Recortes.pt Leia no Recortes.pt

Tag Archive | "Tamengos"

UF Tamengos, Aguim e Óis do Bairro: Pequenas obras, limpezas e manutenções


Óscar Ventura que, no primeiro mandato tivera à sua responsabilidade a Freguesia de Tamengos é, desde as últimas autárquicas, o presidente da União de Freguesias de Tamengos, Aguim e Óis do Bairro. Como em tantos outros locais, o início de vida desta União foi conturbado e polémico. Fez correr muita tinta, mas hoje, “tudo pertence ao passado”, como refere.
Embora reconheça que os primeiros meses “foram muito difíceis”, agora “trabalha-se em prol de todos os lugares da União.”
Sobre o orçamento para 2016, avança que vai dando para as despesas, reconhecendo que nos tempos difíceis que se atravessam, “os autarcas têm que aprender a viver com o que têm, sem projetar grandes obras.”
“A nossa política passa por fazer uma manutenção adequada ao que já existe. Não temos pretensões de fazer grandes obras, até porque os tempos não estão para esse tipo de investimentos”, sublinha. Todavia, reconhece que a limpeza (sobretudo da estância termal da Curia), manutenção de espaços verdes, cimentação de valetas e poda de árvores lhes levam boa parte do orçamento disponível.

Ano de 2015 foi muito positivo. Assim, de 2015 faz um balanço positivo do trabalho desenvolvido. “Foi um ano gratificante, pois conseguimos fazer algumas valetas, arranjar os passeios e fazer o acesso ao cemitério de Aguim. Arranjámos várias obras na Mata, colocando manilhas e cimentando valetas de grande porte, por forma a evitar possíveis acidentes; fizemos a limpeza nas fontes e tanques de Ribafornos e de Óis do Bairro; construímos valetas em Alpalhão, Aguim, Mata e Óis do Bairro, assim como tivemos a preocupação de fazer a manutenção dos jardins. Aliás, a limpeza é uma prioridade. Veja que andamos constantemente a limpar as sarjetas para evitar inundações.”
Trabalhos que vão sendo desenvolvidos por nove POC’s, que vão rodando pela área correspondente às três freguesias, pois como União, o trabalho como que triplicou, exigindo ainda a presença constante do executivo nas três ex-freguesias por forma a atender às solicitações de todos os fregueses.
“Desde o início de funções, tentamos que os trabalhos se façam de forma tripartida, ou seja percorrendo os lugares das três ex-freguesias. Por isso, começámos até por Alpalhão, a limpar caminhos, fontes e valetas. E foi gratificante ouvir o apoio das pessoas.”
Em Aguim, os passeios junto à sede da Junta de Freguesia e da Extensão de Saúde deram um outro aspeto e limpeza ao local que as pessoas reconheceram. Aliás, Óscar Ventura refere que esta forma de trabalhar já lhe valeu alguns votos de louvor por parte da própria oposição, o que evidencia que o executivo trabalha em prol de todos.
Por isso, fala ainda de outras obras realizadas: a requalificação do espaço envolvente à sede da Junta de Freguesia de Óis do Bairro, do melhoramento realizado no cemitério desta localidade, com a ligação da iluminação e ainda a construção de valetas em cimento em Óis do Bairro.

