animais-abandonados-6

A questão da construção ou não de um Canil/Gatil em Anadia foi colocada, na última reunião pública do executivo, pelo vereador do PSD, José Manuel Ribeiro, mas a autarca Teresa Cardos não teve dificuldade em avançar que a construção não está prevista.
Já na reta final da reunião, realizada na manhã do dia 26 de fevereiro, o vereador social-democrata mostrou-se preocupado com a quantidade de cães e gatos famintos que vagueiam pelas ruas, um pouco por todo o concelho, mas também pelas notícias vindas a público, nos órgãos de comunicação social regional, revelando, semana após semana, ataques de cães famintos a rebanhos e capoeiras. “É uma questão de segurança e de saúde pública”, disse, questionando diretamente Teresa Cardoso relativamente à instalação de um Canil/Gatil em Anadia: “nem que seja em parceria com outros municípios”.
A edil anadiense, embora se tenha mostrado preocupada com as notícias vindas a público relativamente aos ataques, sublinhou ter já solicitado ao veterinário municipal um ponto de situação. Todavia, reconhece tratar-se de uma problemática muito complexa, já que os animais vagueiam pelas povoações, umas vezes sozinhos, outras em grupo, o que dificulta a sua localização e captura.
“O problema da recolha dos cães é complexo” e “transversal a todos os municípios”.
E, não estando nos planos da autarquia a construção de um Canil/Gatil, Teresa Cardoso destaca a existência de protocolo com o Município de Ílhavo para transferência de animais capturados em Anadia para o Canil de Ílhavo.
Contudo, admite a necessidade de se vir a criar um ponto que designou de primeira recolha, onde os animais sejam colocados e em seguida transferidos para Ílhavo.
A autarca deu ainda a conhecer a intenção da criação de um Canil Intermunicipal que está a ser equacionado no âmbito da CIRA – Comunidade Intermunicipal da Região de Aveiro. Um equipamento que terá de reunir o consenso de todos os municípios e ir ao encontro das necessidades de cada um e de todos.

Catarina Cerca
catarina@jb.pt