Os gestores do Mais Centro anunciaram ontem que vão solicitar, à Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Centro, um parecer para avaliação da conformidade da ponte pedonal sobre a ria de Aveiro, prevista no Parque da Sustentabilidade, com os planos em vigor.

A informação foi avançada à Lusa pelo porta-voz do movimento cívico Amigos D’avenida, José Carlos Mota, à saída de uma reunião com os gestores do programa Mais Centro, entidade financiadora da parceria para a Regeneração Urbana, onde se inclui a polémica ponte.

A construção da nova ponte sobre o Canal Central tem vindo a ser alvo de críticas por parte deste grupo de cidadãos, nomeadamente devido à sua localização, pertinência e articulação com o Plano de Urbanização do Polis Aveiro, que previa que a travessia fosse construída noutro sítio.

“O que os responsáveis do Mais Centro querem saber é se aquela ponte localizada num sítio diferente do que estava concebido no plano de urbanização do Polis, contraria a filosofia do próprio plano”, disse José Carlos Mota.

No caso do arruamento que atravessa o bairro do Alboi, outro dos projectos mais controversos do Parque da Sustentabilidade (PdS), o mesmo responsável adiantou que a via não fazia parte integrante da candidatura aprovada.

“Tem de ser validada previamente por todos os parceiros”, frisou.

O porta-voz do grupo de cidadãos adiantou ainda que, ao contrário do que tem sido veiculado, não há nenhuma operação aprovada.

“As propostas e as soluções que têm vindo a ser mostradas não são factos consumados. A gestão do programa ainda vai avaliar cada um destes projectos”, afirmou.

José Carlos Mota realçou, por outro lado, que os promotores do PdS vão ter de promover um debate público sobre o projeto, o que ainda não ocorreu até ao momento.

“Um dos princípios a que estas candidaturas obedecem é que têm de informar e envolver os cidadãos, o que ainda não aconteceu”, explicou José Carlos Mota adiantando que os responsáveis do Mais Centro ficaram de conversar com a autarquia e os parceiros no sentido “destas deficiências serem discutidas e corrigidas”.

O movimento, que tem realizado sessões de reflexão sobre diversos temas de ordenamento de território e desenvolvimento, defende a “eliminação” do arruamento que atravessa o bairro do Alboi e da ponte pedonal sobre o canal central da ria de Aveiro, considerando que se tratam de “opções de investimento muito discutíveis”.

Promovido pela autarquia, em conjunto com a Universidade de Aveiro e parceiros privados, o Parque da Sustentabilidade pretende qualificar uma significativa mancha verde da cidade, numa área de 20 hectares.

As áreas abrangidas são o Bairro do Alboi, a Baixa de Santo António, o Parque Infante D. Pedro, o Parque Mário Duarte e a Rua das Pombas.

O projecto que será desenvolvido até 2012 representa um investimento na ordem dos 14 milhões de euros financiados pelo Programa Regeneração Urbana do Plano de Ordenamento do Centro do QREN (com uma participação municipal de cerca de 1,3 milhões de euros).