uft

A União Filarmónica do Troviscal (UFT) comemorou, no último domingo, 27 anos de existência.  À semelhança dos anos anteriores, o aniversário foi comemorado com um almoço no salão da Assembleia Republicana do Troviscal, seguido de um concerto pela Banda (uma das peças, com um solo de Luís Granjo, foi dedicada a Manuel António Ferreira, de 99 anos, o único músico sobrevivente da antiga Banda Escolar do Troviscal). O aniversário ficou também marcado pela estreia pública de três novos músicos (Jean, Rodrigo e Ana Reis) e o anúncio da finalização das etapas académicas de dois músicos, nomeadamente Mafalda Carvalho, que terminou o seu segundo mestrado em Música na Universidade de Aveiro, e de Ricardo Neto, que terminou a sua licenciatura em Música, também na Universidade de Aveiro.
A presidente da direção da UFT, Rosalina Filipe, agradeceu a todas as pessoas da direção, e não só, pelo trabalho que tem sido feito em prol da banda e em particular pelo trabalho da realização do aniversário, esperando que “no próximo ano possamos estar aqui novamente”.

Exemplo. O presidente da União de Freguesias de Bustos, Troviscal e da Mamarrosa, Duarte Novo, começou por agradecer o trabalho de todos os que prepararam o aniversário da UFT, sublinhando que “as coletividades não se fazem só de músicos. Fazem-se de dirigentes e de exemplos de muita continuidade e de trabalho e dedicação”.
“Sei que esta direção já é composta por músicos que estão aqui e que tocam junto com os seus músicos, o que é um exemplo do que deve ser a motivação e do que devem dar às gerações vindouras.”
Duarte Novo enalteceu ainda a UFT pela qualidade que tem conseguido manter, ao longo dos 27 anos, e pela renovação constante que tem conseguido.

Classe. O presidente da Assembleia Municipal (AM) de Oliveira do Bairro, Manuel Nunes, agradeceu o convite que a UFT fez à AM para estar presente no almoço de aniversário, o que “para nós é uma honra e uma gratidão poder estar aqui e dizer que 27 anos significa que passou mais um ano, mais um ano de trabalho, dedicação e empenho. Por isso, o município de Oliveira do Bairro, ano a ano, no mínimo, está obrigado a agradecer e a reconhecer o brilhante trabalho que esta nossa notável associação tem vindo a fazer desde há 27 anos a esta parte”.
“É justo e merecido dizer que temos aqui uma banda com muita classe. A minha adjetivação é esta: é uma banda de classe, com muita classe. Isso ficou mais uma vez bem testemunhado por nós. É que apesar das diversas situações em que o seu maestro André Granjo colocou estes notáveis músicos [Manuel Nunes referia-se ao facto da banda, naquela tarde, ter sido dirigida, a convite de André Granjo, por dois maestros (Alberto Madureira e Ilídio Costa) e ainda ter tocado uma peça à primeira vista, ou seja, sem ter sido ensaiada), a resposta foi aquela que todos podemos comprovar.  Isso significa que esta UFT já provou a sua qualidade, ao longo dos anos, não só aqui, mas por essa Europa fora, o que diz bem da qualidade que tem e do mérito que todos nós, oliveirenses, devemos dar e reconhecer. É isso que, enquanto presidente da Assembleia Municipal, mais uma vez faço, na obrigação de promover o mérito e de defender a meritocracia”.
O autarca referiu ainda que “da UFT se destacam, até ao momento, como figuras de proa, Luís Granjo e Mafalda Carvalho. São dois exemplos notáveis, daquilo que é o resultado final de um bom trabalho. É claro, primeiramente de um trabalho coletivo, mas depois de um grande esforço individual. Atingiram o patamar mais alto da sua área, da sua vertente musical, do seu instrumento. Por isso, acho que é justo que nós saibamos, entre os melhores, salientar os melhores, para que, desta forma, os outros ainda se sintam mais motivados para se possível, e se as suas qualidades pessoais permitirem, atingirem esses momentos de glória que muito engradecem o nosso concelho, o Troviscal e as suas gentes e o nosso país”.
Manuel Nunes recordou que  “não nos podemos esquecer que a carreira da UFT é notável e reconhecida a esse nível”.

Qualidade. A encerrar o ciclo de intervenções, o presidente da Câmara Municipal de Oliveira do Bairro, Mário João Oliveira, pela última vez enquanto presidente da Câmara [o autarca cumpre o seu último mandato; as eleições autárquicas de 2017 acontecem antes do 28.ºaniversário da UFT], recordou que, nos últimos 11 anos, teve o privilégio de assistir, presenciar, e de companhar a UFT e de facto é notável a crescente qualidade, o rejuvenescimento contante da banda, que seguramente tem uma base de muito trabalho”.
Mário João Oliveira, enquanto titular do cargo de presidente de Câmara, disse que “é com particular satisfação que sinto que, ao longo destes anos, todas ou quase todas as iniciativas mereceram o apoio pronto da Câmara Municipal de Oliveira do Bairro, como sendo os apoios das deslocações internacionais, os apoios dos transportes, a sede, os apoios correntes, e muitos outros. Mas estamos cá para isso. É para isso que uma Câmara Municipal, sem ter a obrigação de o fazer, o tem feito de uma forma consistente e crescente. Seguramente que, até ao limite da minha responsabilidade, continuará a fazê-lo. É isso que a UFT pode contar”.
Mário João Oliveira afirmou ainda que “é com particular satisfação que, enquanto presidente da Câmara e em qualquer lugar que vá, sinta a gratidão, sinta que a Câmara Municipal de Oliveira do Bairro é bem recebida e ouça palavras de reconhecimento e de agradecimento pela colaboração da autarquia”.