Concluir os muros em pedra de suporte das terras junto aos telheiros, arborizar a zona envolvente e terminar o parque infantil são os projetos mais imediatos que a Junta de Freguesia da Moita, liderada por António Guilherme Andrade, tem para o Parque de Merendas da Barragem da Gralheira, localizada na zona serrana da freguesia.
No entanto, faz precisamente um ano que as obras se iniciaram com vista a dotar aquele espaço de melhores condições físicas para receber os inúmeros visitantes provenientes de vários pontos da região e até mesmo do país.
Na zona dos telheiros, as acácias desapareceram (depois de, durante um inverno, terem caído e causado danos nos telheiros) e no seu lugar surgiu um muro feito em blocos de pedra. “Falta apenas colocar mais uma fiada ou duas de pedra, para suporte das terras e arborizar toda a parte de cima com árvores de crescimento rápido, mas que não prejudicam a zona dos telheiros e das mesas”, referiu a JB o autarca da Moita.
Embora nesta época do ano o espaço continue a ser muito procurado pela sua tranquilidade, para piqueniques e merendas em família, a verdade é que as obras vão continuar por mais algumas semanas. Isto porque falta também dar forma ao parque infantil que vai nascer perto das zonas das mesas, com a colocação de um baloiço e de um escorrega para os mais pequenos.
O local, que já se encontra murado para maior segurança das crianças, deverá ficar concluído dentro de poucas semanas, após a colocação dos equipamentos de diversão.
A JB o autarca não deixa ainda de lamentar alguns atos de vandalismo que ali vão ocorrendo, havendo, inclusive, quem, de forma abusiva, continue a roubar torneiras e chuveiros, partir vidros, riscar paredes e danificar zonas de passagem, pelo simples prazer de destruir equipamentos públicos.
Acrescente-se que este espaço de lazer foi inaugurado em 2001 e integra equipamentos como: churrasqueiras, forno, sanitários, 11 telheiros com mesas e bancos.
Esta barragem, inicialmente criada como um ponto de água de abastecimento aos bombeiros, contra fogos florestais, acabaria, graças a Frutuoso Almeida Silva, de Ferreiros, por se vir a tornar num dos locais mais aprazíveis e procurados do concelho.

Catarina Cerca
catarina@jb.pt