A Câmara Municipal de Anadia é das 308 existentes no país a que mais rapidamente paga a fornecedores e empreiteiros. Paga a zero dias, ou seja, a pronto. Quem o garante é o autarca Litério Marques que revelou, na última terça-feira, à comunicação social, o ranking da DGAL (Direção-Geral das Autarquias Locais), referente ao último trimestre de 2012.
Na região da Bairrada, a Câmara Municipal da Mealhada paga a 4 dias e a de Cantanhede, a 22 dias.
Assim, a 31 de dezembro de 2012, a Câmara Municipal de Anadia figurava como a mais eficiente do país em termos de pagamentos (zero dias), contrastando com autarquias como Porto Santo (Região Autónoma da Madeira), que demorava 2 mil dias a efetuar os pagamentos a fornecedores e empreiteiros; Portimão, com 1970 dias; Nazaré, com 1464 dias; ou Guarda, com 443 dias.
Dos 308 municípios portugueses, segundo a DGAL, Anadia é, portanto, a que tem melhor desempenho, no cumprimento dos pagamentos.
A lista da DGAL compreende 308 municípios e reporta a dados da aplicação informática «SIIAL», de acordo com a informação fornecida pelos municípios.
Litério Marques diz que este último relatório da DGAL não é mais do que a confirmação da estratégia seguida pelo seu município: “temos uma gestão eficiente e muito rigorosa”, diz, revelando ainda que numa recente auditoria da Inspeção Geral das Finanças, a Câmara Municipal de Anadia passou, com distinção.
“Foi-nos dito que ficavam com boa impressão da organização desta casa, da distribuição de tarefas e da saúde financeira, que nos valeu uma nota muito positiva”, disse.
Aos jornais, o edil anadiense sublinhou ainda que nos aspetos menos positivos elencados pela Inspeção Geral das Finanças – empolamento dos orçamentos – também Anadia tem vindo a melhorar nos últimos anos.
Litério Marques, que numa recente Assembleia Municipal, assumira e reconhecera o empolamento dos orçamentos, justifica essa medida com o facto de ser necessário “acautelar obras adjudicadas, mas também acautelar obras que a Câmara pretende vir a adjudicar”.
“A auditoria das Finanças deu-nos nota positiva e fiquei muito agradado com esse facto, mas agora estes dados revelados pela DGAL vêm confirmar isso mesmo”, acrescenta.
Aos jornalistas diz que Anadia consegue, contra a corrente, baixar taxas e impostos, ao contrário de muitas outras Câmaras.
“Baixámos o preço da água, temos o IMI mais baixo e ajudamos as famílias mais numerosas e carenciadas”, constata, dando conta de que Anadia tem percorrido um caminho com base em projetos com maturidade e sustentabilidade.
Todavia, reconhece que a equipa que consigo trabalha está atenta e “anda sempre de olhos bem abertos” para não perder candidaturas.
O edil anadiense avança ainda que a capacidade de endividamento da Câmara também não levanta qualquer problema. A 31 de dezembro de 2012 o endividamento rondava os 7 milhões de euros. “Estamos tranquilos. Temos até um empréstimo aprovado pelo Tribunal de Contas de cinco milhões que ainda não chegamos a utilizar”, diz congratulando-se ainda por a Câmara ter conseguido, para as grandes obras projetadas, comparticipações que variaram sempre entre os 80 e os 90%.
“A nossa capacidade financeira deixa o executivo bastante tranquilo”, refere, dando nota de que, a 8 de maio, o saldo de fundos disponíveis era de 3 milhões e 300 mil euros.

Câmaras da região
(PAGAMENTOS)

Anadia – zero dias; Mealhada – 4 dias; Cantanhede – 22 dias; Oliveira Bairro – 42 dias; Águeda – 64 dias; Vagos – 196 dias; Ílhavo – 245 dias; Aveiro – 250 dias

CC