Não são uma ilha, mas vão conhecer uma. Os alunos da turma do 11.º ano de Artes (2013/2014), agora no 12.º ano, da Escola Secundária de Anadia vão viajar, de 9 a 12 de dezembro, até à cidade de Londres. A viagem é o prémio conquistado pelos 13 alunos daquela turma, por arrecadarem o 1.º lugar no concurso promovido pela Texto Editores “My school is no island” (A minha escola não é uma ilha).
O vídeo, da autoria da turma do então 11.ºD (atual 12.ºC) do Agrupamento de Escolas de Anadia, foi o grande vencedor a nível nacional e a cerimónia de entrega do prémio decorreu na quarta-feira, dia 29 de outubro, no Anfiteatro da Escola Secundária de Anadia.

Mostrar o bom e o positivo. Com a ajuda e orientação da professora de Inglês Alexandra Alvim e do professor de Artes Artur Costa, a turma elaborou um vídeo de dois minutos sobre a Escola, optando por mostrar as virtudes desta escola pública onde, apesar das instalações degradadas, é possível ser feliz, fazer amigos e ser um aluno de sucesso.
Para Elói Gomes, diretor do Agrupamento de Escolas de Anadia, este prémio significa “uma grande alegria”, não só por ser um prémio de âmbito nacional, mas porque “é mais uma janela que se abre e que permite ver que aqui se fazem coisas muito boas, do melhor a nível nacional, ou seja, que a escola pública tem muito mérito”, não deixando de salientar serem realizados na escola muitos outros trabalhos, de grande qualidade, mas que ficam por mostrar, por divulgar.
O diretor realça ainda o dinamismo dos docentes envolvidos no projeto, mas, sobretudo o bom relacionamento e interligação que criaram com os alunos. “Por outro lado, prova que podemos ser os melhores e somos tão bons como os outros”, disse na ocasião.

Trabalho respeita, na íntegra, as regras. Cátia Andrade, responsável da Texto Editores, falou do desafio lançado no ano passado às escolas, para que apresentassem um vídeo “My school is not a island” e a grande qualidade trabalho apresentado por esta turma. “Apesar dos trabalhos terem superado em muito as nossas expectativas, pois apareceram trabalhos muito bons, de grande qualidade, ao nível do Secundário não tivemos tantas dúvidas, nem tanto trabalho em escolher o vosso, já que respeitou, na íntegra, as regras propostas. Foram capazes de construir uma mensagem positiva, sem erros, com grande criatividade”, disse.
Esta responsável avançou ainda que a Texto Editores, ao lançar este concurso, quis também aumentar nos alunos o gosto pela língua inglesa, para que eles praticassem a língua de uma forma lúdica, sem darem conta e, ao mesmo tempo, que criassem laços entre alunos, professores, estreitando o relacionamento entre todos.

Turma coesa. Em dia de festa, os docentes Artur Costa e Alexandra Alvim explicaram que o objetivo foi dar uma imagem positiva da escola que, embora todos reconheçam ter graves problemas ao nível de instalações, tem uma parte que é fantástica – a humana e que aqui neste espaço é possível ser feliz, construir grandes amizades e ter um futuro.
Os docentes sublinham ainda o envolvimento de todos os alunos da turma, que vestiram a camisola para vencer este concurso. O envolvimento e participação foram contagiantes e a turma acabou por se tornar um grupo mais unido e coeso.
No final, Alexandra Alvim, docente de Inglês, disse acreditar que, durante os quatro dias em Londres, os 13 alunos vão desenvolver bastante o Inglês falado, assim como vivenciar o que é o dia-a-dia naquela grande cidade.
Na ocasião, a aluna Inês Santos realçou a aproximação e a união que se estabeleceu entre os alunos da turma, gerados à volta deste projeto. “Quando soubemos que éramos os vencedores foi no último dia de aulas. Foi a melhor forma de entrar em férias”, diria.
Catarina Cerca