A morte de alguém próximo é encarada de forma diferente por cada um de nós, consoante a nossa idade, crença religiosa ou identidade cultural. Ainda assim, sentimos a morte, regra geral, como um momento de intensa dor, uma ferida que pode demorar a cicatrizar.