Recortes.pt Leia no Recortes.pt

Tag Archive | "vinho"

Tanoaria e espumante em fotografia no Museu do Vinho


A fotografia estará em destaque no novo ciclo de exposições do Museu do Vinho Bairrada, em Anadia, cuja inauguração está marcada para o próximo sábado, 20 de dezembro, pelas 16h, com entrada livre.

Na ocasião, abrirão portas ao público as mostras “A arte da tanoaria – os últimos”, de José Fangueiro, e “Bairrada, a musa do espumante”, de Pedro Nóbrega. Serão ainda apresentados um Espumante Bairrada em homenagem a José Luciano de Castro e o documentário “A Arte da Tanoaria” do realizador Roger Nicolau, num evento onde estará presente Carlos Alberto Moniz, que interpretará alguns temas do seu último trabalho discográfico “O Vinho dos Poetas”.

Neste novo ciclo expositivo, o Vinho continua a dar o mote para a criação artística, sendo a fotografia a técnica escolhida para revelar dois novos conjuntos de perspetivas sobre o universo vinícola da Bairrada. José Fangueiro traz-nos “A arte da tanoaria – os últimos”, uma mostra concebida para o Museu do Vinho Bairrada, contemplando uma vasta coleção de imagens resgatadas de algumas tanoarias portuguesas, homenageando os homens que dão vida a esta arte ancestral. Resgatam-se expressões, habilidades e saberes do passado, culminando com imagens captadas nalgumas caves emblemáticas da Bairrada. A exposição é complementada pelo documentário “A Arte da Tanoaria”, realizado por Roger Nicolau, e tem como pano de fundo uma trilha sonora da autoria de Fernando Alves, jornalista da TSF. Será ainda exposto, pela primeira vez, um vasto conjunto de equipamentos e de ferramentas de associados à tanoaria, que o Museu do Vinho Bairrada tem vindo a integrar nas suas coleções e que não haviam sido ainda apresentados ao público.

Bairrada, a musa do espumante”, de Pedro Nóbrega, foi igualmente idealizada a pensar no Museu do Vinho Bairrada. Trata-se de um conjunto de fotografias dedicado aos Espumantes Bairrada, e que, segundo o seu autor, “recria um círculo entre o espumante e a sua musa”, sendo sua intenção “mostrar, em cada peça, uma fase distinta da sua produção em que a sua musa a influencia”.

Para além deste tributo ao Espumante Bairrada, que, no próximo ano celebra o seu 125º aniversário, esta inauguração dá ensejo a uma outra homenagem. No ano em que se completa o primeiro centenário da morte de José Luciano de Castro (n. 1834 – m. 1914), a Câmara Municipal de Anadia tem vindo a promover uma série de atividades evocativas da vida e da obra desta influente personalidade da história de Portugal, que deixou profundas na história de Anadia e da região, nomeadamente no que respeita às origens do próprio Espumante Bairrada. Estadista, deputado, chefe do Partido Progressista, por várias vezes ministro e em três ocasiões presidente do conselho de ministros, jurisconsulto e jornalista, José Luciano de Castro é recordado pelos anadienses como grande benemérito. Ligado à criação da Escola de Viticultura e Pomologia da Bairrada (atual Estação Vitivinícola da Bairrada), acabou por ser um dos pioneiros no fabrico de vinhos espumantes em Portugal, na qualidade de associado da “Associação Vinícola da Bairrada”, fundada no seu palacete de Anadia. Esta sucessão de efemérides justificou, no entender da Câmara Municipal de Anadia, a criação de um Espumante Bairrada em homenagem ao estadista, contando, na concretização deste projeto, com a colaboração da Comissão Vitivinícola da Bairrada.
A tarde encerra com a atuação do maestro e compositor Carlos Alberto Moniz, que traz à Bairrada o seu disco “O Vinho dos Poetas”, que, segundo João Paulo Guerra, “tem castas, tem canções frutadas, tem canções com regiões demarcadas, tem aromas, elegância, perfil, equilíbrio, estrutura, complexidade e definição. Um disco com bouquet”.
As exposições estarão patentes até 10 de maio de 2015, de terça a sexta-feira, das 9h às 13h e das 14h às 18h, e aos fins-de-semana, das 10h às 19h.

