Na pequena aldeia da Junqueira, na freguesia da Moita, entrou na fase final de construção um pequeno templo inspirado naquela que terá sido a Casa da Virgem Maria, em Éfeso, na Turquia.
“Não é uma réplica nem cópia”, avança o Padre Vítor Espadilha, pároco da Moita e de V.N. de Monsarros, as duas paróquias que mais contribuíram para a concretização “deste sonho”.
A obra começou em setembro de 2017 e ficará concluída ainda antes do final do ano. Orçada em cerca de 200 mil euros, a sua inauguração deverá acontecer na primavera de 2020.
Na reta final dos acabamentos, a Casa vai, no próximo dia 24 de novembro (domingo), ser “entregue a Maria”, diz o pároco a propósito da cerimónia religiosa que servirá para fazer “a coroação da Virgem Maria na capela, para que Ela seja a rainha desta Casa”, explica.

Única
Única na Diocese, no país e na Europa, esta será uma casa de oração: “A Casa de Maria, de Éfeso, serviu de inspiração a esta”, explica o sacerdote, apontando à Casa de Maria da Junqueira “várias diferenças da original”, nomeadamente o tamanho. “Esta Casa é duas vezes maior do que a original e tem pormenores que a tornam diferente, como a localização dos nichos”, revelou o padre, que explica, não ser permitido fazer réplicas ou cópias da Casa de Maria de Éfeso, sendo esta inspirada naquela que terá sido a última residência de Maria. Uma casa simples, em pedra, onde a mãe de Cristo terá vivido os últimos anos de sua vida.
“Esta é uma Casa que surge por vontade de Nossa Senhora”, acredita o padre Vítor Espadilha e “da fé” dos paroquianos, destacando que a frase que melhor se aplica à obra é: “Deus quer, o homem sonha e a obra nasce”, não deixando de frisar que ao longo de vários anos “Nossa Senhora mostrou, de várias maneiras, que queria a Casa na Junqueira”.
 
Ler mais na edição impressa ou digital