Obras em 2016 são sobretudo de manutenção. Para 2016, a grande aposta, à semelhança de outras freguesias, passa pela limpeza, manutenção e embelezamento de espaços e vias públicas. A limpeza e cimentação de valetas estão na linha da frente em matéria de prioridades, até porque esta é uma área que absorve boa fatia do orçamento anual.
Prioridade será ainda a construção de uma zona pedonal na Mata da Curia, para dar segurança aos peões devido à velocidade dos automobilistas estando ainda prevista igualmente a construção de algumas lombas ,no início das localidades. O executivo quer ainda fazer a construção de uma zona pedonal no largo da Igreja em Aguim, requalificando aquela área, obra que será feita também na Mata, enquanto que em Tamengos a aposta será feita na requalificação do cemitério. Uma obra que diz ser “urgente”.
O autarca avança ainda que a Curia precisa de um melhoramento, sobretudo na rotunda principal, junto aos hotéis, por ser uma zona à noite pouco iluminada. A ideia poderá passar pela “construção de uma fonte luminosa por forma a dar uma outra vida e alegria aquele espaço.”
Óscar Ventura quer ainda reabilitar a degradada escola de Tamengos. Um equipamento escolar que foi encerrado há vários anos e sem qualquer atividade. “Entendemos que se estiver arranjada e devidamente recuperada será mais fácil entregá-la para que possa ali ser desenvolvida alguma atividade a favor das populações”.
Em matéria de equipamentos escolares diz estar prevista a requalificação profunda das EB 1 de Aguim e Tamengos. Duas grandes escolas que serão algo de atenção por parte da Câmara Municipal de Anadia durante este ano, estando em curso a elaboração dos projetos para as mesmas.
A construção de uma ciclovia que ligue a Curia ao Velódromo de Sangalhos é uma das obras que aguarda com grande expectativa, não só por este ser um concelho onde a indústria das duas rodas tem grande tradição e o ciclismo é uma das modalidades desportivas mais queridas. “Será uma mais valia para o turismo e para a região que tem um grande carinho pelo ciclismo. Será uma infraestrutura muito útil e benéfica não só para a modalidade, mas para todos, facilitando a deslocação das pessoas, incentivando o uso da bicicleta e muito bom para o turismo.”
A terminar, o autarca gostaria ainda de conseguir que a Extensão de Saúde de Tamengos voltasse a abrir aos utentes. “Já lá gastámos na recuperação do edifício cerca de 70 mil euros e seria um grande benefício para as populações, sem prejudicar as outras Extensões de Saúde”. Óscar Ventura acredita que este encerramento pode ser revertido e tem estado a lutar por essa reabertura. “Se o governo der ou criar essa possibilidade, vamos estar atentos”.

 

Catarina Cerca

Posted in Anadia, Por Terras da Bairrada, TamengosComments (0)

Anadia: Rota das Vinhas é já no próximo domingo


O Centro de Bem-Estar Social de Tamengos, em colaboração com o grupo Tamengos a Mexer – Comissão de Festas em Honra de São Pedro de Tamengos, leva a cabo, já no próximo domingo, a 1.ª Rota das Vinhas, um evento que promete juntar diversos amantes do desporto e da natureza.
A iniciativa conta com três modalidades: prova de BTT, raid turístico-gastronómico e caminhada. Esta diversidade é considerada uma mais valia já que, como referem membros da organização, “é do agrado de muitas pessoas. Queremos promover a prática de desporto e, aliado a isso, dar a conhecer a nossa região que a tantos encanta”.

Modalidades. A Maratona de BTT será composta por 60km dando, assim, a conhecer a região e as suas potencialidades neste tipo de desporto. O percurso conta com a passagem em várias freguesias do concelho de Anadia onde se pode contactar, essencialmente, com a zona vinícola da região. Cada participante terá, também, direito a um kit, a um dorsal e a um seguro, à semelhança do que acontece nas outras modalidades.
O Raid turístico-gastronómico será um percurso com o qual se pretende promover o melhor da região, quer a nível paisagístico, quer a nível gastronómico. O Raid será composto por um percurso de 30km, contando com três paragens que permitirão aos participantes usufruírem de alguma da gastronomia da região, bem como visitar locais de interesse cultural, como caves, museus, o Velódromo de Sangalhos e as Termas da Curia.
A Caminhada foi pensada para aqueles que são amantes do ar livre e do contacto com a natureza, mas, essencialmente, para a inclusão de toda a família na atividade. Sendo uma modalidade com um número crescente de adeptos, contará com duas paragens, em que os participantes poderão descansar e degustar alguns petiscos, bem como usufruir de uma pequena aula de prática física. A modalidade contará com um percurso de cerca de 10km.

Necessidades do Centro de Bem-Estar Social. O Centro de Bem-Estar Social de Tamengos, à semelhança de outras IPSS, necessita de angariar fundos para fazer face às despesas. Com 30 utentes em regime de Centro de Dia e com apoio estatal apenas para 22, o esforço para manter os serviços a funcionar na perfeição é quase diário.
Neste sentido, a organização adianta que há a possibilidade de este se tornar um evento anual não só com o intuito de apoiar esta causa, como para fomentar na comunidade a prática desportiva e a adoção de um estilo de vida saudável.

