Recortes.pt Leia no Recortes.pt

Tag Archive | "vinho"

Rota da Bairrada: “Segredos do Vinho Bairrada” revela os “aromas vínicos”


A Associação Rota da Bairrada desvenda os “Segredos do Vinho Bairrada” a 16 de julho, nos Espaços Bairrada da Curia e de Oliveira do Bairro e convida, neste primeiro encontro, a aprender de forma divertida sobre os “Aromas Vínicos”.
Identificar os aromas dos vinhos não é tarefa fácil. Exige conhecimento e muita prática. Sabe-se que os aromas estão intrinsecamente relacionados com a variedade da casta e com as diferentes fases pelas quais o vinho passa até ser aberto. “Aromas Vínicos” pretende ser o tema abordado nesta primeira ação de formação dos “Segredos do Vinho Bairrada” que a Rota da Bairrada revela a 16 de julho nos Espaços Bairrada da Curia e de Oliveira do Bairro.

De forma descontraída e sob orientação da Escanção Caroline Zagalo os participantes são convidados a experimentar diferentes aromas que facilmente se encontram no dia-a-dia, sendo posteriormente desafiados a identificá-los nos diferentes vinhos degustados. Este pretende ser um exercício prático, instrutivo e ao mesmo tempo participativo e divertido.
Nos Espaços Bairrada da Curia e de Oliveira do Bairro será possível participar nesta atividade aromática que será gratuita mas que requer inscrição prévia por telefone – 234 742 137 ou 231 503 105 – ou por email – geral@rotadabairrada.pt – , tendo em conta a seguinte agenda:

  • Espaço Bairrada de Oliveira do Bairro, das 15h às 16h30;
  • Espaço Bairrada da Curia, das 17h30 às 18h.

“Segredos do Vinho Bairrada” terá continuidade com novas e diferentes sessões de formação sobre vinhos, particularmente sobre os da região que nos encanta, a Bairrada.

Posted in Anadia, Por Terras da BairradaComments (0)

Anadia: Dois secretários de Estado na inauguração da Feira da Vinha e do Vinho


São dois os membros do Governo que no próximo sábado, dia 18 de junho, vão presidir, em Anadia, à inauguração de mais uma edição de “Anadia Capital do Espumante – Feira da Vinha e do Vinho”.
Pedro Nuno Santos, Secretário de Estado dos Assuntos Parlamentares, e Luís Medeiros Vieira, Secretário de Estado da Agricultura e Alimentação vão presidir, juntamente com a edil anadiense, Teresa Cardoso, pelas 15h30, à inauguração do certame que decorre, de 18 a 26 de junho, na zona do Vale Santo, em Anadia.
Com um orçamento que ultrapassa os 300 mil euros, o certame deste ano terá o mesmo formato do da edição de 2015.
Restauração/gastronomia, tasquinhas, stands das Juntas e Uniões de Freguesia, Espaço Anadia Capital do Espumante – Wine Bar (parceria com a Revista de Vinhos)/produtores, 150 expositores de atividades económicas diversas, artesanato, espaço infantil, show cooking diário, Palco Anadia Capital do Espumante, Palco Sentir Anadia, Espaço Teatro, Bares de Espumantes e Bares prometem voltar a fazer as delícias dos visitantes ao longo dos nove dias de feira.
A principal novidade da presente edição prende-se com o facto de a autarquia estar a deixar “cair” a designação de Feira da Vinha e do Vinho, assumindo cada vez mais o slogan “Anadia Capital do Espumante”, uma vez que esta é a nova imagem que a autarquia quer transmitir.
Os ingressos custam 2 euros (com exceção para o dia 25 de junho – 3 euros – para o concerto de Martinho da Vila). No último dia de certame, dia das Marchas Populares, as entradas são gratuitas.

Posted in Anadia, Por Terras da BairradaComments (0)

Anadia regressa dois dias à Idade Média


Está aí mais uma edição (3.ª) da Feira Medieval de Anadia. Será nos próximos dias 4 e 5 de maio, na Praça do Município.
Dado o sucesso que têm constituído as anteriores edições, este ano, o município volta a viajar no tempo, recuando à época medieval, aludindo ao tema “O Vinho”.
A recreação histórica pretende retratar o ambiente vivido no período medieval e tem como objetivo principal a promoção do conhecimento e o reconhecimento da História e da cultura local.

