Ardeu totalmente nos trágicos incêndios de outubro de 2017, e agora vai ser reconstruída. Falamos da sede do Agrupamento número 851 do Corpo Nacional de Escutas (CNE), em Ponte de Vagos, cujo projeto de execução e lançamento do concurso público foram aprovados, por unanimidade, em janeiro, na reunião de câmara. O preço base da empreitada foi fixado nos 250 mil euros, sendo de 180 dias o prazo de execução, depois de adjudicada a obra. De referir que, em dezembro último, a autarquia também apresentou candidatura para apoio da empreitada, e por enquanto está a aguardar a resposta. Mas o presidente da câmara acredita que a mesma será aprovada.
Recorde-se que, com data de 20 de julho, a Agrupamento de Ponte de Vagos remeteu à câmara um requerimento, a solicitar contributo financeiro para serem construídos os primeiros módulos, que alegadamente consideravam “essenciais para existirem as condições mínimas de funcionamento”. Pediam 40 mil euros, verba que, em conjunto “com os recursos que dispunham e a sociedade em geral”, diziam ser suficiente para iniciar o processo da reconstrução. Atento à informação do Chefe da Divisão de Cultura, Administrativa e Jurídica (CDCAJ), o despacho do presidente Silvério Regalado não podia ser outro: remeteu o assunto à reunião de câmara de 9 de agosto, que deliberou, por unanimidade, atribuir um subsídio daquele montante.

 

Ler mais na edição impressa ou digital