáveis Francisco Esteves e Óscar Gutierres, da empresa Espina & Delfim/FactorAmbiente, aconselhou a estarem atentos e a prepararem-se para concorrer a mais obras em Anadia.

Tecnologia de ponta. A remodelação da ETAR de Sangalhos será complexa e utilizará tecnologia de ponta. É que, para além da beneficiação de infraestruturas existentes, integrará novos órgãos de tratamento preliminar, tratamento primário e secundário, bem como um revolucionário sistema de tratamento de lamas. O sistema de tratamento a implementar prevê ainda a reutilização de parte da água tratada (35 m3/dia), em diversas operações de exploração da ETAR e constituirá, ainda, um recurso precioso de apoio ao corpo de bombeiros, no combate a incêndios, mas também para rega. Para tal, será instalado um sistema de afinação do tratamento, constituído por operações de filtração e desinfeção, através de radiação ultravioleta, com armazenamento final em reservatório, a construir para o efeito.
O tratamento das lamas destina-se a que as mesmas possam vir a ser utilizadas na atividade agrícola.
A ETAR de Sangalhos será ainda equipada com um avançado sistema automático de monitorização do processo de tratamento que permitirá a sua monitorização no local, mas também permite a ligação remota através de um Portal WEB acessível através de uma simples ligação por internet. Deste modo, será possível a intervenção no modo de funcionamento.
A ETAR será ainda beneficiada com um novo e totalmente equipado laboratório de análise, estando prevista a instalação de um amplo sistema de videovigilância, de um sistema automático de deteção de intrusão, e de um sistema de deteção de incêndios.

Catarina Cerca

Posted in Anadia, Destaque, Por Terras da Bairrada Comentários

Anadia: Circuito de manutenção na zona desportiva da cidade


A cidade de Anadia vai ter um circuito de manutenção na zona desportiva. A notícia foi avançada pelo próprio autarca Litério Marques, na última reunião de executivo.
Este novo espaço de lazer começa a tomar forma junto às piscinas municipais e às futuras instalações da Escola Básica e Secundária de Anadia.
O projeto de embelezamento desta zona está a ser desenvolvido pelos serviços técnicos camarários e, de acordo com o edil anadiense, “é um circuito de manutenção que integrará ainda um pequeno parque de lazer e merendas”, não descartando a hipótese do projeto (ainda em elaboração) ser mais ambicioso.
Neste momento estão em curso os trabalhos de movimentação de terras, por forma a que naquela vasta área possa surgir um circuito de manutenção, em terra batida, mas também espaços relvados, com várias árvores. “Vamos tirar os eucaliptos, manter os pinheiros e os cedros e plantar um número elevado de árvores de sombra junto ao novo equipamento escolar e à estrada”.
As obras de fundo que vão remodelar esta área começam dentro de um mês, tendo ainda Litério Marques avançado que a autarquia irá adquirir equipamentos específicos – desportivos e lúdicos – para apetrechar aquele espaço.
O espaço será, segundo referiu, “uma mais-valia para a cidade”, na medida em que vem colmatar uma lacuna – a inexistência de um circuito de manutenção na cidade.
É que, na sua opinião, o local ideal para receber este tipo de projeto seria o Monte Crasto. Contudo, reconhece que “os defensores do ambiente – que não defendem nada, nem coisa nenhuma – arranjariam formas de criar grandes problemas e entraves a esta pretensão. O Monte Crasto, pela sua localização e caraterísticas, será excelente para receber um circuito de manutenção, mas dadas as dificuldades, optámos por melhorar e dar uma outra configuração e aproveitamento à zona envolvente à futura Secundária e Piscinas Municipais”, destacou, não deixando de acrescentar que, “um dia, pode ser que as mentalidades mudem e o Monte Crasto possa vir a ser devidamente preservado e aproveitado em benefício da população do concelho”.