Participação das Juntas e associações locais. A edil Teresa Cardoso sublinha a adesão e participação de todas as 10 Juntas de Freguesia que, uma vez mais, se associaram ao evento e que, por sua vez, vão envolver várias associações e coletividades locais neste evento único.
Por isso, recorda que no âmbito do programa municipal “Sentir Anadia”, o executivo que lidera esteja empenhado em que, em todas as ações sejam envolvidas as Juntas de Freguesia e as associações locais, por forma a “todos juntos, em rede, façamos um trabalho de proximidade, contribuindo para a dinamização cultural das terras e do concelho de Anadia”.
Envolver população e visitantes. O evento pretende também envolver a população local na recriação do ambiente histórico vivido como fator de enriquecimento do próprio evento.
Assim, todos são convidados a participar nesta grande recriação que visa ainda promover e valorizar o património e fomentar a criação artística.
Para além da ocupação de toda a Praça do Município, as Ruas Júlio Maia e a Rua Fausto Sampaio poderão vir a ser ocupadas também com barraquinhas. Isto porque, como sublinhou o vice-presidente da autarquia anadiense, Jorge Sampaio, “o número de interessados tem vindo a aumentar de ano para ano”. Mas, claro está, tudo depende do que S. Pedro decretar para estes dois dias que se esperam de sol.
Numa organização do Município de Anadia, a Feira Medieval vai realizar-se no centro da cidade, na véspera e dia do feriado municipal, no seguinte horário: dia 4 (16h – 00h) e dia 5 (10h – 22h).

Muitos artesãos. Tal como nas edições anteriores, vão participar nesta iniciativa diversos artesãos e mercadores locais, pelo que a organização apela para que os participantes estejam trajados, de acordo com a época Medieval. Por isso, os interessados em vestir-se à época devem dirigir-se ao Centro Cultural de Anadia e escolher o seu traje. Este empréstimo é gratuito, obrigando apenas a uma caução.
Também as tendas e as bancas devem apresentar-se de acordo com a época.
De destacar que toda a coordenação cénica do evento será da responsabilidade de um grupo bem conhecido e experiente neste tipo de eventos – o Viv’Arte, de Oliveira do Bairro -, participando também mais grupos do género, tal como nas edições anteriores.
A pouco mais de três semanas do evento, Teresa Cardoso reconhece nesta iniciativa, cada vez mais participada, uma forma de criar animação cultural na sede do concelho, mas que acaba por promover a vinda de pessoas de outros concelhos e regiões a Anadia. “Por ser uma feira diferente que recria uma época histórica, atrai muita gente ao evento”, diz, convicta de que a Feira já se assumiu como um evento anual do concelho, sendo encarada pelos munícipes e visitantes como tal.
Quanto a um eventual alargamento a mais dias de feira “não será fácil”, pelas condicionantes criadas pelo próprio centro da cidade (trânsito, bombas de gasolina). Assim, este formato, de dois dias, vai manter-se em futuras edições.
Recorde-se que a Feira Medieval se iniciou em 2014 aquando da comemoração dos quinhentos anos da outorga dos Forais Manuelinos, designando-se então como “Feira Quinhentista”.
O evento deste ano representa um investimento de 10 mil euros.

