Os portugueses, que já votaram para a eleição das Maravilhas Naturais vão, agora, ser chamados a votar para as 7 Maravilhas Gastronómicas de Portugal.
O leitão da Bairrada é um dos candidatos e vai ser candidatado a este galardão pela Confraria Gastronómica do Leitão da Bairrada.
A candidatura do Leitão da Bairrada às 7 Maravilhas Gastronómicas visa, segundo António Duque, presidente da Confraria visa preservar “o berço” do Leitão da Bairrada e, ao mesmo tempo, valorizar um prato que é o ex-libris da região.
“Dado o carácter de isenção que a Confraria tem em todas as acções que realiza, chamou a si esta candidatura até porque não defendemos nenhum assador, nenhum município, mas sim toda uma região”.
São sete as categorias em que os portugueses vão poder votar: entradas, sopas, marisco, peixe, carne, caça e doces. O objectivo é eleger as Maravilhas da Gastronomia Portuguesa.
“Fizemos saber a todas as Câmaras da região da Bairrada, associações, ao Turismo Centro de Portugal e à Federação Portuguesa das Confrarias Gastronómicas, que iríamos integrá-los como nossos parceiros na candidatura do Leitão da Bairrada e que necessitávamos dos seus apoios. Até ao momento, ninguém se pôs de parte, pois pedimos, caso não estivessem interessados, que nos comunicassem”, acrescenta António Duque destacando que, nas candidaturas, as parcerias são uma mais valia, fundamentais mesmo no momento em que o produto é analisado por um júri científico.
“As parcerias confirmam a solidez do projecto, uma vez que a candidatura conta com “xis” apoios de peso.” Depois, pesará junto do júri a qualidade do produto, o nome e a sua história.
O presidente da Confraria acredita que o Leitão da Bairrada, sendo o mais emblemático a nível nacional, será um dos pratos seleccionados na categoria de carnes. Contudo, António Duque não deixa de lamentar que – por culpa dos empresários da região – hoje já seja possível comer, fora da Bairrada, leitão assado tão bom ou melhor do que algum que se come na região.
A massificação do produto associado ao lucro fácil são os principais problemas que este produto enfrenta: “é um produto gastronómico reconhecido e de grande qualidade que urge preservar, defender”.
“Entendo que seja difícil ter leitão com uma qualidade regular, mas é possível ter leitão calibrado em peso e com um corte constante”, adiantou.
Fundada em 1995, a Confraria Gastronómica do Leitão da Bairrada tem por objectivo primeiro e primordial a divulgação dos valores culturais e gastronómicos da região. Pretende ainda defender a legitimidade do Leitão da Bairrada e preservar a sua qualidade e as suas seculares características, honrando e prestigiando a tradição, de forma a proteger esta iguaria de qualquer incumprimento da receita tradicional e do lucro fácil que, muitas vezes, fecha os olhos à qualidade do produto, referem no seu sítio na Internet.

Catarina Cerca