Programa do evento:

Inauguração da exposição de fotografia “A Arte da Tanoaria – Os últimos”. Autoria: José Fangueiro

Inauguração da exposição de fotografia “Bairrada, a Musa do Espumante” – Autoria: Pedro Nóbrega

Apresentação oficial do Espumante Bairrada José Luciano de Castro – projeto da Câmara Municipal de Anadia em parceria com a Comissão Vitivinícola da Bairrada

Apresentação do documentário “A Arte da Tanoaria”. Autoria: Roger Nicolau.

Atuação de Carlos Alberto Moniz – interpretação de temas do seu último trabalho discográfico “O Vinho dos Poetas”

Posted in Anadia, Por Terras da BairradaComments (0)

Vinho das 4 Maravilhas em promoção até dia 5 de janeiro


A Associação Maravilhas da Mealhada está a promover uma campanha promocional do vinho tinto 4 Maravilhas da Mesa da Mealhada 2008, assinado pelo enólogo Rui Reguinga e vencedor de uma medalha de ouro internacional. Até ao dia 5 de janeiro de 2015, este vinho pode ser adquirido ao preço unitário de 5,8 euros (+ IVA) em caixa de três garrafas ou a 6,8 euros (+ IVA) em embalagem individual no Arquivo Municipal da Mealhada.

A Associação Maravilhas da Mealhada decidiu lançar uma campanha promocional para a venda do lote do vinho 4 Maravilhas da Mesa da Mealhada 2008. Um vinho que resulta da colheita dos oito produtores do concelho e foi criado pelo enólogo Rui Reguinga, que selecionou o melhor de cada produtor, na proporção ideal, até conseguir um tinto característico da Bairrada. Trata-se de um vinho de 13,5 vol. de álcool, que conjuga a Baga, a Touriga Nacional e o Syrah. Um tinto aclamado nos mercados internacionais, que já recebeu uma medalha de ouro em Itália, no concurso de enologia “La Selezion Del Sindaco”.

Até dia 5 de janeiro, o lote de 2008 do vinho das 4 Maravilhas está a um preço bastante atrativo. Uma garrafa tem um custo de 6,8 euros (+ IVA), mas se a opção for pela compra de mais do que uma, numa caixa de 3 garrafas, a unidade fica a 5,8 euros (+ IVA). O vinho pode ser adquirido no Arquivo Municipal da Mealhada, das 9h às 12h30 e das 13h30 às 17h.

Posted in Mealhada, Por Terras da BairradaComments (0)

Anadia: Candidatura deve ser potenciada pela região


Apesar do título Capital Europeia do Vinho 2015 ter ido para Reguengos de Monsaraz (Alentejo), a candidatura da Bairrada foi, na opinião da autarca anadiense, Teresa Cardoso, muito importante, tanto mais que a seu ver, “pela primeira vez, os oito municípios da região uniram-se em torno desta candidatura, convictos do valor da mesma”.
A candidatura conjunta, encabeçada pelo município de Cantanhede, integrava Anadia, Mealhada, Águeda, Oliveira do Bairro, Vagos, Aveiro e Coimbra, assim como múltiplos parceiros: Turismo Centro de Portugal, Comissão Vitivinícola da Bairrada, Associação Rota da Bairrada, Vinibairrada e Confraria dos Enófilos da Bairrada.
Embora se mostre triste com o facto da candidatura bairradina não ter sido eleita pela RECIVIN para Capital Europeia do Vinho 2015, Teresa Cardoso sublinha que havia três candidaturas (Bairrada; Melgaço/Monção e Reguengos de Monsaraz), logo a candidatura bairradina tinha 1/3 das hipóteses.
Esteve, tal como vários outros autarcas e parceiros, presente na última semana, em Jerez de La Frontera, e avança que, do que viu, “confesso que estávamos convictos que a nossa candidatura era inovadora e tinha todas as condições para sair vencedora”.
A seu ver, tratava-se de uma candidatura com grandes mais-valias, que dava uma grande valorização à Bairrada, articulando o que se pretendia valorizar de todo o património da região, acrescida de uma grande componente tecnológica, nomeadamente com investigação na área dos vinhos.
“Venceu Reguengos de Monsaraz, temos de aceitar com muita dignidade e honra”, acrescentou a JB, sublinhando que os municípios da região estão determinados em “aproveitar esta vontade que ficou expressa para continuar a fazer o trabalho dentro do propósito da candidatura para promover e potenciar a região como ela merece”.