Opereta ao ar livre

Este ano, e pela primeira vez, terá lugar um espetáculo (opereta) intitulado “Livietta e Tracollo”, que vem substituir o que nos anos anteriores se realizava no Cineteatro.
Do programa constam ainda arruadas pelas ruas e praças do burgo; festejos e folguedos; animação de rua; comes e bebes nas tabernas; jogos medievais; mostra de armas por cavaleiros-vilãos; espetáculo de malabares de fogo; música medieval e animação permanente.
Catarina Cerca

Posted in Anadia, Por Terras da BairradaComments (0)

Anadia: Bairrada volta a receber evento de celebração do “Dia do Escanção”


A Associação dos Escanções de Portugal (AEP) foi fundada a 24 de março de 1972. Desde então, instituiu-se que em Portugal este seria o ‘Dia do Escanção’. Depois de em 2014 a AEP ter celebrado a efeméride em Coimbra, este ano volta a eleger a região da Bairrada para as comemorações.
Um grupo de 30 a 40 escanções vai reunir-se para partilhar e adquirir novos conhecimentos; o evento está marcado para os dias 20 e 21 e vai ter lugar no concelho de Anadia.
Tal como em anos anteriores, a Comissão Vitivinícola da Bairrada (CVB) disponibilizou-se desde a primeira hora para apoiar este que é um momento de extrema importância para a Associação e, acima de tudo, para a profissão de Escanção.
“Trazer opinion leaders – jornalistas, escanções e representantes do comércio – à região tem vindo a ser uma das grandes apostas da CVB, sempre complementada com o levar os vinhos (e sabores) da Bairrada até ao consumidor, o que fazemos através da presença em feiras e eventos, organização de acções de formação, entre outras actividades de relações públicas”, afirma Pedro Soares, presidente da entidade.
Para Marco Alexandre, membro da AEP, “a escolha da Bairrada prende-se com o facto de ser uma região histórica no mundo vitivinícola, com características muito singulares em torno do seu terroir para a produção de vinhos tranquilos e espumantes. Numa fase de ascendência global, em que a qualidade dos seus vinhos é indiscutível, decidimos mostrar in loco ao mundo dos escanções e associados da AEP o valor acrescentado da Bairrada no panorama vínico nacional”.
Os trabalhos começam com uma visita e prova surpresa nas Caves do Solar de São Domingos, onde será servido o jantar.
Na segunda-feira, dia 21, a alvorada é para uma reunião de trabalho entre os escanções. O local eleito é o Museu do Vinho Bairrada, onde se seguirá uma prova “inaugurada” pelo Presidente da Comissão Vitivinícola da Bairrada e orientada por Osvaldo Amado, enólogo convidado pela sua vasta experiência a produzir vinhos e espumantes na região e envolvimento em projectos tão diferentes como a Adega de Cantanhede, a Quinta do Encontro, a Quinta do Ortigão e a Quinta dos Abibes.
O destino seguinte são as Caves São João, onde o grupo vai começar por almoçar ao sabor dos néctares do produtor anfitrião. Sendo a Baga a casta rainha da região, a sua presença é incontornável. Sob o tema “Bagas da Bairrada com Idade”, o enólogo José Carvalheira vai seduzir os presentes, fazendo desfilar um rol de preciosidades antigas.
A Bairrada no “sentido dos sentidos”!
Programa Comemoração do Dia do Escanção 2016
Domingo,  20 de março
15h30 – Saída de Lisboa (da Enoteca de Belém)
18h – Vista e Prova Surpresa nas Caves do Solar de São Domingos
20h – Jantar nas Caves S. Domingos
Segunda-feira , 21 de março
9h às 10h30 – Reunião dos Escanções no Museu do Vinho Bairrada
11h às 13h – Prova de Vinhos “A Bairrada segundo o enólogo Osvaldo Amado”, no Museu do Vinho Bairrada
13h30 às 15h – Almoço nas Caves São João
15h30 às 17h30 – Prova de Vinhos “Bagas da Bairrada com Idade”, por José Carvalheira nas Caves São João
18h – Fim dos Trabalhos

Posted in Anadia, Por Terras da BairradaComments (0)

“Óscares” da Revista de Vinhos: Luís Pato vence galardão maior em evento realizado no Velódromo


 