Catarina Cerca

Posted in Anadia, Por Terras da Bairrada Comentários

Parque de Lazer da Fogueira vai ser uma realidade


A tão desejada construção de um Parque de Lazer no lugar da Fogueira, freguesia de Sangalhos, vai ser uma realidade.
Na reunião de câmara do executivo anadiense, realizada no dia 25 de julho, foi decidido, por unanimidade, atribuir um donativo à Junta de Freguesia de Sangalhos, de 5 mil euros, para aquisição dos terrenos necessários à implantação de um Parque de Lazer no lugar da Fogueira, na freguesia de Sangalhos.
A obra, que é um sonho antigo do executivo da JF, liderado por António Floro, começa agora a tomar contornos mais definidos com a ajuda atribuída pela Câmara Municipal de Anadia. O Parque de Lazer irá ser implantado junto ao lavadouro do lugar – Porto das Figueiras – que, segundo António Floro, “possui condições privilegiadas” para além de poder ser adquirido por um preço acessível tendo em conta a dimensão e as caraterísticas do espaço.
Por isso, foi já formalizado com o proprietário do terreno um contrato de promessa de compra e venda do referido espaço, tendo sido já realizado um levantamento topográfico do local, por forma a dar início à obra.
O apoio de 5 mil euros não é muito, na medida em que a Junta de Freguesia terá de desembolsar 8.505 euros pelo terreno, que tem uma área de 5.670m2 e que se irá juntar a uma outra parcela já pertencente à autarquia. No total, o parque ficará com mais de 8 mil m2.
A JB, António Floro revela que se trata de um projeto que irá colmatar uma lacuna da freguesia e, por conseguinte, será de certeza uma mais-valia para a população e concelho.
Embora reconheça que a JF não tem capacidade financeira para adquirir o terreno, solicitou apoio à Câmara Municipal de Anadia, que decidiu, por unanimidade, atribuir este subsídio.
“Não é o subsídio ideal, porque o ideal seria o total. Mas somos realistas, sabemos das dificuldades e agora teremos de arranjar a verba restante, com a ajuda de alguns particulares e com o sacrifício da Junta de Freguesia iremos fazê-lo”, diz.
Embora reconheça tratar-se de um projeto embrionário, o seu sonho para aquele espaço é, no mínimo, ambicioso.
“Já pedimos a colaboração a arquitetos e técnicos da Câmara. Não queremos cortar qualquer árvore desnecessariamente. Para além de uma ligeira alteração do curso de água, queremos criar um lago, arranjar todo o espaço envolvente, com relvas, flores e árvores, assim como, no futuro, ali colocar bancos, mesas, zona de estacionamento, churrasqueiras e sanitários”.
Um projeto ambicioso que acredita ser possível com a ajuda e colaboração de toda a comunidade.

Catarina Cerca
catarina@jb.pt

Posted in Anadia, Por Terras da Bairrada, Sangalhos Comentários

Amoreira da Gândara: Conclusão da sede da JF é prioritária


A conclusão da nova sede da Junta de Freguesia de Amoreira da Gândara é a principal obra do plano de atividades para este ano, admite a JB o autarca Joaquim Cosme. A sua construção começou em 2008 e deverá ficar concluída em 2013. Por isso, o autarca diz que as obras vão recomeçar com os trabalhos relativos à colocação das massas finas no interior, pisos em cerâmica, alumínios e eletricidade num investimento superior a 37.408 euros, tendo a Câmara Municipal de Anadia comparticipado esta fase da obra com 5 mil euros.
Uma obra de vulto que tem trazido muitas dores de cabeça ao executivo, na medida em que existem inúmeras dificuldades em arranjar verba suficiente para fazer a obra avançar com a celeridade desejada.
No entanto, apesar desta necessidade, o executivo tem-se mantido atento a outras necessidades, nomeadamente com as zonas de recreio e lazer e fontanários, sem esquecer o apoio à parte cultural, salientando ainda Joaquim Cosme os trabalhos desenvolvidos no cemitério de São Martinho, cujas paredes foram retocadas e pintadas, com apoio da Câmara Municipal, para já não falar da reparação da Ponte do Portouro que era uma grande preocupação deste executivo. “Era uma situação que estava nas mãos da Câmara Municipal de Oliveira do Bairro à qual agradecemos pela obra realizada”, reconhece Joaquim Cosme, dando conta dos melhoramentos na área da limpeza, assim como pretende avançar com a construção de passeios e passadeiras desniveladas, investimentos possíveis só com ajuda da Câmara Municipal de Anadia.
Com um orçamento de 35 mil euros para o ano em curso, Joaquim Cosme admite que a verba é insuficiente para fazer a manutenção dos lugares que integram a freguesia e colmatar todas as necessidades, não deixando, contudo, de destacar o apoio da Câmara Municipal de Anadia que atribuiu um subsídio de 7.800 euros.
Com as obras de saneamento a avançar agora nos lugares que faltam, o autarca de Amoreira da Gândara avança que nesta matéria está igualmente prevista a construção de uma estação de tratamento de águas residuais na zona do Pereiro. Todavia, em jeito de recado, diz esperar que, depois deste melhoramento, a Câmara Municipal possa avançar com a colocação de tapete betuminoso nessas estradas intervencionadas.
Preocupado com a fusão de freguesias, Joaquim Cosme sublinha que essa decisão é absurda, tanto mais que a autarquia acabou de requalificar a Escola do Chãozinho, para além de possuir uma Zona Industrial, farmácia, Posto de Correios e Posto Médico, Centro de Dia, Apoio Domiciliário, Creche, Jardim de Infância e Escola Básica, para além das três adegas, padarias, cafés, restaurantes e minimercados, num total de mais de 419 postos de trabalho criados. A par desta, mostra-se igualmente preocupado com a revisão do PDM que tarda em ser conhecida: “não sei o ponto da situação, uma vez que hoje existem informações num sentido e amanhã no outro. É um grande problema que afeta o nosso desenvolvimento”.
Marchas Populares, uma tradição. As marchas populares fizeram a sua apresentação às gentes de Amoreira da Gândara no passado dia 7 de julho, juntando-se à festa a Marcha de Tamengos.
Depois desta apresentação seguiu-se um convívio (da responsabilidade da Junta de Freguesia) com todas as pessoas participantes, nas instalações da futura sede da Junta de Freguesia.
O executivo não deixa, por isso, de agradecer a todas as pessoas que participaram e organizaram as marchas, muito em especial a Ema Paula Pato e a seu irmão, Mateus Augusto. Refira-se que a marcha da freguesia teve, este ano, letra de Antero Ferreira e música de Cristina Ferreira.

