Cerca de 240 pessoas participaram, na noite do último sábado, no jantar de aniversário da ADABEM – Associação de Dadores Benévolos de Sangue de Mogofores.
Vinte e cinco anos de atividades, elencada ao longo da noite, num jantar informal, completamente “familiar” que serviu para enaltecer o trabalho desta associação e de todos os dadores a ela ligados, mas também para homenagear com diplomas, todos os dadores da ADABEM com mais de 25 dádivas. Aliás, a boa disposição e o espírito solidário foi uma constante, mostrando que esta é, “uma associação diferente”, como diria Albano Jorge, presidente da ADABEM.
Na ocasião, ele que é rosto da ADABEM , falou dos 25 anos da Associação que nasceu pela mão de Fernando Serrano e Armando Santos (28/11/1988) que, em boa hora, deram corpo a um entusiasmo coletivo da população de Mogofores, berço da associação.
Falta de sangue é um problema nacional. Joaquim Silva, vice-presidente da Federação da Associação de Dadores de Sangue, sublinhou que o país atravessa uma grave situação na área da dádiva de sangue: “há dois anos éramos autossuficientes”. Hoje, a situação inverteu-se e para tal tem contribuído o envelhecimento da população, mas também o facto de haver cada vez um maior número de jovens a deixar o país. Por outro lado, este responsável não deixaria de destacar as “tomadas de decisões políticas desgraçadas” que conduziram a uma redução de dádivas. Daí ter deixado um apelo aos jovens para que se juntem a esta causa. Mostrou-se ainda bastante entusiasmado com as palavras de Albano Jorge, mas também muito comovido e sensibilizado com a forma como fora recebido em Anadia.
Também na ocasião, Ana Marques, em representação do IPST – Coimbra recordou aos dadores presentes que o Instituto Português do Sangue, estará sempre disponível para ajudar, apelando a que os dadores tragam mais dadores para as associações, até porque “2014 é um ano que se adivinha com muitas crises. Temos de dar a volta à questão, porque os doentes estão nos hospitais e precisam de sangue”.

Gesto de autarca aplaudido. Fernando Fernandes, autarca da União de Freguesias de Arcos e Mogofores, foi o protagonista de um dos gestos mais aplaudidos da noite, ao chamar o ex-autarca da extinta freguesia de Mogofores, José Maria Ribeiro, para, em conjunto, ofertarem uma lembrança à ADABEM, mostrando que nas Uniões de Freguesias é possível haver entendimento e boas relações entre os fregueses.
Sobre a ADABEM, Fernando Fernandes diria tratar-se de uma associação com grande importância no meio onde está inserida, felicitando todos os que estão envolvidos neste projeto de voluntariado. Por isso, deixou a certeza de que a Junta de Freguesia estará sempre disponível para ajudar, ainda que dentro das suas parcas possibilidades: “vocês honram-nos muito”.

Presidente de Câmara elogia Albano Jorge. Também a presidente de Câmara Municipal de Anadia, Teresa Cardoso, não faltou a esta comemoração, mostrando-se “profundamente sensibilizada”, por participar num evento que conseguiu mobilizar tantas pessoas, de uma forma empenhada e participativa.
A autarca, que enalteceu o facto da ADABEM aproveitar o evento para homenagear os dadores com mais dádivas, considerou de todo justa uma homenagem a Albano Jorge, a força motriz deste projeto: “temos de prestar uma justa homenagem a este homem de metro e meio e com pouco mais de 40 quilos. Também ele é uma dádiva para nós”, diria, sublinhando que as palavras de Albano Jorge “fazem-nos crescer e aprender sempre mais. A sua alegria, energia, associadas à espontaneidade que nos transmite, é contagiante e fascinante”.
Aos presentes recordou que a ADABEM cresceu pelas mãos de Albano Jorge, que “deu o corpo e a alma” ao projeto e que sabe, como poucos, motivar e levar a mensagem às pessoas, criando uma grande empatia com todos com quem se cruza.
Por outro lado, Teresa Cardoso referiu-se à ADABEM como uma das associações que menos verbas pede à Câmara Municipal: “só querem estar presentes nas nossas iniciativas e atividades”, o que demontra “uma forma de estar diferente”, “pois é assim que fazem chegar a mensagem e estar na sociedade”. E deixando a indicação de que 2014 será um ano profícuo em atividades culturais e recreativas no concelho, não será de estranhar que a ADABEM venha a estar presente em várias dessas iniciativas.

25 anos em franco crescimento.Com o à vontade de todos conhecido, Albano Jorge traçou o percurso da ADABEM e da dinâmica secção cultural (a noite foi animada pelo Grupo Coral da ADABEM), mas também das dádivas de sangue já realizadas não só em Mogofores, como também nos vários núcleos. Aos presentes avançou que a quebra nacional entre 2012 e 2011 foi de 11% nas presenças e de 10% nas dádivas, enquanto que na ADABEM foi mais do dobro. “Contudo, para a Associação, o ano de 2013 consolida uma notória recuperação, com 409 presenças”. Um bom indicador, já que a presença de novos dadores/ano atesta um crescimento de 40%.
“Esta é a resposta de quem é dador de sangue e que a sociedade deve reconhecer”, diria.
Um caso impressionante é o do jovem núcleo de Paredes do Bairro, criado em 2010. Conta já com 91 dadores. Em Mogofores são 176, em Avelãs de Cima 33, na Moita 30 e em Tamengos 18. Albano Jorge lamentou ainda que em 2011, o Decreto-Lei n.º 113 tenha limitado a isenção do pagamento das taxas moderadoras aos dadores de sangue nos cuidados primários de saúde. “Esta atitude do governo, inexplicável, motiva uma contínua contestação das Associações”. Contudo, “o número crescente de presenças e dadores mostra que esta é a melhor resposta ao Decreto-Lei que nos cortou algumas benesses. Estamos com uma média de 60 dadores por mil potenciais dadores. Superámos a média nacional”, realçaria, deixando ainda a nota que o futuro passa por um maior contacto com alunos das escolas da região, convicto de que a ADABEM irá comemorar 50 anos: “tem gente nova e capaz de dar resposta às exigências atuais”.

Catarina Cerca
catarina@jb.pt