Doze anos depois, o CDS reconquistou a Câmara Municipal de Oliveira do Bairro. Duarte Novo é o novo presidente da Câmara, alcançando 4756 votos (41,50%), contra 3729 votos do PSD (32,54%), que apresentou a votos o atual líder da Concelhia e vereador da CMOB, António Mota.
O CDS conquista a Câmara, mas sem maioria absoluta, ficando com três mandatos, o mesmo número alcançado pelo PSD. Já o primeiro movimento independente a concorrer neste concelho, o UPOB, elege um vereador, Fernando Silva. O UPOB obteve 2080 votos para a Câmara (18,15%). Ressalve-se que o PS em Oliveira do Bairro optou por não apresentar candidatura própria, aliando-se ao movimento independente.
O CDS foi também o grande vencedor da noite para a Assembleia Municipal, apesar de ficar com o mesmo número de mandatos: 9. O PSD perde 3 mandatos, passando de 10 para 7; e o UPOB conquista 5 mandatos (mais 3 do que o PS em 2013).
A CDU (coligação PCP-PEV) sai destas eleições bastante fragilizada, perdendo votos em todas as frentes: Câmara, Assembleia Municipal e Assembleias de Freguesia (à exceção da Palhaça, onde não concorreu).
Nas Assembleias de Freguesia, o CDS volta a sair vencedor na União de Freguesias de Bustos, Mamarrosa e Troviscal, elegendo Acílio Ferreira, que já fazia parte do elenco liderado por Duarte Novo, presidente da União de Freguesias no anterior mandato. Ainda assim e apesar de manter a maioria absoluta, o CDS perde um mandato (tem agora 8, contra 3 do PSD e 2 do UPOB).

 

Ler mais na edição impressa ou digital