Catarina Cerc

Posted in Anadia, Por Terras da BairradaComments (0)

Anadia: Jorge Sampaio lidera Associação das Rotas dos Vinhos de Portugal


Jorge Sampaio, vice-presidente da Câmara Municipal de Anadia e presidente da Associação Rota da Bairrada é o presidente da Associação das Rotas dos Vinhos de Portugal (ARVP).
Foi no passado dia 13 de novembro, no Peso da Régua, que teve lugar a Assembleia-Geral da Associação das Rotas dos Vinhos de Portugal, com a eleição e tomada de posse dos órgãos sociais, apresentação do plano de atividades e orçamento, ainda que a associação tenha sido constituída oficialmente a 5 de maio, no Cartaxo.
Agora, ao Jornal da Bairrada, Jorge Sampaio avança que a associação é o resultado de um trabalho que vem sendo realizado nos últimos quatro anos por várias Rotas de Vinho e que a ARVP pretende “fazer a promoção integrada das Rotas do Vinho”. A sua ação vai assentar em quatro eixos estratégicos no ano de 2015, acrescenta: criar um processo para a certificação das Rotas de Vinhos; apostar fortemente na formação e em criar cursos vocacionados para o enoturismo por causa do turismo; apostar na promoção e internacionalização das Rotas dos Vinhos, um produto que precisa ganhar escala no exterior de forma a afirmar-se, ser competitivo com outras Rotas de Vinho do mundo mas também revitalizar algumas Rotas de Vinhos que estão paradas no país, como é o caso da Rota do Vinho do Porto.
A Associação conta também com o compromisso de diálogo por parte do Turismo de Portugal para a promoção interna e externa do produto turístico. Durante os próximos três anos, Jorge Sampaio espera ver crescer associados e parceiros. Para já, integra cinco rotas, 40 municípios e várias entidades nacionais, nomeadamente as Confederações Báquicas e Gastronómicas.
A ARVP tem, assim, como missão promover destinos turísticos e enoturismo, ou seja, apoiar as rotas de vinho regionais, organizando toda a oferta existente ao nível do enoturismo, mas também promover o produto Rotas dos Vinhos no exterior.
Acrescente-se que este projeto nasceu da necessidade constatada pelos municípios e pelos agentes de promoção e desenvolvimento turístico, da crise profunda em que se encontravam muitas rotas do vinho, por todo o país. Por isso, esta associação visa desenvolver um trabalho integrado e dinamizador, já que encara o Enoturismo como uma marca de Portugal, com uma grande importância económica, porque não se esgota como produto em si próprio, mas influencia todo o tecido económico, cultural e social.

Direção: Presidente – Jorge Sampaio (Rota da Bairrada); Secretário – Mª Carmo Guilherme (Rota da Península de Setúbal); Tesoureiro – José Arruda (Associação de Municípios Portugueses do Vinho); Vogais: Francisco Carmo (Rotas dos Vinhos de Lisboa) e Mª de Lurdes Vaz (Rota de Vinhos de Colares, Carcavelos e Bucelas)
Conselho Fiscal: Presidente – GRATER – Associação de Desenvolvimento Regional, Ilhas da Terceira e Graciosa; Secretário (Rota do Vinho do Porto); Vogais: Mário Cerqueira (Federação das Confrarias Báquicas do Vinho) e Rota dos Vinhos Verdes Alvarinho
Assembleia Geral: Presidente – Pedro Machado (Turismo do Centro de Portugal); Vogal: Cândido Mendes (Federação do Turismo Rural)
Catarina Cerca

