A greve dos motoristas de matérias perigosas continua por tempo indeterminado e os problemas de escassez de combustíveis estão a agudizar-se em vários pontos do país e até da nossa região, que conta já com alguns postos fechados.

O Jornal da Bairrada deixa nota para uma plataforma online que foi criada para, em tempo real, dar informações sobre a rede de combustíveis em funcionamento (consulte aqui). Aqui nesta plataforma, onde se pode obter a informação dos postos em funcionamento e onde os consumidores podem, de forma voluntária, colocar também informações atualizadas, a informação vai sendo atualizada, dando a conhecer os postos que estão a funcionar e qual o tipo de combustível que ainda comercializam.

Quanto à greve dos motoristas de matérias perigosas, últimas informações dão conta que depois de quase duas horas de reunião entre Governo, ANTRAM (Associação Nacional de Transportes Públicos Rodoviários de Mercadorias), e sindicato dos motoristas dos transportes de materiais perigosos, ficou apenas a garantia do cumprimento dos serviços mínimos.

Por parte do sindicato ficou o aviso: o problema vai continuar uma vez que apenas 40 por cento (%) das bombas em Lisboa e no Porto vão ser abastecidas com 30 % do volume de combustível habitual. Apenas entidades como aeroportos, hospitais e serviços de segurança terão 100% de abastecimento.

Esta classe profissional pretende melhorias salariais, alterações ao contrato coletivo de trabalho, no que diz respeito ao trabalho extraordinário e noturno, e uma categoria profissional específica.

No atual contrato coletivo de trabalho apenas existe a categoria “Motorista de Pesados” remunerada com um salário base de 630 euros.

O Governo declarou a “situação de alerta” adotando medidas excecionais para garantir os abastecimentos. Esta situação de alerta está em vigor até à meia-noite do dia 21 de abril.