Posted in Anadia, Por Terras da Bairrada, TamengosComments (0)

Anadia: Cogumelos Shiitake made in Tamengos


Os Cogumelos Shiitake são uma das espécies de cogumelos mais cobiçada atualmente pelas suas propriedades medicinais. Uma iguaria que está também a conquistar terreno na cozinha e em inúmeros pratos graças ao seu sabor único e inconfundível.
Em Tamengos, existe uma exploração 100% biológica que, tal como os cogumelos, vai crescendo, pouco a pouco, pelas mãos do jovem empreendedor, Pedro Ferreira, que já os comercializa com a marca “Tribal Jungle Cogumelos Biológicos”, em alguns locais da região.
Foi na enorme estufa verde, com cerca de mil metros, que o fomos conhecer e aos seus cogumelos. O cheiro a madeira molhada e a mofo é inconfundível, a humidade é grande e na instalação estão 120 toneladas de madeira de eucalipto inoculadas. Trabalha sozinho sete dias por semana e conta ocasionalmente com a ajuda de familiares e amigos.
Na estufa é o “faz tudo” e chega a passar 14 horas seguidas neste espaço que um dia gostaria de ver transformado em Quinta Biológica, com várias vertentes e ofertas, num local onde as pessoas pudessem vir apanhar os seus próprios cogumelos, se assim o desejassem.

Paixão e determinação. Este sonho começou a tomar forma há cinco anos, mas tem sofrido avanços e recuos. A inexperiência nas áreas empresarial e comercial têm criado algumas dificuldades e constrangimentos que vão sendo ultrapassadas graças à determinação, empenho e dedicação do jovem, que trocou uma vida ligada ao mergulho (era mergulhador profissional) para se dedicar à agricultura e assim poder estar mais próximo dos filhos que quer ver crescer. “Queria algo mais estável para ficar perto de casa. Como a situação económica do país, em 2012, não era boa, devido à paragem de grandes obras públicas fiquei como a maioria dos meus colegas, sem trabalho. Ou ia para fora ou arranjava o que fazer. Foi assim que comecei este projeto”, conta.
Uma paixão que se ficou a dever a um primo que um dia o convidou a ir a Lisboa assistir a uma formação sobre a produção desta espécie de cogumelos. O interesse e vontade revelaram-se de imediato, construindo no quintal dos pais, em Anadia, uma pequena estufa, onde fez as primeiras experiências.
Há três anos decidiu avançar de forma séria. Fez uma candidatura ao Proder para Jovens Agricultores, mas as dores de cabeça têm sido muitas. “Foi uma candidatura mal feita e acabei por gastar o dobro do que coloquei no projeto”. Um começo atribulado que o levou a investir neste local quase 200 mil euros, num investimento do qual ainda não teve retorno. “A falta de informação, de conhecimentos, de experiência e os aspetos burocráticos são muito complicados”, diz.

Benefícios. Os únicos cogumelos que produz são os shiitake devido às suas propriedades terapêuticas únicas, devido às suas qualidades no combate a inúmeras doenças. “O meu pai é oculista. Eu usava óculos e já deixei de usar”, o que no seu entender demonstra o poder deste fungo aeróbio.
A produção de cogumelos dá muito trabalho e não é um mar de rosas e de facilidades como muitos querem fazer parecer. É um processo moroso e complexo.
Neste caso, o fungo inoculado é comprado a uma empresa certificada por se tratar de uma produção biológica e para ter 100 quilos de cogumelos Pedro Ferreira tem de dar um choque térmico a 10 toneladas de madeira, tudo isto feito manualmente com correntes, o que demora mais de uma semana.
A JB revela que a primavera e o outono são as melhores épocas para a produção, sendo o verão e o inverno as mais difíceis devido à dificuldade em manter as condições de temperatura e humidade necessárias para que os cogumelos cresçam.

