O n.º 1 da Estrada da Murteira desvenda a quinta que lhe deu o nome. Hoje, são os Abibes que nela habitam, apesar de a ave já raramente ali pousar, mantendo-se porém viva nas memórias de Francisco Batel Marques. À medida que avançamos, para trás vai ficando um rasto de poeira, insuficiente para cobrir os dez hectares de vinha de um terroir único na Bairrada. Chegamos então à casa e adega, que renasceram das ruínas deste património que foi de Aguim e é hoje da região.

Nascido em Ílhavo, a morar em Aveiro e a dar aulas na Universidade de Coimbra, Francisco Batel encontrou no centro, solo fértil para implantar o seu sonho. “Tenho uma paixão por agricultura e em especial pelo processo único que é a criação de vinhos”, confessa Francisco Batel, desvendando pormenores de um investimento de três milhões de euros, que incluem aquisição de terrenos e sua preparação, equipamentos e adega.

Leia a reportagem completa na edição de 16 de julho 2020 do JB