Numa cerimónia épica, perante uma plateia de mais de mil pessoas, a Revista de Vinhos distinguiu, na noite da última sexta-feira, ‘Os Melhores do Ano 2015’, tendo escolhido o Velódromo de Sangalhos, para receber o evento deste ano.
No jantar de gala onde o ministro da Agricultura, Capoulas Santos marcou presença, o produtor bairradino Luís Pato foi agraciado com o prémio de carreira ‘Senhor do Vinho’, pela sua contribuição na divulgação e afirmação dos vinhos portugueses em todo o mundo e cuja influência no setor foi e continua a ser muito grande.
Nesta que foi a 19.ª edição, não foram 19 mas 21 os ‘Prémios Especiais’. Antes desta entrega foi tempo de revelar os vinhos que se destacaram ao longo do ano findo. As 183 referências com o título de ‘Melhores de Portugal’ foram desfilando na tela ao longo do bem servido jantar, seguindo-se a aclamação aos 30 “excelentes” néctares de 2015. Os produtores não saíram da gala sem levar para casa os diplomas de ‘Boa(s) Compra(s)’, que este ano foram atribuídos a 765 vinhos.
No que toca ainda aos ‘Prémios de Excelência’, a Bairrada subiu ao palco com o ‘Quinta das Bágeiras Garrafeira tinto 2010’ de Mário Sérgio Alves Nuno. Os ‘Melhores de Portugal’ distinguiram os melhores dentro de cada região vinícola e Bairrada foi a terceira região mais premiada. Se aos vinhos de consumo juntarmos os espumantes, elevam-se de 16 para 26 os galardoados (e mais um, que embora sem DOC ou IGP é produzido pelo bairradino Campolargo).
Durante a cerimónia foram ainda entregues os diplomas relativos aos selos ‘Boa Compra’ atribuídos aos vinhos provados pela equipa da Revista de Vinhos ao longo do ano de 2015; na Bairrada ficaram 61, sendo que 27 foram para os efervescentes espumantes.
Também o produtor Luís Pato se mostrou muito satisfeito por receber das “mãos” da Revista de Vinhos o “Prémio Carreira”, ainda mais porque a gala teve lugar na sua região natal, tendo ainda o produtor bairradino ido ao palco para receber um dos trinta ‘Prémios de Excelência’ com o ‘Luís Pato Vinha Pan tinto 2011’.
O discurso do produtor foi extenso, mas as palavras proferidas nas redes sociais foram mais parcas: “Primeiro veio o jovem sem medo, depois o Sr. Baga, agora o Senhor do Vinho… Trinta e cinco anos de amor e dedicação ao vinho, na região onde nasci e sempre vivi, a Bairrada. Obrigado à Revista de Vinhos”.
Na ocasião, Teresa Cardoso, autarca do concelho anfitrião desta gala, sublinhou a importância de reconhecer “um conjunto de profissionais e de entidades associados ao vinho, que veem aqui reconhecido o seu trabalho e o seu esforço em prol de resultados onde a excelência é um imperativo”.
Realçou ainda o importante desempenho dos vitivinicultores do concelho, cuja produção de espumante representa cerca de 60% da produção nacional, o que nos leva a assumir Anadia como “Capital do Espumante” e a sonhar com a criação do Centro de Investigação do Espumante em Anadia.
Por seu turno, o ministro da Agricultura, Capoulas Santos destacou que “o setor do vinho e da agricultura é um setor de excelência que tem registado uma trajetória de sucesso, fruto do profissionalismo e empenho de toda a fileira” E, referindo-se em concreto ao programa VITIS, avançou ser “um dos programas comunitários de maior sucesso”, mas também que este é um setor cuja produção na última campanha registou mais de 7 milhões de hectolitros, ou seja, mais 14% do que no ano anterior e que as exportações atingiram os 737 milhões de euros.
Na sessão de abertura, Luís Lopes, diretor da Revista de Vinhos, deu a conhecer as razões que tornaram esta edição especial: por decorrer em Sangalhos, sua terra adotiva há mais de 18 anos, mas porque este prémio, que tem alternado entre Lisboa e Porto, sai das grandes metrópoles e privilegia uma região do vinho, a Bairrada, local onde teve lugar a primeira edição do certame, mais precisamente no Palace Hotel do Bussaco, em 1998.
Já Pedro Soares, presidente da Comissão Vitivinícola da Bairrada referiu a JB que na região, o setor é verdadeiramente “efervescente”, assumindo a produção de espumante um lugar de destaque, que se vem fortalecendo nos últimos anos, como mostram os dados mais recentes.