Aumentar a rede de clientes. Neste momento, colhe e vende cogumelos frescos, mas também cogumelos desidratados.
“Quero clientes satisfeitos e fiéis às encomendas. Se tiver clientes a pedir, consigo tirar 150 quilos por semana, o que seria o ideal para o projeto andar para a frente, pagar a funcionários e o investimento realizado”, sublinha.
Neste momento, apenas tem mercado para 30 a 40 quilos por semana. “Gostava que os revendedores de fruta, mini mercados, restaurantes, hotéis ou bares e, claro, pessoas particulares aqui viessem buscar a minha produção”, porque ainda não consegue ter a área comercial suficientemente desenvolvida. Para já, os seus principais clientes são amigos e particulares, mas também alguns mini mercados e até o Intermarché de Oliveira do Bairro, alguns hotéis e restaurantes da região.
Mas como não é um produto muito conhecido, Pedro Ferreira está ainda a desbravar terreno. Assim, diz que todos os interessados o podem contactar pelo 231 407 557 ou 932 207 962 ou ainda por e-mail: tribaljungle@gmail.com
Catarina Cerca

Posted in Anadia, Por Terras da Bairrada, TamengosComments (0)

Centro Social de Tamengos com capacidade máxima instalada


 

Ainda não completou três anos de existência e já está com lotação esgotada na valência de Centro de Dia. Desde que surgiu, em 2010, o Centro Social de Tamengos é já uma referência no apoio à terceira idade. Embora o acordo com a Segurança Social tenha sido inicialmente estabelecido para 15 idosos, a verdade é que até à data a instituição não conseguiu a sua revisão e consequente alargamento do acordo para 30 utentes.
Hoje, instituição apoia 31 idosos em Centro de Dia, todavia, já presta Apoio Domiciliário a alguns dos seus utentes de Centro de Dia mais necessitados de um apoio de retaguarda: “foi sempre filosofia desta casa nunca deixar um utente nosso desamparado, sem resposta”, diz Patrícia Carrilho, diretora técnica do Centro Social.
E se a instituição conseguiu aumentar o número de idosos, sem aumentar o quadro de pessoal, esta situação só foi possível, revela, graças a uma dinâmica única: “tudo isto se deve à equipa de colaboradoras (5), sempre muito unida. Têm um grande espírito de sacrifício e, como são pessoas da terra, conhecem muito bem todas as realidades e não se importam de dar várias horas de trabalho voluntário à instituição, sempre a pensarem no bem-estar dos mais idosos”, diz, orgulhosa.
Por isso, faz um balanço muito positivo da vida desta ainda jovem instituição que, apesar da conjuntura atual e das enormes dificuldades, consegue dar resposta a uma população envelhecida e carenciada.
A fazer-se, essa correção (acordo com a Segurança Social) seria um “desafogo financeiro” para a instituição, que precisa, com urgência, de adquirir uma viatura de dois lugares, sobretudo para as entregas de refeições no domiciliário. “Só temos uma carrinha de nove lugares e é muito complicado coordenar idas ao médico, entrega de refeições e outras atividades com apenas um veículo”, diz.
Por outro lado, Patrícia Carrilho dá conta de que os utentes pagam o que podem com base nas sua pensões que são muito baixas, sem sobrecarregar a família, usufruindo de um leque de serviços: alimentação (pequeno- almoço, almoço, lanche, jantar, acompanhamento a consultas, dispondo a instituição, às quintas-feiras, dos serviços de um enfermeiro, da Universidade Sénior da Curia, que faz medição de tensão arterial, verificação dos níveis de colesterol e glicémia, e curativos.

Evento diferente em julho. Para o dia 21 de julho está em preparação um evento diferente, que poderá ser um lanche ou jantar. A ideia, desta vez, é envolver os comerciantes (lojas, restaurantes, cafés, bazares, farmácia, associações), trazendo-os à instituição para darem a conhecer e promover os seus produtos. “Convidamos esses comerciantes, para que ao microfone, ou através de uma tarja, ou de outra forma, possam, durante o evento, promover e fazer publicidade ao seu espaço comercial”, diz, dando conta de que, desta forma, a instituição pretende dar a conhecer aos utentes, familiares e amigos presentes todas as potencialidades e riqueza da freguesia. “Fica ao critério de cada um e da sua capacidade de ser original dar a conhecer os seus produtos durante o evento.”

