A avenida Dr. Lúcio Vidal deixou de ter árvores. Foram cortadas, devido ao estado sanitário das espécies arbóreas “não se apresentar nas melhores condições”. Estavam, segundo informação camarária, a provocar sérios danos no passeio e em tubagens subterrâneas, alegadamente provocadas “pelo seu sistema radicular”. Como medida compensatória, vão ser plantadas novas árvores (Cipreste de Leyland) do lado norte do parque de estacionamento, na Quinta do Ega, e ainda na zona do estádio municipal. Para que haja “uma espécie de cortina que proteja estes locais, tendo em conta que estão muito expostos ao vento e, onde periodicamente decorrem atividades culturais e recreativas”, considera a autarquia.