A Alameda Poeta Cavador, em Anadia, está a ser alvo de requalificação. Uma intervenção, há muito esperada pelos moradores e comerciantes, que apontam a irregularidade do piso como um dos principais problemas. No entanto, a destruição da zona verde está a criar algum descontentamento.
Placas a imitar granito vão substituir os blocos em cimento. O espaço ficará dotado de bancos, papeleiras, bebedouros e com uma nova iluminação. A zona ajardinada será remodelada. Pequenas árvores e arbustos foram cortados, bem como a árvore de grande porte, com cerca de 30 anos, o que está a gerar um certo descontentamento nos munícipes.
A requalificação “estava a ser necessária, há muito tempo, mas ter bancos sem árvores também não faz sentido”, considera a moradora, Cristina Fernandes. “Os meus filhos brincavam na árvore e, agora, as minhas netas faziam o mesmo” recorda, mostrando alguma revolta por a árvore de grande porte ter sido cortada. Lamenta ainda que não exista um jardim “em condições” na cidade.
Também sobre a árvore de grande porte, o morador, Dino Fontes, pensa que “não havia necessidade de a arrancar, pelo menos havia alguma sombra”. As obras “são importantes”, mas “a árvore não devia ter sido cortada de ânimo leve”.

Piso irregular. Maria Batista, comerciante, espera que a autarquia tenha “bom gosto” para que o local “seja embelezado como merece”. Considerando que Anadia “precisa de espaços verdes”, aponta para o jardim, “que não era tratado”, e o piso irregular como os principais problemas que caracterizavam o espaço. Este último também referido pelo ourives, António Almeida, que já perdeu a conta às pessoas que viu cair. “É uma intervenção que já devia ter sido feita, há muito tempo, mas mais vale tarde do que nunca”, conclui.

Trânsito. A rede viária vai sofrer alterações. A rotunda onde se encontra o pinheiro de grande porte, será fechada. Os veículos que descerem a Rua do Olivais terão de circundá-la.
Os caixotes do lixo vão ser substituídos por um ecoponto e por novos contentores de resíduos sólidos urbanos.
Na zona das passadeiras, o separador central na Alameda Poeta Cavador vai ser rebaixado. A preocupação com as acessibilidades também esteve presente na decisão de eliminar os dois degraus no topo da escadaria junto à ourivesaria. As obras incluem ainda a recolocação dos postes de iluminação pública e a sinalização vertical e horizontal.
A intervenção, a cargo da autarquia, surge no âmbito da Regeneração do Centro Urbano da Cidade, teve início no dia 17 e terá a duração de aproximadamente dois meses. “Num processo de licenciamento mais recente, caberia aos condóminos procederem às obras de beneficiação nos espaços de logradouros.
Trata-se, pois, de um processo de licenciamento mais antigo e que, face ao estado de degradação dos espaços, a Câmara não poderia ficar alheia”, explica Litério Marques, presidente da Câmara Municipal.

Rita de Freitas Gomes
ana.rita@jb.pt