Uma comitiva com alguns dos maiores players asiáticos – China, Taiwan e Vietname – do setor das duas rodas esteve em Portugal até sexta-feira, dia 8 de julho. Esta visita resulta da colaboração da ABIMOTA – Associação Nacional das Indústrias de Duas Rodas, Ferragens, Mobiliário e Afins com a multinacional DECATHLON e foi realizada no âmbito do projeto Portugal Bike Value, co-financiado pelo COMPETE 2020. A iniciativa contou, ainda, com o apoio logístico dos Municípios de Águeda, Anadia e Aveiro, do Turismo do Centro, e das Empresas Associadas da ABIMOTA, RTE (Gaia) e POLISPORT (São João da Madeira).
Uma ação que teve como principal objetivo a apresentação da capacidade portuguesa neste setor de atividade e dar a conhecer potenciais oportunidades de negócio aos empresários asiáticos, de modo a captar investimento direto estrangeiro no nosso país.
Para João Pires, presidente da direção da ABIMOTA, mais importante do que os empresários asiáticos virem comprar a Portugal, é “instalarem no nosso país as suas fábricas” e para isso “é necessário convencê-los a fixarem-se cá, para partilharem o know-how de componentes muitos específicos que ainda não existe no país”. Ainda de acordo com João Pires, “já temos conhecimento, infraestruturas e talento. Portugal está no «centro do mundo» e quer ser reconhecido como o Cluster da Mobilidade Suave para promover esse conceito”.
Durante a abertura da sessão de boas-vindas, na segunda-feira, 4 de julho, Ribau Esteves, presidente da Câmara Municipal de Aveiro e da CIRA, explicou que a região de Aveiro é reconhecida como a “capital das bicicletas” sendo ainda, conforme referiu Ana Abrunhosa, a Presidente da CCDR Centro, “uma região com elevado potencial e boas condições para o investimento”.
Após a sessão de boas-vindas, seguiram-se visitas e contactos com as empresas e instituições do setor da região que duraram até quinta-feira, num programa delineado em conjunto pela ABIMOTA e DECATHLON e que incluiu a passagem e visita às seguintes empresas: AJ Maias, Epedal, SRAM, Laboratório ABIMOTA (Lea), Miranda & Irmão, Retsacoat, Ciclofapril, Miralago, Polisport e RTE.
A comitiva de empresários asiáticos, a AMBE (Madrid, Espanha) e a CONEBI (Bruxelas) mostraram-se fortemente agradados com o que viram e manifestaram, junto da ABIMOTA e da DECATHLON, um forte agradecimento pela maneira como foram recebidos.

Anadia preparou receção. No concelho de Anadia, foi realizado no passado dia 4, uma visita a duas empresas do setor das duas rodas sediadas no concelho (AJ Maias e Epedal), assim como foi realizada uma demonstração da utilização da pista do Velódromo Nacional, localizado em Sangalhos, onde decorreu um jantar.
Na ocasião, a edil anadiense Teresa Cardoso reconheceu que a indústria das duas rodas é um segmento com “significativa implantação na região”, sendo para o município que lidera “um privilégio integrar este grande projeto”, até porque Anadia “definiu a sua estratégia de atuação e de apoio aos empreendedores e à criação de empresas através do programa Invest em Anadia e da criação do GAE, gabinete de apoio ao empreendedor e à criação de empresas”.
Falando da tradição e importância do concelho e de Sangalhos na indústria das duas rodas, mas também na vertente desportiva na área do ciclismo, destacou as várias empresas que ao longo dos anos se capacitaram, inovaram e adaptaram às novas tecnologias, design, mercado, não deixando de lamentar as muitas que, pelo contrário, foram fechando portas.
Quanto às empresas visitadas (às quais se juntam a Esmaltina e a Barufil) Teresa Cardoso reconheceu “dinâmica e investimento”, sem esquecer outras como a Nau e a Nexxpro, ligadas à indústria dos capacetes, que se adaptaram e cresceram nos mercados internacionais.
“Representam todas elas um forte contributo para assegurar um grande número de postos de trabalho no concelho mas também uma grande dinâmica para o setor económico”, sublinhou. Por isso, o município está empenhado no processo de ampliação das zonas industriais do concelho de forma a poder também colaborar na fixação de outras indústrias e garantir outros investimentos.
A visita desta comitiva integrou uma passagem pela Rota da Bairrada (Curia), onde puderam conhecer alguns dos néctares bairradinos (FOTO).

O que é?
O Portugal Bike Value é um projeto que visa apresentar o potencial do território nacional para localização de indústrias, pela integração com centros tecnológicos, universidades e autoridades locais.
Pretende também demonstrar a capacidade das empresas que produzem em Portugal de fornecer os mercados externos, contando para isso com as elevadas capacidades e competências da indústria portuguesa, a excelente evolução do setor nos últimos anos e o crescimento significativo que se prevê num futuro próximo.
Catarina Cerca