Teresa Cardoso (MIAP) foi reeleita presidente da Câmara Municipal de Anadia, nas eleições autárquicas de domingo, ao vencer de forma inequívoca o ato eleitoral. Esmagou, literalmente, o PSD e o candidato Litério Marques, que foi o grande derrotado da noite eleitoral.
As listas do MIAP (Movimento Independente Anadia Primeiro) venceram em toda a linha: Câmara Municipal (56,36%), Assembleia Municipal (54,67%) e só não fizeram o pleno nas juntas e uniões de freguesia porque em Avelãs de Caminho a vitória foi para um outro movimento de cidadãos – o PNT (Pela Nossa Terra. Viver Avelãs!), liderado por Lúcia Rodrigues Jesus.
Curioso o facto do ex-autarca de Anadia, Litério Marques, nas últimas eleições em que concorrera pelo PSD (antes de formar o MIAP em 2013) ter alcançado em 2009, 57% do eleitorado e quatro anos antes, em 2005, uns expressivos 62%.  Agora, o mesmo Litério Marques, que regressou ao PSD como cabeça de lista à Câmara Municipal, não foi além dos 28,56%. E, é com estes números que o PSD regista, naquele que fora no passado um bastião social-democrata, o pior resultado de sempre em eleições autárquicas.

Maioria absoluta para o MIAP. Num concelho onde votaram 55,24% dos eleitores, o MIAP obteve a maioria absoluta. De resto, o resultado de domingo superou em muito o alcançado há quatro anos atrás quando aparecia pela primeira vez a sufrágio. Subiu 15 pontos percentuais, passando de 41,42% para 56,36%, arrecadando cinco mandatos para o executivo municipal.
Se em 2013 tinha conseguido três vereadores, agora, nestas eleições, reforça a posição, chegando ao 5.º vereador.
Um resultado a que não é alheio o contributo dado pelo PS que, nestas eleições, se coligou com o MIAP, não apresentando candidatos.
Assim, Teresa Cardoso vai fazer-se acompanhar no novo executivo por Jorge Sampaio (vice-presidente), Jennifer Pereira, Lino Pintado e Ricardo Manão. Um executivo que irá contar apenas com dois rostos do PSD, Litério Marques e Anabela Melo, uma vez que não foi além dos 28,56% dos votos para este órgão.
Assembleia plural. Certo também é que no novo mandato, a Assembleia Municipal será mais plural com deputados a representarem quatro forças (MIAP, PSD, CDS/PP e CDU).
Para a Assembleia Municipal, o MIAP venceu, de forma inequívoca, ao registar mais de 54% dos votos, elegendo 13 mandatos. Também aqui o PSD não conseguiu convencer o eleitorado, ficando-se pelos 27,21%, elegendo apenas seis mandatos, ou seja, comparativamente a 2013, perdeu dois lugares neste órgão.
A grande surpresa vai para o facto da CDU voltar a conseguir eleger um deputado. Será pela mão de Rui Bastos que a CDU volta a ter uma voz ativa em Anadia, recuperando para os níveis de 2009, já que em 2013 teve o seu pior resultado desde 1997.
Surpreendente é também o facto do CDS/PP conseguir eleger um deputado para a Assembleia Municipal. O partido, que estava sem comissão política em Anadia, conseguiu em tempo recorde apresentar listas à câmara e assembleia municipal e à União de Freguesias de Amoreira da Gândara, Paredes do Bairro e Ancas. Com listas elaboradas em pouco mais de um mês e preenchidas na quase totalidade por jovens, o CDS/PP conseguiu eleger para a assembleia municipal a jovem Sandra Marisa Silva, que será a voz dos centristas neste órgão.
 
Ler mais na edição impressa ou digital