Catarina Cerca
catarina@jb.pt

Posted in A. da Gândara, Anadia, Por Terras da Bairrada Comentários

Ampliação da ETAR de Sangalhos adjudicada


A remodelação e ampliação da Estação de Tratamento de Águas Residuais (ETAR) de Sangalhos foi adjudicada à empresa Espina & Defim/Factor Ambiente, Ldª, pelo montante de 2.581.971, 64 euros (+IVA), ou seja, 1.126.631 euros abaixo do preço base para a obra, que era de 3.708.602,83 euros.
Na base do critério de adjudicação esteve a apresentação da proposta mais baixa, tendo este consórcio luso-espanhol agora um prazo de 12 meses para executar a obra.
De acordo com o autarca Litério Marques, esta ETAR “é uma peça fundamental do Sistema Integrado de Saneamento de Cértima, integrado no mais abrangente Sistema Integrado de Drenagem e Tratamento de Águas Residuais do Concelho de Anadia”, sendo estar ETAR responsável pelo tratamento de todos os esgotos produzidos pelos 24.776 habitantes, correspondente a 78,54% dos habitantes do concelho de Anadia.
Com a execução desta infraestrutura, fica prevista a desativação das ETAR’s de Arcos e Mogofores, já em fim de vida, “contribuindo assim para a melhoria das condições ambientais, eficiência energética e qualidade nos nossos cursos de água”, acrescentou.
Com o financiamento obtido através do QREN, o município de Anadia, com a execução da obra da ETAR de Sangalhos, conseguirá, diz Litério Marques, “efetivar o seu objetivo de longa data, que consiste no tratamento de todos os esgotos que são produzidos no concelho”.

Obra complexa. A remodelação da ETAR de Sangalhos será complexa e completa. Incluirá a beneficiação de infraestruturas existentes, mas também a execução de novos órgãos de tratamento preliminar, tratamento primário e secundário, bem como um novo sistema de tratamento de lamas. O sistema de tratamento a implementar prevê ainda a reutilização de parte da água tratada, em diversas operações de exploração da ETAR e constituirá, ainda, um recurso precioso de apoio ao corpo de bombeiros, no combate a incêndios.
Para tal, será instalado um sistema de afinação do tratamento, constituído por operações de filtração e desinfeção, através de radiação ultravioleta, com armazenamento final em reservatório, a construir para o efeito.
O tratamento das lamas destina-se a que as mesmas possam vir a ser utilizadas na atividade agrícola.
A ETAR de Sangalhos será ainda equipada com um avançado sistema automático de monitorização do processo de tratamento que permitirá a sua monitorização no local, mas também permite a ligação remota através de um Portal WEB acessível através de uma simples ligação por internet. Deste modo, será possível a intervenção no modo de funcionamento.
A ETAR será ainda beneficiada com um novo e totalmente equipado laboratório de análise, estando prevista a instalação de um amplo sistema de vídeo vigilância, de um sistema automático de deteção de intrusão, e de um sistema de deteção de incêndios.

