O município de Anadia poderá vir a estabelecer três novas geminações, a saber com a Guiné-Bissau, Vilingare (região de Kolda, no sul do Senegal) e com Villecresnes (distrito de Val-de-Marne – França).
As propostas para celebração de geminações foram discutidas na última reunião de executivo, realizada na última semana. E se as duas primeiras partem de organismos oficiais daqueles dois países (Guiné-Bissau e Senegal), a última surgiu da ideia de uma munícipe, natural de Vila Nova de Monsarros, radicada em Villecresnes – França.
Na oportunidade, o vereador socialista, José Carlos Coelho, viu com bons olhos as novas geminações, enquanto que o seu colega, Lino Pintado, teve uma posição diferente, não vendo nelas (ou na sua maioria) qualquer utilidade. Reconhecendo que Litério Marques não é daqueles autarcas que aproveita as geminações para passear à borla, o vereador socialista admitiu que as geminações, na sua maioria, não passam de pretextos para autarcas e vereadores passearem, não vendo benefícios directos ou vantagens para os munícipes do concelho neste tipo de parcerias pois, como se sabe, muitas vezes, os intercâmbios, nomeadamente culturais, ficam pelo caminho ou não saem do papel. Litério Marques defende que essa é uma visão redutora do alcance de uma geminação, até porque existem intercâmbios culturais, associativos e mais valias para os povos geminados. Também o vereador Jorge Sampaio (PSD) tem um entendimento diferente, considerando as geminações úteis e benéficas, nomeadamente do ponto de vista económico, possibilitando inúmeros contactos e concretização de novos negócios.
As propostas, aprovadas com abstenção do vereador Lino Pintado, vão agora ser discutidas em Assembleia Municipal.

CC