Não poderia haver melhor local para a apresentação pública da monografia do arquiteto Rui Rosmaninho do que a Biblioteca Municipal de Anadia, projetada por ele próprio.
Foi na tarde do último sábado que largas dezenas de colegas, amigos, familiares, autarcas e empresários se reuniram no auditório da Biblioteca Municipal de Anadia para conhecer a primeira obra que o arquiteto anadiense edita.
Pela mão da editora Caleidoscópio, acaba de ser editada uma monografia sobre Obra Pública.

Presidente elogiou profissionalismo e competência do arquiteto. Na ocasião, a edil Teresa Cardoso não deixou de exprimir a enorme satisfação em participar num evento que assinala a já muita obra feita pelo jovem arquiteto, a trabalhar na Câmara Municipal de Anadia desde 1996.
“O Rui teve este privilégio, de ter feito grandes projetos no município de Anadia”, diria, a propósito do percurso invulgar do arquiteto que veio estagiar para a Câmara de Anadia e tem dedicado grande parte da sua carreira à obra pública.
“O anterior executivo, liderado por Litério Marques, deu-lhe a grande oportunidade, lançando-lhe inúmeros desafios, relativos a obras que representaram grandes investimentos para a autarquia”, avançou, reconhecendo que foi, sem dúvida, graças ao município que o trabalho de Rui Rosmaninho se fez notar, destacando-se através da conceção de obras públicas que se tornaram grandes referências do seu trabalho.
Por outro lado, a autarca sublinharia que nem todos os municípios tiveram esta capacidade – de realizar investimentos enormes – o que permitiu ao arquiteto ver as suas obras passarem do papel para o terreno.
“É um orgulho ter um técnico com esta qualidade, que abraçou desafios ainda muito jovem, foi crescendo profissionalmente connosco na Câmara Municipal”, avançaria, reconhecendo ser a sua obra “uma referência”.
A monografia, intitulada “Rui Rosmaninho Arquiteto” é editada pela Editora Caleidoscópio, que convidou o arquiteto a publicar um livro sobre os seus projetos de arquitetura, no âmbito da obra pública. Já lá vão cinco anos e o resultado foi agora conhecido.

“Invulgar inteligência da autarquia”. Na ocasião, Jorge Ferreira, da editora Caleidoscópio, começou por admitir não conhecer o trabalho do arquiteto, mas confessou que quando começou a conhecer, a visitar o seu trabalho, achou ser impossível não haver referências a um trabalho de tão grande qualidade. “Essa é uma das grandes gaffes que vamos cometendo no nosso dia a dia”, disse, mostrando-se ainda bastante agradado por a Câmara Municipal de Anadia ter dado oportunidade a um jovem arquiteto, atribuindo-lhe trabalhos de grande envergadura.
“A Câmara Municipal está de parabéns pelo serviço público realizado. Realizar trabalhos com esta visibilidade é de uma inteligência invulgar, muitíssimo grande, o que não é normal no nosso país.”
Com 43 anos, Rui Rosmaninho é, hoje, um consagrado arquiteto, conhecido em toda a região.

“Uma honra descobrir o trabalho do arquiteto Rui Rosmaninho”. Durante o evento, também o professor e arquiteto Rui Barreiros Duarte, que prefaciou a obra, destacou a necessidade de se continuar a procurar novos talentos na arquitetura e de se deixar de estar tão focado nos nomes sonantes. “Hoje, dá-se importância à assinatura, ao ícone e à marca. É uma falsidade”, diria, mostrando-se neste caso muito satisfeito por ter descoberto o trabalho do Rui Rosmaninho: detentor de “uma arquitetura muito sã, e a sua grande humildade caraterizam a sua personalidade. Mais do que as suas obras, penso que é a sua pessoa que aqui mais importa”, avançaria.
A concluir, não deixou de tecer também rasgados elogios à Câmara Municipal de Anadia. “É um orgulho ver um município que aposta num arquiteto da terra e ter obras de qualidade superior feitas por uma pessoa de quem ninguém fala.”
A escolha de Anadia para apresentar a sua primeira obra literária prendeu-se com a sua forte ligação profissional, familiar e afetiva ao município.
Por isso, na hora dos discursos, Rui Rosmaninho focou-se nos últimos 15/16 anos de atividade que este livro reflete.
Na ocasião, e parco em palavras, o jovem arquiteto agradeceu a confiança depositada ao longo destes 19 anos pela Câmara de Anadia, recordando que, enquanto estagiário, entrou na autarquia pela mão do ex-presidente Litério Marques, que logo o incumbiu de várias obras.
“Fiz um percurso que não é normal. Tenho poucas moradias e muitas obras públicas”, diria, reconhecendo todo o percurso de aprendizagem que a Câmara lhe proporcionou: “Fiz tanta asneira, experimentei tantos materiais. Mas só não erra quem não faz”.

Algumas das obras que realizou no concelho de Anadia. Piscina Coberta da APPACDM, Requalificação da Rua Júlio Maia, Escola de Hotelaria da APPACDM, Ampliação dos Paços do Município de Anadia, Praça Pública e de Comércios e Serviços na Curia, Piscinas Municipais de Anadia e ampliação das mesmas, Pavilhão dos Desportos de Anadia, Edifício de Comércio no Marcado Municipal de Anadia, Edifícios das WRC – Curia, Centro de Dia de Tamengos, Biblioteca Municipal de Anadia, JF Vilarinho do Bairro, JF de Amoreira da Gândara, Velódromo Nacional de Sangalhos, Centros Escolares de Arcos, Paredes do Bairro, Avelãs de Cima e Sangalhos, Regeneração Urbana de Anadia, Belorizonte, Clínica do Cértoma, Remodelação e ampliação do Pavilhão do SDC, Requalificação Urbana da Curia, entre outros.
Catarina Cerca