O Agrupamento de Escuteiros 970, da Palhaça, contabilizou em quase 125 mil euros os prejuízos causados pelo incêndio do passado dia 15 de outubro, no Centro de Formação Padre Horácio Cura, equipamento classificado como de excelência e que comemorou 20 anos em maio passado.
Com um total de 124.868,79 euros de danos, os escuteiros acusam o maior prejuízo em termos de construções, com 102 mil euros, já que o fogo onsumiu e inutilizou os abrigos daquele campo, como aconteceu também com a vedação de todo aquele equipamento.
Perante a voracidade das chamas, que atacaram de todos os lados aquele centro de formação, situado junto à Zona Industrial da Palhaça, os responsáveis foram obrigados a deixar as instalações, naquele fatídico domingo, ao início da noite, depois das mangueiras terem ficado queimadas e de ter praticamente escoado a água nas bocas de incêndio e nos pontos de água, recordou ao JB Mário Braga, do agrupamento 970.
Conhecidos os prejuízos, aquele responsável lança o apelo à população para “todos juntos podermos recuperar o Centro de Formação. Peço que nos apoiem dentro das possibilidades de cada um”, destacou, avançando que no primeiro domingo de janeiro vai realizar-se na Palhaça o tradicional Cortejo de Reis para captar verbas para esta recuperação das instalações.
“Vamos contactar o comércio e a indústria da Palhaça e já criámos uma conta bancária específica para este fim”, continuou Mário Braga, na esperança “que a população colabore materialmente e com mão-de-obra para recuperar o Centro de Formação”.
Anunciando que vai fazer igual pedido à Junta de Freguesia e à Câmara de Municipal, o dirigente estima que até finais de abril próximo, a obra esteja finalizada. “Estamos todos tristes, os escuteiros estão tristes, mas deixei a todos esta promessa de que até ao fim daquele prazo vamos concluir a obra”.
Assim, no sentido de começar a trabalhar de imediato, Mário Braga convida a população para se juntar aos escuteiros no próximo sábado, dia 28, às 9h “para começar as operações de limpeza dos escombros para que, até dezembro próximo, possa haver condições para criar 32 lugares de acantonamento e espaço para acampar”, disse.
“Pegando nas palavras de Baden Powell, quando fala em deixar o mundo um pouco melhor do que o encontramos, também nós queremos deixar o Centro de Formação ainda melhor do que aquilo que estava e que mereceu a classificação de excelência quando comemorou 20 anos”, destacou Mário Braga.
João Paulo Teles