Assinar
Bairrada

Câmara de Vagos “promove” vereador

Uma “promoção” encapotada, para o mais novo vereador da Câmara de Vagos. Eleito pelas listas do PSD, Silvério Rodrigues, gestor, 30 anos, filho do antigo chefe de gabinete de Rui Cruz e actual presidente da Junta de Soza, acaba de assumir funções a tempo inteiro.
A decisão foi contestada pelos dois vereadores da oposição, Mário Martins e Dina Ribeiro, mas o presidente da Câmara já veio dizer que a Lei “está a ser cumprida”.
Segundo Rui Cruz, que entretanto já tinha delegado em Silvério Regalado algumas das suas competências, logo que aquele vereador se desvinculasse da empresa em que trabalhava, “passaria a desempenhar funções a tempo inteiro na Câmara Municipal”.
O Executivo fica agora com três vereadores a tempo completo, Silvério Regalado, Marco Domingues e Albina Rocha, esta em regime de não exclusividade, que desempenha funções de vice-presidente.
Segundo os vereadores do Movimento Vagos Primeiro (MVP), tal número é “exagerado”, face ao número de eleitores, o tecido económico e a realidade social do concelho. E também é “lesivo para os cofres da autarquia, dado os encargos decorrentes da situação remuneratória dos vereadores”, quando ainda não houve qualquer situação que justifique quaisquer acréscimos ao modelo inicial, aprovado, por unanimidade, em Novembro de 2009.
De acordo com o artigo 58 da Lei 5-A/2002, os municípios com mais de vinte mil e menos de cem eleitores “têm direito apenas a dois vereadores”, acrescentam os vereadores do MVP, sublinhando que nos dois últimos mandatos, de maioria PSD, o número de vereadores e elementos do Gabinete de Apoio ao Presidente (GAP), tem aumentado “de forma significativa”.
br/>
Eduardo Jaques