Sangalhos é uma das freguesias com maior densidade populacional no concelho de Anadia. Tem aproximadamente 4.100 habitantes e segundo os Censos de 2011, mais de 1500 famílias.
Neste momento, a freguesia tem à disposição apenas uma caixa multibanco (colocada há dois anos numa agência de seguros) que não chega, nem de perto, nem de longe para as necessidades da população.
Embora muitos sangalhenses já optem por levantar dinheiro nas caixas multibanco existentes nas freguesias limítrofes, a verdade é que a falta destes equipamentos tem causado imensos transtornos à população, sobretudo durante o fim de semana. Na localidade, os lamentos ouvem-se um pouco por todo o lado. E é fácil perceber a razão.
As caixas multibanco mais próximas localizam-se na Malaposta, que dista seis quilómetros de Sangalhos, ou em alternativa, no concelho vizinho de Oliveira do Bairro, a três quilómetros.

Já foram duas. Mas a freguesia, nomeadamente a vila de Sangalhos, já teve duas caixas multibanco a funcionar em simultâneo. Tudo mudou no início de 2013, altura em que encerrou, na Rua do Comércio, aquela que era uma das mais antigas agências bancárias do concelho de Anadia. Num processo de reorganização, o Millennium BCP encerrou o balcão de Sangalhos, que existia na vila há 44 anos. Mais recentemente, em julho passado, o extinto Banif, que passou a Santander Totta, também encerrou a sua agência nesta mesma rua. Com ambos os encerramentos, as caixas multibanco tiveram a mesma sorte, deixando a população a braços com uma enorme dor de cabeça.
Neste momento, a única caixa multibanco está muitas das vezes indisponível para levantamentos, dada a elevada procura.

Junta de Freguesia procura solução. Sobre esta questão, o autarca de Sangalhos, António Floro, diz ser uma “situação preocupante e lamentável”. Por isso, já reuniu com uma entidade bancária no sentido de se equacionar a abertura de uma agência na freguesia, de forma a resolver ou minorar este problema.
A JB diz mesmo que “se o banco contactado – que está neste momento a analisar o processo – aqui se fixar, nem que seja em instalações cedidas pela Junta de Freguesia, as nossas contas (Junta e de várias associações) passam para lá.”
A seu ver, o ideal era a freguesia manter duas a três caixas, por forma a dar resposta às solicitações da população e de quem por aqui passa.
Mas a situação de Sangalhos é semelhante a muitas vividas por outras localidades. A concentração de serviços nos grandes centros, respetivamente nas sedes de concelho, causa vários constrangimentos às populações, sobretudo aos mais idosos e com mais dificuldade nas deslocações.
Senão vejamos: a freguesia de Sangalhos tem estado a braços com sucessivos encerramentos: bancos, CTT, comércios, posto de abastecimento de combustível (entretanto, substituído por um posto self-service) e SAP, com a agravante de não existir uma rede de transportes públicos como nas cidades que a população possa utilizar.
Catarina Cerca