Posted in Anadia, Destaque, Por Terras da BairradaComments (0)

Centenário das Caves São João: Vinho Branco Integral 2014, um tributo à década de 70 e à liberdade


 

Chama-se 95 Anos de História – Vinho branco integral 2014 e é o mais recente produto vínico lançado pelas Caves São João no âmbito do projeto das comemorações do centenário da empresa. Foi precisamente no dia de S.Martinho (11 novembro) que a administração desta prestigiada empresa anadiense apresentou este vinho evocativo da década de 70 para o qual foi escolhido como tema “a Liberdade”, acontecimento mais marcante daquela década. Um vinho que é o sexto de uma coleção de 11 produtos vínicos que a empresa vai lançar até ao ano 2020, data em que celebrará o centenário.
Um projeto que teve início em 2010, com a edição anual de uma série limitada de garrafas de vinho de elevada qualidade, cuja imagem refletirá um acontecimento cultural que marcou a história do século XX.
Foi na magnífica Quinta do Poço do Lobo, localizada na Pocariça – Cantanhede, que a administração das Caves São João deu mais um passo em direção ao centenário, com a apresentação pública desta edição dos 95 Anos de História, desta feita um vinho branco integral, comemorativo da década de 70, precisamente a década em que a empresa adquiriu (1971) aos herdeiros de Manuel Evaristo Pessoa, a Quinta do Poço do Poço do Lobo, hoje, uma propriedade com 37 hectares e que serviu de palco a este lançamento.
“Esta quinta deu-nos liberdade para experimentar, criar vinhos, escolher castas”, diria, na ocasião, a administradora Fátima Flores, já que foi a partir desta data que a empresa deu início a uma nova fase do seu portefólio com a produção de vinhos de quinta.
O vinho agora lançado, numa edição numerada e limitada, apresenta na garrafa um rótulo alusivo à Liberdade – onde não falta o cravo -, que “nos fazem recordar a quinta década de existência da Caves São João”, disse a gestora da empresa, Célia Alves, mas também a revolução de Abril. “Um vinho elaborado à semelhança do primeiro vinho branco da Quinta do Poço do Lobo, que também foi 100% da casta Arinto mas que homenageia também os antecessores da empresa”, concluiu.
Já o enólogo José Carvalheira destacaria tratar-se de um vinho “que é quase uma aventura, que apela muito à liberdade e ao que a década de 70 trouxe a Portugal e aos portugueses”. A ideia foi “criar um vinho integral, contra as regras. Um vinho que evoca os vinhos de outrora. Cem por cento Arinto é um vinho integral, ou seja, em que a intervenção humana foi a menor possível, por forma a que a natureza se exprimisse ao máximo”. E, de facto, exprimiu-se e de que forma.
Um vinho branco elaborado de forma ancestral, sem adição de produtos enológicos, engarrafado diretamente das barricas em julho de 2015, sem qualquer clarificação, como outrora era hábito.
De cor amarela citrina, é um vinho muito complexo, com evidentes notas minerais, vegetal seco e flores secas. As notas de madeira estão perfeitamente integradas. Com grande frescura gustativa, é elegante e bastante persistente, o que lhe confere grande potencial de envelhecimento. PVP: 30 euros.
No futuro, foi avançado que a empresa quer reativar nesta Quinta do Poço do Lobo o lagar de azeite e tornar esta vasta área num local de referência no ecoturismo e enoturismo da região.
Neste dia decorria a vindima da casta Semillon para o colheita tardia (ver caixa) e foram também apresentadas outras novidades que marcam este ano de 2015: o vinho tinto DOC Bairrada Bom Caminho (ver caixa), mas também o azeite Quinta do Poço do Lobo que em breve – antes do Natal – vai também ser lançado.

