O bispo diocesano presidiu, no passado domingo, na igreja de Santo André de Vagos, à eucaristia solene de encerramento da visita da imagem peregrina de Nossa de Senhora de Fátima, que permanecia em Vagos desde 3 de setembro.
D. António Moiteiro, que concelebrou com a totalidade dos párocos do arciprestado de Vagos, aproveitou o facto do Dia Mundial dos Pobres, que se assinalava pela primeira vez, para destacar a mensagem do papa Francisco, quando refere que o atual cenário de desigualdades e pobreza “não pode deixar ninguém resignado.”
No decorrer da homilia referiu-se, ainda, aos seminários diocesanos, cujo ofertório para “sustentação do percurso formativo” estava a decorrer, tendo solicitado à assembleia que “reze muito”, pedindo ao Senhor para que “mande operários para a sua messe.”
Na mensagem que dirigiu à diocese, na semana de oração pelos seminários, intitulada “Fazei o que Ele vos disser”, o bispo de Aveiro alertava para o facto de os  jovens de hoje viverem “num mundo marcado por uma cultura técnica e de informação, que responde muitas vezes ao como se faz e cada vez menos ao para quê.” Admitia, contudo, que a diocese aveirense estava empenhada para que os jovens “oiçam a voz de Deus e respondam com generosidade, através de um seguimento cada vez maior.”
De referir que a imagem de Fátima, que ao longo de várias semanas peregrinou por todas as paróquias do arciprestado de Vagos, regressa assim ao seu santuário.