Porto de Vide, na freguesia de Avelãs de Cima, recebeu, este ano, de 27 de julho a 2 de agosto, o ACAREG 2019 – 19.º Acampamento Regional de Aveiro do Corpo Nacional de Escutas.
Sob o lema “Segue os teus Sonhos”, foram mais de 2200, os escuteiros (de dez concelhos da Diocese de Aveiro) que durante sete dias assentaram arraial, em solo anadiense.
O evento, a cargo da Junta Regional de Aveiro do Corpo Nacional de Escutas, teve na Câmara Municipal de Anadia um parceiro indispensável, que ajudou a construir em tempo recorde, no meio de um pinhal com cerca de 11 hectares, uma pequena “vila”, com iluminação, água potável, saneamento básico e recolha seletiva de lixos. Nada foi esquecido e a “povoação” tinha café/bar, restaurante, posto de saúde com médicos e enfermeiros, supermercado, capela, palco, secretariado, camião frigorífico, posto de proteção civil, para além de zonas para lavagem de louça, 50 sanitários e 106 chuveiros. E prova de que tudo foi pensado ao pormenor, durante estes dias a moeda oficial do acampamento foi o “escuto”, que valia aproximadamente 40 cêntimos.
Sobre esta imensa logística falámos com o chefe regional, José Carlos Santos que, a dois dias do encerramento do ACAREG, nos traçou um balanço muito positivo do acampamento que se realiza de cinco em cinco anos e que, pela primeira vez, sai do litoral do distrito. “Fez-se um caderno de encargos relativamente a tudo o que eram infraestruturas, exigível para um acampamento desta envergadura, e apresentamos o evento à senhora presidente, dizendo que este acampamento teria uma envolvência bastante significativa naquilo que é a preparação do espaço para que ele se concretizasse e, desde logo, a presidente mostrou-se disponível para analisar a proposta e ver o que seria possível fazer.” Face à recetividade da autarquia, o ACAREG realizou-se neste concelho e na reta final, os responsáveis regionais mostraram-se satisfeitos, não só com as condições disponibilizadas, mas também com o apoio permanente do Município, quer da Junta de Freguesia de Avelãs de Cima, Académico de Avelãs de Cima, mas também das associações florestais do concelho e dos bombeiros de Anadia, que possibilitaram que esta “vila” funcionasse com todas as condições e segurança.

Ler mais na edição impressa ou digital