Posted in Anadia, Por Terras da BairradaComments (0)

Anadia: Manifesto do Vinho termina no dia 15


O período de realização da Declaração de Colheita e Produção (Manifesto do Vinho) termina no próximo dia 15 de novembro. O alerta é emitido pela Cooperativa Agrícola de Anadia, onde o mesmo pode ser entregue, das 9h às 12h30 e das 14h às 18h.
Esta declaração é obrigatória, pelo que, a sua não entrega, ou entrega fora do prazo, pode acarretar pesadas penalizações.
Após a vindima, os viticultores e produtores que tenham colhido ou produzido uvas devem dirigir-se a um balcão de apoio. Este ano, campanha 2014/2015, teve início a 1 de outubro e termina no dia 15 de novembro.
Documentos necessários: Cadastro das vinhas ou Cartão de Contribuinte; Talões com as castas e quantidades das uvas vendidas; quanto ao vinho produzido em casa, basta dizer os litros.

Posted in Anadia, Por Terras da BairradaComments (0)

Vinhos Bairrada: Produção volta a decrescer mas qualidade é melhor


 

A azáfama já é grande por toda a região da Bairrada. Produtores, caves e adegas cooperativas começaram, há algumas semanas, a vindima de 2014, que só deverá ficar concluída pelo mês de outubro dentro. Embora se perspetive um ano de boa qualidade, a quantidade sofrerá novamente um decréscimo, à semelhança do que acontecera em 2013. Todavia, as condições climatéricas que se fizerem sentir nas próximas semanas serão determinantes para os vinhos tintos, sobretudo para a casta emblemática da região – a Baga.

Na região da Bairrada a vindima já começou mas ainda está longe do fim, uma vez que a maturação de algumas castas tintas está atrasada.
Vindima-se em força e por todo o lado, tratores fazem um corropio habitual das vinhas para as adegas.
O S. Pedro não tem sido generoso e, ao contrário do ano passado, a colheita de 2014 fica marcada por ataques de oídio e míldio nas vinhas – que obrigaram a um maior número de tratamentos fitossanitários – por um verão atípico, à mistura com chuvadas pontuais e até granizo, a contrastarem com vários dias de sol forte.
Assim, a colheita deste ano deverá ser menor em termos de quantidade, ainda que, em matéria de qualidade, essa possa suplantar a colheita de 2013.
Embora a diminuição na produção possa rondar os 20 a 25% em termos globais, a qualidade poderá ser elevada, o que é ainda uma incógnita, sobretudo para as castas tintas. Já em matéria de brancos e rosados, a colheita não poderia ser melhor, prevendo-se vinhos de excelente qualidade.
Ainda que a vindima se vá prolongar até meados de outubro, altura em que a casta Baga – a mais emblemática da região – irá para o lagar, os produtores da região são unânimes em considerar que as condições e alterações climatéricas que se fizerem sentir nestas próximas três semanas serão responsáveis e determinantes para a qualidade da colheita.
Ninguém arrisca e todos falam em fazer “prognósticos, só no final do jogo!”.
De acordo com Pedro Soares, presidente da Comissão Vitivinícola da Bairrada, perspetiva-se que este ano a produção possa sofrer uma diminuição de cerca de 20 a 25%.
Ainda assim, com os vinhos brancos e rosados, já em grande parte vindimados, adivinha-se um ano de “excelente qualidade”.
Já em relação aos vinhos tintos, Pedro Soares prefere mais cautela, pois a qualidade da safra dependerá sempre das condições climatéricas que se vierem a fazer sentir, uma vez que a maturação está ligeiramente atrasada.
Leia mais na versão digital do seu JB.