“Campo de férias para os mais novos”. O Centro Social dispõe, pela primeira vez, este ano, de um plano de férias de verão para crianças, sobretudo para aquelas que já usufruem do ATL prestado pela instituição.
Durante os meses de julho e agosto, as crianças que se inscreverem vão usufruir de um conjunto de atividades lúdicas, culturais e recreativas proporcionadas pela instituição, incluindo idas à praia, ao Luso, a Cantanhede e à Mealhada.
O preço varia entre os 35 e os 70 euros, de acordo com o escalão do IRS do agregado familiar. As atividades são pagas à parte, bem como o almoço, que será apenas de 1,75 euros. O horário desta ocupação de tempos livres será ajustado mediante as necessidades dos pais.
“A Câmara cobra 2 euros pelos almoços, em períodos de interrupção letiva. Nós conseguimos fazer um preço mais baixo, assim como pelas atividades só cobramos o que elas efetivamente custam. Não levamos nem um tostão a mais”, avança.

Trabalhos com muito amor. A Animadora Social da instituição, Sónia Cruz, encontrou uma boa maneira de manter as suas idosas ativas e motivadas.
Desde a abertura da instituição, as idosas foram desafiadas a frequentar um pequeno ateliê de bordados e crochê. Destas habilidosas mãos saem originais tapetes, carpetes, molduras, estojos, terços em renda, porta-moedas, porta-canetas e carteiras feitos com o mais variado tipo de materiais: felpo, renda e tecido.
Uma forma salutar de ocupar o tempo, uma terapia bastante motivadora.
“São pequenos mimos, lembranças”, diz Patrícia Carrilho, recordando que o grupo aceita encomendas, por exemplo, para baptizados, comunhões e outros.
Os vários artigos estão à venda por preços meramente simbólicos no Centro de Dia e no ATL.

Catarina Cerca
catarina@jb.pt

Posted in Anadia, Destaque, Por Terras da Bairrada, TamengosComments (0)

“EUA é bom para ganhar dinheiro, mas o dinheiro não é tudo”


A história de Soraia Mendes reflete um destino comum a muitos jovens que gostariam de lecionar em Portugal mas, infelizmente, não conseguem. Há poucas semanas, contámos uma história semelhante, da jovem Joana Cunha, que migrou para a ilha da Madeira, para poder ser aquilo que sempre sonhou: professora.
Mas o percurso além-fronteiras de Soraia Mendes começou bem cedo, tinha esta bairradina de Tamengos apenas dois meses. Cresceu nos EUA, naturalizou-se cidadã americana, mas regressou a Portugal com 12 anos. “Fiz o ciclo em Anadia e depois tirei a licenciatura de Inglês e Alemão na Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra”, conta Soraia Mendes. Um ano depois de lecionar na Escola Secundária de Penacova, decidiu voltar aos EUA. “A vida de professor em Portugal é bastante complicada. Não há estabilidade”, justifica. Hoje, com 28 anos, dá aulas de inglês numa Secundária de Newark, New Jersey, e é inclusive professora de muitos bairradinos.
Como coordenadora dos “Future Teachers of America”, treina alunos que ambicionam ser professores e percorre várias escolas “para que estes possam dar aulas aos mais pequenos”. É também coordenadora e responsável pelo “senior class” (finalistas mais de 35 anos). Dá aulas no mesmo liceu há cinco anos e já efetivou. Tirou o mestrado em Administração Educacional, pois tenciona ser diretora de uma escola. Continua a estudar, pois o próximo passo é o doutoramento.

“Quero que a minha filha adore Portugal como eu.”

