Orçada em 2.581.971 euros, a remodelação e ampliação da Estação de Tratamento de Águas Residuais (ETAR) de Sangalhos é, sem dúvida, um dos maiores e mais ambiciosos investimentos feito pela Câmara Municipal de Anadia na área do saneamento básico, a par de um outro grande Sistema – o do Levira.
O auto de consignação da obra teve lugar na última quinta-feira, na Câmara Municipal, e contou com a presença dos responsáveis da empresa vencedora a quem foi adjudicada a obra: Espina & Delfim/FactorAmbiente, Ldª.
A obra, que foi adjudicada por um valor mais baixo do que aquele inicialmente previsto (ou seja, 1.126.631 euros abaixo do preço base, que era de 3.708.602,83 euros) faz parte do investimento da autarquia anadiense no Sistema Integrado do Cértima. Com prazo de execução de 12 meses, esta infraestrutura irá possibilitar a desativação das ETAR’s de Arcos e Mogofores. Com o financiamento de 85%, obtido através do QREN, o município de Anadia, mesmo assim, terá de desembolsar cerca de meio milhão de euros (15%). Foi ainda prevista, pela empresa que elaborou o projeto, a elevação em mais de um metro da ETAR, por se encontrar em leito de cheia, junto ao rio Cértima.
De acordo com o autarca Litério Marques, esta ETAR “é uma peça fundamental do Sistema Integrado de Saneamento de Cértima, integrado no mais abrangente Sistema Integrado de Drenagem e Tratamento de Águas Residuais do Concelho de Anadia”, sendo estar ETAR responsável pelo tratamento de todos os esgotos produzidos por cerca de 25 mil habitantes. A título de curiosidade, refira-se que vão ser tratados cerca de 5.700 m3 de esgotos/dia, e 200 m3 de água/hora, que será encaminha para o rio completamente limpa.
Na oportunidade, Litério Marques reconheceu que o grande objetivo é alcançar a “cobertura total do saneamento básico no concelho”, e referindo-se em concreto ao consórcio luso-espanhol, avançou que este “deu um sinal claro de que iria ter a obra concluída dentro dos prazos previstos”. “Isso é bom para vocês e para a Câmara, que paga atempadamente aos seus fornecedores”, dando a indicação de que em Anadia “trabalhos executados significa trabalhos pagos”.
Aos responsáveis Francisco Esteves e Óscar Gutierres, da empresa Espina & Delfim/FactorAmbiente, aconselhou a estarem atentos e a prepararem-se para concorrer a mais obras em Anadia.

Tecnologia de ponta. A remodelação da ETAR de Sangalhos será complexa e utilizará tecnologia de ponta. É que, para além da beneficiação de infraestruturas existentes, integrará novos órgãos de tratamento preliminar, tratamento primário e secundário, bem como um revolucionário sistema de tratamento de lamas. O sistema de tratamento a implementar prevê ainda a reutilização de parte da água tratada (35 m3/dia), em diversas operações de exploração da ETAR e constituirá, ainda, um recurso precioso de apoio ao corpo de bombeiros, no combate a incêndios, mas também para rega. Para tal, será instalado um sistema de afinação do tratamento, constituído por operações de filtração e desinfeção, através de radiação ultravioleta, com armazenamento final em reservatório, a construir para o efeito.
O tratamento das lamas destina-se a que as mesmas possam vir a ser utilizadas na atividade agrícola.
A ETAR de Sangalhos será ainda equipada com um avançado sistema automático de monitorização do processo de tratamento que permitirá a sua monitorização no local, mas também permite a ligação remota através de um Portal WEB acessível através de uma simples ligação por internet. Deste modo, será possível a intervenção no modo de funcionamento.
A ETAR será ainda beneficiada com um novo e totalmente equipado laboratório de análise, estando prevista a instalação de um amplo sistema de videovigilância, de um sistema automático de deteção de intrusão, e de um sistema de deteção de incêndios.

Catarina Cerca