Numa jornada com várias goleadas, o Oliveira do Bairro encalhou no mar da Barrinha. Mas só afundou no último lance do desafio, com o Esmoriz a chegar ao triunfo, num jogo que estava talhado para o nulo. Um resultado que mantém a equipa bairradina em zona de risco, tendo descido um lugar na classificação.
De vento em popa continua o Águeda que, em casa, despachou a Ovarense com uma mão cheia de golos, mantendo os quatro pontos de distância para Alba e Bustelo. O segundo goleou o Mealhada, naquele que foi o sexto jogo sem ganhar dos mealhadenses.
Depois de ter vencido na lotaria das grandes penalidades, o Calvão voltou a Avanca, mas desta vez não foi feliz, tendo saído de lá vergado a uma goleada. Foi o oitavo jogo fora sem pontuar para os vaguenses.
Em casa, o Mourisquense fez pela vida e derrotou o Milheiroense, vitória que lhe valeu subir na tabela duas posições.
2-No fecho da primeira volta, nada melhor do que um Oliveira do Bairro – Águeda. As duas equipas estão em situações opostas, por vezes quem está pior classificado leva a melhor, mas, tratando-se de um dérbi, misturado com a grande rivalidade entre os dois clubes, o resultado será imprevisível.
Com o cerco a apertar-se de quem está em baixo, o Mealhada, no seu reduto, frente ao Carregosense, está obrigado a regressar aos bons resultados, sob pena de descer na classificação.
O Calvão recebe o União de Lamas, num jogo que não se afigura nada fácil para os homens de Luís Pinho, muito por força da posição do seu adversário (4.º lugar) e das aspirações que tem na luta pela subida de divisão.
Em jogo de aflitos, o Mourisquense joga no terreno do Soutense, na esperança de manter (quatro pontos) ou de reforçar a diferença que tem para o seu adversário.

II DIVISÃO

SÉRIE C. 1-Tal como se previa, houve mudança na liderança. Com o Famalicão de folga, o Oiã aproveitou a benesse ao vencer no terreno do VN Monsarros, terminando a primeira volta com mais três pontos de avanço do seu opositor direto pela subida de divisão.
O Luso manteve o terceiro lugar após a goleada imposta em casa ao Mamarrosa, logo atrás do Couvelha, que alcançou a quinta vitória consecutiva em Antes.
Quem se atrasou foi a LAAC, que perdeu em casa com o CRAC, e ficou ameaçada na quinta posição, pelo Águas Boas, que na estreia do seu relvado sintético, levou a melhor sobre o Aguinense. As duas equipas dividem o sexto lugar.
O Ribeira/Azenha, em casa, não foi além de um empate sem golos diante do Paredes do Bairro.
O Sosense venceu o Carqueijo e é uma das equipas que reparte o último lugar com Azenha, Mamarrosa e Antes, todos com nove pontos.
2-Mesmo jogando em casa, o Ribeira/Azenha não terá tarefa fácil diante do Oiã, que tudo fará para manter a liderança. Em condições normais, é favorito.
O Famalicão viaja até Águas Boas, onde não irá encontrar um adversário fácil. O jogo promete e o resultado poderá ser uma incógnita. Para os anadienses terem sucesso, que é esse o seu objetivo, terão de jogar num nível elevado para não serem surpreendidos.
Pela proximidade das duas equipas, o jogo Luso – Aguinense tem tudo para ser um bom espetáculo de futebol. Jogo para tripla.
A LAAC joga em Vila Nova de Monsarros à procura de regressar aos bons resultados. Será que os vilanovenses estarão pelos ajustes?
O Paredes do Bairro desloca-se a Antes com o pensamento nos três pontos. Olhando para o percurso dos locais, isso será possível.
Jogo entre últimos classificados, o Sosense – Mamarrosa, com o último, que já não sabe o que é ganhar há onze jogos e que não pontua há quatro, na expetativa de regressar aos bons resultados. A formação de Soza, que inaugura o relvado sintético, tudo fará para dar uma prenda aos sócios e adeptos.
No CRAC – Carqueijo, se a lógica imperar, o que muitas vezes não acontece no futebol, a equipa de Parada de Cima tem boas hipóteses de somar os três pontos.
O Couvelha folga nesta jornada.