(ler mais na edição em papel ou digital)

Catarina Cerca

Posted in Águeda, Anadia, Cantanhede, Mealhada, Oliveira do Bairro, Por Terras da Bairrada, Região, VagosComments (0)

Anadia: Portugal Wine Trophy 2016 realiza-se no Museu do Vinho


O Portugal Wine Trophy 2016 realiza-se no Museu do Vinho Bairrada, em Anadia.
Aquele que é considerado um dos mais importantes e maiores concursos mundiais de vinhos vai realizar-se em Anadia, de 5 a 8 de maio do próximo ano.
Terá como palco o Museu do Vinho Bairrada. A informação foi avançada no passado final de semana pelo vice-presidente da autarquia anadiense, Jorge Sampaio, que se deslocou a Daejeon (Coreia do Sul) onde apresentou o município de Anadia, palco deste evento que já passou por Berlim.
Anadia, ao receber o Portugal Wine Trophy 2016, junta-se, desta forma a Daejeon (Coreia do Sul) e a Berlim, num dos maiores concursos de vinhos do mundo.

Posted in Anadia, Por Terras da BairradaComments (1)

Feira da Vinha e do Vinho: “Anadia Capital do Espumante” afirma-se com produtores em lugar de destaque


 

“Anadia Capital do Espumante” é a imagem que a Câmara Municipal de Anadia está determinada em afirmar naquela que é a 12.ª edição da Feira da Vinha e do Vinho.
O certame, orçado em aproximadamente 250 mil euros, decorre de 20 a 28 de junho, na zona do Vale Santo, em Anadia.
A apresentação da Feira decorreu no passado dia 1, na Estação Vitivinícola da Bairrada, em Anadia, local onde há 125 anos nasceu a produção deste emblemático produto da região.
Com inauguração marcada para as 11h, do dia 20 de junho (sábado), as novidades do certame foram reveladas em conferência de imprensa pelo vice-presidente da autarquia anadiense, Jorge Sampaio.
Embora a feira mantenha o mesmo figurino das edições anteriores, com vários artistas do panorama musical português a preencherem as noites destes nove dias de festa, a verdade é que as mudanças que vão acontecer pretendem colocar o espumante no centro de todas as atenções. Por isso, os produtores passam a ter um lugar de destaque na edição deste ano.

Espumante com lugar de destaque. O modelo de exposição do setor vitivinícola foi repensado com a colaboração da Revista de Vinhos e a promessa é de um espaço muito mais sério e profissional, à semelhança de certames internacionais.
Os produtores passam, assim, a estar no centro da feira. O Espaço Anadia Capital do Espumante mantém-se numa enorme tenda, mas com uma reorganização diferente.
Numa parceria com a Revista de Vinhos, foi estudada uma nova solução que fosse ao encontro das pretensões dos produtores da região e que viesse a dignificar o espumante. Assim, surge um wine bar onde, todos os dias, sete produtores vão ter os seus produtos à prova.
O visitante é convidado a comprar uma flute, por dois euros, que lhe dá acesso a sete provas. Depois, por 50 cêntimos, pode adquirir senhas para mais provas.
Esta nova modalidade, num espaço com um visual completamente diferente e apelativo, visa dar mais dignidade ao setor e ao produto bandeira – o espumante. Também aqui surge a loja de espumante, ao lado da venda de copos. À volta desta tenda vão ficar os stands do tecido empresarial da região.
Restauração e animação diversa. Ao nível da restauração mantêm-se os três restaurantes (O Sancho, Casa Sargento, Temudu’s), que durante os dias de certame vão disponibilizar aos visitantes a gastronomia típica da região.
Uma das novidades prende-se com o Espaço Sentir Anadia, este ano destinado a abarcar os stands das Juntas de Freguesia do concelho, tasquinhas que vão ser exploradas pelas associações e coletividades concelhias, existindo ainda neste local um Espaço Teatro, onde os vários grupos artísticos do concelho vão mostrar o seu trabalho. É neste local que também estará localizado o palco 2, designado por Palco Sentir Anadia.

