Tem apenas 28 anos e é uma das mais promissoras artistas do concelho de Anadia, na área do design de interiores. Maria Vilhena acaba de lançar a sua primeira peça de assinatura. Trata-se de uma poltrona, concebida a pensar no conforto pela sua forma e ergonomia, mas também decorativa.
De nome “Blast”, que significa explosão, a peça já está no mercado e além da conceção também a produção é “made in” Bairrada, através da parceria com a empresa Leal Mena, de Anadia.
No próximo dia 17, sábado, Maria Vilhena dará mais um passo importante na carreira ao apresentar publicamente a marca, que tem o seu nome e o site oficial. A sessão vai reunir no Pharmacy Hostel, na Curia, às 17h, amigos, clientes, fornecedores e parceiros. No evento, será também apresentada, ao vivo, a cadeira, para que todos os convidados a possam ver e experimentar, testando assim o conforto e versatilidade que a tornam uma peça única. Todos os presentes vão receber vouchers de descontos em projetos. Além disto, vai ser ainda sorteado um voucher de oferta de um projeto integral.
A escolha do local para o evento – que representa um passo importante na carreira de Maria Vilhena – não foi difícil: “O Pharmacy Hostel trata-se do trabalho mais desafiante que já concretizei e aquele de que mais me orgulho”, explica a designer de interiores.

Design de interiores acessível a todos. Foi numa conversa informal, à mesa de um café, em Anadia, que a jovem falou da sua descoberta e paixão pelo design de interiores. Embora tenha entrado no curso de arquitetura, acabaria por mudar o rumo, ao ter um contacto mais profundo com esta área pela qual se apaixonou.
Licenciada em Design pelo IADE e com pós-graduação em Design de Interiores e Equipamento pela Lusíada do Porto, Maria Vilhena decidiu fixar-se na Bairrada porque começou a carreira na área do design de iluminação, e sendo Águeda considerada a “capital da iluminação”, fez estágio profissional numa empresa do ramo.
A decoração e design de interiores chegam depois, com uma passagem também por Águeda e depois Aveiro, em lojas da área. Com a experiência, Maria Vilhena apercebe-se que, num raio entre Oliveira do Bairro e Cantanhede, o design de interiores não está muito explorado e agarra a oportunidade.
“Noto que há cada vez mais pessoas preocupadas em ter a sua casa bem decorada e que me pedem ajuda”, diz, revelando que tal não significa que tenham de desembolsar muito dinheiro: “já decorei uma casa inteira com IKEA e depois esta é uma área em que dá para fazer muitos aproveitamentos e restauros”, avança.
Por isso, Maria Vilhena sublinha que o design de interiores “não é só para ricos”, mas acessível a muitas mais pessoas, devido à enorme variedade de soluções, mas também porque “é possível ter uma casa bem decorada, sem ser caro”. Essa é uma área onde também gosta de trabalhar: “é bom ter desses desafios, fazer peças mais económicas e ter de enfrentar limitações”. Todavia, admite que na região “existe mercado para um tipo de peças, únicas, intemporais e que se adaptam a vários estilos”.

Poltrona “Blast”. Quanto à poltrona, trata-se de uma peça quase escultórica pelo conceito aplicado – explosão, visto a cadeira apresentar um estofo que se assemelha a uma separação em “estilhaços” – foi nesta inspiração que a criadora se baseou para ir buscar o nome “Blast”.
“É uma peça versátil e que encaixa em qualquer ambiente, tanto masculino como feminino, desde um escritório, salas de espera ou de estar, o lobby de um hotel e tantas outras situações”, explica Maria Vilhena .
“Alterando os acabamentos, conseguimos peças completamente diferentes, mais jovens ou elegantes, variando os preços consoante os acabamentos escolhidos”, refere.
A poltrona oferece ainda a possibilidade de associar-se a um ottoman para pousar os pés, tornando-se ainda mais confortável.
A experiência e qualidade dos marceneiros que colaboram há anos com a Leal Mena levou a criadora a escolher esta empresa bairradina para produzir a sua cadeira.
“São perfecionistas e incansáveis”, diz, revelando que, já antes de nascer a peça, existia uma parceria entre a Leal Mena e Maria Vilhena, quer ao nível de projetos de design de interiores, como de compra e venda de mobiliário e decoração. “Confio muito neles e no seu profissionalismo”, adiantou.
Uma parceria que está para durar e que vai criar duas a três peças com assinatura, por ano.

Autora de projetos de referência. Maria Vilhena é autora de vários projetos de referência na região. Os mais conhecidos são o Pharmacy Hostel (Curia, Anadia), Sala Sete, The Darling Shop, Rodoviária, RBar (Anadia) e Pastelaria Maria Bonita (Oliveira do Bairro), escritórios FEEDZAI (Coimbra) e a Academia Litocar (do Grupo Litocar).
A iniciar o ano de 2015, diz que este pode ser o ano da viragem para a “internacionalização a sério”. No Luxemburgo (onde já trabalha), França (Paris) e Angola (Luanda) são destinos onde gostaria de trabalhar, por considerar serem mercados bastante aliciantes.
“Tenho dois projetos no Luxemburgo, uma reabilitação total de uma moradia e um projeto para uma loja de produtos portugueses num restaurante português. Gostava de criar ali raízes, ou seja, ter um gabinete com alguém com quem pudesse fazer a ponte com a Maria Vilhena em Portugal”, revela.
A sua visão e o espírito empreendedor fazem-na conquistar o seu mercado e ser já uma referência na área na região e não só. É também vice-presidente do Tomorrow Talents – Clube de Empreendedorismo da Bairrada, sedeado no Curia Tecnoparque, na Curia (Anadia), que tem como objetivo criar e suportar uma comunidade empreendedora em toda a região da Bairrada, sendo intenção do clube “trabalhar em parceria com empresas e instituições da região, de modo a contribuir para o surgimento de novos projetos, novas empresas e diminuir a taxa de desemprego”.
A terminar, diz ainda que a experiência na WRC tem sido muito boa, pelas condições criadas, pelas empresas ali incubadas: “estamos todos juntos, crescemos muito, existe um espírito grande de entreajuda, o que é bom para todos”.
Catarina Cerca