O Museu do Vinho Bairrada, em Anadia, inaugurou, no último sábado, um novo núcleo de exposições temporárias, desta feita, tendo como artistas convidados, Paulo Neves e Mário Vitória.
Este novo núcleo de exposições, revela, uma vez mais, uma aposta do Museu em duas linguagens plásticas distintas: escultura e pintura. Por isso, muitos foram aqueles que quiseram estar presentes nesta abertura oficial do novo núcleo que traz, a Anadia, arte contemporânea, através de um magnífico conjunto escultórico (madeira) do escultor Paulo Neves e da pintura do criativo jovem artista plástico Mário Vitória.
De destacar a pintura instalação, com mais de 30m2, feita por Mário Vitória. Uma tela de grandes dimensões que resultou de um projecto criativo do artista plástico Mário Vitória, dando resposta a um desafio feito pelo Museu do Vinho Bairrada. Esta enorme tela, pintada à mão, regista um tributo e uma glorificação à história dos espumantes na Bairrada, procurando enaltecer também o papel verdadeiramente estratégico que esta bebida tem na região e no país.
Pedro Dias, director do Museu não deixou de sublinhar a parceria com o sector vitivinícola da Bairrada (Adega Cooperativa de Cantanhede, Adega Luís Pato, Quinta dos Abibes e Quinta do Ortigão) que assumiram, com o Museu do Vinho Bairrada, a partilha de responsabilidades na organização deste novo núcleo de exposições temporárias.
Na oportunidade, Litério Marques agradeceu aos artistas por proporcionarem aos visitantes a apreciação de obras tão belas, sublinhando que a Câmara de Anadia continua empenhada em promover grandes artistas mas também ajudar a divulgar jovens artistas. O edil não deixaria de sublinhar a colaboração nestes tempos difíceis com empresas e produtores vitivinícolas da região.

CC