Apesar de Portugal não oferecer grandes oportunidades a quem segue a via ensino, Soraia Mendes considera que, a nível de Educação, “é um país bastante avançado e com um sistema rigoroso. Contudo, não oferece oportunidades para que os novos licenciados apliquem o conhecimento adquirido durante os vários anos de estudo. Tenho pena, pois tenho bastantes colegas que se formaram há sete anos, mas ainda não arranjaram uma colocação. Há muitas promessas por parte dos políticos, mas vê-se pouco feito”.
Ainda assim, a bairradina adora o seu país, que visita todos os anos. Aqui residem os pais, Floriano e Ilda Mendes, nossos assinantes, e as avós, Elvira e Maria. Esteve recentemente em Portugal, para batizar a filha, e novamente duas semanas depois, porque o avô Alberto, “que tanto adorava”, faleceu repentinamente.
Tenciona visitar Portugal com mais frequência, porque quer que a sua bebé, Rania, que também tem dupla nacionalidade, “adore Portugal como eu”.
Quem pensa emigrar para os EUA, “só legal [com documentos] e tendo bom conhecimento da língua”. “Há muitas pessoas que vêm para aqui a pensar que tudo é fácil, mas só ganham para o dia a dia. Se é para isso, mais vale ficar na nossa terra”, realça Soraia Mendes. Portugal, admite, “é bastante pequenino, mas é um país maravilhoso para viver e gozar a vida. A proximidade com a natureza e a ausência de stress fazem deste país um éden”.
A vontade de Soraia é regressar definitivamente em breve, com o marido Miguel e a filha. “EUA é bom para ganhar dinheiro, mas o dinheiro não é tudo. Há que gozar a vida junto de quem mais amamos.”
Oriana Pataco

Posted in Bairradinos no MundoComments (0)

Tamengos: Abertas as inscrições oara as Marchas Populares


Com o objetivo de preparar as Marchas de Tamengos de 2012, começaram, no dia 26 de fevereiro, as inscrições para os marchantes e coro. A participação é gratuita, pelo que os interessados se devem deslocar até ao dia 9 de março (data limite de inscrição), das 21h às 22h30, à sala traseira da Junta de Freguesia de Tamengos, onde, para além do preenchimento da ficha de inscrição, serão tiradas as medidas para os fatos a usar. O primeiro ensaio está marcado para o dia 24 de março, às 21h15.

Posted in Anadia, Por Terras da BairradaComments (0)

Tamengos: Ceia de Natal do Centro Social foi sucesso


A Ceia de Natal do Centro de Bem Estar Social da Freguesia de Tamengos realizado no passado dia 23 de dezembro foi um sucesso, dada a forte adesão de população e ao facto de ter sido possível angariar alguns fundos para fazer face a algumas das necessidades mais imediatas da instituição. Por isso, a direção do Centro Social não deixa de agradecer aos alunos da Universidade Sénior da Curia, à Junta de Freguesia de Tamengos e a todos aqueles que participaram na Ceia de Natal, pela boa vontade e caráter solidário que permitiu ajudar a instituição, colmatando algumas das suas carências.
A JB, Patrícia Carrilho, diretora-técnica da instituição, sublinha ainda o facto dos alunos da Universidade Sénior da Curia se terem juntado numa campanha de solidariedade para ajudar na aquisição de aquecimento para a instituição, arrecadando um total de 534,50 euros, valor esse que reverteu a favor da instituição.
“Agradecemos toda a boa vontade desta comunidade, assim como às pessoas diretamente envolvidas nesta ação de Solidariedade, Professor Alexandre e Dr.ª Marta”, diz Patrícia Carrilho, destacando também a presença de todos na Ceia de Natal, “especialmente do Presidente da Junta de Freguesia de Tamengos que, para além de nos dar o prazer da sua presença, contribuiu ainda com um donativo no valor de 150 euros”.
Daí que esta responsável faça um balanço muito positivo da Ceia de Natal, recordando que o apelo realizado à população, em dezembro, nas páginas do JB, teve um efeito muito positivo, na medida em que a população entendeu a mensagem e soube responder positivamente ao apelo então endereçado.
Recorde-se que esta instituição da freguesia de Tamengos, que acolhe 23 utentes em Centro de Dia, está a braços com uma situação financeira difícil, na medida em que a revisão dos acordos com a Segurança Social tarda a chegar, recebendo deste organismo comparticipação relativa a apenas 15 utentes.
Com capacidade para 30 idosos, o Centro Social já solicitou à Segurança Social, vai para meio ano, a revisão dos acordos para 25 utentes, um número que permitiria à instituição uma gestão mais folgada, o que ainda não aconteceu. Por isso, para fazer face às despesas do dia a dia (e porque as mensalidades pagas pelos utentes são muito baixas), precisam do apoio da população em geral, muito embora esta tenha estado um tanto afastada da instituição.
Com o objetivo de aproximar os familiares dos utentes, população e amigos ao Centro Social de Tamengos, a direção da instituição espera poder, ao longo do ano, continuar a contar com a solidariedade da população: “queremos sentir-nos mais acarinhados”, diz Patrícia Carrilho, fazendo votos que, durante este ano difícil de 2012, todos saibam dar o devido valor à instituição, assim como ajudar, por forma a que o Centro Social consiga continuar a trabalhar o melhor possível, mantendo os bons padrões de qualidade dos serviços prestados à população. Daí lançarem um apelo aos sócios e à população em geral: “ não voltem as costas a este importante pilar da freguesia que é o Centro Social”.

