Num ano totalmente atípico no panorama da cultura nacional, devido à pandemia de Covid-19, o Município de Anadia viu-se forçado a reagendar os espetáculos que integravam o IV ciclo de Concertos de Primavera, edição 2020, inicialmente agendados para março, abril e maio. Nesta adaptação, a iniciativa foi renomeada para “Concertos de Outono”, uma vez que os concertos foram reagendados para setembro, outubro e novembro.

Os “Concertos de Outono” marcam o regresso de Anadia aos espetáculos ao vivo. Em cartaz estão três concertos no Cineteatro com nomes sonantes da música nacional, Luís Represas (12 de setembro), Olavo Bilac (10 de outubro) e Camané & Mário Laginha (7 de novembro).

Para garantir a segurança do público, em cada espetáculo serão cumpridas normas impostas pela Direção-Geral da Saúde. Para evitar qualquer tipo de congestionamento entre pessoas, entradas e saídas terão circuitos próprios, devidamente sinalizados.
Os bilhetes para cada concerto (entre os 10 e os 14 euros) já se encontram à venda nos locais assinalados. O passe geral dos três concertos é de 35 euros.

Os concertos
Luís Represas traz a Anadia o espetáculo “Ao Canto da Noite”. Neste concerto único, o público não será apenas um mero espectador… Após esgotar, em 2019, o Coliseu dos Recreios, em Lisboa, e a Casa da Música, no Porto, o músico português leva-nos numa viagem única, intimista e irrepetível, nestes mais de 40 anos de carreira.

Em outubro é a vez de Olavo Bilac, cujo percurso musical estará sempre ligado à banda Santos & Pecadores, da qual foi líder durante muitos anos. O seu talento e a sua característica e inconfundível voz garantiram-lhe presença em muitos outros projetos musicais. No fim de 2019, lançou o single “1001 Razões”, avanço do novo álbum que chega em 2020. Entretanto, está na “estrada” com o espetáculo comemorativo dos seus 25 anos de canções, que leva ao palco as músicas mais emblemáticas da sua carreira.

A terminar este ciclo, sobem ao palco do Cineteatro Anadia, Camané e Mário Laginha. “Aqui está-se sossegado” é um novo projeto pensado de raiz para dar mais brilho a uma voz e a um piano que se descobriram cúmplices desde a primeira vez que encheram um palco. Contará com cerca de duas dezenas de temas, saídos do cânone fadista tradicional, do repertório de Camané, e incluirá também temas inéditos, compostos por Mário Laginha.