Do Show Cooking ao Festival do Bacalhau. O espaço TEKA, localizado na tenda do espumante, à semelhança das últimas edições, vai ser animado por diversos show cookings que vão ter lugar de destaque, diariamente, entre as 20h30 e as 21h30. “Enxertia gastronómica com vinhos Bairrada” é a designação dada a esta iniciativa coordenada pela Escola Profissional de Anadia.
Os vários chefes vão fazer harmonizações entre pratos gastronómicos e espumante, que serão comentados pelos produtores. António Lagoa, Rogério Bento, Bruno Barradas, Pedro Santos, Orlando Castro são alguns dos chefes que o visitante poderá ver trabalhar ao vivo. No dia 25, o show cooking é dedicado ao Festival do Bacalhau de Ílhavo, numa parceria com a autarquia de Ílhavo.

Noites de música e de festa. Os espaços de animação para os mais jovens vão manter-se. Haverá espaço infantil, bares e diversões gerais. No stand do Município haverá um Espaço Cartão Anadia Jovem e um Espaço de Leitura em colaboração com a Biblioteca Municipal.
No palco 1 perspetivam-se noites de grande animação. Camané inaugura o certame (dia 20), seguindo-se Jorge Palma (21), Quim Barreiros (22), Diabo na Cruz (23), Anselmo Ralph (24), DAMA (25), Led On/Algarve Party (26) e Gabriel o Pensador (27). No dia 28, mantendo a tradição, as Marchas Populares encerram o certame, com entradas gratuitas.
O bilhete geral custa 14 euros e terá 50% de desconto para jovens (7 euros) desde que sejam possuidores do cartão Anadia Jovem. As entradas diárias custam 2 euros, sendo exceção os dias 24 e 27 (Anselmo Ralph e Gabriel o Pensador), que custam 3 euros. Os bilhetes estarão à venda, a partir do dia 11, na Câmara Municipal de Anadia, Piscinas Municipais, Biblioteca Municipal, Museu do Vinho Bairrada, Rota da Bairrada, Cineteatro e nas Juntas de Freguesia.
Catarina Cerca

Posted in Anadia, Destaque, Por Terras da BairradaComments (0)

Anadia: Marchas Populares vão ter apoio da Câmara Municipal


A atribuição de apoio financeiro às Marchas dos Santos Populares foi aprovada pela Câmara Municipal de Anadia na sua reunião de 12 de março último.

O executivo deliberou atribuir uma verba de 4.500 euros a cada entidade que se proponha organizar uma marcha e com ela participar nas atividades a promover pela autarquia, nomeadamente no programa da XII Feira da Vinha e do Vinho, que decorrerá em Anadia, de 20 a 28 de junho próximo, estando o desfile das marchas agendado para o último dia do certame.

Responsável pela coordenação dos desfiles das Marchas dos Santos Populares em Anadia, a Câmara Municipal tem tido como missão organizar o evento, definindo previamente os moldes de participação. É também a principal entidade financiadora do mesmo, já que, para além de assegurar a logística que possibilita a exibição dos marchantes, cabe-lhe conceder os subsídios destinados a auxiliar cada uma das marchas a fazer face aos elevados encargos com guarda-roupa, músicos e adereços, entre outros.

Posted in Anadia, Por Terras da BairradaComments (0)

Tanoaria e espumante em fotografia no Museu do Vinho


A fotografia estará em destaque no novo ciclo de exposições do Museu do Vinho Bairrada, em Anadia, cuja inauguração está marcada para o próximo sábado, 20 de dezembro, pelas 16h, com entrada livre.

Na ocasião, abrirão portas ao público as mostras “A arte da tanoaria – os últimos”, de José Fangueiro, e “Bairrada, a musa do espumante”, de Pedro Nóbrega. Serão ainda apresentados um Espumante Bairrada em homenagem a José Luciano de Castro e o documentário “A Arte da Tanoaria” do realizador Roger Nicolau, num evento onde estará presente Carlos Alberto Moniz, que interpretará alguns temas do seu último trabalho discográfico “O Vinho dos Poetas”.