Posted in Anadia, DestaqueComments (0)

Adega de Cantanhede: Baga Confirmado 1991 eleito melhor vinho tinto português na Alemanha


CONFIRMADO 1991 é uma referência da marca MARQUÊS DE MARIALVA. Tendo como base a “Baga”, uma casta ícone na região da Bairrada e em Portugal pelos vinhos distintos que origina, este vinho com 23 anos de idade dos quais 20 são em garrafa, foi lançado pela Adega de Cantanhede com o objectivo de mostrar e afirmar o potencial da casta Baga e do distinto terroir da Bairrada, seu solar de excelência.

Submetido à avaliação do exigente júri do prestigiado concurso internacional MUNDUS VINI 2014 (Alemanha), este vinho não só foi galardoado com Medalha de Ouro como foi distinguido como MELHOR VINHO TINTO DE PORTUGAL no concurso.

Este reconhecimento internacional, naquele que é um dos mais prestigiados e exigentes concursos mundiais, é o resultado do trabalho aturado que a equipa de Enologia dedicou à tarefa de ressuscitar da cave esta pérola, abrindo cada uma das cerca de 6.000 garrafas que ali repousavam. Apenas foram “Confirmadas” cerca de 2.000, surgindo assim o nome CONFIRMADO. Com uma nova rolha e uma nova roupagem, este vinho apresentou-se ao mercado como MARQUÊS DE MARIALVA Baga CONFIRMADO 1991, capaz de continuar a perdurar no tempo e nos continuar a surpreender durante muitos e longos anos.

A casta Baga – assumidamente encarada pela Adega de Cantanhede como uma das castas rainha da Bairrada, prova assim, uma vez mais, ser capaz, não só de ombrear com os melhores e ao mais alto nível, como de se destacar de entre eles, tanto ao nível internacional (onde o CONFIRMADO já conta com 6 galardões) como ao nível nacional, onde também já foi galardoado com a medalha Grande Ouro do Concurso Vinhos de Portugal 2014.

Com mais este galardão, os vinhos espumantes da Adega de Cantanhede somam já 73 medalhas em 2014.

Posted in Cantanhede, Por Terras da BairradaComments (0)

Sangalhos: Ministra Assunção Cristas inaugura “Encontro com o Vinho e Sabores”


A Ministra da Agricultura e do Mar vai marcar presença na abertura do ‘Encontro com o Vinho e Sabores – Bairrada 2014’, evento promovido pela Comissão Vitivinícola da Bairrada, pela Turismo do Centro de Portugal e pelo Município de Anadia pelo segundo ano consecutivo, no Centro de Alto Rendimento – Velódromo de Sangalhos, Anadia.
A inauguração é na sexta-feira, dia 3 de outubro, às 17h, seguindo-se a entrega de prémios do ‘Concurso de Vinhos e Espumantes Bairrada’, que vai acontecer pelas mãos de Assunção Cristas, às 19h30.
Com o objetivo de potenciar as fileiras da vinha, do vinho, da gastronomia e do turismo da região da grande Bairrada, o ‘Encontro com o Vinho e Sabores – Bairrada 2014’ vai ser palco da exposição de produtores de vinhos e sabores da região com degustação livre, provas de vinhos (‘Bairrada de Excelência – Espumantes’, ‘Os Bairrada que fizeram História – 1985 a 2011’ e ‘Bairrada de Excelência – Brancos e Tintos’) e jantares temáticos harmonizados com vinhos e espumantes da região (‘Sabores do Mar’ pelo restaurante Rei dos Leitões e ‘Sabores da Terra’ pelo restaurante Mugasa).
As provas e os jantares vão ser comentados por especialistas da Revista de Vinhos. O ‘Concurso de Vinhos e Espumantes Bairrada’ é a novidade desta edição.
O Velódromo de Sangalhos vai reunir uma mostra de produtos, de onde se destacam os espumantes, os vinhos (tintos, brancos e rosés), as aguardentes, as águas, o leitão da Bairrada, o pão da Mealhada, os ovos moles de Aveiro, os Amores da Curia, as queijadas de Águeda, o Folar de Vale de Ílhavo, entre muitos outros. Vai ainda haver espaço para a divulgação da oferta turística: enoturismo, turismo termal, hotelaria e restauração.
Leia mais na versão digital do seu JB.