Catarina Cerca
catarina@jb.pt

Posted in Anadia, Por Terras da BairradaComments (0)

Centro Social de Tamengos lança apelo à população


Com acordo apenas para 15 utentes em Centro de Dia, mas a prestar apoio a 23 idosos (em Janeiro entram mais dois), o Centro de Bem-Estar Social de Tamengos começa a atravessar uma situação financeira difícil, na medida em que a revisão do acordo com a Segurança Social tarda a chegar. “A revisão do acordo seria o milagre de Natal de que necessitamos”, confessa Patrícia Castilho, directora-técnica desta IPSS, acrescentando que a situação da instituição não é dramática, mas preocupante. “Temos as contas muito controladas e já fazemos alguns sacrifícios”, reconhece.
Com capacidade para 30 idosos, o Centro Social já solicitou à Segurança Social, vai para meio ano, a revisão dos acordos para 25 utentes, um número que permitiria à instituição uma gestão mais folgada. “As pensões dos nossos idosos não cobrem os custos que temos com eles. Neste momento, passamos por grandes dificuldades, até porque o mês de Dezembro acarreta custos acrescidos para a instituição”, diz.
Por outro lado, esta responsável esclarece que é quase impensável poder fazer aumento das mensalidades, até porque a quase totalidade dos utentes têm pensões muito baixas, sem possibilidades de poder pagar uma prestação mensal mais consentânia com os serviços de que usufruem na instituição.
“Os nossos idosos pagam entre 95 e 195 euros. São quantias irrisórias em relação à qualidade do serviço prestado. Mas não têm dinheiro para mais”, diz.
Ao JB, esta responsável não deixa de lamentar ainda a falta de interesse da população pela instituição. “O alheamento é total e notamos que não há qualquer interesse por nós. Isso dói-nos imenso”, acrescenta, denunciando também a falta de interesse dos sócios e da população em geral pela única IPSS da freguesia. “Na última assembleia-geral, estiveram sete pessoas. Isso é demonstrativo do que se passa”, diz. Apesar do árduo trabalho realizado junto da terceira idade, o Centro Social é ainda responsável pelo CATL de 27 crianças e pelo almoço de 50 meninos. “O desalento e o desânimo são sentimentos que nos rondam, pois não nos sentimos acarinhados e queridos pela população e pelas entidades locais”.
Sublinhando que a instituição não corre riscos de fechar, admite que se não houver rapidamente uma revisão dos acordos com a Segurança Social, será muito difícil sobreviver, muito embora não haja dívidas, ou salários em atraso.
“Daqui para a frente não sei como será, mas não havendo uma revisão dos acordos, torna-se complicado continuar a fazer solidariedade social”, admitindo que a instituição vai continuar a trabalhar o melhor que sabe e a lutar para manter os bons padrões de qualidade. Por isso, Patrícia Castilho realça ainda “a excepcional equipa de colaboradoras” que levam a cabo “um enorme trabalho social”.
“Se não tivermos apoio, seremos obrigados a deixar de ser solidários e deixar de socorrer muitos casos”, reconhece, lançando um apelo, quase que desesperado, aos sócios e à população para que não volte as costas a este importante e basilar pilar da freguesia que é o Centro Social.
“Sem dinheiro não poderemos investir em melhorias para o Centro Social, limitando-nos à gestão diária, ou seja, a manter em dia as despesas fixas mensais”, sublinhando que gostaria que as pessoas se envolvessem mais, se interessassem e contribuíssem para com a instituição. Justificação para esta situação não encontra, mas admite que o individualismo das pessoas, a falta de união, o egoísmo contribuam para tal.
A terminar, faz votos de que a Ceia de Natal, que se vai realizar no dia 23, seja uma festa bastante participada, uma oportunidade para unir a população em torno da instituição: “seria uma bonita prenda”.

