É um dos rostos femininos que, na região da Bairrada, mais concretamente em Vilarinho do Bairro (Anadia), abraçou a produção de vinhos, de corpo e alma. Falamos de Carla Neto que, aos 47 anos, sem romper com o legado deixado pelo pai, Carlos Neto, tem em marcha um processo de rebranding da marca Quinta da Lagoa Velha que passa pela renovação da marca, mas também pela reestruturação da adega, lançamento de novos produtos e aposta no enoturismo.

A Quinta da Lagoa Velha já vai na terceira geração de vitivinicultores que se dedicaram à produção de vinho para consumo e venda a granel. Hoje, é Carla Neto que assume o projeto que avós e pai iniciaram e fizeram crescer.

Nas veias corre-lhe a garra, a persistência e a determinação dos seus antepassados. Embora reconheça que apesar das dificuldades que o setor atravessa, é de capital importância continuar a inovar, Carla Neto revela que “o melhor na Quinta da Lagoa Velha está para vir”, até porque na adega repousam “coisas muito interessantes que vão surpreender o consumidor”, como é o caso de um vinho tinto, cem por cento Baga, de 2017, “que está com uma evolução muito interessante”, para já não falar de alguns néctares que se destinam aos topo de gama, Singular tinto e branco.

Leia mais na edição de 8 de outubro do Jornal da Bairrada