Num novo ano em que todos perspectivam como difícil face à tão propalada crise económica, a dita crise não pode afectar desportivamente os três clubes da Bairrada que militam nos campeonatos nacionais. Dois deles, Anadia e Pampilhosa, lutam pela manutenção na 2.ª Divisão, enquanto o Oliveira do Bairro tem como principal objectivo a subida ao segundo escalão.
A duas jornadas para o final da primeira volta, Anadia e Pampilhosa defrontam-se na casa do primeiro. Um derby bairradino a abrir o ano novo, um bom aperitivo para os adeptos, sem futebol há três semanas.
O Anadia, 12.º classificado, com 15 pontos, um ponto a mais acima da linha-de-água (União da Serra é o primeiro na zona de descida), tem como aliciante o facto de estrear um novo treinador. Antero Abreu, de adjunto de João Pedro Mariz passou a treinador principal, vai tentar fazer aquilo que ninguém fez: não descer após uma subida de divisão.
Há cinco épocas no clube, Antero Abreu irá tentar incutir novas ideias, outros conceitos tácticos, frente a um Pampilhosa, actual 7.º classificado, mas apenas com mais dois pontos do que os Trevos.
Trata-se de um derby onde não há vencedores antecipados, por isso de resultado imprevisível.
O Oliveira do Bairro joga no reduto do Marinhense, a primeira equipa que roubou pontos na casa dos Falcões do Cértima.
Para uma equipa que desceu de divisão, os vidreiros estão longe dos lugares cimeiros. Em casa já perderam três vezes, mas na Marinha Grande os Falcões têm sentido grandes dificuldades nas últimas épocas. Saldo negativo.

Manuel Zappa