Catarina Cerca

Posted in Anadia, Por Terras da BairradaComments (0)

Tamengos: Conferência/debate sobre a Reforma da Administração Local


No próximo dia 21, pelas 21h, vai decorrer na sede da Junta de Freguesia de Tamengos, uma conferência/debate sobre o “Documento Verde: A Reforma da Administração Local no âmbito das Freguesias”. Esta iniciativa destina-se a todos os interessados pelo tema, autarcas e população em geral.
Do painel de oradores constam: Armando Vieira, presidente da ANAFRE, José Manuel Mata Justo, da Universidade Lusíada de Lisboa, Domingos Doutel, coordenador Autárquico Nacional e, em representação da Concelhia do CDS/PP de Anadia, João Tiago Castelo Branco.
Segundo o presidente da Concelhia do CDS/PP de Anadia, esta conferência prende-se com a necessidade de esclarecer e informar os cidadãos para o tema da Reforma da Administração Local, em particular no que diz respeito às Freguesias.

Posted in Anadia, Por Terras da BairradaComments (0)

Centro Social recebe donativo do Rotary Curia-Bairrada


A direcção do Rotary Club Curia-Bairrada entregou, na última quinta-feira, um donativo de 510 euros, ao Centro de Bem Estar Social da Freguesia de Tamengos, resultante da angariação de fundos realizado por aquela associação no seu Jantar de Natal.
O donativo em géneros (dois armários de arrumação para a lavandaria, uma máquina de secar roupa, uma máquina de café, três estantes e uma carpete) vai ajudar a equipar esta jovem instituição particular de solidariedade social que está a completar um ano de existência.
Maria Manuel Vicetro, presidente do Rotary Curia-Bairrada, mostrou-se bastante feliz com o facto de estar a ajudar a instituição: “marcámos uma reunião com a direcção e ficámos a saber as reais necessidades em termos de equipamento”, destacou, avançando que, tanto Amílcar Oliveira, presidente da direcção do Centro Social, como Patrícia Carrilho, directora-técnica, deram toda a ajuda necessária, elencando a relação de equipamentos em falta.
Embora este seja o primeiro donativo atribuído pelo Rotary Club Curia-Bairrada ao Centro Social de Tamengos, não será certamente o último, como sublinhou Maria Manuel Vicetro. “O Rotary tem, ao longo deste ano rotário, apoiado diversas instituições”, dando conta da distribuição de cabazes de alimentos, roupas e brinquedos ao CAT (Centro de Acolhimento Temporário) de Crianças e Jovens de Sangalhos, Santa Casa de Misericórdia de Anadia, Centro Social de Aguim e a diversas famílias carenciadas residentes no concelho de Anadia, num total de 40 cabazes, mostrando-se disponível para voltar a ajudar o Centro Social de Tamengos numa outra oportunidade.
Na oportunidade, Amílcar Oliveira destacou que, neste primeiro ano de vida, a prioridade foi dotar a instituição do equipamento mínimo para começar a funcionar, faltando, por isso, ainda rechear a instituição com muito outro equipamento. Embora tenha capacidade para 30 utentes em Centro de Dia, o Centro Social de Tamengos tem, neste momento, 27 idosos, recebendo da Segurança Social comparticipação apenas para 15. “Esta situação obriga-nos a uma ginástica financeira grande, não sendo possível fazer muito mais”, referiu.
Com a comemoração do 1.º aniversário agendada para o próximo dia 16 de Abril, o Centro Social está a organizar um almoço de aniversário e de angariação de fundos aberto à comunidade que, de resto, desde a primeira hora tem sido muito próxima e receptiva em relação à instituição.

Catarina Cerca

Posted in Anadia, Por Terras da BairradaComments (0)

SFImobiliaria

Pergunta da semana

É assinante do Jornal da Bairrada?

View Results

Loading ... Loading ...
Newsletter Powered By : XYZScripts.com