Posted in Anadia, Por Terras da BairradaComments (0)

Sangalhos: ‘Encontro com o Vinho e Sabores -Bairrada’ regressa ao Velódromo


Depois do sucesso da primeira edição, decorrida em meados de setembro de 2013, a Turismo do Centro de Portugal, a Comissão Vitivinícola da Bairrada e o Município de Anadia anunciam a realização do ‘Encontro com o Vinho e Sabores – Bairrada 2014’ (EVS-B), que este ano decorre nos dias 3, 4 e 5 de outubro no mesmo local, ou seja, no Centro de Alto Rendimento – Velódromo de Sangalhos, Anadia.
Um evento que volta a contar com a produção da Revista de Vinhos e com o apoio da Rota da Bairrada, do Instituto da Vinha e do Vinho.
Com o objetivo de potenciar as fileiras da vinha, do vinho, da gastronomia e do turismo da região da grande Bairrada, o ‘Encontro com o Vinho e Sabores – Bairrada 2014’ vai ser palco da exposição de produtores de vinhos e sabores da região com degustação livre, provas comentadas por especialistas da Revista de Vinhos (entre 10 e 25 euros) e jantares temáticos (35 euros).
Um ‘Concurso de Vinhos Engarrafados da Bairrada’ é a novidade deste ano, tendo lugar na sexta-feira. Os resultados serão anunciados durante o evento.
O Velódromo de Sangalhos vai reunir uma mostra de produtos, dos quais se destacam os espumantes, os vinhos (tintos, brancos e rosés), as aguardentes, as águas, o leitão da Bairrada, o pão da Mealhada, os ovos moles de Aveiro, os Amores da Curia, as queijadas de Águeda, o folar de Vale de Ílhavo, entre muitos outros.
Vai ainda haver espaço para a divulgação da oferta turística: enoturismo, turismo termal, hotelaria e restauração.
A entrada na feira é gratuita, sendo que a prova de vinhos implica a compra de um copo, no valor de 3,5 euros, com oferta de porta-copos.
Os horários variam consoante as datas: das 17h às 22h, na sexta-feira (dia 3); das 15h às 22h, no sábado (dia 4); e entre as 15h e as 20h, no domingo (dia 5).
O warm up para o ‘Encontro com o Vinho e Sabores – Bairrada 2014’ começa no dia 26 de setembro com uma ação de promoção em cerca de 15 restaurantes de Coimbra e Aveiro.
Os clientes destes espaços vão ser brindados com um flute de espumante Bairrada e um convite para o evento, convite esse que dá acesso à compra do copo por 2,50 euros. Quem entrar no evento com convite – devidamente preenchido – habilitar-se-á a um fim-de-semana num hotel da região, uma iniciativa da Rota da Bairrada.
No fim-de-semana que precede o EVS-B estão igualmente previstas ações de animação de rua nas cidades de Coimbra e Aveiro, acompanhadas da distribuição de informação sobre o evento.
Programa
Sexta-feira, dia 3
9h30 – ‘Concurso de Vinhos Engarrafados da Bairrada 2014’
17h – Inauguração do ‘Encontro com o Vinho e Sabores – Bairrada 2014’
Abertura da Feira
18h – Prova de Vinhos ‘Bairrada de Excelência| Espumantes’ por João Paulo Martins (10 euros)
20h – Jantar Temático ‘Sabores do Mar’, pelo restaurante Rei dos Leitões (35 euros)
22h – Encerramento da Feira
Sábado, dia 4
10h30 – Visita e Almoço na Quinta do Produtor Campolargo (jornalistas, bloggers e representantes do comércio)
15h – Abertura da Feira
16h – Entrega de Prémios do ‘Concurso de Vinhos Engarrafados da Bairrada’
18h – Prova de Vinhos ‘Bairrada de Excelência| Os Baga que fizeram história (1985-2009)’, por Luís Lopes, no Museu do Vinho Bairrada (25 euros)
20h – Jantar Temático ‘Sabores da Terra’, pelo restaurante Mugasa (35 euros)
22h – Encerramento da Feira
Domingo, dia 5
10h30 – Visita e Almoço no Produtor Vinhos Messias (jornalistas, bloggers e representantes do comércio)
15h – Abertura da Feira
16h – Prova de Vinhos ‘Bairrada de Excelência| Brancos e Tintos’, por Nuno Oliveira Garcia (10 euros)
20h – Encerramento da Feira e do ‘Encontro com o Vinho e Sabores – Bairrada 2014’

