O município português mais amigo do ambiente em 2017 foi Cantanhede. Esta é a ideia que transparece da análise dos dados da Agência Portuguesa do Ambiente (APA) relativamente à proporção de resíduos urbanos preparados para reutilização e reciclagem.
Neste indicador, o concelho de Cantanhede foi o que teve melhor desempenho em Portugal durante o último ano, tendo sido enviados para a reciclagem 85% dos resíduos urbanos produzidos no território, mais do dobro da média nacional, que foi de 38%. O resultado obtido é produto da ação dos munícipes, em função da adoção de atitudes e práticas domésticas que respeitam as exigências inerentes à promoção da sustentabilidade ambiental, e também dos importantes investimentos que a INOVA-EM tem vindo a realizar neste domínio, bem como do facto de os resíduos serem objeto de tratamento mecânico e biológico numa unidade gerida pela ERSUC (Sistema Multimunicipal de Tratamento e Valorização de Resíduos Sólidos Urbanos do Litoral Centro).
Aposta no projeto “Cantanhede Recicla”. A forte aposta da empresa municipal tem sido desenvolvida no âmbito do projeto “Cantanhede Recicla”, o qual contempla ações orientadas para o crescente aumento do volume e da qualidade da reciclagem multimaterial em duas vertentes, designadamente na intensificação das campanhas de sensibilização e educação ambiental ao nível da produção e deposição de resíduos e no alargamento e valorização da rede de equipamentos públicos destinados à recolha seletiva. Neste âmbito, a INOVA-EM procedeu à distribuição gratuita de ecopontos domésticos para recolha seletiva em alojamentos familiares, tendo entretanto sido também consideravelmente reforçada a rede de equipamentos de deposição seletiva de papel e cartão, vidro, plástico e metal.
Para alcançar os objetivos previstos com o investimento realizado, a entidade gestora dos serviços de resíduos urbanos no Município de Cantanhede acionou mecanismos de intensificação das boas práticas ambientais, com enfoque no papel fundamental dos cidadãos relativamente à separação resíduos e, por essa via, no aumento do volume de materiais recicláveis, estando no terreno campanhas de sensibilização que incluem a visita de técnicos a todas as residências do concelho, entre outros aspetos. 
 
Ler mais na edição impressa ou digital