CC

Posted in Anadia, Por Terras da Bairrada, Sangalhos Comentários

Amoreira da Gândara: Dia grande na Casa do Povo


Perto de 380 pessoas estiveram presentes no almoço de aniversário da Casa do Povo de Amoreira da Gândara. O evento, que teve lugar no último sábado, nos jardins da instituição, serviu de angariação de fundos para as obras de ampliação e remodelação da instituição, que ultrapassam os 523 mil euros.
Em dia de festa, no almoço foram angariados 13 mil euros, contudo foram ainda obtidos mais 2.500 euros em donativos de pessoas que não compareceram mas que contribuíram para a obra. Portanto, no total, o 2.º almoço de angariação de fundos rendeu 15.500 euros, a que se pode somar ainda os 2.500 euros oferecidos pela Câmara Municipal de Anadia.
Entre os muitos amigos e convidados, não faltaram Litério Marques, presidente da Câmara Municipal de Anadia; Rui Almeida, deputado na Assembleia da República, eleito pelo Círculo de Aveiro do CDS-PP, que se fez acompanhar por João Tiago Castelo-Branco, presidente do CDS/PP Anadia; os presidentes da Assembleia da Freguesia e da Junta de Freguesia de Amoreira da Gândara, Mário Vidal e Joaquim Cosme, respetivamente.

Obra é indispensável. Em casa e rodeado por amigos, que se juntaram para não só celebrar o 40.º aniversário da instituição mas também o início das tão desejadas obras de ampliação, Manuel Ferreira lembrou a longa jornada da Casa do Povo, que começa agora uma nova etapa “rumo ao futuro”. As tão desejadas quanto urgentes obras de ampliação e remodelação demoraram oito anos a concretizar-se devido à burocracia, uma situação que colocou em risco a própria instituição.
“Esta obra é para melhorar a qualidade de vida dos idosos através da criação de condições de funcionamento que possam responder às suas necessidades atuais e emergentes, os familiares dos idosos que poderão contar com mais apoio e recursos por parte da instituição, mas também melhorar as condições laborais de todas as colaboradoras”, disse. Orçadas em mais de 520 mil euros (+IVA), as obras poderão ter de se prolongar por tempo indeterminado: “é um valor muito acima do que estávamos à espera e que a instituição não consegue amealhar exclusivamente com fundos próprios. O tempo de conclusão da obra irá depender da generosidade das pessoas, do montante que a instituição conseguir amealhar anualmente e, fundamentalmente, do poder político”, disse, dando conta que, após a finalização da obra, será possível adquirir a licença de utilização, “que vai ser determinante para a continuidade e crescimento da instituição, pois só assim nos poderemos posicionar em igualdade de oportunidades de acesso a novos projetos e de crescimento comparativamente com as outras instituições”, sublinhou Manuel Ferreira.
Agradecendo a generosidade dos amoreirenses mas também de todos aqueles que, não pertencendo a esta freguesia, entenderam ser uma causa nobre a defender, não deixou de destacar o montante (5 mil euros) atribuído em 2011, aquando do primeiro almoço de angariação de fundos, deixado pela Câmara Municipal de Anadia, auxiliando no pagamento do projeto. Também o Ministério da Solidariedade e da Segurança Social atribuiu um subsídio no valor de 52.200 euros, que sem dúvida é uma preciosa ajuda para esta primeira etapa.
Na ocasião, Litério Marques realçou a presença de tanta gente amiga, vinda de freguesias e concelhos vizinhos, dando prova de “um grande espírito solidário” para com uma obra há muito desejada. Para o edil anadiense, é um facto que a Casa do Povo “serve e continuará a servir tanta gente”, sendo, a cada dia que passa, “mais precisa”.
O autarca não deixou de criticar também o deputado Rui Almeida por ter quebrado o protocolo, falando antes de todos os outros oradores, ausentando-se de seguida, tendo, no entanto, referido que “tudo fará para ajudar esta obra a vingar”.

Catarina Cerca
catarina@jb.pt

Posted in A. da Gândara, Anadia, Por Terras da Bairrada Comentários

Pergunta da semana

Um estudo indica que mais de duas doses diárias de álcool por dia aceleram perda de memória. Qual o seu consumo habitual no dia a dia?

View Results

Loading ... Loading ...
Newsletter Powered By : XYZScripts.com