Inscrita como “subsídio” a atribuir pela câmara municipal, no orçamento financeiro e plano de ação dos Bombeiros Voluntários para 2015, uma verba de 100 mil euros foi sinalizada para obras de requalificação do edifício sede daquela associação, que a direção pretende iniciar em breve.

“É urgente tentar lançar as obras ainda no decorrer deste ano”, considera o presidente da instituição. César Grave, que tomou posse no final do primeiro trimestre de 2014, confirma agora que pretende obter fundos comunitários para o efeito, através de uma candidatura ao Programa Operacional Temático Valorização do Território (POVT), no âmbito do domínio de intervenção “prevenção e gestão de riscos”.

O projeto, orçado em cerca de 900 mil euros, no total, está para já concluído. Mas a sua execução será faseada, de acordo “com a disponibilidade financeira da associação e/ou ajudas ou financiamento”, pode ler-se no documento, aprovado por unanimidade, no decorrer da assembleia-geral realizado no passado sábado.

Com a nova direção, as obras no quartel são mesmo para avançar. Para o corrente ano, o montante previsto para investimento ascende a 280 mil euros. Mas a candidatura vai ficar “pendurada”, à espera da criação, pela autarquia, da chamada área de “reabilitação urbana” do centro da vila, “devidamente regulamentada e fundamentada”.

Trata-se de um procedimento legal, imprescindível para os municípios “que pretendam fazer candidaturas no âmbito da reabilitação urbana, na vertente pública ou privada”, explicou o presidente da câmara, Silvério Regalado.

Eduardo Jaques/Colaborador

Leia a notícia completa na edição impressa ou digital do JB de 2 de abril de 2015