Posted in Anadia, Por Terras da Bairrada, SangalhosComments (0)

Anadia: Despesas da Feira da Vinha e do Vinho superiores às receitas


A edição deste ano da Feira da Vinha e do Vinho de Anadia apresenta um saldo contabilístico negativo. Pela primeira vez em 10 edições o executivo, de uma forma “transparente e rigorosa”, apresentou as contas da Feira da Vinha e do Vinho, na última reunião de Câmara.
“Quisemos de uma forma clara dizer quais foram as receitas e as despesas”, avançou a autarca Teresa Cardoso, rejeitando falar em prejuízo, mas antes num “défice entre as receitas e as despesas”, uma vez que as contas revelam que as despesas (237.355 euros) foram muito superiores às receitas (126.600 euros) o que se traduziu num saldo negativo de 110.755 euros.
Números que não colocam, de forma alguma, em causa a viabilidade do certame, já que Teresa Cardoso considera terem sido plenamente alcançados os objetivos, quer ao nível da promoção, quer da divulgação do concelho e das suas mais valias. Embora seja o evento promovido pela autarquia que um maior orçamento envolve, Teresa Cardoso prefere falar num “ investimento que teve um saldo muito positivo” e que a par de outras realizações – Feira Social, Feira da Saúde, Feira Quinhentista – não tem em vista o lucro, mas sim mostrar o que o concelho tem de melhor para oferecer a quem cá reside ou está de visita.
Ainda que o modelo da feira possa, no futuro, vir a sofrer alguns ajustes, a edil admite que na edição de 2014 foi dado um “grande salto qualitativo”, já que o programa conjugou ações paralelas e vertentes de diversa índole, mas fortemente focalizadas na promoção do setor da vinha e do vinho e de tudo o que com ele se relaciona.
Por outro lado, o cartaz de animação foi também este ano ambicioso [Expensive Soul, Deolinda, Quim Barreiros, Amor Electro, Os Azeitonas, Pedro Abrunhosa e Ana Moura foram os cabeças de cartaz] e transversal, capaz de atrair diversos públicos.
“O salto qualitativo foi muito grande e os números valem o que valem”, disse, considerando ser necessário ter em atenção que o certame teve bilhetes a um preço simbólico; dois dias com entrada gratuitas; que todas as associações e grupos que atuaram no palco 2 não pagavam ingressos; que as crianças até aos 12 anos entravam gratuitamente e que o retorno e a visibilidade alcançada pelo certame foi muito grande.
Apesar das condições climatéricas não terem sido também as mais favoráveis, diz que os nove dias de feira corresponderam a outros tantos dias e noites de grande festa e de muito convívio, realçando ainda, que, apesar da dificuldade em atrair, por exemplo novos expositores, este ano o certame conseguiu ter um maior número de expositores presentes.
“Os comentários e apreciações foram extremamente positivos e permitem encarar com confiança e otimismo, mas também com grande sentido de responsabilidade, a próxima edição da Feira da Vinha e do Vinho”, avançou ainda, concluindo que “tudo o que se possa fazer pelos munícipes, no âmbito social, cultura e desportivo e a quem nos visita, é sempre um benefício e faz parte das competências da Câmara Municipal”.

Catarina Cerca
catarina@jb.pt

Posted in Anadia, Por Terras da BairradaComments (0)

Ad Code

Pergunta da semana

Acredita na Astrologia?

View Results

Loading ... Loading ...
Newsletter Powered By : XYZScripts.com