A aposta na formação é o que nos torna, a nós, particulares, ou às empresas onde tra balhamos, mais competitivos. Somos confrontados, desde cedo na vida académica, a fazer opções. E hoje, mais do que nunca, o leque é diversificado. No meio laboral, empresários e gestores devem ter constantemente esta preocupação: em primeiro lugar, de se actualizarem; em segundo lugar, de permitirem uma constante “reciclagem” aos seus quadros. Será este o primeiro passo para tornarmos o país mais produtivo e também mais competitivo.