Neste novo ciclo expositivo, o Vinho continua a dar o mote para a criação artística, sendo a fotografia a técnica escolhida para revelar dois novos conjuntos de perspetivas sobre o universo vinícola da Bairrada. José Fangueiro traz-nos “A arte da tanoaria – os últimos”, uma mostra concebida para o Museu do Vinho Bairrada, contemplando uma vasta coleção de imagens resgatadas de algumas tanoarias portuguesas, homenageando os homens que dão vida a esta arte ancestral. Resgatam-se expressões, habilidades e saberes do passado, culminando com imagens captadas nalgumas caves emblemáticas da Bairrada. A exposição é complementada pelo documentário “A Arte da Tanoaria”, realizado por Roger Nicolau, e tem como pano de fundo uma trilha sonora da autoria de Fernando Alves, jornalista da TSF. Será ainda exposto, pela primeira vez, um vasto conjunto de equipamentos e de ferramentas de associados à tanoaria, que o Museu do Vinho Bairrada tem vindo a integrar nas suas coleções e que não haviam sido ainda apresentados ao público.

Bairrada, a musa do espumante”, de Pedro Nóbrega, foi igualmente idealizada a pensar no Museu do Vinho Bairrada. Trata-se de um conjunto de fotografias dedicado aos Espumantes Bairrada, e que, segundo o seu autor, “recria um círculo entre o espumante e a sua musa”, sendo sua intenção “mostrar, em cada peça, uma fase distinta da sua produção em que a sua musa a influencia”.

Para além deste tributo ao Espumante Bairrada, que, no próximo ano celebra o seu 125º aniversário, esta inauguração dá ensejo a uma outra homenagem. No ano em que se completa o primeiro centenário da morte de José Luciano de Castro (n. 1834 – m. 1914), a Câmara Municipal de Anadia tem vindo a promover uma série de atividades evocativas da vida e da obra desta influente personalidade da história de Portugal, que deixou profundas na história de Anadia e da região, nomeadamente no que respeita às origens do próprio Espumante Bairrada. Estadista, deputado, chefe do Partido Progressista, por várias vezes ministro e em três ocasiões presidente do conselho de ministros, jurisconsulto e jornalista, José Luciano de Castro é recordado pelos anadienses como grande benemérito. Ligado à criação da Escola de Viticultura e Pomologia da Bairrada (atual Estação Vitivinícola da Bairrada), acabou por ser um dos pioneiros no fabrico de vinhos espumantes em Portugal, na qualidade de associado da “Associação Vinícola da Bairrada”, fundada no seu palacete de Anadia. Esta sucessão de efemérides justificou, no entender da Câmara Municipal de Anadia, a criação de um Espumante Bairrada em homenagem ao estadista, contando, na concretização deste projeto, com a colaboração da Comissão Vitivinícola da Bairrada.
A tarde encerra com a atuação do maestro e compositor Carlos Alberto Moniz, que traz à Bairrada o seu disco “O Vinho dos Poetas”, que, segundo João Paulo Guerra, “tem castas, tem canções frutadas, tem canções com regiões demarcadas, tem aromas, elegância, perfil, equilíbrio, estrutura, complexidade e definição. Um disco com bouquet”.
As exposições estarão patentes até 10 de maio de 2015, de terça a sexta-feira, das 9h às 13h e das 14h às 18h, e aos fins-de-semana, das 10h às 19h.

Programa do evento:

Inauguração da exposição de fotografia “A Arte da Tanoaria – Os últimos”. Autoria: José Fangueiro

Inauguração da exposição de fotografia “Bairrada, a Musa do Espumante” – Autoria: Pedro Nóbrega

Apresentação oficial do Espumante Bairrada José Luciano de Castro – projeto da Câmara Municipal de Anadia em parceria com a Comissão Vitivinícola da Bairrada

Apresentação do documentário “A Arte da Tanoaria”. Autoria: Roger Nicolau.

Atuação de Carlos Alberto Moniz – interpretação de temas do seu último trabalho discográfico “O Vinho dos Poetas”

Posted in Anadia, Por Terras da BairradaComments (0)

SFImobiliaria

Pergunta da semana

É assinante do Jornal da Bairrada?

View Results

Loading ... Loading ...
Newsletter Powered By : XYZScripts.com